Pular para o conteúdo principal

Postagens

SPACE FORCE: A NOVA CORRIDA ESPACIAL É APENAS OK

Uma das novas produções originais da Netflix é a série ‘Star Force’, que entra no serviço de streaming nesta sexta-feira, 29 de maio. Estrelada por Steve Carell (que é um dos co-criadores, junto com Greg Daniels), a série se passa numa base militar secreta, no Colorado (EUA), onde está sendo preparada uma nova missão lunar. No que será o primeiro passo em direção a Marte. Na verdade, a Força Espacial será um novo braço das Forças Armadas americanas. Aliás, por coincidência, os EUA acabaram de anunciar, na vida real, um projeto parecidíssimo com isso.


Apesar de Carell e Daniels terem sido também parceiros na versão americana da série inglesa ‘The office’ (criada originalmente por Ricky Gervais, de ‘After life’), Carell fez questão de dizer que ‘Space Force’ não é uma versão espacial de ‘The office’. E, não é mesmo. Tive acesso aos seis primeiros episódios, e posso garantir isso. Agora, seguimos os passos do ambicioso general Mark Naird (Carell), que quer triunfar, a todo custo, nesta me…
Postagens recentes

NUM CINEMA LONGE DE VC

Por conta da pandemia, rolou uma tremenda  mudança no calendário de lançamento dos blockbusters do verão americano, muitos deles, programados com até dois anos de antecedência. Mas, e os filmes medianos? Com estes, está acontecendo aquilo que ocorria na época do VHS: estão indo direto pra vídeo.Mas, como os tempos são outros, hoje em dia não há mais VHS, e o DVD/BD está quase em extinção, isso significa ir direto para o VOD (vídeo on demand).



   Vários deles, já seguiram esse caminho. Como a última animação Disney/Pixar, ‘Dois irmãos: uma jornada fantástica’ (‘Onward’), que já está disponível no Brasil através do serviço de streaming Prime Vídeo, da Amazon, depois de carreira abreviada nos cinemas. Já ‘Trolls 2’ (‘Trolls World Tour’), nem chegou nas salas, já foi direto para o VOD, nos EUA. O que provocou certa revolta em exibidores americanos, que prometeram boicotar os próximos lançamentos da Universal quando os cinemas reabrirem (duvido). No entanto, ‘Trolls 2’, está previsto para o…

STANARD E A 'PAREDE VOODOO'

Uma das bandas ‘oitentistas’ mais bacanas, que poucos tomaram conhecimento (jamais teve disco lançado oficialmente no Brasil), foi a americana Wall of Voodoo. Capitaneada pelo genial Stanard ‘Stan’ Ridgway (um dos letristas mais interessantes daquela geração) ela teve um breve momento de fama, quando estourou a música “Mexican Radio” (de seu segundo álbum, “Call of The West”), que teve boa rotação na MTV e vendeu muito. Mas, acabou sendo um caso de one hit wonder. E, Stan e a banda, voltaram para o undergroud rapidinho. Na verdade, depois disso, rolou um racha e, Stan, foi trilhar caminho solo, enquanto o que restou da banda tentou manter o curso.


Não conseguiram. Porque, a alma do Wall of Voodoo era Stan. Ele começou a banda (na verdade, era apenas ele, sua harmônica e um monte de traquitanas eletrônicas), no fim dos anos 70, como um projeto de seu estúdio Acme Soundtracks, criado especialmente para fazer trilhas sonoras para terceiros (filmes, anúncios etc). Como o Acme Soundtracks f…

O CHATO QUE TORNA O MUNDO MENOS CHATO

Há 20 anos, o HBO estreava uma série inusitada, ‘Curb your enthusiasm’ (‘segure a onda’). Era uma espécie de meta reality show, no qual acompanhávamos o dia a dia de um coroa rabugento, Larry David (como ele mesmo), em suas andanças por Los Angeles (cafés, restaurantes, campos de golf etc) e pelas casas de amigos famosos de Hollywood (alguns também como eles mesmos; outras vezes, fazendo personagens. a lista de convidados famosos é imensa). O detalhe é que, Larry, é ninguém menos do que um dos co-criadores de ‘Seinfeld’, aquela série sobre nada, que fez o maior sucesso nos anos 90, e virou cult.


O que fez de 'curb' um sucesso -- que perdura por duas décadas --, é que, Larry nunca escondeu que é um ferrenho guerreiro contra o politicamente correto e contra agendas ideológicas idiotas. Ele, como judeu, p ex, está pouco se lixando se assoviar Wagner (tido como anti-semita, mesmo tendo morrido antes da chegada de Hitler) vai incomodar. Ou se podemos usar o banheiro para deficientes…

OI, VEY! HUNTERS É TOV!

Assinei o serviço de streaming Prime Video, da Amazon, por causa de 'The Boys' (e, pela ótima promoção do valor anual de inauguração, apenas $80, à vista). Mas, se fosse hoje, o faria por 'Hunters'. Desde 21 de fevereiro, estou grudado na nova série original Amazon. Ela marca a estreia de Al Pacino na TV. Na verdade, Pacino estreou numa série policial para TV, “N.Y.P.D”, em 1968. Mas, num papel pequeno e num único episódio. Agora, ele é o ator principal. E, chamar “Hunters” simplesmente de ‘série de TV’ é reduzir bastante as qualidades da atração, já que a TV, hoje em dia, está tão boa - ou melhor - do que o cinema. Exemplos não faltam.


 O piloto de 'Hunters', por exemplo, é um sensacional filme de 90 minutos, que não apenas vende muito bem a ideia, como deixa gosto de quero (muito) mais, com um bom gancho para sequência (são 10 episódios). A trama, acompanha um grupo de caçadores de nazistas em Nova York, em 1977 (usando fatos que realmente aconteceram na époc…

NOVO HOMEM INVISÍVEL, TORNA VISÍVEL UM PROBLEMA

Recentemente, a Universal Pictures falhou, fragorosamente, ao tentar fazer de sua linha de Universal Monsters (Dracula, Lobisomen, A Múmia, O Homem Invisível etc) uma série de sucesso, na linha de outras, como a dos quadrinhos Marvel e DC, as diversas marcas de êxito da Disney (Star Wars, Pixar) e tantas mais, que vem dominando as bilheterias de cinema nos últimos tempos. O começo foi discreto, com um filme OK, que contava as origens da Drácula (‘Dracula untold’/’Drácula: a história nunca contada’, 2014). Depois, cheia de pompa, com direito a criação oficial do Dark Universe, veio ‘A múmia’ (2017), que naufragou. O problema? Parecia mais um filme ‘Missão: impossível’, com Tom Cruise e tudo, fazendo suas acrobacias. Não é tão ruim. Mas, Cruise, neste caso, mais atrapalhava do que ajudava. Má escolha.


Agora, sem grandes nomes no elenco, e mais discreto, chega o novo ‘O Homem Invisível’ (que, no Dark Universe, seria feito por Johnny Depp), de Leigh Whannell, o australiano que criou as…

O PRIMEIRO (E ÚNICO) ZÉ DO CAIXÃO. R.I.P.

Praticamente, conheço, e tenho (tinha) medo de Zé do Caixão, desde criancinha. Meu pai, via os filmes dele e me falava da figura, pra assustar (tipo, se você não fizer tal coisa, zé do caixão vem te pegar à meia-noite). Mesmo sem poder ver os filmes, morria de medo só de ouvir a música dele. Na época, virada dos 60s pros 70s, Zé do Caixão, mais do que um nome cinematográfico, já era uma espécie de lenda folclórica, bicho papão brazuca. Eu não sabia, então, que ele realmente existia como pessoa. Só nos anos 80, a partir de cartazetes de cinema nos jornais, vi que ele existia de verdade. E era um ator. O meu primeiro filme dele (que, na época, não assisti, sonhava apenas vendo o cartaz) foi 'A estranha hospedaria dos prazeres'. sim, era um terror meio erótico. depois de seus primeiros filmes em p-b, assustadores, Zé teve de se virar como pode para não sair do mercado.




   Pulo no tempo e, estamos nos 90s, e uma festa de terror, na extinta Dr. Smith (Botafogo), promete apresent…