Pages

Wednesday, November 28, 2007

Digitalismo


Imagino q a maioria dos coveiros já esteja familiarizado com as novidades tecnologicas digitais. Mas como tenho visto muita besteira dita e escrita sobre as transmissões da tv digital, aqui vão alguns toques para desfazer as pequenas duvidas (e aceito complementos, claro):

-Comprar uma tv de lcd ou plasma hdtv ready n quer dizer q ela capte transmissoes digitais. O ready significa q ela está pronta para receber imagens com maior definição (acima de 800).

-Só as tvs full hdd é q ja suportam sinais acima de mil e, algumas, ja tem conversores embutidos. Fora isso, será necessário ligar mais uma paradinha na sua tv, barata ou cara, tubo, lcd ou plasma.

-A rigor, as transmissoes digitais ja existem ha quase uma decada, atraves das tvs pagas via satelite, como directv/sky (q tbm sao interativas), so que a gente, em casa, recebia os sinais digitais, mas eles nao eram decodificados ao passarem para os nossos aparelhos de tv, nao compativeis. entao, a transmissao era digital, mas a recepção analogica (como ainda é, mesmo q vc use net ou tva digital).

-o sinal digital da tv aberta sera transmitido via uhf. ou seja, alem de vc ter o conversor (mais um trambolho pra ligar/plugar em sua tv, alem dos decodificadores de net/tva), vc tbm vai precisar de uma antena receptora de uhf digital, tanto interna quanto externa (se for o caso). mesmo se nao tiver tv por assinatura, tbm terá q usar o decodificador e a antena extra.

-e não precisa se afobar. a principio, apenas as imagens da tv aberta ficarao mais definidas (embora nem todos os pgms sejam transmitidos em hdtv, mesmo nos eua é assim), mas a interatividade ainda demora um pouco a vir. mas quem ja usa tv por satelite ou trocou para tva ou net digital ja tem essas imagens + limpas e recursos interativos, independentemente de tudo referente a tv digital aberta. Uma coisa é transmissão em alta definição (hd), outra é a recepção digital. nem sempre as duas coisas vem juntas. Vai levar tempo pra equiparar tudo...

*qndo o rádio digital chegar, tbm sera necessario mudar os aparelhos existentes. o q acontecerá, além do som + puro, é q poderemos ler os nomes das musicas na tela, q nem idtag de mp3.
Sunday, November 25, 2007

Não deu polícia

Ainda da série reminiscências, o comentário do Guarany sobre o Cure em 1987 (mesmo ano do show do Echo no canecão, boa safra) ter sido o primeiro show internacional dele no Brasil, me fez lembrar de meu primeiro, com o Police, também no Maracanazinho. Foi semanas antes deles estourarem nas radios daqui com "Do do do da da da", o grande publico nao os conhecia (so a galera alternativa e new wave), e eles so incluiram o brasil/rio na rota pq tavam filmando um video chamado "Police around the world" (ta passando um doc no HBO em que o Copeland fala que nem sabia em que cidade do mundo estava, era tudo so pra incluir no video e justificar). Lugar a meia-bomba, os fas la no gargarejo (a gente comprava ingresso de arquibancada e pulava pra pista, era alto!) e, no final, um amigo meu pegou as baquetas do Copeland, e Sting rasgou e jogou pedaços daquela indefectivel camiseta do The Beat, que ele usava nos clipes. Como sempre, o som do lugar era uma porcaria, mas a gente se divertia por estar começando a entrar na rota de shows, e ver o Police então era o equivalente a ver os Arctic Monkeys hoje em dia. Mas ainda não sei se vou querer reve-los no maracanazão, no bailão nostalgia...
Saturday, November 24, 2007

The truth about Mary


Na primeira vez em que o The Cure esteve aqui (entre 1986 e 87, não lembro bem), rolou uma coletiva no Rio Palace, no Posto Seis (que agora se chama Pestana, ou algo assim). Mais uma vez, fui lá de intrometido, já que ainda não trabalhava pro jornal, mas conhecia uma galera de imprensa, rádio e gravadoras, entre eles o Zé Roberto Mahr e o Antonio Carlos Miguel, hoje no grobo, que me deixavam entrar.

A coletiva corria com aquelas perguntas idiotas de sempre (pq o novo disco se chama wild mood swings?), até que eu e zé (que não podiamos fazer perguntas, já que éramos penetras), pedimos ao miguel para fazer uma perguntinha capciosa, quem era a tal mary de quem o robert smith tanto falava em letras e entrevistas? Mas, pra tocar um terror, pedimos pro mig perguntar quem era, se o tecladista lol tolhurst ou o baixista simon gallup. O mig, inocentemente, fez a pergunta, que nem precisou ser traduzida, pq robertinho sacou o sentido. Imediatamante ele encerrou a coletiva, rolou um mal estar, e todos sairam batidos.

Até hj, qndo lembro disso, rola um misto de vergonha e vontade de rir. Uns dez anos mais tarde estive cara a cara com smith na inglaterra, qndo o cure voltaria pro hollywood rock. claro que nem toquei no assunto dessa forma, mas perguntei sobre a Mary. Ele disse que ela tava no andar de cima da casa que eles estavam usando como estúdio (que ele dizia pertencer a Lady Windermere, personagem de um livro de Oscar Wilde, mas ninguem da imprensa brazuca sacou a referência). Mais tarde, soube que a dona da casa era a atriz Jane Seymour, a Dra. Quinn! Quanto a Mary, jamais saberemos da resposta (as vzs bob diz que é sua "irmã")...
Friday, November 23, 2007

He´s lost control



A maioria das pessoas só conheceu Joy Division depois da morte de Ian Curtis. "Closer", o doloroso álbum póstumo, foi quem espalhou a aura da banda pelo mundo. Eu mesmo comecei a ouvir "Unknown pleasures" praticamente dias antes do Ian Curtis morrer. Naqueles tempos tudo chegava aqui muito depois. O estranho é que, à distância, eu e meus amigos dark sonhávamos em ter aquela tristeza e usar aquele capote inglês, sem imaginar que, na real, a vida do cara foi miserável. Mas ficou a triste poesia de Curtis, uma das provas de que so dá para fazer esse tipo de letra/poema se vc realmente estiver vivendo o que escreve na carne. Não dá pra forjar sofrimento e dor.

Escrevo isso após ver "Control", o filme basedado em livro da viúva de Curtis, Deborah, que nos revela lados da vida de Ian que jamais imaginávamos. Não achei o filme excelente, apenas bom, apesar de direção segura de Anton Corbjin, o cara que moldou o visual do Depeche Mode através de seus clipes em sépia e p-b. Mas é um filme necessário e faz um contraponto com o que vimos em "24 hour party people", já que a carreira do Joy teve pouca cobertura devido a ter sido tão efêmera. Peter Hook disse em público, semana passada, que odiou o filme. Compreensível. Ele mostra o lado mais familiar de Curtis e meio que se resume a uma história de amor mal resolvida envolvendo um cara que não estava pronto para tudo o que aconteceu.

Não li o livro de Deborah Curtis (feita pela ótima Samantha Morton) para comparar com o filme. Mas, no fim, o filme serve pelo menos para nos dar mais alguns detalhes sobre a curta vida daquele cara que amava David Bowie, Iggy Pop e Lou Reed, que criou um estilo até hoje imitado por bandas e performers no mundo todo. O belo nisso tudo é que, podem copiar a estética, mas nunca terão realmente a essência...

Lista de desejos

Bom, o ano já está acabando, agora tudo acontece só depois do carnaval (as coisas que acontecem entre agora e o carnaval eu abomino).

Então, que tal fazer uma lista de desejos de bandas e artistas que gostariamos de ver em terras tuipiniquins em 2008 (mesmo que a maioria chegue aqui como refugo de festivais que acontecem na argentina e no chile). eu começo e vcs continuam:

-Muse (deve ser o melhor show ao vivo de uma banda atual)
-Garbage (nem que seja a turnê de despedida, qualquer coisa)
-Justice vs Simian, ou qualquer das duas combinações
-System of a Down (antes que acabe)
-Radiohead (parece que, finalmente, virão em 2008)

Bis: White Stripes, NIN, PJ Harvey, Mars Volta, Chemical Brothers, Qotsa, Depeche Mode...
Monday, November 19, 2007

Do coxy ao cérebro

Carl Cox é o cara. O DJ mais gente fina do mundo continua igualzinho a última vez em que estive com ele ao vivo, no Ultimate Base, em Londres, final dos 90s. Por conta disso, pedi pra ele repetir uma foto na mesma pose em que tirou comigo lá no clube londrino (que não existe mais, foi comprado pela companhia do metrô, ele contou), mais meu broder Gordy Wolverine, que esteve comigo na mesma viagem e com quem fiz a rota dos clubes na época (ficamos uma semana dormindo tipo 4hrs por dia e saindo direto toda noite!). A pose foi no clube 69, nesta segunda, em Ipanema, onde rolou a private de lançamento da festança que ele fará sexta 23, no Vivo Rio. Coxy aproveitou e fez um set de hora e pouca, dando uma geral em todos os estilos e mostrando que DJ se faz na hora, ao vivo, sem essa parada de final scratch e serato, que é pra quem não se garante nas pick-ups, mesmo que seja uma moderna mk-II para CDs, que foi o que ele pilotou, aliás, com maestria...
Saturday, November 17, 2007

LSD Sound, sista!


Us V them, over and over again! The time has coming. Yeah yeah yeah yeah yeah yeah yeah! It´s time to get away... from here. We are the south america scum! All my fiends knows abou this. E o LCD Soundsystem abalou a Lapa como um LSD trip system de disco-punk e rock beats...

Bom, não teve sound of silver, nem disco infiltrator ou the beat connection, mas tribulations rolou e someone great is gone quando tudo acabou. LCD I love and you don´t bring me down. Nem o som do circo. Mas o som do silver ficou no ar e james murphy e sua banda tocaram em my house com uma human beat box de primeira, uma oriental e dois caras bacanas do !!! Shake shake shake?

Po, Bjorka foi bacana naquela tenda abafada do team/teen, mas LCD valeu mais do que todo aquele festival de poseurs. Não lotou, mas só tinha fãs, neguinho cantando as musicas em corinho, fraternalmente, roda de mosh, uma loura meio vagaba e bebada fez stage dive e tudo rolou na paz, com Murphy bear comentando no fim: vcs foram a platéia mais quente da turnê. Uau!
Thursday, November 15, 2007

Deu no jornal...



...Que o gás natural GNV vai aumentar e pode até faltar. Isso depois que um monte de gente (principalmente taxistas) gastou uma nota preta pra fazer a conversão dos motores. Dá pra acreditar em alguma coisa dita pelos poderes publicos aqui (lembram-se do carro a alcool?)

...Que vão proibir distribuição de panfletos e todo o tipo de coisas que te vendem ou empurram nas esquinas dos sinais de transito. Mas, peraí, não era preciso antes proibir a presença de menores abandonados jogando bolinhas e pedindo dinheiro em baixo de chuva? Isso é imoral.

...Que o caos aéreo vai piorar (uma redundancia) no feriadão e eles vão tentar fazer uma nova malha aérea pra evitar transtornos. Vem cá, pq não repetem a malha como era antes do caos, incluindo as rotas feitas pela Varig, que era o que mantinha nossos aviões na linha?

...E um estudo revela que caiu o nível de pobreza na América Latina, isso porque, quem ganhava 80 contos por mês agora ganha 81, e assim passou da linha da indigencia absoluta para a pobreza remediada. Parece piada. Manda um pesquisador viver com essa merreca. Não dura um dia.

Falem sério, por favor! (*cliquem na ilustração para surpresa)
Tuesday, November 13, 2007

Feliz 2008

Tecnicamente o ano já acabou. a partir de agora vai ser uma enrolação só para chegar logo as festas e ai neguinho ja vai emendando direto um feriadao no outro ate o carnaval.

sendo assim, ta na hora da gente começar a postar as nossa listas de melhores do ano (seja la do que for). vou começar com alguns discos e depois vou inserindo mais coisas...

sons:

-sound of silver, lcd soundsystem
-chromophobia, gui boratto
-myths of near future, klaxons
-icky thump, white stripes
-era vulgaris, qotsa
-neon bible, arcade fire
-cross, justice
-our love to admire, interpol
- myth takes, !!!
- CSS (a versão gringa)

visuais (cine/tv):

-planeta terror
-the king of kong
-real time with bill maher
-chelsea lately
- a vida dos outros

gigs:

- LCD (circo)
-interpol (nyc)
-bjork (tim)
-CSS (terra)
Thursday, November 08, 2007

Lo$ Muerto$



O dia de finados já passou, mas dois cadáveres do rock americano nunca saem de cena: elvis (que, tecnicamente, não morreu) e kurt cobain. O segundo ultrapassou o primeiro em termos de direitos autorais póstumos. O atormentado Cobain vale mais morto do que vivo. E quem se deu bem nessa parada toda foi a viúva, Courtney Love, que cuida de todo o espólio e não precisa fazer mais nada na vida, nem gravar mais discos, só cuidar do botox e da filha Frances Bean.

Outro cadáver que começa a valer cada vez mais é o de Ian Curtis, do Joy Division, que tá virando a banda do momento outra vez. Como Kurt, sua vida tbm virou filme, Control (exibido na mostra de cinema). Mas saiu hj na imprensa inglesa que a viuva dele, Deborah, nao gostou nada do filme (que é baseado num livro escrito por ela). Opinião compartilhada por Peter Hook, do New Order, que recomenda aos fãs o doc "Joy Division", feito por um cara que já trabalhou com Radiohead naquele doc "Meeting people is easy". Hj mesmo vi uma pat com uma camiseta do Joy Division toda customizada com detalhes glam. Whattafuck?

Por aqui quem rende alguns caraminguás a sete palmos são cazuza e renato russo. o primeiro ja virou filme (ok), e o segundo, uma boa peça musical que ainda está rodando por aí. O que eu nao entendo em todos estes casos é que, qndo essa galera tava viva e era novidade, em geral era execrada pelo publico (bom, elvis virou pop logo), chamados de viados, malucos e drogados. Parece que certos artistas so ganham respeito depois de defuntos. Tomara que Lobão demore a bater as botas. E cassia eller? Apesar dela ser talentosa, no fim, virou um clichê ambulante do rock. e até morreu assim...
Wednesday, November 07, 2007

Dia e noiterréia

Outra historinha bizarra envolve o Rod Stewart. O cara já tinha estado aqui e feito um show com a praça da apoteose lotada. Virou tipo o queridinho da vez. Então, o prefeito do rio (nao sei quem era na epoca, devia ser o alencar) chamou o escoces pra fazer um show na praia de copacabana, em pleno reveillon. Claro que o ex-coveiro topou. Rio no verão, mulé, samba e futebol (e $$$).

Acontece que, na vespera e no dia, mesmo com aquele calorzão, Rod (vara?) encheu a cara de caipirinha e comeu feijoada a rodo. Resultado: bateu uma diarréia, caganeira, rosca solta braba no camarada. O que fazer? Cancelar o show? Que nada. Rod se entupiu de pepto-bismol e foi lá e mandou ver. Mas, no intervalo de cada música, ia no backstage e chamava o raul num balde. Ele até trocou de roupa (pô, usava calça branca!). E assim conseguiu dar o seu recado.

Anos depois encontrei o ex-faces num restaurante em Londra, mas ele tava cercado de louras e seguranças. Deu vontade de perguntar se ele se lembrava da caganeira tropical (rs)
Tuesday, November 06, 2007

NIGGA MY ASS!

Nao sei pq, me lembrei de um momento do passado, qndo fui na coletiva de James Brown, numa das vzs em que ele esteve aqui. Nessa epoca eu n trabalhava pro jornal, mas qndo sabia q ia ter alguma coletiva me infiltrava via amigos ou na careta mesmo (foi assim, p ex, que penetrei na coletiva do kiss, no caesar park). acho q vi na tv uma tradução fora do contexto e me lembrei do ocorrido.

foi mais ou menos assim: a coletiva (no velho hotel nacional) tinha tradução instantânea. uma dona de oculos, com cara de professora, do lado do godfather do soul, translava as frases pra ele, que respondia de volta. tudo ia bem, ate q uma pessoa perguntou sobre a questao dos negros etc e tal, e a tradutora mandou na lata para james brown: ta ta ta ta ta NIGGA bla bla bla. Cara, mr dynamite ficou branco, quase socou a dona (coisa q ele fazia bem, foi boxeador) e saiu batido. Rápido panos quentes, tiveram que explicar pra ele que no brasil nao era pejorativo usar o termo negro e a dona se confundiu. Correção feita, the hardest workman of show business voltou para a mesa e, com nigga mudado para black people, as coisas continuaram, mas o clima mudou totalmente...
Saturday, November 03, 2007

Resumo...

Quando o tunel fechou vimos que somos uma cidade nao preparada para esse tipo de caos, justamente pq nao temos um sistema de transportes publicos decente (ou seja, um bom metrô). Por outro lado, isso fez com que as pessoas andassem mais a pé, de bike, dividindo carona ou de onibus, o que prova que nao é preciso tanto carro nas ruas, ainda mais na nossa apertada urbe.

Ai vem a comemoração pq a copa de 2014 vai ser no brasil. comemorar o q, se eramos os unicos concorrentes a sede? ai vao um bando de politicos em trem da alegria pra suíça, esquecendo de tudo por aqui. e qndo chega a hora de discutir verbas pra saude e educação, é a maior briga, mas nao serao poupados esforços e dinheiro para fazer da copa um megaevento. pobre brasil.

E, muito tempo depois de constatado, mas deixado na encolha, o povo descobre q vem tomando leite longa vida "vitaminado" com todo o tipo de ingredientes secretos. agora, imagine o q mais nao rola por ai com todo o tipo de adulteração. fazer o q, comer e beber so o q produzirmos?

E ai mais um idiota morre numa festa de musica eletronica e as otoridades e midia dao mais destaque para o fato de ser uma rave, de tocar e-music. como se a culpa fosse da musica, nao do idiota que vai nesses lances (como iria numa micareta, pagode ou show de rock) so pra se drogar e nem isso sabe fazer direito (foram-se os tempos em que os gra-finos cheiravam cocaina em bandejas de prata no copacabana palace, como lembrava paulo francis). Waaalll....
Friday, November 02, 2007

NADAVÊ!


O cinema brasileiro nunca conseguiu fazer um filme de tematica adolescente decente. A tentativa mais recente é "podecrer!", q estreia hj. Pelo nome, parece um filme de hippie, ne? Mas é sobre uma galera da zs no começo dos anos 80 (apesar de escapar algumas girias que so surgiriam mais recentemente, tipo caiu a ficha e fala sério). O que me irritou mais no filme foi que os playbas usam camisa do clash e dos ramones (nenhum play da zs na epoca sacava essas bandas, fora a galera do skate, posso dizer isso na boa pq andava com essa galera, e quem usava ouvia punk e new wave), mas tem uma banda que toca rock tradicional, nadave com punk rock ou o som novo da época!

Qndo o filme acabou, caiu a minha ficha: ele repete toda a estrutura narrativa do melhor filme teen do cinema americano, "fast times at ridgemont high" (aqui, picardias estudantis!), que se passa justamente em 1982, na california. O segundo melhor é "Dazed and confused" (ambos na foto). E, por aqui, um que chegou perto da perfeição foi "Menino do Rio", que é realmente dos anos 80, e o mais recente "1972", que infelizmente poucos viram (mas ta saindo agora em DVD). mas esse podecrer! é fraco (só os atores principais salvam), nao emociona. Ainda não foi dessa vez que o cinema brazuca atual fez um bom filme teen.
Thursday, November 01, 2007

ELECTRIC HEAD


...É O NOME DA FESTA/PROJETO QUE EU MANTENHO DESDE A PRIMEIRA METADE DOS ANOS 90. PRIMEIRO, COMEÇOU COMO UM SITE, JÁ EXTINTO, POR VOLTA DE 1994 (O SITE DUROU UNS CINCO ANOS, COMEÇO DA INTERNET, TUDO ERA DIFERENTE DE HOJE). JÁ A FESTA, APÓS ALGUMAS EDIÇÕES ITINERANTES POR CASARÕES EM BOTAFOGO A PARTIR DE 1995, DEPOIS GANHOU POUSO FIXO NO ENTÃO IMPORTANTE CLUBE BUNKER, EM COPACABANA, DE SAUDOSA MEMORIA.

A E-HEAD RESIDIU NA SALA 2 DA BUNKER DE 1997 (QNDO A CASA ABRIU) ATÉ 2005, JÁ NA DECADENCIA DO LUGAR, QUE FOI ENTREGUE A INCOMPETENTES (A GALERA PRO SAIU, E UMA PARTE ABRIU A FOSFOBOX). FORAM OITO ANOS, SEMPRE AS SEXTAS, NO AUGE DA CENA ELETRONICA CARIOCA, COM TECHNO CLASSIC, ELECTRO RETRO, PROG TRANCE E HARD HOUSE, BASICAMENTE, REVELANDO VARIOS DJS LOCAIS (ALEXEY, KMILLA, RAVE GIRL, JAY B) E ABRIGANDO DJS GRINGOS, QUE EU CONHECIA PELO SITE (TEVE GENTE DO CANADÁ, ALEMANHA, ISRAEL E LONDRES QUE VEIO TOCAR COMIGO ASSIM, INCLUINDO A DUPLA ANALOG PUSSY E PACOU.

ISSO TUDO SO PRA DIZER QUE A E-HEAD VOLTARA A TER UM POUSO FIXO, UMA VEZ POR MES, SEMPRE JUNTO COM A FESTA QUEBRA TUDO DA KMILLA NA FOSFOBOX. CONTUDO, A ESTREIA SERA AMANHA (2/DEZ), NA NOITE MILIMETRICA, POR CONTA DE DATAS DE ZIGGY PREVIAMENTE AGENDADAS. A PARADA COMEÇA CEDO, PQ AGORA A FOSFO ABERAS DEZ, POR CAUSA DO BAR, E ROLAM UNS FILMES NO TELAO ATE UMAS ONZE E TAL. A PARTIR DAI, E-MUSIC PARA QUEM CONHECE: CLASSICOS DO TECHNO E TUDO O QUE NAO FOR FAROFA. SE PUDEREM, APAREÇAM...

NA CIDADE

NOVEMBERINAS:

Teatro Odisseia 17 – Siriun / Gutted Souls / Obituary (EUA)  21 – Delain (HOL) 26 - Vanguart / Ariella

Teatro Rival 16 – Tempero Carioca 17 - Eddie 22 – Rival Rebolado 23 – Nelson Sargento 25 – Festa Batmakumba: Abayomy 30 - Festival Norueguês: Sondre Lerche / Greni

Teatro Riachuelo 22 – Golden Boys

Casa Julieta de Serpa (Praia do Flamengo) 19 - Paris Jazz & Blues: Marcio Lott & Charles Marot Trio  26 - Paris Jazz & Blues: Carol Fazu

Coordenadas Bar (Botafogo) 05, 12, 19 e 26 – Pedro Baby & Convidados 21 - Sérgio Rocha Blues Band: Homenagem a Celso Blues Boy Estúdio Fórum (Botafogo) 24 - Sexta Infame: PxExNxE (COL) / Blaspherion / Lástima / Baga

Solar de Botafogo 16 – Paulo Malaguti 22 - Andrea Dutra & Cacala Carvalho & Elisa Queirós: Salto Triplo 24 - Kosmus / Aura / Psilocibina 29 – Gabriel Calisman Audio Rebel 17 - Ostra Brains / ‎Whatever Happened to Baby Jane (ES) 18 - Os Chás / Ente 19 - Altair Martins & Widor Santiago & Marcelo Magalhães Pinto & Didac Tiago & Roberto Rutigliano: Homenagem a Miles Davis & John Coltrane

Theatro Net Rio 27 -  Alessandra Verney  29 – Silva Canta Marisa Monte 

Blue Note 16 - Didier Lockwood Trio (FRA)  17 - Antônio Carlos & Jocafi Convidam Ithamara Koorax (20h)  17 e 18 - Amaro Freitas (22h30) 22 - Banda Zil (20h) 22 - Lina Nyberg (SUE) – Participação: Ilessi (22h30) 23 – Quarteto do Rio & Roberto Menescal – Participação: Joyce & Wanda Sá & Pedro Miranda (20h) 23 – Insula (22h30) 24 e 25 - Kenny Garret Quartet  29 e 30 - Ed Motta: Baile do Flashback

Ganjah Lapa 16 - Samba Que Elas Querem 17 - Anjos de Vidro / Mara Rúbia 22 - Conterrâneos 28 – Theozin

Sala Baden Powell 18 – Boca Livre 19 - Fhernanda Fernandes - Participação: Andréa França, Clarisse Grova, Nana Kozak, Ninah Jo, Sandra Duailib 22 – Doralyce & Maracutaia 25 - Augusto Martins & Paulo Malaguti 26 - João Carlos Assis Brasil & Carlos Navas

KM de Vantagens Hall 17 e 18 – Marisa Monte & Paulinho da Viola

Praça da Apoteose 18 e 19 - DNCE / Bruno Mars

Teatro da UFF (Niterói) 24 a 26 – MPB – a Era dos Festivais: Soraya Ravenle & Edu Krieger & Marcelo Caldi & Fabiano Salek & PC Castilho

Planet Music (Cascadura) 18 - Fugindo da Realidade / De Outono / Fall Back / Visceral Fear / We Are The Revenge  25 - For Annie / Ollie / Colorado / Visceral Fear

Imperator 19 - Folakemi / Jesuton / DJ Marcello MBGroove 20 – Mariene de Castro 21 – Terraço do Imperator: Jazz Pras Sete: Pimenta Jazz Trio 22 – Marcio Gomes 23 – Humberto Gessinger: “A Revolta dos Dândis – 30 Anos” 24 – Cidade Negra Canta Gilberto Gil 25 – Terraço do Imperator: Forró Lánalaje: Trio Ventura / DJ Edna Carvalho 25 – Paulinho Moska 26 - Fafá de Belém (com Manoel & Felipe Cordeiro): Guitarradas do Pará 28 – Coral Imperator

Centro de Referência da Música (Tijuca) 16 – Magali 17 – Carlos Uzêda 18 – Ana Costa & Carrapicho Rangel 21 - Dagô 23 – Felipe Adetokunbo 24 – Nina Rosa & Thiago Kobe 25 – Rodrigo Maranhão & Pretinho da Serrinha 29 – Joyce Cândido Canta Elis Regina  30 – Michel Taski O Pecado Mora Ao Lado (Praça da Bandeira) 15 - Acidez (MEX) / Pós-Sismo / Juventude Maldita (SP) / Dissgrama  18 - Sétimo Andar / Circus / Roterdan / Pilfer

Aparelho (Centro) 18 - Second Come 24 - Felipe Zenicola / Marcos Campello / Lucas Pires  Motim (Centro) 24 - Gragoatá / Vitor Milagres / Daniel Villares

Quintas no BNDES 19h - grátis 16 - Karla da Silva 23 - CDR Style 30 - Sergio Santos

Teatro Glauce Rocha (Centro) 16 - Fábrica Orquestra  23 - Alice Passos & Maurício Carrilho  30 - Olivia & Francis Hime CCBB 18 - Madrugada no Centro: Larissa Luz - Participação: MV Bill & Caio Prado / Festas Soul de Santa, Trap'in, QXO  Museu de Arte do Rio 24 - Sarau do Alemão / Rincon Sapiência

Som no Deck T.T. Burger - Leblon 19h - grátis 16 - Os Camelos 23 - Pimenta Jazz Trio 30 - Qinho

BRASIL EM TRANSE: Com curadoria de Ismail Xavier e coordenação da Sociedade Amigos da Cinemateca, em parceria com a Cinemateca Brasileira e o Cinusp, esta Mostra reúne mesas de debate e exibição de filmes que acontece de 16 de novembro a 1º de dezembro, em São Paulo. CINEMATECA BRASILEIRA

Circuito SESC 17 - São Gonçalo: Cassiano & Trio Beija Flor (16h - grátis) 18 - Copacabana: Guilherme Pimenta Trio (16h - grátis) 19 - São Gonçalo: Monarco (16h - R$ 20) 20 - São João de Meriti: Ed Motta SOLO (16h - R$ 20) 24 - Niterói: De Leve (19h - R$ 20) 25 - Madureira: De Leve (17h - R$ 20) 25 - Ramos: Cassiano & Trio Beija Flor (17h - grátis) 25 - São Gonçalo: Bebeto (17h - R$ 20) 26 - Madureira: Dorina (17h - grátis) 26 - São Gonçalo: De Leve (19h - R$ 20) 29 - Tijuca: Marcelo D2 & SambaDrive (19h30 - R$ 20) 30 - Tijuca: De Leve (20h - R$ 20) ______________________________

MIXX: 17 – Santos – Praça XV 17 - Victor Bertrami Quarteto - Participação: Azymuth, Arthur Maia, Robertinho Silva, Kiko Continentino – Casa com a Música / Lapa 17 - Aether / Tempus Fugit – Lona Elza Osborne / Campo Grande 18 - Festival Rock no Parque: Bala N'Agulha / Dona Penha – Arena Dicró / Penha 18 - Wake The Dead Festival: Surra (SP) / Rats / Der Baum (SP) / Nove Zero Nove – Magé Futebol Clube 19 - Surra (SP) / Plastic Fire / Halé / Triunfe – La Esquina / Lapa

25 – Qinho - Ahlma.CC / Leblon 25 - AcaraJazZ: Bondesom / Juliana Linhares / Doralyce – Rio City Lab / Santo Cristo 26 - Alaska (SP) / Hover / Whipallas – La Esquina / Lapa 26 - Cervical / Mari & The GoodFellas / Facing Fear – Calabouço / Vila Isabel 29 - Baculeju da Sandra de Sá – Teatro Glaucio Gill / Copacabana

o MIMO, que chega a Olinda nesse fim de semana (17 a 19 de novembro).   É a última etapa de 2017 do festival – depois de passar por Portugal, Tirandentes, Ouro Preto, Paraty e Rio de Janeiro –, com 44 atrações gratuitas de música, cinema e educação.

Abertura da exposição de fotografias de Raymond Depardon, “Un moment si doux”, no dia 1º de novembro. Depois de passar por Paris e Buenos Aires, o CCBB Rio recebe as 170 fotografias de diferentes cores e formatos tiradas na Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Ate 22 de janeiro. qua-seg 9am-21pm. Grátis.

SHOW SOBREGAL - MARCELA MANGABEIRA Dia: 16 de novembro (quinta-feira) Horário: 20h Local: Teatro Municipal Café Pequeno Endereço: Av. Ataulfo de Paiva, 269, Leblon - Rio de Janeiro, RJ Tel.: 2294-4480

50 ANOS DE CARREIRA: Antônio Carlos e Jocáfi convidam Ithamara Koorax Dia 17 de novembro (sexta) Blue Note Rio – Av. Borges de Medeiro, 1424 - Lagoa   SESSÃO: Sessão: 20 horas

Tropicália ganha exposição tech com livre reinterpretação conceitual Nos 50 anos do movimento, na Galeria BNDES   Os artistas Barbara Castro e Luiz Ludwig, do estúdio Ambos&&, apresentam uma livre reinterpretação dos conceitos do movimento tropicalista à luz da arte e da tecnologia. Com a exposição Vamos Comer, estimulam o público a “devorar” experiências sensoriais e orgânicas, incluindo quatro instalações de arte computacional. Ela está aberta a visitações na Galeria BNDES, no Rio, entre os dias 18 de outubro e 1º de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h

Parque Villa-Lobos/SP recebe SlowKids em 18 de novembro     Evento gratuito busca desacelerar as crianças do universo tecnológico com um dia inteiro de brincadeiras tradicionais, teatro, literatura e música; “Kombi dos sonhos” será uma das novidades desta nona edição

MOSTRA DE CINEMA ARGENTINO CONTEMPORÂNEO VOLTA À CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO EM SUA SEGUNDA EDIÇÃO   Histórias extraordinárias apresenta uma seleção com os melhores filmes recentes do país vizinho. Debates com cineastas e especialistas completam a programação Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2 Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro  (Metrô e VLT: Estação Carioca) Telefone: (21) 3980-3815 Data: de 07 a 19 de novembro de 2017 (terça-feira a domingo)

'Cria', novo espetáculo de Alice Ripoll no grupo Suave, traz 'dancinha', dança contemporânea e funk ao Sergio Porto/HUMAITÁ e ao Centro Coreográfico. o trabalho estreia dia 17 com 10 dançarinos em uma mistura inovadora que também traz a dança afro, o afrofunk, o passinho, contato- improvisação e linguagem teatral de 17 a 20 de novembro de 2017 Horários: Sexta-feira - 21h                 Sábado - 21h                 Domingo - 20h                 Segunda-feira - 21h

O espetáculo “Kid Morengueira – Olha o breque!” homenageia Moreira da Silva (1902 – 2000), o cantor que popularizou o samba de breque, tornando-se um ícone da música brasileira. O samba permitiu a ele criticar, sempre com muito bom humor, os poderosos com seus desmandos, os malandros que conheceu na noite, e os compositores que ajudou a tornar conhecidos. A peça estreia para uma curta temporada no Teatro I do Sesc Tijuca - de 03 de novembro a 03 de dezembro, de sexta a domingo, sempre às 20:00.

Após o sucesso da temporada nos meses de abril e maio desse ano, que passou por sete cidades brasileiras e esgotou em todas as praças, o espetáculo “STOMDUP” de Tom Cavalcante volta para novas apresentações no Rio de Janeiro (dia 01 de novembro, no Teatro Bradesco Rio); Natal (dia 30 de novembro, no Teatro Riachuelo); Fortaleza (dia 01 de dezembro, no Teatro RioMar Fortaleza).

SOLID ROCK: a participação da banda Lynyrd Skynyrd no Solid Rock (Curitiba, Pedreira Paulo Leminski, dia 12/12; São Paulo, Allianz Parque, dia 13/13; e Rio de Janeiro, Jeunesse Arena, dia 15/12) acaba de ser CANCELADA por motivos pessoais da banda. No lugar, Cheap Trick será a banda que fará parte do lineup, junto do Deep Purple e Tesla. Mais informações sobre devolução de ingressos serão divulgadas em breve.

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers