Pages

Thursday, April 28, 2011

MY XING-A-LING


Em tempos em que os smartphones deixam voce rastreavel pelas companhias que os vendem (o que foi revelado na semana passada e admitido por apple, sony e google), nada como ter um generico que nao faz parte dessas empresas e traz mais recursos por preço menor. Porisso que, enqnto nao troco meu cell oficial (estou com um LG com windows mobile ha dois anos) catei um xing ling no camelódromo por 100 contos. Pq? se perder, no prob. Ele tem um look que imita blackberry e vem com sintonizador de tv, de fm dois chips, duas cameras, duas baterias e faz o básico (liga, passa torpedo, entra na internet por wap ou html). Versátil, não?

Ele se chama Q5, apenas (várias marcas china o vendem sob diferentes aspectos) e destaca-se por ter falantes externos muito poderosos. a parada toca realmente alto como nenhum outro. a primeira vez que liguei o som sem os fones até tomei um susto. por isso esse visu na parte de trás, com uma guitarra e estilo de caixa de som. No geral, funciona bem. mas se vc vai ver TV (pega todos os canais abertos + uhf) ou ouvir rádio por mais de meia hora, a bateria vai rápido. dai vir com duas. é sempre bom estar com a reserva no bolso para o caso de ficar sem carga vendo TV. Para carregar/descarregar musicas e imagens/videos, basta conecta-lo na porta usb de seu pc e ele aparece como um drive externo, sem precisar instalar pgm algum. lindo.

E, principal, é facil de usar (consigo manipula-lo só usando a mão esquerda) e intuitivo. só tem aquele look gráfico meio brega, comum aos produtos chino. Os toques são bregas tbm, mas basta carregar ou catar algum tercho de música do toca mp3, é rapido e fácil de fazer isso. no mercado existem varios aparelhos similares, com mais ou menos recursos (este tem bluetooth, mas nao wifi, p ex) e custam, em media, entre $120 e 200, dependendo do site/lugar. lá no camela deu para barganhar e chegar a 100 redondos (era 120). o bizarro é q ele nao vem com manual, tem q descobrir mais detalhes/recursos em foruns na internet. Bem xing-ling =)

*dica: se vc tiver aquele carregador basico de nokia, ele aceita. assim, vc usa o usb apenas para conectar no pc e nao desgasta a entrada. xou!
Wednesday, April 27, 2011

I SHOULD BE SO LÓKI


Está aberta a temporada de filmes de super-heróis do ano com "Thor", que estreia nesta sexta (29/abril) aqui, e só uma semana depois nos EUA. Depois dele, teremos filmes com Lanterna Verde, Capitão América e o esperado dos Vingadores, entre outros. Então, fica a pergunta: conseguirá o deus do trovão segurar a onda dos filmes que o seguirão?

A resposta é: sim. Embora a projeção e som do Cinemark Botafogo, onde rolou a cabine, tenha tudo para derrubar o filme (evitem ver lá), ele sai-se bem. O diretor inglês Kenneth Brannagh se ateve mais ao lado da mitologia nórdica (que carrega muito do que Shakespeare depois escreveria a partir dos nobres ingleses e europeus), e passa mais tempo em Asgard; e, com Anthony Hopkins como Odin (e enfim livre de seus tiques de Lecter), constroi um bom filme em cima das lendas, dando-lhe um leve toque de ciência-ficção, tratando Thor quase como um E.T.

Pega um pouco o fato do cast ser americano e pouco europeu (e até o guardião ficou negro, por causa de cotas). Faltam qualidades nórdicas/europeias aos asgardianos, e o elenco terráqueo, mesmo tendo Natalie Portman, atua com certa preguiça e fica mal inserido nas cenas feitas na cidade cenográfica. Loki tem o toque de loucura e, ahan, afetação que lhe cabe (ele ja era assim nas hqs), mas o elenco, no geral, nao fica a altura do filme; que, aliás, pode ser visto na versão normal, já que o 3D atrapalha um bocado as cenas de ação (e escurece a projeção). Economize uns trocados.

Não é nenhum 'Iron Man' (não deu pra entrar tanto nos personagens ainda, não rolou nem o clima entre lady Sif e Jane, por exemplo), mas não dá vergonha como 'Elektra' e 'Demolidor'. Resta saber se Thor superará o Capitão América nas bilheterias. Pelo menos na peitarra, Steve Rogers tem mais chester do que Don Blake =)

Sunday, April 24, 2011

ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ



Nunca tive paciência para ler os grandes livros de fantasia medieval. Quando adolescente, pulei "O senhor dos anéis" e esperei anos pela satisfatória trilogia de Peter Jackson, depois de um longa em desenho incompleto do Ralph Bakshi. Mas gosto do tema/clima. Um de meus desejos ainda não realizados é ir até as highlands e ficar no meio daquela névoa nas paisagens inclinadas. Nunca tinha ouvido falar nos livros "A game of thrones", do George R.R. Martin (o unico George Martin que conheço é aquele óbvio) até que bati os olhos no primeiro episódio da adaptação de seu livro para a nova série da HBO, "Game of thrones", que estreou nos EUA na semana passada e chega aqui na próxima semana.

A partir do episódio piloto da série (e sem nunca ter lido uma linha dos livros), já dá para ver que vem coisa muito boa por aí, nessa saga sobre sete reinos que são comandados por um único trono. Tanto que, após a exibição nos EUA, a série já teve a sua próxima temporada garantida, coisa que nem "Roma" teve. A produção é fantástica, e suplanta muito filme atual. Já dá para sacar que vem aí uma trama com muita luta, sangue, mortes, sexo (incluindo incesto) e até infanticidio. Mas sem a vulgaridade quase pornô de "Spartacus" (que é divertido, num modo meio trash/camp), porque há um bom enredo em volta, bom texto, bons atores, bons diálogos. Por ora é só o que dá para dizer. O indefectível Sean Bean e uma Lena Headey loura estão lá. E os White Walkers, também. Vai valer acompanhar, já que não ha nada igual na TV atual. Melhor ainda se for em alta definição, no HBO-HD

*update: o segundo episódio deixou claro que esta já é a melhor nova série do ano, sem duvida. E o terceiro, só consolidou isso.
Thursday, April 21, 2011

VC TEM MEDO DE FANTASMAS?


Cético sou desde criancinha. Porisso, nunca acreditei em fantasmas, vida apos a morte, santos e coisa e talz. Com o tempo, passei a gostar de filmes de terror e sobrenatural, talvez pra ver ate onde isso vai. Ou seja, nunca tive medo de fantasmas, nem de holy ghosts. Mas alguns filmes tocam no tema e quase te fazem recapitular. Um deles foi 'Poltergeist'. Depois, raros foram os filmes de fantasmas legais, que não apelassem só para os efeitos especiais e trilha climática. Porisso, curti o simpatico e barato (estimados US$ 1, 5 mi, ja faturou 35mi só nos EUA em duas semanas) 'Insidious' (aqui, 'Sobrenatural'), da dupla que criou o 'Saw/jogos mortais' original, James Wan e Leigh Whannell, que estreia nesta sexta-feira. A dupla conseguiu fazer um eficiente filme de terror com censura pg-13 nos eua e sem atores conhecidos. Tipo, nao tem nenhuma cena muito escabrosa, mas dá aquele medinho básico.

No começo, parece q vai ser mais um tipico filme de casa mal assombrada: casal com tres filhos muda-se para casa algo sinistra e começam a ter visoes. um dos filhos, misteriosamente, entra num tipo de coma que a ciencia nao consegue explicar. O casal muda-se de casa, as aparições continuam, e eles contratam uma medium e dois ghostbusters hi-tech pra tentar explicar o que se passa. Ai, o cético (no caso, o pai da familia) se manifesta contra e acha aquilo tudo uma palhaçada. Eu tbm achei. Só que, ai, as coisas começam realmente a soar bastante bizarras. E com boas explicações e um crescendo muito bem construido (sao tres as reviravoltas da trama), o filme vai muito bem ate o seu final. Derrapa por uma dispensavel ceninha extra bem na ultima parte, que, mesmo assim, lembra de leve a de 'Arrasta-me para o inferno', de Sam Raimi.

Cansado que estou de filmes com muito barulho e pouco conteudo, este simpatico filme B de fantasmas à moda antiga ate que me fez ficar preso na cadeira prestando bastante atenção. A grana e a fama nao fizeram mal a dupla Wang/Whannell (este, como fez no primeiro Saw, tbm é um dos personagens do filme, Specs) e, se vc, como eu, acha a serie 'Atividade paranormal' um grande engodo, vai sair bastante satisfeito da sessão de 'Insidious'. Afinal, eu nao acredito em fantasmas, mas eles bem que podem existir como algum tipo de energia solta por ai...

Monday, April 18, 2011

MISFITS TOCOU O TERROR NO CIRCO

Finalmente o Rio viu um show do Misfits, que já havia estado em SP duas vzs nos últimos anos. E no lugar certo, o Circo Voador, que estava lotado num domingo a noite, com mais da metade do publico à carater, com camisetas com o logo ou a caveira da banda. Contemporâneos dos Ramones (punk 77), o Misfits faz punk rock hey ho let´s go (músicas rapidas e intensas) com acento de filme terror trash. A começar pelo visual/maquiagem de seus integrantes, que, dos originais, atualmente só conta com Jerry Only (voz/baixo), que ganhou na justiça, do fundador Glen Danzig (ele mesmo) o direito de usar o nome da banda na justiça. E valeu à pena.

O show no Circo pode ser chamado de histórico porque, além de cantarem mais de '500' músicas super aceleradas em cerca de hora e 15 de terror (todos os crássicos estavam lá), por conta do background do guitarrista Dez Cadena, ainda fomos brindados com duas músicas do Black Flag (onde Cadena ja tocou), as detonantes 'jealous again' (uma das punk songs q mais ouvi na vida!) e o hino 'rise above' (do clássico álbum 'damaged'). Tipo, botaram pra fuder. A massa humana não parou de agitar um só minuto, enquanto a banda mantinha o pique, com alta qualidade de som e produção. Afinal, profissionalismo é uma das marcas registradas do Misfits.

Só resta dizer o óbvio: quem gosta desse tipo de som e não foi, perdeu.
Thursday, April 14, 2011

WHATS YOUR FAVORITE SCARY MOVIE?

O meu, eu não sei. São tantos (psycho? the shining? evil dead?). Mas de uma galerinha que tava adolescendo no final dos anos 90 foi "Scream" (aqui, "Pânico"), a maior criação de Wes Craven desde Freddy Krueger. O grande lance do filme foi a sacada de brincar com os clichês dos terror teen até então (Jason e cia e suas regras conservadoras) e, assim, conquistar a plateia que curte esse tipo de filme de cara. Deu tão certo que o filme B fez sucesso mundial e virou cult. Ganhou uma sequência feita com mais grana (e tão boa quanto) e, depois, uma segunda continuação muito ruim. Tanto que quase matou a série e a botou na geladeira por dez anos.

Até que chega 'Scream 4', que é uma espécie de remake/revisita ao original, com as devidas atualizações e meta piadas. Por isso, nem é bem um filme de terror, nem um terrir. É tipo um filme de referência para fãs, com as também devidas citações aos clássicos antigos e recentes (de 'Peeping Tom' a "Shaun of the dead'). E, desta vez, a crítica é em cima dos chamados torture porn (Saw e cia) e os novos meios (webcams, redes sociais) são usados, obviamente.

Mas, no geral, é apenas ok. A virada final é boa, não muito óbvia -- eu só suspeitei bem próximo do momento da revelação --, mas o que pega mesmo no filme é a falta de clima e as péssimas atuações, embora não se espere shakespeare nesse tipo de trama. Mas é dose ver a canastrice de neve campbell, david arquette e das novas estrelinhas (hayden padeira, de heroes, com um cabelinho horrivel) e a bela sobrinha de julia roberts, emma. A abertura (falsa) do filme, no entanto, é bem divertida. É para ir ver com a galera, rir e advinhar a próxima cena/cadáver.

*e qual seria o seu filme de terror favorito?

Wednesday, April 13, 2011
Tuesday, April 12, 2011

RAPIDINHAS

*Último show do U2 no Brasil será transmitido ao vivo pelo portal Terra (u2.sonora.terra.com.br) e pela rádio OIFM, nesta quarta-feira, dia 13.

*Último show do White Stripes (realizado em julho de 2007, no Mississipi), será lançado como um álbum ao vivo, em CD e vinil. Depois virá um DVD.

*O guitarrista Johnny Marr (ex-Smiths), saiu da banda The Cribs para empreender carreira solo.

*Animação 'Rio' faz mais de US$ 55mi internacionalmente em seu fim de semana de estreia, ficando em primeiro lugar em mais de 40 países. Estreia nos EUA será nesta sexta, dia 15.

*Ramilson Maia, Mary Fê e Apavoramento Soundsystem farão shows no Geração Eletrônica 2.0
Saturday, April 09, 2011

THE NATIONAL: EMOTIONAL

Poucas bandas ainda conseguem me arrebatar e emocionar nos dias de hoje. Uma delas é a americana The National, que, pela segunda vez no Brasil (a primeira foi num TIM, abrindo MGMT), fez um show emocional e emocionante no Circo Voador, na noite de sexta-feira, 8 de abril de 2011. Com cinco discos lançados, eles chegaram ao auge com o último, "High violet", que respondeu por 10 músicas do show. Isso num tempo em que bandas vivem, basicamente, de hits de seus primeiros álbuns e raramente tocam mais de duas musicas de discos novos em shows.

No show do TIM, eu só conhecia a banda vagamente, de faixas isoladas dos discos Boxer e alligator. Mas eles me ganharam ao vivo. Comecei assistindo ao show da arquibancada, desci, e em 15 minutos já estava lá no gargarejo descobrindo melhor Matt Berninger (que assina as letras da banda) e sua maravilhosa voz de barítono - é o melhor cantor nesse clima introspectivo desde Nick Cave. E, embora as batidas e viradas da banda lembrem os arranjos e estilo de Stephen Morris, do Joy Division, eles não chegam a ser góticos. Apenas gostam de se vestir de preto e caminhar por um lado mais sombrio da poesia.

Em cerca de hora e meia de show (com uma seção de sopros menor do que os acompanha nos EUA), Berninger - um cantor genuinamente emocionado ao vivo - foi se embriagando lentamente de vodka. A ponto de cambalear e até mesmo cair por cima de uma caixa de retorno em dado momento. No final da noite, uma música levada de forma acústica, Vanderlyle crybaby geeks, foi cantada em côro pela plateia e terminou a apresentação de forma arrepiante. Novamente, The National me arrebatou. E à todos os que lotaram o Circo Voador para vê-los...
Wednesday, April 06, 2011
Monday, April 04, 2011

LOLA MONTÉS, A MULHER DOS MIL AMANTES

Graças a Criterion e a internet, pude, enfim, ver a versão restaurada e definitiva de 'Lola Montés', um daqueles filmes obrigatórios no currículo de cinéfilos. Na verdade, eu vi uma cópia relançada no Paissandu, em algum momento dos 80s, só que não lembrava de absolutamente nada. Apenas que era um filme fascinante e grande, feito para ser visto em telão Cinemascope. Agora, tive de ver em 47 polegadas, mas numa cópia de blu-ray muito boa. Além disso, a versão Criterion traz o filme montado do jeito q o diretor Max Ophüls (que morreu logo após) queria, e não como foi lançado nos cinemas em 1955, em ordem cronológica. E que, na época, foi um fracasso.

O filme conta a história (real) da cortesã Lola Montés (na verdade, uma irlandesa nascida Eliza Rosanna Gibert), que, através da arte da dança e da sedução (tinha corpo e rosto lindos), foi amantes de nomes como o compositor Franz Liszt e do rei da Baviera -- the power of the pussy --, até acabar a farra e se exilar nos EUA, onde virou atração circense (!). As pessoas iam lá para ver a mulher à frente de seu tempo, que botou a Europa a seus pés e provocou revoluções. Além da entrada para o espetáculo, pagavam um dólar (do Séc. 19) só para pegar em sua mão!

Sua vida é contada num picadeiro de circo, com numeros que reproduzem alguns momentos que estão sendo narrados se intercalando com cenas em flashback. Da para notar onde foi que o Baz Luhrman se inspirou para fazer certas cenas de 'Moulin Rouge'. O filme (que rola em francês, alemão e inglês) é uma cascata de cores, sequencias muito bem feitas, cenários e visuais maravilhosos (de fazer babar galera de foto e moda). O diretor, em seu primeiro e unico filme colorido, foi perfeito em sua reconstituição de época e ao dar um toque pessoal à narrativa.

A atriz principal, Martine Carol, foi quase uma reencarnação de Lola, uma femme fatale francesa dos anos 1940 e 50, que teve vários casos famosos (e uma série de filmes em que interpretava mulheres sexy e decididas) e saiu de cena após a chegada de Brigitte Bardot; Morreu cedo, 47 anos, supostamente suicídio (o qual ja havia tentado antes do filme, o seu maior sucesso), já que ela não suportava ficar velha e ver a sua beleza ir embora. Era realmente estonteante...

*detalhes sobre a restauração em: http://www.filmforum.org/films/lolamontes.html

Drive Angry - Trailer HD

NA CIDADE

NOVEMBERINAS:

Teatro Odisseia 17 – Siriun / Gutted Souls / Obituary (EUA)  21 – Delain (HOL) 26 - Vanguart / Ariella

Teatro Rival 16 – Tempero Carioca 17 - Eddie 22 – Rival Rebolado 23 – Nelson Sargento 25 – Festa Batmakumba: Abayomy 30 - Festival Norueguês: Sondre Lerche / Greni

Teatro Riachuelo 22 – Golden Boys

Casa Julieta de Serpa (Praia do Flamengo) 19 - Paris Jazz & Blues: Marcio Lott & Charles Marot Trio  26 - Paris Jazz & Blues: Carol Fazu

Coordenadas Bar (Botafogo) 05, 12, 19 e 26 – Pedro Baby & Convidados 21 - Sérgio Rocha Blues Band: Homenagem a Celso Blues Boy Estúdio Fórum (Botafogo) 24 - Sexta Infame: PxExNxE (COL) / Blaspherion / Lástima / Baga

Solar de Botafogo 16 – Paulo Malaguti 22 - Andrea Dutra & Cacala Carvalho & Elisa Queirós: Salto Triplo 24 - Kosmus / Aura / Psilocibina 29 – Gabriel Calisman Audio Rebel 17 - Ostra Brains / ‎Whatever Happened to Baby Jane (ES) 18 - Os Chás / Ente 19 - Altair Martins & Widor Santiago & Marcelo Magalhães Pinto & Didac Tiago & Roberto Rutigliano: Homenagem a Miles Davis & John Coltrane

Theatro Net Rio 27 -  Alessandra Verney  29 – Silva Canta Marisa Monte 

Blue Note 16 - Didier Lockwood Trio (FRA)  17 - Antônio Carlos & Jocafi Convidam Ithamara Koorax (20h)  17 e 18 - Amaro Freitas (22h30) 22 - Banda Zil (20h) 22 - Lina Nyberg (SUE) – Participação: Ilessi (22h30) 23 – Quarteto do Rio & Roberto Menescal – Participação: Joyce & Wanda Sá & Pedro Miranda (20h) 23 – Insula (22h30) 24 e 25 - Kenny Garret Quartet  29 e 30 - Ed Motta: Baile do Flashback

Ganjah Lapa 16 - Samba Que Elas Querem 17 - Anjos de Vidro / Mara Rúbia 22 - Conterrâneos 28 – Theozin

Sala Baden Powell 18 – Boca Livre 19 - Fhernanda Fernandes - Participação: Andréa França, Clarisse Grova, Nana Kozak, Ninah Jo, Sandra Duailib 22 – Doralyce & Maracutaia 25 - Augusto Martins & Paulo Malaguti 26 - João Carlos Assis Brasil & Carlos Navas

KM de Vantagens Hall 17 e 18 – Marisa Monte & Paulinho da Viola

Praça da Apoteose 18 e 19 - DNCE / Bruno Mars

Teatro da UFF (Niterói) 24 a 26 – MPB – a Era dos Festivais: Soraya Ravenle & Edu Krieger & Marcelo Caldi & Fabiano Salek & PC Castilho

Planet Music (Cascadura) 18 - Fugindo da Realidade / De Outono / Fall Back / Visceral Fear / We Are The Revenge  25 - For Annie / Ollie / Colorado / Visceral Fear

Imperator 19 - Folakemi / Jesuton / DJ Marcello MBGroove 20 – Mariene de Castro 21 – Terraço do Imperator: Jazz Pras Sete: Pimenta Jazz Trio 22 – Marcio Gomes 23 – Humberto Gessinger: “A Revolta dos Dândis – 30 Anos” 24 – Cidade Negra Canta Gilberto Gil 25 – Terraço do Imperator: Forró Lánalaje: Trio Ventura / DJ Edna Carvalho 25 – Paulinho Moska 26 - Fafá de Belém (com Manoel & Felipe Cordeiro): Guitarradas do Pará 28 – Coral Imperator

Centro de Referência da Música (Tijuca) 16 – Magali 17 – Carlos Uzêda 18 – Ana Costa & Carrapicho Rangel 21 - Dagô 23 – Felipe Adetokunbo 24 – Nina Rosa & Thiago Kobe 25 – Rodrigo Maranhão & Pretinho da Serrinha 29 – Joyce Cândido Canta Elis Regina  30 – Michel Taski O Pecado Mora Ao Lado (Praça da Bandeira) 15 - Acidez (MEX) / Pós-Sismo / Juventude Maldita (SP) / Dissgrama  18 - Sétimo Andar / Circus / Roterdan / Pilfer

Aparelho (Centro) 18 - Second Come 24 - Felipe Zenicola / Marcos Campello / Lucas Pires  Motim (Centro) 24 - Gragoatá / Vitor Milagres / Daniel Villares

Quintas no BNDES 19h - grátis 16 - Karla da Silva 23 - CDR Style 30 - Sergio Santos

Teatro Glauce Rocha (Centro) 16 - Fábrica Orquestra  23 - Alice Passos & Maurício Carrilho  30 - Olivia & Francis Hime CCBB 18 - Madrugada no Centro: Larissa Luz - Participação: MV Bill & Caio Prado / Festas Soul de Santa, Trap'in, QXO  Museu de Arte do Rio 24 - Sarau do Alemão / Rincon Sapiência

Som no Deck T.T. Burger - Leblon 19h - grátis 16 - Os Camelos 23 - Pimenta Jazz Trio 30 - Qinho

BRASIL EM TRANSE: Com curadoria de Ismail Xavier e coordenação da Sociedade Amigos da Cinemateca, em parceria com a Cinemateca Brasileira e o Cinusp, esta Mostra reúne mesas de debate e exibição de filmes que acontece de 16 de novembro a 1º de dezembro, em São Paulo. CINEMATECA BRASILEIRA

Circuito SESC 17 - São Gonçalo: Cassiano & Trio Beija Flor (16h - grátis) 18 - Copacabana: Guilherme Pimenta Trio (16h - grátis) 19 - São Gonçalo: Monarco (16h - R$ 20) 20 - São João de Meriti: Ed Motta SOLO (16h - R$ 20) 24 - Niterói: De Leve (19h - R$ 20) 25 - Madureira: De Leve (17h - R$ 20) 25 - Ramos: Cassiano & Trio Beija Flor (17h - grátis) 25 - São Gonçalo: Bebeto (17h - R$ 20) 26 - Madureira: Dorina (17h - grátis) 26 - São Gonçalo: De Leve (19h - R$ 20) 29 - Tijuca: Marcelo D2 & SambaDrive (19h30 - R$ 20) 30 - Tijuca: De Leve (20h - R$ 20) ______________________________

MIXX: 17 – Santos – Praça XV 17 - Victor Bertrami Quarteto - Participação: Azymuth, Arthur Maia, Robertinho Silva, Kiko Continentino – Casa com a Música / Lapa 17 - Aether / Tempus Fugit – Lona Elza Osborne / Campo Grande 18 - Festival Rock no Parque: Bala N'Agulha / Dona Penha – Arena Dicró / Penha 18 - Wake The Dead Festival: Surra (SP) / Rats / Der Baum (SP) / Nove Zero Nove – Magé Futebol Clube 19 - Surra (SP) / Plastic Fire / Halé / Triunfe – La Esquina / Lapa

25 – Qinho - Ahlma.CC / Leblon 25 - AcaraJazZ: Bondesom / Juliana Linhares / Doralyce – Rio City Lab / Santo Cristo 26 - Alaska (SP) / Hover / Whipallas – La Esquina / Lapa 26 - Cervical / Mari & The GoodFellas / Facing Fear – Calabouço / Vila Isabel 29 - Baculeju da Sandra de Sá – Teatro Glaucio Gill / Copacabana

o MIMO, que chega a Olinda nesse fim de semana (17 a 19 de novembro).   É a última etapa de 2017 do festival – depois de passar por Portugal, Tirandentes, Ouro Preto, Paraty e Rio de Janeiro –, com 44 atrações gratuitas de música, cinema e educação.

Abertura da exposição de fotografias de Raymond Depardon, “Un moment si doux”, no dia 1º de novembro. Depois de passar por Paris e Buenos Aires, o CCBB Rio recebe as 170 fotografias de diferentes cores e formatos tiradas na Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Ate 22 de janeiro. qua-seg 9am-21pm. Grátis.

SHOW SOBREGAL - MARCELA MANGABEIRA Dia: 16 de novembro (quinta-feira) Horário: 20h Local: Teatro Municipal Café Pequeno Endereço: Av. Ataulfo de Paiva, 269, Leblon - Rio de Janeiro, RJ Tel.: 2294-4480

50 ANOS DE CARREIRA: Antônio Carlos e Jocáfi convidam Ithamara Koorax Dia 17 de novembro (sexta) Blue Note Rio – Av. Borges de Medeiro, 1424 - Lagoa   SESSÃO: Sessão: 20 horas

Tropicália ganha exposição tech com livre reinterpretação conceitual Nos 50 anos do movimento, na Galeria BNDES   Os artistas Barbara Castro e Luiz Ludwig, do estúdio Ambos&&, apresentam uma livre reinterpretação dos conceitos do movimento tropicalista à luz da arte e da tecnologia. Com a exposição Vamos Comer, estimulam o público a “devorar” experiências sensoriais e orgânicas, incluindo quatro instalações de arte computacional. Ela está aberta a visitações na Galeria BNDES, no Rio, entre os dias 18 de outubro e 1º de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h

Parque Villa-Lobos/SP recebe SlowKids em 18 de novembro     Evento gratuito busca desacelerar as crianças do universo tecnológico com um dia inteiro de brincadeiras tradicionais, teatro, literatura e música; “Kombi dos sonhos” será uma das novidades desta nona edição

MOSTRA DE CINEMA ARGENTINO CONTEMPORÂNEO VOLTA À CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO EM SUA SEGUNDA EDIÇÃO   Histórias extraordinárias apresenta uma seleção com os melhores filmes recentes do país vizinho. Debates com cineastas e especialistas completam a programação Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2 Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro  (Metrô e VLT: Estação Carioca) Telefone: (21) 3980-3815 Data: de 07 a 19 de novembro de 2017 (terça-feira a domingo)

'Cria', novo espetáculo de Alice Ripoll no grupo Suave, traz 'dancinha', dança contemporânea e funk ao Sergio Porto/HUMAITÁ e ao Centro Coreográfico. o trabalho estreia dia 17 com 10 dançarinos em uma mistura inovadora que também traz a dança afro, o afrofunk, o passinho, contato- improvisação e linguagem teatral de 17 a 20 de novembro de 2017 Horários: Sexta-feira - 21h                 Sábado - 21h                 Domingo - 20h                 Segunda-feira - 21h

O espetáculo “Kid Morengueira – Olha o breque!” homenageia Moreira da Silva (1902 – 2000), o cantor que popularizou o samba de breque, tornando-se um ícone da música brasileira. O samba permitiu a ele criticar, sempre com muito bom humor, os poderosos com seus desmandos, os malandros que conheceu na noite, e os compositores que ajudou a tornar conhecidos. A peça estreia para uma curta temporada no Teatro I do Sesc Tijuca - de 03 de novembro a 03 de dezembro, de sexta a domingo, sempre às 20:00.

Após o sucesso da temporada nos meses de abril e maio desse ano, que passou por sete cidades brasileiras e esgotou em todas as praças, o espetáculo “STOMDUP” de Tom Cavalcante volta para novas apresentações no Rio de Janeiro (dia 01 de novembro, no Teatro Bradesco Rio); Natal (dia 30 de novembro, no Teatro Riachuelo); Fortaleza (dia 01 de dezembro, no Teatro RioMar Fortaleza).

SOLID ROCK: a participação da banda Lynyrd Skynyrd no Solid Rock (Curitiba, Pedreira Paulo Leminski, dia 12/12; São Paulo, Allianz Parque, dia 13/13; e Rio de Janeiro, Jeunesse Arena, dia 15/12) acaba de ser CANCELADA por motivos pessoais da banda. No lugar, Cheap Trick será a banda que fará parte do lineup, junto do Deep Purple e Tesla. Mais informações sobre devolução de ingressos serão divulgadas em breve.

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers