Pages

Sunday, December 04, 2005

EMPATIA/SIMPATIA

Ou voce tem, ou não tem. Ou sente por alguem, ou nao. É assim com a música, com os artistas que a gente gosta. Embora tenha alguma simpatia por eddie vedder e o Pearl Jam, eles nunca me passaram muita empatia, nunca me conquistaram de todo. Ate gosto de algumas coisas em 'ten'. mas é só. tipo, se nao estou de plantao nem tenho que ir ver o show a trabalho, nao sinto a menor culpa ou vontade de estar no evento, que neste momento rola na apoteose, a meia hora da minha casa. mas, para o publico em geral, 40 mil pessoas, mais do que o dobro que esteve na semana passada na lama do rock, eles passam algo forte. nao sei se é a repeticao incansavel de 'jeremy' e 'alive' na radio roque (a mesma que ignora completamente a existencia de nine inch nails, sonic youth e flaming lips, p ex) ou é algum carisma que vedder tem com a plateia. mas, nesse quesito, cara gente boa, politizado e coisa e tal, ainda sou mais o bono do u2, mesmo eddie sendo surfista. bom, se algum coveiro quiser comentar como foi a catarse na apoteose, mande aqui pra gente saber. prefiro o mudhoney. mas este, ja vi num lugar menor e melhor, no ballroom. no quesito seattle, nirvana, alice in chains, mudhoney, dwarves, melvins e soundgarden chegam na frente.

35 comments:

bruno lima said...

é verdade isso q vc falou tom.

eu estava me lembrando agora mesmo dos shows memoráveis do nirvana e do alice in chains naquele saudoso hollywood rock de 93. e ainda o mudhoney no ballroom.

nem vou no pj.

por falar em u2, vc sabe se já saiu por aqui esse novo dvd deles ?

abs.

tom said...

se for o vertigo ao vivo em chicago, ja saiu sim, bruno. to vendo pra fazer comentario pro jornal na terça, alias

fabio fernandes said...

sem esquecer que o hollywood rock de 93 ainda teve o L7. alguma notícia delas ?

o dvd novo do u2, em chicago, já chegou na saraiva, r$ 70.

tom said...

qndo tiverem tempod em uma checada no link a seguir:

http://www.nordstromsilverscreen.com/gogoVideo.html

la tem um remix para 'our lips are sealed' sucesso das go-go's dos anos 80 feito pelo fatboy slim com um video remixado por olivier gondry (parente do michel?). tbm vale a pena ir em beck.com e ver o clip dos robozinhos

Onaicram said...

Eu tb nunca tive um tesão muito grande pelo PJ, Tom. Pra falar a verdade sempre o achei meio superestimado. Tanto, q digo ser "Mirror Ball" o melhor disco dos caras ... rs.
Uma perguntinha: esse remix do fatboy só está disponível na rede?

Rodrigo James said...

desculpa aí tom, mas eu discordo de você.

não sei como foi na apoteose, mas ontem no pacaembu foi histórico.

não é todo dia que se vê 40 mil pessoas berrando a plenos pulmões uma canção como "jeremy". isso sem contar uma versão de arrasar coração de "black". além das obviedades, os caras ainda se dão ao luxo de pinçar alguma smaravilhas desconhecidas de seu repertório, dar espaço para lados b (a linda "crazy mary", dentre outros)

pearl jam é isso. rock and roll pra molecada, sem cabecices, sem ter que pensar em nada. é só deixar as guitarras invadirem seu corpo e se deixar levar.

tom said...

eu descobri essa parada das go-gos' atraves de um anuncio que vi numa revista, parece que a nordstrom é uma loja de roupas e acessorios para mulheres, entao suponho que esse remix seja exclusivo pros anuncios da loja, talvez. no site eles avisam que o proximo sera um remix/video para 'i'll tumble for ya', do culture club. pelo visto, a onda 80's tbm ainda ta firme naquelas bandas. e la comecou bem antes daqui, no final dos 90's...

Carlos Guarany said...

Se fosse na seca de shows dos últimos anos eu até pagaria 120 pratas e enfrentaria duas horas de trânsito, calor, empurra-empurra, arrastão e todas as outras peculiaridades da Wonderful City...Gosto muito do Ten e um pouco dos outros. Mas este semestre foi atípico, teve muita coisa boa e shows maravilhosos vieram até a mim. Tava a trabalho em SP e vi/ouvi Reptilia, a última do show, já da escada de emergência do hotel, de cara para o palco. Depois o NIN e cia vieram tocar do lado da minha casa, no mangue da zona oeste.
Tô ficando velho e muito (bem) acostumado!

Acho que tanto o Claro quanto o PVD dá para entrar com ação no Procon ou no tribunal de pequenas causas.

Tom, não duvido que a rádio jabá tenha colocado pelo menos uns 30 dos 40 mil lá dentro. Quase 10 anos tocando as mesmas 3 músicas deve ter dado resultado.

bnatal said...

Voltei de lá agora e foi muito bom! Músicos afiados, repertório com muitas músicas além das mais óbvias, platéia entregue e uma banda que não queria sair do palco.

Comecei a ouvir Pearl Jam quando tinha uns 14 anos, assim que "Alive" estourou. Foi a minha "banda da adolescência", vai ver por isso tenho um carinho especial até hoje (já que, mesmo continuando comprando os discos, não sinto a mesma coisa com as músicas novas).

Pra mim o melhor disco deles nem é o "Ten", mas o segundo, "Vs". E gosto muito do "Yield" e do "Binaural" também. Todos pelo mesmo motivo: ótimas letras, melodias bacanas e uma dessas poucas que ainda por cima tem uma atitude legal em relação a um monte de coisas.

Cheguei a ve-los em 1994, em São Francisco, num pocket show acústico, pra um tributo que o Neil Young organiza todo dia, chamado Bridge School Benefit. No final, no show do Neil Young, Eddie Vedder ainda voltou ao palco pra cantar "Keep on rocking on the free world". Mas faltava um show inteiro, longo, plugado.

Vieram com alguns anos de atraso, sim, mas pra mim valeu a espera.

Abs,

bnatal said...

Ah, esqueci de dar um toque.

O servidor do Gardenal, portal do qual o URBe faz parte, tá fora do ar e as coisas estão meio capengas por lá.

Enquanto a situação não se normaliza, estou escrevendo temporariamente em www.urbe.blogspot.com

Abs!

Bruno Natal.

Jeff Pioquinto,SJ said...

wow! nice blog. thanks

Rocha06 said...

Pode ser que eu esteja chutando longe, mas eu acho que essa parada com o Pearl Jam tem a ver com a voz dele. Quase todo mundo que gosta do Pearl Jam usa a voz do Vedder como argumento. E realmente, depois do surgimento do PJ, o que não faltou foram imitadores da voz do cara(Creed sendo a mais infame).
E, aqui no Brasil, a galera gosta de cara que canta "que nem macho". E o Vedder faz esse tipo simples, avesso à fama, sem extravagâncias...acho que essa é a fórmula do sucesso deles por aqui
E o Paul Van Dyk que não deu as caras hein? Depois do Claro, tô começando a achar que tem alguma praga naquela Cidade do Rock

Felipe Passarelli said...

Tom, também discordo com você em relação ao Pearl Jam.

Tá certo, eles podem até serem pops e fugirem do Grunge raiz, mas realmente eles sabem fazer um dos melhores shows do mundo, tem a manha.

Antes só tinha radio cidade e mtv, cresci escutando Pearl Jam, a banda pode ter um trabalho irregular em sua carreira, mas show é show, onde as coisas mudam totalmente. (o nin, por exemplo, comecei a gostar mais depois do show)

Banda super competente, o Eddie tava pra lá de bagdá (não sei de que ao certo, parece que foi beck e vinho) e muito cigarro.

Só achei estranho uma coisa:
ele não vinha aqui pq era contra cigarros? parece que teve recaída! rs

Mas ele ligou o foda-se e soltou a franga, tava muito feliz e seu portugues tava bem melhor.

Foram quase 3hs de Show, aqui eles nao tiveram problemas de hórario, e todo mundo que foi nos outros achou o daqui o melhor.

Hoje a radio cidade pode esta caida mas nao esqueçam que ha algums aninhos atras nao tinhamos internet, o que nos restringia o acesso a varias bandas, sempre com cds importados absurdos de caro, lembro que só comprava importado pelo encarte.

Po saí de alma lavada, show sem erros, sem confusão, sem atrasos (apotesose foi feita pro rock também, que os shows sempre sejam lá!) pj deu uma volta inteira em sua carreira, cantou quase todo ten (once, jeremy, black, alive, go), além de Last Kiss, Do the Revolution, I Believe in Miracles do Ramones e I Kick Ou The Jams do MC5 com o Arm do Mudhoney, ponto alto do show.

Gostei muito mesmo e coloco ele como o melhor do ano juntando todos os sentidos: som, line up, carisma, horário e casa cheia.

Foi lindo ver todos cantando as musicas e Eddie abraçando a bandeira do Brasil, fico meio emocionado com essas paradas.

Definitivamente fizeream 15 anos em 3 horas de show, chegaram tarde? chegaram, mas e dai, vieram pelo menos e fizeram um verdadeiro show de rock para quem estava.

achei bom pra kct, to muito feliz, nao esperava tanta garra deles e simpatia do vedder.

Mudhoney foi Ok, mas so cantou duas musicas antigas, ate que o pessoal do rio recebeu bem.

Bem, melhor ouvir pearl jam do que good charlotte, pelo menos o pj sabem o que são, o que eram e o que serão, uma banda que já tem mais de 15 anos nas costas, acho que pelo menos respeito eles merecem.

Parece que Eddie vai passar a semana no Rio.

porra foi bom pra caralho e pronto que venham sempre! rs

Abraços :)

Lismar Santos said...

Fala ai!
A sala tá bonita, hein! (e organizada). Só me enrolei para por uma foto, mas td bem.

Cara, acho Pearl Jam uma boa banda, apenas isso. Eu não fui pq não me considero tão fã assim. Não é como assistir Sonic Youth ou Stooges. É aquilo, uma questão de gosto.
Só uma obs. : eu acho que uma parte considerável do público só de "onda", tipo só por causa do nome da banda (dúvido que conheçam o Mudhoney, que é excelente). Vão ter aqueles "plays", metidos a surfista... haha!
Enfim... Tô com 120 pilas salvas para o show do U2, rs.

Gde abrç!

Tay said...

Cara eu fui no show do rio.... Foi foda eles mandaram muuuuito bem...Eu tb sou + essas bandas ai que vc falou, mas tenho que falar que eu ADOREI o show o Eddie realmente tem carisma sim....Pow to doida p ir no show do U2 no rio mais nem sei se vai dar.....

Lord Vader said...

Como já falei aqui antes , acho o Eddie Vedder chato , com uma voz irritante , e apenas o Ten possui valor , teve a ver na época. " Do the evolution " funciona bem com o videoclip , mas só.
O Mudhoney assisti de dentro do palco , quando eu tava perdido em Goiânia , e acabou sendo um dos shows top ten da minha vida , porque o clube lá era menor que meu quarto , o publico selvagem , e o Mark Arm ficou trocando idéia com a galera no bar , na maior simplicidade !

tom said...

mas, sem duvida, prefiro mil vzs o pj do q esses montes de bandas punk-pop q grassam hj por ai q nem praga. ate o green day, q é uma das originais do lance, nao me daria vontade de ver...

Onaicram said...

Agora, vou discordar contigo Tom. Sempre achei q o Green Day seria mais uma bandinha efêmera do pop punk. Mas, após American Idiot, mudei de opinião. A banda amadureceu muito, tanto musicalmente quanto em termos de consciência política. Acho q esse álbum foi um dos melhores desta década. Seria interessante vê-los, agora, adultos num showzinho básico.

:: Fräulein :: said...

O pearl jam tem uns piratões lado b interessantes, mas no geral acho o vedder bem metidinho, não pagaria para assistí-lo.
As músicas deles não me tocam muito, nirvana que já faz tempo que não ouço me toca muito mais, traz boas lembranças da adolescência e tal.

resist said...

eu nao um grande fã de pearl jam mas acho a voz do cara foda e musicalmente eles mandam muito bem. e o show mostrou exatamente isso.

so acho um pouco caido o cara vir pra ca 15 anos depois de estourar mundialmete e ficar enrolado na bandeira. podia ta feliz pra caralho mas é cliche demais..

tirando isso rolou uma simbiose muito boa entre banda e publico ate pq o pearl jam engloba fas pela cidade inteira, zn, zs, zo (massificacao é foda, imagina o q poderia ter sido o claro q é rock se a radio róque tocasse alguma coisa das bandas q vieram) .ate pit boys eu vi. pats tb , enfim todo tipo de gente tinha na apoteose..

ps. saiu um anuncio da claro no globo enaltecendo o "sucesso" do claro q é rock. só pode ser curtição com a cara de quem foi ne..

Felipe Passarelli said...

Franz Ferdinand abrindo os shows do U2 no Brasil, confirma Tom?

Alguns sites já tem datas pré-confirmadas:

FEB 21 BRA SAO PAULO - Supporting U2
FEB 22 BRA SAO PAULO - Supporting U2

Será?

tom said...

eis o que recebi da produção da gig do pvd explicando os bugs:

"O cara não embarcou de Buenos Aires para o Brasil. Ele tocou lá no sábado e tinha acordado com a produção que voltaria para tocar no domingo. Isso inclusive foi um dos motivos do evento ser transferido para o domingo e não
para o sábado. Na sexta, antes de marcar a nova data, a produção o consultou e ele topou voltar para o Brasil para tocar no domingo, uma vez que o motivo do cancelamento do evento era mais do que plausível (a chuva que não deu
tréguas durante todo o dia).

O público (cerca de 7 mil pessoas) que permaneceu/ entrou no evento mesmo depois de informado sobre o cancelamento do DJ set de PVD, comemorou uma das duas atrações anunciadas em substituição ao alemão e ao americano Edgard V,
o Wrecked Machines Live. A outra atração foi o inglês Dimitri Nakov.

Ah, quem quis sair do evento recebeu seu ingresso de volta para posterior reembolso. O mesmo vale para quem tinha ingresso e não foi ao evento. As informações dos postos de troca estarão disponíveis, a partir de terça, dia
6, no site www.mondoentretenimento.com.br, uma das empresas
organizadoras/produtoras do festival. A outra é a Directa Produções". Renata Lima
In Press Porter Novelli - Assessoria de Comunicação
Tel: 55.11.3323-1609

tom said...

tbm vi esse anuncio do ff no site do u2, mas nao esta nada confirmado

Daniel said...

No quesito Seattle, Tom, vc nao gosta de Screaming Trees/Mark Lanegan, nao??

Carlos Guarany said...

Já não estarei mais por aqui em fevereiro mas... FF + U2 me parece imperdível. A pergunta é: Quem abre o show? Pra mim deveria ser o U2 :) Just kidding!

tom said...

sim, inclusive acho que o lanegan fez uns discos bem bacanas fora do screaming trees. mas, pra mim, a grande banda desconhecida de seattle sao os dwarves. é punk rock lenhador de rachar o côco -)

Carlos Guarany said...

Para vcs terem uma idéia, tentei comprar ingresso para o show do U2 em Sydney em 31 de março. Para o gramado do estádio olímpico custava A$134,00 (cerca de R$250,00 com as taxas). Entrei no site na hora exata do início da venda. Impossível conseguir, só busy, busy! Depois soube que acabou tudo em pouco mais de 1 hora. Teve gente lá que ficou na fila "física" por mais de 12 hs e conseguiu. Tem neguinho agora vendendo no e-bay por 800 dólares. Como diria o Ancelmo Góis deve ser terrível viver num país assim.

Felipe Passarelli said...

te falar tom,

estou conhecendo seattle nesse momento, peguei os primeiros albuns do Green River, Mudhoney MALFUNKSHUN, soundgarden e The Melvins.

Como havia material boem entre 85-90 heim.

Nessa época tinha 5-10 anos, impossivel me espandir mais que os jornais, a MTV e a Bizz falavam (o vader tava me contando que vc trabalhou na bizz, nem sabia! lia direto, e tenho varias letras traduzidas! rs)

to na onda de guitarras distorcidas, quem souber de mais gente e bandas dessa época, poste aqui, quero mais guiitarra!

ótimo houdini do melvins e ultramega ok do soundgarden. vamos cavar o buraco, se vc lembrar cite ai tom, sem ser as mesmas de sempre.

tomara que o grunge sujo volte mesmo, muito bom para meus ouvidos. :)

Outra indicação muito boa da Semana:

Sofa Sufers - Sofa Surfers

outra bandinha reciclada muito boa, o vocal as vezes lembra seal as vezes lembra Milli Vanilli, mas com uma pegada rocker.

I HATE SUMMER :( ABS

Peguem esse + Wolf Parade, ótimas bandas, inclusive a folha falou do Wolf Parade semana passada.

Sub Pop em alta sera? por mim ta pelo menos virtualmente! rs

Abraços

Lord Vader said...

Pra mim a banda esquecida de Seattle é o Flop !

tom said...

talvez pelo nome da banda, vader :-)

iga_rio said...

Fala Tom,

Cara sai de alma lavada do show do Pearl Jam !!!! esperava de ser um bom show mais o que eu vi foi mais que isso !!! muito foda !!! voltei a 92/93 quando ouvia os caras direto, e sinceramente valeu a pena espera esses anos todos...
Ver Pearl Jam e Mudhoney tocando junto "Kick Out The Jams" foi demais !!!
Musicas como Alive, Even Flow, Do The Evolution, Jeremy, Black, Better Man, Animal, Daughter, Not For You e Give To Fly eram cantadas em coro pela plateia !!!
e ainda teve I Believe In Miracles do Ramones...

Sai de alma lavada e com mais um show na galeria dos melhores shows que eu já vi... assim como Nirvana em 93, Faith No More em 91, Beastie Boys em 95, REM em 2001, e etc...

Quando vc vai num show esperando que ele seja bom e o show é mais que isso... não existe nada comparavel !!!

A noite de 4 de dezembro valeu e muito, infelizmente para quem não foi fica dificil de explicar...

Abraços,

Flávia said...

Depois de mais de 10 anos sem pisar na Apoteose, resolvi encarar... Não me lembrava de um show tão cheio por ali.
Sempre tive vontade de ver o PJ ao vivo, e na boa, não me importa se só vieram agora. Ainda acho melhor do que muita porcaria recente por aí...
Achei um PUUUTA show. Doidão ou não, Eddie Vedder foi simpático e tem carisma (não é Bono Vox – embora eu seja suspeita pra comparar alguém com ele - mas levou a galera na boa). Com exceção do clichê de sempre “eô eô, Rioooo”, nem o abraço a bandeira nem o português forçado me incomodaram. Claro que as músicas do TEN tiveram muito mais resposta, mas ouvi a galera cantando praticamente tudo junto.

Agora quanto a organização ...
a saída foi complicada. Se o metrô estendesse o horário teria sido muito mais tranqüilo. Fechou às 23 h, o show acabou depois disso, e ... tudo parado. Mas tudo bem, metrô acha que só tem público de Carnaval

Pontos negativos: filas homéricas nos banheiros, e o que eu já sabia: ninguém conferiu a meia entrada ... uma PUTA burocracia pra comprar, não aceitavam recibo de faculdade, só com carteira, um discurso do cara da bilheteria do Claro Hall dizendo que “o nome no ingresso será conferido com a identidade e com a carteira de estudante”, pra na hora ninguém conferir porra nenhuma.

Agora só falta VERTIGO TOUR aqui, em fevereiro, onde quer que seja :-)

renato said...

Não sou um adorador do movimento grunge e nem fã incondicional do PJ. então, me considero imparcial ao colocar meu depoimento. estive no show aqui no rio, graças a um "0800" que minha namorada conseguiu na acessoria de imprensa. O show foi sensacional. E valeria se eu tivesse pago. obiviamente o público em geral esperava ouvir as músicas mais conhecidas, mas me alegrou muito ver que músicas menos populares por aqui, como "once", "animal", "do the evolution", tiveram uma resposta muito bacana do público. o pessoal tava ali pra curtir o show. mas, o que me deixa irritado é o fato da tal rádio desconsiderar ótimas músicas da banda pra tocar (leia-se saturar) apenas as 3 músicas que todo mundo conhece. será que a tal radio rock não suportaria o peso de uma "animal" ou "rearviewmirror"? ou acham que a belíssima "yellow ledbetter" não agradaria? é uma grande pena saber que, através do rádio, o público não conhece as bandas como elas realmente são. Abraços!

tom said...

realmente, as vzs um bom show vale mais do que toda a onda em volta, se vc for fa da banda ou nao. pelo visto, o pj fez um excelente show e agora ate fiquei com vontade de ter visto :-) mas realmente eu nao curto a voz nem as letras do eddie, tem um que de hippie que me incomoda. tipo, eu seria amigo dos caras do nirvana, mas n andaria com ninguem do pearl jam :-)

Tiago Velasco said...

Eu fui di grátis. Eu tb não sou chegado no PJ, mas eles têm uma importância na minha formação roqueira. O show foi muito bom - mais pela empolgação da galera do que pelas músicas deles mesmo. Gostei de ouvir "Jeremy", "Even Flow" e "Alive". Eu preferi o Mudhoney, mas tb já tinha visto no Ballroom, que foi bem melhor. Mas, pela catarse, valeu a pena.

NA CIDADE

JULIANAS:

casas & shows: Circo Voador 18 – Metá Metá / Rakta 19 – Roberta Sá  20 – Testament (EUA) 25 – Johnny Hooker 26 – O Baú do Raul – 25 Anos: Marcelo Nova / Mauricio Baia / B.Negão / Chico Chico / Karina Buhr / Rick Ferreira / Vivi Seixas

Fundição Progresso 18 e 19 – Novos Baianos 25 - Mitchell Brunnings (HOL) / Orquestra Brasileira de Música Jamaicana 26 – Festival RapRJ 7: Cone Crew Diretoria / Luccas Carlos / Froid / 1Kilo / ADL – Participação: Ducon / Modestiaparte – Participação: Liink & Buddy Poke

Teatro Rival 18 – Festa La Cumbia 19 - Afrojazz - Participação: Larissa Luz & Jesuton 23 - Michael Sweet (Stryper) & John Schlitt (Petra) 24 - Júlia Bosco & Emerson Leal & Gustavo Macacko – Participação: Mart´nália & Simone Mazzer 25 – Alma Thomas 26 – Jay Vaquer 50 meia Setor A, 40 meia Setor B, 30 meia Lounge 30 – Cabaré Diferentão

Teatro Riachuelo 29 – Paulo Ricardo Teatro Odisseia 18 – Ordinária - Baile do Lindote: Molejo 24 - The World is a Beautiful Place & I am No Longer Afraid to Die / gorduratrans / E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante  26 - Esteban Tavares / Sheffield 

Vivo Rio 18 - Postmodern Jukebox (EUA)  19 – Barão Vermelho 20 – Roy Hargrove & Roberta Gambarini 25 - Jacob Collier (ING) 

Baratos da Ribeiro (Botafogo) 19 – Vespeiro: Marcelo Perdido / Real Sociedade / O Branco e o Índio 26 - Vespeiro: Tacy de Campos / Jonnata Doll & Os Garotos Solventes

Estúdio Hanói (Botafogo) 18 - Nativity in Black Fest: Justabeli (SP) / Dark Tower / Profane Art  19 - Festival Nativity in Black: Justabeli (SP) / Dark Tower / Profane Art  27 - Back To Hanoi Metal Fest: Forkill / Unmasked Brains / Evil Inside / Savant  30 - Rectal Smegma (HOL) / Uzômi / Baga  Audio Rebel 16 – Quintavant: Thiago França: Sambanzo 17 – Quintavant: Thiago França: Space Charanga Quarteto 18 - Jair Naves & Britt Harris / Kasparhauser 19 – Quintavant: Ava Rocha 20 - Homenagem a John Coltrane (Widor Santiago, Sergio Barrozo, Adaury Mothé, Didac Thiago, Roberto Rutigliano) 23 – Quintavant: Hans Koch (SUI) - Participação: Bella, Thomas Rohrer, Cadu Tenório, Antonio Panda Gianfratti 24 – Quintavant: Hans Koch (SUI) - Participação: Thomas Rohrer, Antonio Panda Gianfratti 30 – Quintavant: AJJA (Pedro Calmon & Alex Frias)

Espaço Sérgio Porto 18 - Marcio Lugó / Capela  24 - Mulheres de Buço 25 - Whipallas 31 - CEP 20.000

Sala Baden Powell 16 - Donatinho: Homenagem a João Donato - Participação: Ithamara Koorax, Wanda Sá, Cris Delanno, Amanda Bravo, Ricardo Silveira 19 - Quarteto do Rio 23 - Lúcia Menezes 26 - Marcel Powell - Homenagem a Baden Powell - Participação: Thais Motta, Ithamara Koorax, Gabriel Aquino, Amanda Bravo, Dilma Oliveira 27 - Dorina Canta Aldir Blanc 30 - Eliana Pittman

Theatro Net Rio 16 – Laila Garin & A Roda 22 – Paulo Miklos 12/09 Simone Mazzer

Beco das Garrafas Casa de Cultura Laura Alvim 09 e 10 – Festival Levada: Luísa Maita 15 – Katerina Polemi 16 e 17 – Festival Levada: Apanhador Só 23 e 24 – Festival Levada: Bruna Mendez 30 e 31 – Festival Levada: Tamy

Teatro Ipanema 15 - A.Nota: Sambas do Absurdo (Juçara Marçal & Rodrigo Campos & Gui Amabis) 16 - Aíla (PA) – Participação: Posada 17 - Ana Frango Elétrico / Thiago Nassif 18 - Amora Pêra 22 - A.Nota: Marcelo Vig & Marcos Suzano

Teatro Café Pequeno 17 - Lu Dantas & Natália Boere 24 - Marcos Oliveira 31 - Filtra

Metropolitan 24 – Hanson (EUA) 26 - Lindsey Stirling (EUA) Teatro Bradesco 18 – Leo Jaime 24 – Almir Sater

Teatro Municipal de Niterói 18 e 19 – Roberta Campos 22 – Clube do Choro Homenageia Noel Rosa 24 – Quarteto do Rio

Planet Music (Cascadura) 18 - Torture Squad / Hatefulmurder / Reckoning Hour / Warcursed  19 - Black Days (SP) / Sheffield / Amsterdan / LaVille  26 - Festival Invasão Underground 2: Inversa (SP) / Maieuttica / Adrift / Tormentta / The Last Whale 

Imperator 16 - Quartas Brasileiras: Tia Surica - Tributo a Clara Nunes - Participação: Nilze Carvalho, Ana Quintas, Mariene de Castro 22 – Jazz Pras Sete: Folakemi Duo 23 – Maurício Mattar – Participação: Alexandre Pires 24 - Homenagem a Dalva de Oliveira: Amelinha, Zezé Motta, Dóris Monteiro, Leny Andrade, Rita Beneditto, Áurea Martins, Agnaldo Timóteo, Simone Mazzer, Zé Renato, Eliana Pittman, Rosa Maria Colyn, Luciene Franco, Ellen de Lima, Ataulfo Alves Jr, Gottsha 30 – Agnaldo Timóteo 31 – Samba do Imperator: Grupo Arruda, Marquinhos de Oswaldo Cruz, Arlindinho

Centro de Referência da Música Carioca Artur da Távola (Tijuca) 16 – Coletivo Samba na Rua 17 – Quinta Instrumental: Jimmy Santa Cruz 18 – Victor Mus 19 – Danilo Caymmi 23 – Fábrica Nômade Sonora 24 – Quinta Instrumental: Carlos Café 25 – Laura Zennet 26 – Quarteto do Rio 30 – Projeto Vitrola

FM Hall 23 – Manu Gavassi (grátis) 29 – Illy (grátis)

La Esquina (Lapa) 17 - Red Mess / Blind Horse / Stoned Jesus 24 – Mobile Drink

Smokey Rio (Lapa) 19 – Festa Rio Vinil Clube 26 – Bel Almeida Ganjah (Lapa) 18 – Duda Brack & Thiago Ramil 23 – Festa HempFyah: Rafyah Dread & Hempfield DubLab / Lion Dornellas / André Pfefer / Tagu Selectah Vibration 25 - Azul Casu & 3 du Mar

Casa de Baco (Lapa) 17 – Gafieira Pé de Louro 19 – Relógio de Dalí 24 – Joyce Cândido

CCBB 18 - Festival CCBB - Quanto Mais Tropicália, Melhor: Pato Fu / Céu – Praça do Centro Cultural dos Correios (22h – R$ 20) 19 - Festival CCBB - Quanto Mais Tropicália, Melhor: Pedro Luís & A Parede / Tom Zé – Praça do Centro Cultural dos Correios (22h – R$ 10)

Quintas no BNDES 17 - Byafra: 35 Anos de Sucesso 24 - Luiza Borges 31 - Tarita de Souza

Circuito SESC 16 – Copacabana: Philippe Baden Powell & Quarteto Ludere: Baden Powell 80 Anos 18 – Niterói: Clara Gurjão 26 – Engenho de Dentro: Clara Gurjão Circuito SESI 26 – Duque de Caxias: Tiê 25 – Jacarepaguá: Tiê _____________________________________________________________

mixx: 18 - Carmen Blues – Bar Kunin / Vila Isabel 18 – Sara & Nina – Olho da Rua / Vila Isabel 18 - Ronaldo Diamante – TribOz / Glória 18 - Wake the Dead Festival: Surra (SP) / Rats / Der Baum (SP) / Nove Zero Nove – Clube Mageense / Magé 18 – RaggaBrass – Boulevard Olímpico / Praça Mauá 18 - O Rappa - Tour de Despedida – Quadra da Grande Rio / Duque de Caxias 19 - Insurgente Rock Festival: Maieuttica / Ágona / Born2Bleed / Melyra / Forkill / Negah – Caixa de Surpresa / Bangu 19 - Breaking Bad - A Festa: Cervical / Controle / Mau Presságio – Buffallos Bar / Méier 19 - Festa RapSoul 5 Anos: Rael – Armazém / Praça Mauá 19 - Akira Presidente – Espaço BF / Mesquita

20 - Caxias Hell Festival: Velho / Justabeli (SP) / Dark Tower / Gutted Souls / Unnature / Vicious – Lira de Ouro / Duque de Caxias 25 - Bloco Fanfarra D´Águas – Praça das Nações / Bonsucesso 25 - Rogério Caetano - Participação: Hamilton de Holanda – Eco Som / Botafogo 25 - Arraiá do Bloco Vem Cá, Minha Flor – Feira de São Cristóvão

LEO JAIME LEO "GUANABARA" JAIME Com mais de 30 anos de carreira, Leo Jaime experimenta momentos de grande intensidade em sua vida profissional. Além da obra consagrada, como cantor e compositor, o artista está sempre atuando em novos projetos. Humor, interpretações arrebatadoras, inteligência e versatilidade são as marcas deste artista que apresenta ao publico carioca, no dia 18 de agosto, no Teatro Bradesco Rio, o espetáculo “Leo “Guanabara” Jaime”. No show ele relembra seus grandes sucessos musicais e as histórias por trás das canções e dos bastidores do Rock Brasil

PROGRAMAÇÃO BLUE NOTE JAZZ CLUB RIO (ONDE ERA A MIRANDA, NO COMPLEXO LAGOON, NA LAGOA, LADO LEBLON):   07/09 - Quinta-feira 20:00 Maceo Parker 22:30 Maceo Parker   08/09 – Sexta-feira 21:00 Maceo Parker 23:30 Maceo Parker   09/09 – Sábado 21:00 Sergio Mendes 23:30 Sergio Mendes   10/09 – Domingo 20:00 Sergio Mendes 22:30 Sergio Mendes   13/09 - Quarta-feira 20:00 Jaques Morelenbaum convida   16/09 – Sábado 21:00 Baby do Brasil 23:30 Baby do Brasil   17/09 – Domingo 20:00 Baby do Brasil 22:30 Baby do Brasil   20/09 - Quarta-feira   20:00 Jaques Morelenbaum convida   27/09 - Quarta-feira 20:00 Anne Paceo 28/09 Quinta-feira   20:00 Orquestra Atlântica 22:30 Orquestra Atlântica    Outubro   04/10 - Quarta-feira 20:00 Ala.Ni 05/10 – Quinta-feira 20:00 Chris Botti 22:30 Chris Botti  06/10 – Sexta-feira 21:00 Chris Botti 23:30 Chris Botti    07/10 – Sábado 21:00 Chris Botti 23:30 Chris Botti    08/10 – Domingo  20:00 Chris Botti 22:30 Chris Botti  11/10 - Quarta-feira 20:00 Teresa Salgueiro 22:30 Teresa Salgueiro    12/10 – Quinta-feira 20:00 Teresa Salgueiro 22:30 Teresa Salgueiro    20/10 – Sexta-feira 21:00 Chick Corea & Steve Gadd Band 23:30 Chick Corea & Steve Gadd Band   Novembro 02/11 Quinta-feira 20:00 Spyro Gyra 22:30 Spyro Gyra   03/11 Sexta-feira 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   04/11 Sábado 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   15/11 Quarta-feira 20:00 Laura Perrudin   16/11 Quinta-feira 20:00 Didier Lockwood Trio 22:30 Didier Lockwood Trio

ULTRA BRASIL ANUNCIA A PHASE 1 DE SEU LINEUP PARA A EDIÇÃO 2017: ADAM BEYER, ALESSO, ARMIN VAN BUUREN, DAVID GUETTA, JAMIE JONES, JOSEPH CAPRIATI, SASHA & JOHN DIGWEED e THE MARTINEZ BROTHERS SERÃO HEADLINERS FESTIVAL ACONTECE NOS DIAS 12, 13 E 14 DE OUTUBRO NO SAMBÓDROMO DO RIO

_______________________________________________________ CURSOS DE AGOSTO no Estação NET Botafogo    - História do Cinema Independente Brasileiro, com Cavi Borges    - Ancine e o fomento ao audiovisual brasileiro, com Julio Augusto Zucca    - Cinema Afrodisíaco? O sexo na tela, com Dodô Azevedo

Circuito Estação NET de Cinema e Cinemateca do MAM apresentam: Exposição CINEMA EM CASA: Equipamentos do acervo da Cinemateca do MAM. A partir de 23 de fevereiro, no Estação NET Botafogo de 23 de fevereiro a 23 de agosto 2017 Horário de visitação: 14h às 22h Entrada franca

DISTOPIAS BRASILEIRAS NO CINEMA A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 15 a 27 de agosto de 2017, a mostra cinematográfica Brasil Distópico, que traça um panorama da produção nacional sobre as distopias. Para a programação, os curadores Luís Fernando Moura e Rodrigo Almeida selecionaram 37 curtas e longas-metragens que imaginam diferentes futuros sombrios para o país, entre clássicos da ficção-científica brasileira e obras menos conhecidas.  Na programação, filmes como O quinto poder (1962), de Alberto Pieralisi, e Brasil ano 2000 (1969), de Walter Lima Júnior. Outras incorporam as convenções da ficção científica, encenando a ameaça nuclear e o colapso do planeta, como Parada 88: o limite de alerta (1978), de José de Anchieta; e Oceano Atlantis (1993), de Francisco de Paula. Há, ainda, aqueles que instalam o cinema de gênero em imaginários locais do Brasil, como é o caso de Abrigo nuclear (1981), de Roberto Pires; e Areias Escaldantes (1985). ESTE ULTIMO, TRAZ NO ELENCO, VARIOS NOMES E BANDAS DO ROCK BRASIL DOS ANOS 80, COMO LOBÃO, TITÃS, E TEMA-TITULO DE LULU SANTOS.

DEIXA NA RÉGUA: O filme estreia no dia 10 de Agosto no INSTITUTO MOREIRA SALLES com sessões às 16h e 20h e no CINE SANTA com sessão às 17h10. Deixa Na Régua. Direção: Emílio Domingos. Produção: Osmose Filmes. Documentário. Brasil. 73 minutos.

COM SESSÕES LOTADAS EM ALGUMAS CIDADES, UCI ABRE MAIS SALAS PARA “DAVID GILMOUR: LIVE IN POMPEII” E AGORA APRESENTA A EXIBIÇÃO EM XPLUS  Ingressos já estão à venda e o público poderá conferir o show também com o poderoso som Dolby Atmos em 360º



BLITZ AO VIVO: No embalo do lançamento do álbum 'Aventuras 2', Evandro Mesquita e sua Blitz finalizam seu quarto DVD, gravado no Circo Voador em abril, para lançamento em outubro. A banda está a todo vapor, com presença confirmada no próximo Rock In Rio e tem turnê pelos Estados Unidos confirmada em fevereiro de 2018

FESTIVAL DE CINEMA DA NOVA ZELANDIA

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers