Pages

Thursday, January 28, 2010

RENATO COHEN GOES DISCO

O DJ paulistano Renato Cohen, conhecido por ser lenheiro (adepto do techno pesado e que estourou lá fora com o hit "Pontapé", com uma forcinha de Carl Cox), agora tem tocado disco music das antigas em seus sets na festa Cominskey Park, no clube Hot Hot (SP). E, na quinta-feira, 04/02, vem ao Rio mostrar o seu "novo" som na festa Clap!, no 00, com patrocínio do site Bitsmag. Antes disso, trocamos umas ideias com Renato, que está lançando o CD "Sixteen billions drum kicks". Primeiro, ele contou como passou a tocar disco music:
-- Eu sempre comprei 12" de disco music, principalmente na Alemanha, que tem muita re-edição com uma remasterização feita hoje em dia e com um corte muito melhor que o original. Mas nunca tinha me passado pela cabeça em tocar isso numa pista. Desde aquela onda de minimal por volta de 2006 que eu não estava mais feliz com o rumo que o techno estava tomando, cada vez mais frio, triste e duro. Os últimos 2 anos eu passei boa parte em Londres e descobri uma cena de música que me fazia sentir o mesmo frio na barriga que eu sentia com o techno nos anos 90. Aos poucos eu fui encaixando umas faixas aqui e ali e cheguei a conclusão que tudo é dance music, é muito pouco ter um repertório que só fica preso em uma coisa.

E o que seus fãs mais radicais do techno acharam disso?
-- O público hoje em dia é bem mais ecléctico do que antigamente. Até por isso que revivals como disco e acid house estão voltando, não para substituir nada como acontecia antigamente, mas para serem somados. Eu posso ter um novo universo musical em meu repertório, mas o jeito que eu coloco isso continua o mesmo, então acredito que a essência do techno continua sempre lá. Quem conhece qualquer coisa do meu trabalho, além de "Pontapé", sabe que eu não estou fazendo nada inconsequente.

Você vai alternar djing techno com disco ou o techno lenha ficou no passado?
--Eu não toco lenha já faz algum tempo, acho que você vai descobrindo novos jeitos de criar uma intensidade quando toca. Não acredito muito em cada dia tocar uma coisa. Acho que um DJ tem que ser capaz de fazer o público entrar na sua viagem musical. É claro que tem vezes que você vai mais longe e vezes que as condições nao permitem, mas é sua obrigação tentar levar a coisa mais longe. É igual você ir no restaurante de um chef famoso e ele dizer que naquela noite só vai fazer sobremesa. (*O DJ inglês Andy Blake também toca na mesma noite com Renato)
Saturday, January 23, 2010

OH-RAN-GI-NAH!


DESDE SEMPRE, GARIMPO SABORES DIFERENTES DAS COCAS E GUARANAS DE SEMPRE NOS REFRIS MUNDO AFORA. QNDO PEQUENO, CONHECI O GUARANA FRATELLI-VITTA QNDO VISITAVA VOVÓ EM RECIFE (ACHO Q JA N EXISTE MAIS). JA NAS MINHAS TIAS EM SAMPA, FOI A TUBAÍNA. E QUANDO SAI DO PAIS, DESCOBRI A TONICA SCHWEPPES ORIGINAL NA ALEMANHA E A ORANGINA CLÁSSICA EM PARIS. SAO DUAS DE MINHAS FAV SODAS. COINCIDENTEMENTE, HJ EM DIA AMBAS AS MARCAS SAO DA INGLESA CADBURY-SCHWEPPES, Q, POR SUA VEZ, FOI COMPRADA PELA KRAFT AMERICANA. ALIAS, NOS EUA, SOU LOUCO PELAS ROOT BEERS, PRINCIPALMENTE AS CREMOSAS. NAO HA NADA PARECIDO AQUI. ASSIM COMO SÓ A ORANGINA (QUE É UM MIX DE SUCOS DE LARANJA, LIMÃO E POMELO), NAO USA CONSERVANTES NEM TEM SABOR ARTIFICIAL E AINDA VEM COM POLPA DE LARANJA NA GARRAFA! LOCALMENTE, JA FUI MAIS FA DO MINEIRINHO. MAS DESDE QUE MUDOU PARA GARRAFINHAS DE PLASTICO, ACHO QUE O SABOR MUDOU UM POUCO TBM.
Tuesday, January 19, 2010

OS LINKS


JACK WHITE SEMPRE DISSE QUE UMA DAS MAIORES INFLUENCIAS PRA ELE MONTAR O WHITE STRIPES FOI O FLAT DUO JETS. E OUVINDO O MAIS RECENTE DISCO DA DUPLA (ASSIM COMO ELE E MEG), NAO RESTA DUVIDA QUANTO A ISSO. E MAIS: NO SOM DO FDJ, ACHEI UM PALIATIVO PARA CURAR A FALTA QUE LUX INTERIOR DOS CRAMPS FAZ (E, REVENDO O SHOW DELES NO HOSPICIO DE NAPA, FIQUEI AINDA MAIS SAUDOSO). O VOCAL DO CARA É MUITO PARECIDO COMO DE LUX, SO QUE NAO TAO ALUCINADO. E O ELO DE LIGAÇÃO ENTRE ELES É LINK WRAY, O SENSACIONAL GUITARRISTA, MORTO EM 2005, QUE FOI O PRIMEIRO CARA A USAR O TREMOLO NA GUITARRA E CRIOU O POWER CHORD USADO ATE HOJE POR TODOS OS GUITARRISTAS (MESMO OS RUINS). LINK FOI RESGATADO NAS TRILHAS DE TARANTINO, ONDE A SUA SEMINAL "RUMBLE" ECOA ATÉ HJ. É POR AI, NESSE SOM TOSCO, QUE VIVE O ROCK, E QUE JACK WHITE SOUBE RECICLAR MUITO BEM, MAS QUE OS ROQUEIROS PURISTAS FINGEM QUE NAO VEM E O RENEGAM. SAO OS MESMOS IDIOTAS QUE GRITAM ROCKNROLL!

Wednesday, January 13, 2010

ONDE VIVEM OS MORTOS?


O MENINO MAX DE "ONDE VIVEM OS MONSTROS" DESCOBRE NUMA AULA DE CIENCIA QUE UM DIA O SOL APAGARÁ, E COM ISSO, TODA A VIDA EM NOSSO SISTEMA SOLAR DEIXARÁ DE EXISTIR. COMO TUDO, NESSA VIDA/UNIVERSO, TUDO VAI ACABAR DE UMA FORMA OU DE OUTRA. O PRA SEMPRE SEMPRE ACABA, JÁ CANTAVA RENATO RUSSO. OS MÓRMONS DE "BIG LOVE" ACREDITAM QUE, QUANTO MAIS FILHOS PRODUZIREM NESSA VIDA, MAIS FAMILIARES TERAO NA VIDA ETERNA, SEGUNDO DISSE O GRANDE PROFETA. OS FUNDAMENTALISTAS MUÇULMANOS ACREDITAM QUE ENCONTRARAO 22 VIRGENS NO PARAISO APÓS EXPLODIREM COMO HOMENS-BOMBA. NA NOSSA CULTURA JUDAICO CRISTÃ O CONCEITO DE CÉU E INFERNO É BEM DIFUNDIDO. MAS, COMO INDAGAM AS PESSOAS NA COMEDIA "A INVENÇÃO DA MENTIRA", SE EXISTE UM PARAÍSO, ONDE ELE FICA? EM CIMA DAS NUVENS? NO ESPAÇO? NA ATMOSFERA? NENHUMA DAS OPÇÕES. SOMOS SERES RECICLÁVEIS, VIVEMOS, MORREMOS E FICAMOS POR AQUI MESMO. NÃO VAMOS, NEM VOLTAMOS...
Thursday, January 07, 2010

BELDADES SOBRE RODAS


QNDEU ERA MOLEQUE UM DOS FILMES Q GOSTAVA DE VER NA TV ERA "KANSAS CITY BOMBER", Q TRAZIA A BOAZUDA RAQUEL WELCH COMO UMA ROLLER DERBY GIRL. AS CENAS NA PISTA ERAM EMPOLGANTES, NAO CHEGAVA A SER UM ROLLERBALL, MAS ERA BACANA PRUM GURI COM HORMONIOS EM FURIA. ESSA SEMANA LEMBREI DO FILME AO VER "WHIP IT", O NOVO DA ELLEN PAGE DIRIGIDO PELA DREW BARRYMORE (Q TBM ATUA E PRODUZIU). É BEEEM MAIS SUAVE, AS CENAS DE PISTA NAO SÃO TAO BOAS, MAS O FILME É BUNITIM, COM BOA TRILHA (MAS EVITARAM O ÓBVIO: NÃO TOCA "WHIP IT" DO DEVO, UMA PENA), É TOTALMENTE INDIE ROCK COM GAROTAS (TEM TBM JULIETTE LEWIS COMO A BAD GIRL, CLARO; E A DIVERTIDA KRISTEN WIIG DO SATURDAY NIGHT LIVE). NAO SEI QUANDO E SE O FILME VAI PASSARAQUI (FOI MAL NA BILHETERIA DOS EUA), MAS O LIVRO JA SAIU NO BRASIL COM O NOME DE "ROLLER DERBY GIRL", JA TO COM ELE NA MAO, MAS INDA NAO LI. FICA A DICA...

Tuesday, January 05, 2010

Batman & Robin?

O trailer já nos deixava antever que "Sherlock Holmes", de Guy Ritchie, estava mais para filme de ação do que o que já vimos antes com o famoso detetive criado por sir Arthur Conan Doyle. E, de fato, "Sherlock Holmes" é um filme de ação quase igual aos que vimos atualmente. Até faz bom uso de computação digital e envolve ciência e tecnologia. Só que na Inglaterra vitoriana, do final do século 19. E o resultado é algo divertido, dinâmico e que entretém.

Mas, primeiro, esqueça os Holmes anteriores, imortalizados na tela por nomes como Basil Rathbone e Peter Cushing, mais próximos daquela figura clássica que nos habituamos a ver, de rosto longilíneo e nariz pontudo. O tipo de Robert Downey Jr é algo mais caricato, galhofeiro, e tem corpo e força de atleta. Os puristas podem reclamar. Além de Downey Jr, somente Johnny Depp poderia ter feito essa nova abordagem do personagem sem soar canhestro.

E não só Downey Jr, como também Jude Law, como o elementar parceiro Watson, convencem. Os dois até lembram uma versão estranha de Batman & Robin, combatendo o crime com deduções lógicas, conclusões científicas e um certo clima homo entre eles. Mas, como é um filme PG-13, certos detalhes foram deixados de lado, em nome da ação, como o envolvimento de Holmes com drogas, para estimular a sua mente. Como a cocaína, por exemplo, mostrado pelo genial Billy Wilder em "The 7 percent solution", que era a quantidade da droga que ele usava.

A trama nos mostra um lorde sinistro, Blackwood (Mark Strong) que tem um plano de aniquilar o parlamento e iniciar uma nova ordem de dominação para o então Império Britânico, algo meio parecido com os ideais futuros de Hitler. Em meio a isso, uma amiga ladra de Holmes (Rachel McAdams) aparece para botar mais molho na trama e, entre muitas brigas e cenas espetaculares (algumas fazendo bom uso dos efeitos digitais), além de excelentes diálogos/tiradas entre Holmes e Watson, a trama vai andando, até um final com explicação lógica e uma deixa para continuação. Afinal, nem falamos do famigerado professor Moriarty, pois não?

NA CIDADE

NOVEMBERINAS:

Teatro Odisseia 17 – Siriun / Gutted Souls / Obituary (EUA)  21 – Delain (HOL) 26 - Vanguart / Ariella

Teatro Rival 16 – Tempero Carioca 17 - Eddie 22 – Rival Rebolado 23 – Nelson Sargento 25 – Festa Batmakumba: Abayomy 30 - Festival Norueguês: Sondre Lerche / Greni

Teatro Riachuelo 22 – Golden Boys

Casa Julieta de Serpa (Praia do Flamengo) 19 - Paris Jazz & Blues: Marcio Lott & Charles Marot Trio  26 - Paris Jazz & Blues: Carol Fazu

Coordenadas Bar (Botafogo) 05, 12, 19 e 26 – Pedro Baby & Convidados 21 - Sérgio Rocha Blues Band: Homenagem a Celso Blues Boy Estúdio Fórum (Botafogo) 24 - Sexta Infame: PxExNxE (COL) / Blaspherion / Lástima / Baga

Solar de Botafogo 16 – Paulo Malaguti 22 - Andrea Dutra & Cacala Carvalho & Elisa Queirós: Salto Triplo 24 - Kosmus / Aura / Psilocibina 29 – Gabriel Calisman Audio Rebel 17 - Ostra Brains / ‎Whatever Happened to Baby Jane (ES) 18 - Os Chás / Ente 19 - Altair Martins & Widor Santiago & Marcelo Magalhães Pinto & Didac Tiago & Roberto Rutigliano: Homenagem a Miles Davis & John Coltrane

Theatro Net Rio 27 -  Alessandra Verney  29 – Silva Canta Marisa Monte 

Blue Note 16 - Didier Lockwood Trio (FRA)  17 - Antônio Carlos & Jocafi Convidam Ithamara Koorax (20h)  17 e 18 - Amaro Freitas (22h30) 22 - Banda Zil (20h) 22 - Lina Nyberg (SUE) – Participação: Ilessi (22h30) 23 – Quarteto do Rio & Roberto Menescal – Participação: Joyce & Wanda Sá & Pedro Miranda (20h) 23 – Insula (22h30) 24 e 25 - Kenny Garret Quartet  29 e 30 - Ed Motta: Baile do Flashback

Ganjah Lapa 16 - Samba Que Elas Querem 17 - Anjos de Vidro / Mara Rúbia 22 - Conterrâneos 28 – Theozin

Sala Baden Powell 18 – Boca Livre 19 - Fhernanda Fernandes - Participação: Andréa França, Clarisse Grova, Nana Kozak, Ninah Jo, Sandra Duailib 22 – Doralyce & Maracutaia 25 - Augusto Martins & Paulo Malaguti 26 - João Carlos Assis Brasil & Carlos Navas

KM de Vantagens Hall 17 e 18 – Marisa Monte & Paulinho da Viola

Praça da Apoteose 18 e 19 - DNCE / Bruno Mars

Teatro da UFF (Niterói) 24 a 26 – MPB – a Era dos Festivais: Soraya Ravenle & Edu Krieger & Marcelo Caldi & Fabiano Salek & PC Castilho

Planet Music (Cascadura) 18 - Fugindo da Realidade / De Outono / Fall Back / Visceral Fear / We Are The Revenge  25 - For Annie / Ollie / Colorado / Visceral Fear

Imperator 19 - Folakemi / Jesuton / DJ Marcello MBGroove 20 – Mariene de Castro 21 – Terraço do Imperator: Jazz Pras Sete: Pimenta Jazz Trio 22 – Marcio Gomes 23 – Humberto Gessinger: “A Revolta dos Dândis – 30 Anos” 24 – Cidade Negra Canta Gilberto Gil 25 – Terraço do Imperator: Forró Lánalaje: Trio Ventura / DJ Edna Carvalho 25 – Paulinho Moska 26 - Fafá de Belém (com Manoel & Felipe Cordeiro): Guitarradas do Pará 28 – Coral Imperator

Centro de Referência da Música (Tijuca) 16 – Magali 17 – Carlos Uzêda 18 – Ana Costa & Carrapicho Rangel 21 - Dagô 23 – Felipe Adetokunbo 24 – Nina Rosa & Thiago Kobe 25 – Rodrigo Maranhão & Pretinho da Serrinha 29 – Joyce Cândido Canta Elis Regina  30 – Michel Taski O Pecado Mora Ao Lado (Praça da Bandeira) 15 - Acidez (MEX) / Pós-Sismo / Juventude Maldita (SP) / Dissgrama  18 - Sétimo Andar / Circus / Roterdan / Pilfer

Aparelho (Centro) 18 - Second Come 24 - Felipe Zenicola / Marcos Campello / Lucas Pires  Motim (Centro) 24 - Gragoatá / Vitor Milagres / Daniel Villares

Quintas no BNDES 19h - grátis 16 - Karla da Silva 23 - CDR Style 30 - Sergio Santos

Teatro Glauce Rocha (Centro) 16 - Fábrica Orquestra  23 - Alice Passos & Maurício Carrilho  30 - Olivia & Francis Hime CCBB 18 - Madrugada no Centro: Larissa Luz - Participação: MV Bill & Caio Prado / Festas Soul de Santa, Trap'in, QXO  Museu de Arte do Rio 24 - Sarau do Alemão / Rincon Sapiência

Som no Deck T.T. Burger - Leblon 19h - grátis 16 - Os Camelos 23 - Pimenta Jazz Trio 30 - Qinho

BRASIL EM TRANSE: Com curadoria de Ismail Xavier e coordenação da Sociedade Amigos da Cinemateca, em parceria com a Cinemateca Brasileira e o Cinusp, esta Mostra reúne mesas de debate e exibição de filmes que acontece de 16 de novembro a 1º de dezembro, em São Paulo. CINEMATECA BRASILEIRA

Circuito SESC 17 - São Gonçalo: Cassiano & Trio Beija Flor (16h - grátis) 18 - Copacabana: Guilherme Pimenta Trio (16h - grátis) 19 - São Gonçalo: Monarco (16h - R$ 20) 20 - São João de Meriti: Ed Motta SOLO (16h - R$ 20) 24 - Niterói: De Leve (19h - R$ 20) 25 - Madureira: De Leve (17h - R$ 20) 25 - Ramos: Cassiano & Trio Beija Flor (17h - grátis) 25 - São Gonçalo: Bebeto (17h - R$ 20) 26 - Madureira: Dorina (17h - grátis) 26 - São Gonçalo: De Leve (19h - R$ 20) 29 - Tijuca: Marcelo D2 & SambaDrive (19h30 - R$ 20) 30 - Tijuca: De Leve (20h - R$ 20) ______________________________

MIXX: 17 – Santos – Praça XV 17 - Victor Bertrami Quarteto - Participação: Azymuth, Arthur Maia, Robertinho Silva, Kiko Continentino – Casa com a Música / Lapa 17 - Aether / Tempus Fugit – Lona Elza Osborne / Campo Grande 18 - Festival Rock no Parque: Bala N'Agulha / Dona Penha – Arena Dicró / Penha 18 - Wake The Dead Festival: Surra (SP) / Rats / Der Baum (SP) / Nove Zero Nove – Magé Futebol Clube 19 - Surra (SP) / Plastic Fire / Halé / Triunfe – La Esquina / Lapa

25 – Qinho - Ahlma.CC / Leblon 25 - AcaraJazZ: Bondesom / Juliana Linhares / Doralyce – Rio City Lab / Santo Cristo 26 - Alaska (SP) / Hover / Whipallas – La Esquina / Lapa 26 - Cervical / Mari & The GoodFellas / Facing Fear – Calabouço / Vila Isabel 29 - Baculeju da Sandra de Sá – Teatro Glaucio Gill / Copacabana

o MIMO, que chega a Olinda nesse fim de semana (17 a 19 de novembro).   É a última etapa de 2017 do festival – depois de passar por Portugal, Tirandentes, Ouro Preto, Paraty e Rio de Janeiro –, com 44 atrações gratuitas de música, cinema e educação.

Abertura da exposição de fotografias de Raymond Depardon, “Un moment si doux”, no dia 1º de novembro. Depois de passar por Paris e Buenos Aires, o CCBB Rio recebe as 170 fotografias de diferentes cores e formatos tiradas na Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Ate 22 de janeiro. qua-seg 9am-21pm. Grátis.

SHOW SOBREGAL - MARCELA MANGABEIRA Dia: 16 de novembro (quinta-feira) Horário: 20h Local: Teatro Municipal Café Pequeno Endereço: Av. Ataulfo de Paiva, 269, Leblon - Rio de Janeiro, RJ Tel.: 2294-4480

50 ANOS DE CARREIRA: Antônio Carlos e Jocáfi convidam Ithamara Koorax Dia 17 de novembro (sexta) Blue Note Rio – Av. Borges de Medeiro, 1424 - Lagoa   SESSÃO: Sessão: 20 horas

Tropicália ganha exposição tech com livre reinterpretação conceitual Nos 50 anos do movimento, na Galeria BNDES   Os artistas Barbara Castro e Luiz Ludwig, do estúdio Ambos&&, apresentam uma livre reinterpretação dos conceitos do movimento tropicalista à luz da arte e da tecnologia. Com a exposição Vamos Comer, estimulam o público a “devorar” experiências sensoriais e orgânicas, incluindo quatro instalações de arte computacional. Ela está aberta a visitações na Galeria BNDES, no Rio, entre os dias 18 de outubro e 1º de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h

Parque Villa-Lobos/SP recebe SlowKids em 18 de novembro     Evento gratuito busca desacelerar as crianças do universo tecnológico com um dia inteiro de brincadeiras tradicionais, teatro, literatura e música; “Kombi dos sonhos” será uma das novidades desta nona edição

MOSTRA DE CINEMA ARGENTINO CONTEMPORÂNEO VOLTA À CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO EM SUA SEGUNDA EDIÇÃO   Histórias extraordinárias apresenta uma seleção com os melhores filmes recentes do país vizinho. Debates com cineastas e especialistas completam a programação Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2 Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro  (Metrô e VLT: Estação Carioca) Telefone: (21) 3980-3815 Data: de 07 a 19 de novembro de 2017 (terça-feira a domingo)

'Cria', novo espetáculo de Alice Ripoll no grupo Suave, traz 'dancinha', dança contemporânea e funk ao Sergio Porto/HUMAITÁ e ao Centro Coreográfico. o trabalho estreia dia 17 com 10 dançarinos em uma mistura inovadora que também traz a dança afro, o afrofunk, o passinho, contato- improvisação e linguagem teatral de 17 a 20 de novembro de 2017 Horários: Sexta-feira - 21h                 Sábado - 21h                 Domingo - 20h                 Segunda-feira - 21h

O espetáculo “Kid Morengueira – Olha o breque!” homenageia Moreira da Silva (1902 – 2000), o cantor que popularizou o samba de breque, tornando-se um ícone da música brasileira. O samba permitiu a ele criticar, sempre com muito bom humor, os poderosos com seus desmandos, os malandros que conheceu na noite, e os compositores que ajudou a tornar conhecidos. A peça estreia para uma curta temporada no Teatro I do Sesc Tijuca - de 03 de novembro a 03 de dezembro, de sexta a domingo, sempre às 20:00.

Após o sucesso da temporada nos meses de abril e maio desse ano, que passou por sete cidades brasileiras e esgotou em todas as praças, o espetáculo “STOMDUP” de Tom Cavalcante volta para novas apresentações no Rio de Janeiro (dia 01 de novembro, no Teatro Bradesco Rio); Natal (dia 30 de novembro, no Teatro Riachuelo); Fortaleza (dia 01 de dezembro, no Teatro RioMar Fortaleza).

SOLID ROCK: a participação da banda Lynyrd Skynyrd no Solid Rock (Curitiba, Pedreira Paulo Leminski, dia 12/12; São Paulo, Allianz Parque, dia 13/13; e Rio de Janeiro, Jeunesse Arena, dia 15/12) acaba de ser CANCELADA por motivos pessoais da banda. No lugar, Cheap Trick será a banda que fará parte do lineup, junto do Deep Purple e Tesla. Mais informações sobre devolução de ingressos serão divulgadas em breve.

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers