Pages

Thursday, December 08, 2005

O PODER DA CAMISETA

inspirado num comentario de um coveiro no post abaixo (que viu alguem do jotaquest, blargh!, com uma camisa do hüsker-dü) parei e pensei: houve um tempo em que usar uma camisa de banda ou com uma mensagem realmente significava alguma coisa. era como um statement seu para o mundo e a sociedade. vc podia ir preso por usar uma camiseta que fizesse alusao ao comunismo ou ao consumo da canabis, conhecia pessoas por causa de uma camisa de banda, era coisa seria. nos anos 80 eu tava cruzando a augusta em sampa e um carinha parou pra falar comigo so pq eu tava com uma camisa do sid vicious (que um amigo trouxera de londra), fazendo o simbolo do foda-se com os dedos de uma mao. sempre q eu usava essa camisa provocava risos, olhares furiosos/curiosos ou entao fazia amigos. o carinha se chamava alexandre puga, tinha uma banda new wave e ficou meu amigao, dava guarida na casa dele e tudo. só por causa de uma camisa!!! e certaz vez, na mesma epoca, abordei uma garota q nunca tinha visto, na rua, so pq ela tava com uma tee dos b-52's. e sabe onde ela tinha comprado? numa lojinha da saenz-pena!!! corri la e descolei uma. hj grande parte das t-shirts fazem anuncios gratuitos de marcas gringas e vc ainda paga caro por isso. mas tem aparecido uma galera q faz camisas com atitude, tipo umas q vendem na casa da matriz, ou no babilonia (uma galera do sul, outra de teresopolis), mas tudo se diluiu, virou só uma coisa trendy. por isso, salvo engano, provavelmente o carinha do jq n dever ter a minima ideia do q tava usando. ou nao?

32 comments:

Gabriel said...

Na boa, acho que o cara conhece a banda, sim. É pouco provável que um músico de uma banda (mesmo que seja bosta quest)use a camisa de outra sem saber do que se trata. De repente o sujeito tá nessa só pela grana, termina o show e ele sai pensando: "odeio esse emprego!".
Tem umas camisetas bacanas que vendem na internet num esquema bem artesanal, se divulga só pelas boas sacadas nas estampas, como a cuma virtual, por exemplo.
Acabei de baixar o novo do Strokes, vou conferir.

tom said...

claro que a camiseta ainda tem alguma expressao em certas situacoes, como p ex, o patio de uma escola, onde se define o seu lado, a galera com as camisas de bandas metal e goth contra os plays que so usam camisas de grife ou esportivas. e pode ser que em alguma cidade do interior alguem chegando com uma camisa do led zeppelin ou strokes ainda cause alguma reacao em alguma alma perdida. mas esse meio ainda é bom de mensagem

bruno lima said...

eu tenho uma boa relação com camisetas de artistas e tal desde os 80 qd eu ia para as paradas de ensaio com uma do metallica na época do master of puppets (bons tempos.....).

eu só tive uns problemas com duas : uma do marilyn manson q reproduzia o mechanical animals e uma do rammstein na qual era uma camiseta onde aparecia partes do corpo deles e tal.

foi bem esquisito. as pessoas me olhavam com uma cara de quem comeu e não gostou.

p.s. : eu queria só dizer tom q naum queria abaixar o pessoal tecnológico, até pq eu tb curto pacas de tecnologia e tal. é pq fiquei interessado em saber e tal daquela opinião. me desculpa qualquer coisa.

abs

Felipe Maynard said...

no beavis and butthead, eles se não me engano usavam camisetas do ac/dc e metallica. o vizinho pelassaco deles vestia uma do winger :-)

ricabeleira said...

eu sinto falta da época em que camisa de banda era fonte de informação. um integrante de uma banda de que eu gostava usava uma camisa de uma banda que eu não conhecia, e então eu corria atrás pra ouvir o que tava estampado no peito do cara. fiz várias descobertas musicais asssim. agora os caras de bandas hype só usam terninhos e roupas staile e eu acho isso uma merda. quem sabe um fão do jq não descobre o husker du, joga todos os seus cds atuais no lixo e se converte pro lado negro da força.

ricabeleira said...

sinto falta da época em que as camisas eram uma fonte de informação. um cara de uma banda de que eu gostasse usava uma camisa de uma banda que eu não conhecia. então eu corria atrás pra ouvir o que tava estampado no peito do músico. fiz várias descobertas musicais assim. agora os caras de bandas hype só usam terninhos e roupas staile e eu acho isso uma merda. quem sabe um fão do jq decobre o husker du, joga todos os cds no lixo e vem pro lado negro da força. o mesmo podia acontecer com um fã do good charlotte, cujo vocalista usou uma camisa dom misfits no cqer.

Hopes and fears said...

Ganhei uma camiseta da Coca-cola do meu namorado. Fiquei mais de cara ainda porque, apesar de o modelo ser bacana (é amarrada), tinha uma guria na minha cidade com a mesma, mudando só a cor.
Ah! Fiquei muito puta! Muito puta mesmo. E foi um dos primeiros presentes que me deu.
Ai, ai! Que merda!
Ainda se fosse só a etiqueta. Mas a estampa é gigante. E bem em cima do peito.
E lá vou eu fazendo propaganda gratuita pra Coca...
:(

fabio fernandes said...

curto camisas, neste sentido, de te identificar e criar um ponto de partida para novas amizades. algo meio como as comunidades do orkut ou do my space, no nosso perfil.
e uma das mais elogiadas que tenho é o do if were a carpenter (tributo aos carpenters) que ganhei em uma promo do rio fanzine, a cavalera tbém tem umas bem legais. adoro uma que minha namorada comprou: hello kissy ! é o kiss em versão hello kitty, o máximo.
acho que o cara do j.quest até sabe quem é o hüsker dü (e pode até gostar), porém, a sony não permitiria influências deste tipo som em um produto que é nitidamente descartável, de fácil sucesso.

Felipe Passarelli said...

"mas botar uma camisa de uma banda tipo o husker-du é um statement, nao se usa impunemente. sera q o cara conhece?"

hahahahahahahahahahahahahaah

to rindo muito aqui :)

Camisa vira uma identidade em várias fases da vida, e momentos da maturidade; digo assim pois as maiorias dos colégios, só liberam o famoso "uniforme escolar" no máximo no final do primeiro grau.

Daí comecei meu segundo grau onde podia-se fumar cigarro e finalmente livre daquelas camisas horríveis.

Aí realmente meu consumo de camisas pretas, muitas do iron, nirvana e smashing pumpkins explodiram, eu podia ser eu, eu sabia que era diferente pelas camisas de rock que usava, ai ja vem varias pessoas conversar com vc - po maneira essa camisa heim, felipe, foda essa banda! (coisas assim, despertavam os olhares das pessoas em 95, 10 anos atras).

Foi la que comecei a conhecer o pessoal que gostava também das mesmas bandas que eu e fui apresentado a marijuana tb rs --^^

Acho que usar uma camisa de uma banda da um ar de conhecimento, mesmo para os leigos total, por isso eram, são e serão sempre muito famosas. (tem umas péssimas também que nao devemos descartar rs)

Abraços (parabéns para mim, 26 anos hoje afff to ficando véio!!)

Diego Mode said...

Humm..sei lá. Acho que o lance de camisetas de bandas se banalizou um pouco, mas não tanto. É claro que existem centenas de pessoas com camisas do Nirvana, Iron Maiden...mas eu ainda me surprendo quando vejo alguém com uma camisa mais, como vamos dizer, restrita.
Outro dia vi um cara com uma camisa do DM maneira na rua, quase perguntei aonde ele havia comprado, mas a vergonha não me permitiu.

Vida Fuleira said...

Antigamente era muito difícil achar camisetas de bandas. Tinha essa loja em Madureira que vendia muitas camisetas (acho que ela abastecia os roqueiros das zonas norte e oeste), mas os modelos era terríveis. Lembro que havia essa do Metallica, mas com um L só... Acho que a camiseta que mais saia era a do Exploited com uma caveira na frente...

Cadu said...

Esse negócio de camisetas é legal e estranho. Sou de Ribeirão Preto e aqui o povo nem curte muito rock alternativo e coisa e tal. É sempre o mesmo grupinho que está nas baladas. Uma vez fui com uma camiseta do Franz Ferdinand na faculdade e o pessoal ficava me olhando meio torto, mas sempre chegavam em mim e diziam: "Nossa que camisa legal onde você comprou?", mas eles nem sabiam do que se tratava. Depois que eles estouraram, sempre que me viam com a camiseta diziam: "Ah, Franz Ferdinand. Eles tão nas paradas né? Vi eles na MTV e só prestei atenção porque lembrei da sua camiseta. É aquele dos caras de terninho né?" e eu : "Você curte?", "É... eu gosto daquela música do clipe dos robozinhos (Take Me Out)". Alguns mais ligados se interessam e vão atrás. Mas a maioria só gosta dessas bandas se passar na MTV. Outro dia também estava numa balada com uma camiseta da PJ Harvey e uma menina começou a puxar assunto comigo. Perguntei porque que ela veio falar comigo e disse que só fez isso porque imaginou que alguém que usa uma camisteta da PJ "só pode ser uma pessoa inteligente". Daí ficamos trocando idéia sobre bandas e no final ela me mostrou o som de bandas que eu não conhecia, ou conhecia pouco, e vice-versa. Resumindo: camisetas podem abrir a cabeça de alguém para coisas diferentes ou no mínimo te fazer conhecer mais mulheres! ushushus

tom said...

esqueci de citar q tbm conheci algumas garotas por causa de camisetas, ainda mais pq na turma em que eu nadava, os "punkadas", a gente fazia as proprias tees, rasgava, pintava, colava, desenhava a caneta, entao chamava ainda mais a atencao. hj em dia qndo vou djing uso de proposito umas camisas que chamam a atencao com alguma frase de efeito, tipo "i love coxinha", "pum" (com o logo da puma, essa engana todo mundo) e ma gal tem uma que diz "barbie, where your pussy?"...

Felipe Passarelli said...

Tom pergunta técnica rs como vejo se o playstation esta realmente destravado? tem algum macete pra rodar os piratas? aki nao ta rodando nada! :( abraços

tom said...

ha dois modos de destravamento do ps: um é o que libera pra ele pegar cor e rodar jogos imports de qualquer parte (como se fossem os codigos de dvds de filmes). tipo, vc traz um jogo da europa e roda e pega cor. as vzs roda, mas nao pega cor, entendeu? ha tbm o uso do dvd regiao x para liberar areas para filmes. outro é um chip que é colocado no aparelho para aceitar os poratoes. acho que o seu nao deve estar com o chip. entao vc tem que ir num lugar pra fazer isso, aqui no rio (www.assel.com.br), custa entre $ 200 e 300, dependendo do chip. onde vccomporu o seu>? no camelodormo e no mercado livre geralmente ja vem com o chip que libera geral...

Carlos Guarany said...

Assim como tenho guardado TODOS os ingressos dos shows que já fui (o primeiro foi o The Cure no maracanazinho em 1987!) também guardo todas as camisetas, algumas já bem mofadas. Não dou, não troco não vendo.

Tom, volta e meia os links das matérias do RF ficam quebrados (dá 404). Agora mesmo às 19h20mim está assim. Só um toque... Abraço

Felipe Passarelli said...

valeu pelo toque tom, tipo eu não sabia que tinha que precionar o botão para desligar, agora ta tudo ok, to assistindo o DVD do WS ja joguei os incriveis, demais o controle tremendo. o engraçado é que na instrução fala que o controle é somente para ser utilizado com as mãos! hehehehe imaginam onde devem usar o controle? e tb fala que pode ter convulsão, paranoias e alucinação se ficar jogando muito rs a parada é ligar e desligar que ele aceita. brigadu tom, abraços :)

Gustavo said...

Fiz muita amizade e que já dura uns vinte anos por causa de camiseta.Nos anos 80 eu era metaleiro e era muito comum o pessoal fazer amizade por causa de camiseta, butons e acessórios diversos.
Me lembro que uma pessoa foi falar comigo na rodoviária porque eu estava com uma camiseta do Dissension(banda hardcore).E posteriormente acabamos fazendo um fanzine.
Hoje acho que se por um lado tem gente que usa camiseta de rock somente pelo aspecto estético muitas vezes sem conhecer a banda hoje temos mais e melhores opçoes de camisetas.Até porque muita marca famosa vem produzindo camisetas inspiradas no rock.
A ellus second floor tem camisetas maravilhosas do Black Sabbath e Alice Cooper, já vi uma camiseta customizada muito legal do Kreator da doc dog,uma roupa que eu nao me lembro qual era com aplicacoes do logotipo e de capa de disco do Slayer da escola de divinos e uma customizada do Ramones na Reinner que também era muito bacana.O problema é que com excessao da Reinner, os precos das camisetas sao exorbitantes. Eu sei que por uma lado esse lance de roqueiro de boutique é péssimo mas essas roupas geralmente sao tentacoes principalmente para quem gosta de rock e moda.

Felipe Passarelli said...

A camisa que tenho desde 15 anos que ainda uso é uma do White Zombie enoooorme, que tem um monstro enorme rosa na frente e atras vem escrito "More Human Than Human" (se lembram desssa msuica?).

Inclusive estava no CQÉR com ela, não sei se voce percebeu Tom, pois todos me param por esta camisa, esta rodadíssima já, mas é dakelas que batem o olho e gama, e eu adorava o Astro-Creep 2000 rs

Veio no meu PSP 2 o chip Matrix Infinity 1.4, nao sei se esse é bom e se alguém cobnhece aqui, vc sabe qualé tom?

Bom dia abraços!

fabio fernandes said...

bem, as minhas camisas-xodó, são as seguintes: joy division (toda puída, com uns dois furos ... afinal, é uma sobrevivente da década de 80, acho que de 87); uma do sugarcubes (com destaque p/björk) que minha mãe usa direto !; adoro as do hercovitch e o conceito da caveira (tenho uma apenas), aniversário de 11 anos do rio fanzine, uma do lacartae pintada pelos caras ...

tom said...

felipe, o chip q vc tem é o melhor e mais recente. vc esqueceu so de fazer o lance de ligar por cinco segundo e desligar, pro chip ser ativado... guarany, eu tbm guardo todas as minhas camisas especiais, ta tudo em sacos plasticos com talco pra nao mofar. um dia qndo tiver mais espaço facco um mostruario com elas. algumas das mais preciosas sao a de um show dos love & rockets em paris (88), a da turne de despedida do damned em ny (89) e uma dessas que eu fiz com minha galera qndo moleque, do clash. tenho tbm uma do bauhaus gringa q uma vez um cara no banheiro do madame sata (sp) quis comprar ali, na hora, qq preço (rs). as compradas em shows sao as mais especiais, mas as que viveram algum momento marcante, tbm. é como se fosse um pedaco de minha pele naquele momento, que foi trocada...

:: Fräulein :: said...

Pois é Tom, tava lá no show do NIN observando geral, as camisetas e tudo, do meu lado tinha uma mulher com seus 30 e poucos, com a camiseta do NIN "Star fuck.ink". Quando a música tocou ela ficou totalmente indiferente...

Na minha época eu usava camisa do Manson, hahaha, q derrota! Geral achava q eu era anticristo ou satanista, u ó!! Sendo q eu usava apenas pq curtia o som dos caras... Mas rolava muito de fazerem amizade por causa da blusa, outras vezes por causa de vinis do Kraftwerk, Tangerine Dream e Joy Divion q eu carregava na mão e tal.

AndreT said...

OU NÃO! Ninguém que goste de HD aceitaria tocar naquilo.

tom said...

felipe, tbm tenho essa camisa do white zombie q vc tem, era muito fa da banda numa certa epoca. no tempo do holly rock fui no rio palace entrevistar o alice in chains e desci no elevador com a sean e o robbie. sinistro! dai levei um lero com o defunto layne staley q tava com seu skate de street e quis leva-lo na pista do arpoador, ali do lado, mas ele tava chapado e n foi. ah, usei essa camisa do vez numa festa de aniversario de meu filho (tematica halloween, pq ambos adoramos terror trash) e muitos pais caretas de amiguinhos me olharam de banda :-) ela realmente choca...

Lord Vader said...

Camiseta é uma instituição ! Dá pra rolar um vínculo emocional duradouro com elas , a ponto de , assim como o Guarani , nunca me desfazer de nenhuma . Não está escrito na testa de ninguém " Quem sou eu " , mas as camisetas dão uma pista bacana ! Por isso fico muito mais a vontade para conversar com algum maluco em show ou night , puxar papo com alguma garota já sabendo o que falar e pra onde o papo vai .
Desde as que tinha que fazer , por falta de opção , até as de turne , guardo todas , e uso com carinho . Inclusive estou atrás de uma do Bloc Party ! Minhas prediletas : Pixies Bossanova , Sonic Youth 95/96 tour , Loser (da Sub pop - um crássico !) , Fuck the Police , e uma antigaça do The Clash , simplezinha mas bonitinha .

bruno lima said...

r.i.p. richard pryor

iga_rio said...

Fala Galera,

Já que rolou o papo de camiseta, não esqueço da minha primeira camiseta de banda... ganhei uma do Ramones que era a capa do Loco Live... usei aquela camiseta até gastar !!!
No ínicio dos anos 90 era realmente mais dificil de achar... me lembro quando o Dado da legião abriu uma loja do seu selo (rock it) e lá vendia camisetas bem diferentes das outras...
Hoje tem gente usando camiseta sem se quer conhecer a banda, já vi pessoas com camisetas do MC5 que sequer sabem que é uma banda...

O que me agrada mesmo é ver que hj existem várias camisetas de banda de cores diferentes do padrão, ou seja, preta... antes parecia até lei toda camisa de banda era preta... nossa cidade é muito quente para usarmos só preto rsrsrs

Abraços,

Gustavo said...

As minhas favoritas - do New York Dolls e do Stooges que eu comprei na galeria ouro fino em sampa,do T.Rex feita pelo Giulliano da Slam e do Jeff Mills também da Slam.Outra que eu gosto muito é da Miss Kittin misturada como Gene Simmons que eu mesmo fiz e as ja citadas do Black Sabbath da ellus second floor e outra escrito Destroy também da ellus second floor.

Gustavo said...

Voces viram essa matéria no caderno ella -
"Rock’n’roll agora é para filhinhas e mamães
Ruth La Ferla
Do New York Times Nova York
Pais e filhos estão compartilhando o mesmo guarda-roupa em Nova York, isto porque as lojas da Big Apple, da H&M à Barney’s, resolveram investir pesado no look rock’n’roll, reeditando camisetas com estampas de bandas dos anos 60 e 70.
Então, sair com o carão do Jim Morrison cobrindo o corpo está na moda, de novo. Deborah Dejah, nova-iorquina e mãe de duas meninas, viu-se comprando camisetas do The Doors para sua filha Olivia, de 14 anos, na loja Marsha D.D., especializada em roupas de criança. E, como se não bastasse, Olivia vai ao armário da mãe atrás de originais da época.
De dois anos para cá, a estética nostálgica ganhou as massas. E, apesar de camisetas de rock nunca terem deixado de existir, agora elas são procuradas por uma nova geração, encantada com a era de ouro do rock. Tanto que, mês passado, a Cherry, um brechó no Greenwich Village que vende peças estampadas com o tema rock antigas, abriu um ponto dentro do templo adolescente da música, a Virgin Megastore, na Times Square.
— Rock’n’roll é o uniforme de todo mundo agora — diz Jaye Hersh, dono da Intuition, uma butique de Los Angeles que vende toneladas de peças de rock em seu site, até itens para bebês com a logomarca do AC/DC.
A H&M está vendendo jaquetas justinhas de veludo — como as de Mick Jagger — e a Trunk reeditou camisetas de show. Na Bergdorf Goodman, os acessórios de rock fazem sucesso entre “consumidores de luxo que não querem parecer caretas”, explica Robert Burke, diretor de moda da loja. Mas os que procuram um visual mais autêntico, curto e grosso, vão ao brechó Resurrection, no East Village, que vende camisetas de show originais, jaquetas de couro e acessórios que podem custar de US$ 200 a US$ 1 mil. Ou pesquisam no site e-Bay, que registrou uma crescente busca por jaquetas de motoqueiro, jeans justo nas pernas e tênis Nike com o retrato do Bob Marley".

Vida Fuleira said...

Eu costumava usar no estágio uma do Ned´s Atomic Dustbin que eu pedi para um cara do Meyer fazer pra mim. Esse cara era o maior fã de Kiss que eu já vi, tinha até um penteado a gene Simmons. Uma vez uns estagiários de outro departamento me pararam para perguntar unde havia comprado pois eles gostavam do som...

Também tinha uma do Ministry, Mind´s a terrible thing to taste (lembram quando o Industrial era o "futuro") comprada lá nas banquinhas de vinil antigo da rua 13 de Maio...

Mas uma que todo mundo me parava pra perguntar era a que tinha aquele simbolo de lixo, com um bonequinho estilizado jogando uma suastica na lixeira...

Flávio Rafael said...

3 lances sobre camisetas:

Nos anos 90 eu tinha uma do L7 q era tipo um cara chupando uma mulher...era uma estampa agressiva... se não me engano comprei na 13 de Maio... e um dia fui para o trabalho com ela e de repente meu chefe me chama para explicar uns lances para um pessoal q estava numa reunião com ele, era um casal de japoneses e quando eu entro na sala, o japonês olha espantado para a camiseta do L7, o meu chefe sorrindo todo sem graça e eu idem e aí a japa quebrou o silêncio dizendo algo do tipo "oh! nice t-shirt very nice" e rindo alto e sem graça tb... depois é claro levei uma chamada do chefe...

Nos anos 90 tb... eu tinha aquela camiseta do Dirty do Sonic Youth e um dia um cara da minha rua, playboy, chegou pra mim e disse: cara de q marca é essa camisa, já procurei em tudo q é shopping e não encontro essa marca..."

e perdi a conta de quantas pessoas eu conheci só por causa das camisetas dos Ramones... uma vez na Taquara um cara estava vendendo baú da Felicidade, eu estava passando e ele virou para mim e falou Hey Ho Let´s Go e eu respondi na Lata: Blitzkrieg Bop! Era outra época... agora camisetas são só camisetas mesmo... não tem significado nenhum... só para uma minoria mesmo... embora eu ainda use algumas da Mono q é lá do Sul, mas é definitivamente outra coisa hj em dia como já foi dito antes pelo pessoal...

Mateus said...

Eu tb acho que as camisetas são como um olá. Normalmente me ligo nisso... Teve uma época que banalizou, eu ia para o bambus (bar que os underground enchem a cara hehe) em Porto Alegre e tinha umas 50 pessoas com a mesma camiseta do Nirvana que eu. Mas isso até que era bom, éramos uma turma, o pessoal dizia: - "Lá vão os Grunges." hehehe. Havia uma espécie de identidade. Certa vez fui à um show no Garagem Hermética e o cara da porta falou: -"Cara, tu não vais pagar ingresso, só por causa dessa tua camiseta!" e isentou meu ingresso! Eu tava vestindo uma camiseta do Hüsker Dü. :)

NA CIDADE

NATAL NA ÁREA:

CASAS & SHOWS: Circo Voador 08 - B.Negão Bota Som / BaianaSystem 09 - Far From Alaska / Scalene 10 – Scracho / Gabriel Elias 11 - Estreia do Documentário "Nosso Sagrado": Debate + Roda de Samba (Kebajê, Andreia Caffé, Rogério Família) 15 - Snarky Puppy (EUA) 16 e 17 - Caetano, Moreno, Zeca e Tom Veloso 21 - Samba Iaiá: Pretinho da Serrinha - Participação: Mariana Aydar, Mariene de Castro, João Bosco 22 - Festa Mistério do Planeta / Primavera nos Dentes (Charles Gavin, Duda Brack, Paulo Rafael, Pedro Coelho, Felipe Ventura): Homenagem ao Secos & Molhados / Pepeu Gomes - Participação: Baby do Brasil & Pedro Baby 23 - Amigos da Onça: Onçaspectiva 2017 28 – Forróçacana 29 – 1Kilo

Fundição Progresso 08 - Arcade Fire (CAN) / Bomba Estéreo (COL) 09 - Racionais MCs / Choice MC / BK / Ghetto Brothers 16 - Gal Costa & Gilberto Gil & Nando Reis: Trinca de Ases

Teatro Rival 06 – Ricardo Brito Talk Show: Leoni, Ruy Faria, Gilson Peranzzetta 07 – Steve Rothery Band (ING) 08 – Ana Costa & Carrapicho Rangel 09 – Tia Surica: Homenagem a Clara Nunes 14 – Jota Maranhão & Altay Veloso 16 – Ordinarius 20 – Rival Rebolado: Edição de Natal 22 - Edu Falaschi: Rebirth of Shadows Tour - Parte 2 28 – Claudio Lins 30 - Jay Vaquer

Teatro Riachuelo 12 – Elba Ramalho 13 - Luiza Possi: Tributo a Michael Jackson 19 - Baby do Brasil

Vivo Rio 14 – Carminho (POR) Canta Tom Jobim 16 – Milton Nascimento & Tiago Iorc 29 – Pabllo Vittar

Memorial Getúlio Vargas (Glória) 08 – Grupo Vocal Pé na Rua 14 – Quintas Acústicas: Alexandre Marzullo 17 – Grupo Vocal Zanzibar Casa Julieta de Serpa (Flamengo) 03 - Paris Jazz & Blues: Marcio Ciribelli 10 - Paris Jazz & Blues: Tunai & Wagner Tiso

Etnohaus (Botafogo) 07 – Paulo Sartori & Johanna Amaya 08 – Laura Lagub 10 – Janna Linhares 15 – Caio Castelo 16 – Filtra / Comodoro 21 - Ivo Senra & Lúcio Vieira: ECO Botto Bar (Botafogo) 05 e 12 – Toni Platão 07 – Zabumba Atômica 08 – Chris Crochemore

Audio Rebel 09 - Macabea 10 - Herzegovina / Ballet Clandestino (SP) / Gangue Morcego 15 - BacaFest: Mauk & Os Cadillacs Malditos / AlBaca / Two Step Flow 16 - Illy 18 - Melvin & Os Inoxidáveis / Homobono / Mamute Flutuante 20 - Lourenço Vasconcellos Vibrafone Trio Solar de Botafogo 08 - Whipallas / Fleeting Circus 09 - Les DeuxLuxes (CAN) 10 – Sophia Abrão 12 – Júlia 16 – Lado Alado

Sala Baden Powell 06 - Adriana 15 - Wanda Sá & Quarteto do Rio Theatro Net Rio 05 - Zélia Duncan & Jaques Morelenbaum 12 – Joyce Cândido 13 – Ziza Fernandes

Casa de Cultura Laura Alvim 07 - Natália Garcez: Tali! 05 - Lucas Santtana 10 – Lan Lanh 12 - Dois Reis 16 – FestLip Show: Joss Dee (ANG) / DJ Lili Prohmann 19 - Ayrton Montarroyos Teatro Ipanema 05 - Primavera nos Dentes (Charles Gavin, Duda Brack, Paulo Rafael, Pedro Coelho, Felipe Ventura): Homenagem ao Secos & Molhados 09 - Fernanda Gonzaga 12 – Arto Lindsay & Jonas Sá & Thiago Nassif 15 - Do Amor & Rubinho Jacobina 19 - Lancellottis - Ivor & Domenico & Alvaro 21 - Baleia

Blue Note 07 – Orquestra Atlântica Convida Ricardo Silveira 08 - Stefano Bollani Quinteto 09 – A Cor do Som (20h) 09 - Zé da Velha & Silvério Pontes (22h30) 11 - Zé Paulo Becker & Semente Choro Jazz 12 - Bianca Gismonti Trio: Gismonti 70 - Participação: Jane Duboc & Jaques Morelenbaum 13 - Alma Thomas: Homenagem a Nina Simone – Participação: Ellen Oléria 14 – Airto Moreira 15 – Jesuton 15 - Leila Maria: Homenagem a Billie Holiday 16 - Raul Mascarenhas 18 - Zé Paulo Becker & Semente Choro Jazz 19 - Tributo a Luiz Melodia: Ana Bispo, Chico Chico, Claudia Amorim, Doralyce, Duda Brack, João Mantuano, Katia Jorgensen, Maíra Freitas, Mari Blue, Mihay, Taís Feijão, Tyaro Maia, Vandro Augusto 20 - Mauricio Einhorn & Nelson Faria 21 – Orquestra Atlântica Convida Vitor Santos 22 e 23 – Carlinhos Brown 26 e 27 – Toquinho 30 - Bossacucanova & Roberto Menescal

KM de Vantagens Hall 06 – The Wailers / Ponto de Equilíbrio 08 – Maria Bethânia 09 – Zé Ramalho 16 – Raça Negra Rio Arena 15 - Deep Purple / Cheap Trick / Tesla

III Barra Blues Festival Área de Eventos do Rio 2 Shopping – Barra da Tijuca 15 – Sergio Diab / Projeto Soul Jazz / Alamo Leal & Blues Groovers 16 – RJ Café / UniJazz Orquestra / The Blue Fever / Sérgio Rocha 17 – West Side Blues / Corcel Mágico / State of Blues / Victor Biglione Trio

Engenhão 09 - Festival de Tatuagem: Pedras Pilotáveis / Filtro Vermelho / Nove Zero Nove / Filipe Ret 10 - Festival de Tatuagem: Eu Amo Baile Charme / We Are The Revenge / Kanon 23 - Eu Amo Baile Funk: Stevie B / MC Cacau / Willian & Duda / Danda & Tafarel / Coiote & Raposão / DJ Cidinho / DJ Grandmaster Rafael

Imperator 06 – Quartas Brasileiras: Leny Andrade: Homenagem a Emílio Santiago 09 – Terraço: Leão Etíope do Méier + Junta Local: Junu / DJs Rajão e Bruno Negrão 09 – Detonautas / Drenna / Folks 10 – Baile Black Bom: Banda Consciência Tranquila / DJ Flash 12 – Terraço: Jazz Pras Sete: ((TRIO)) 13 – Terraço: Forró Lanalaje: Conterrâneos 13 – Márcio Gomes 14 – Samba do Imperator: Grupo Arruda, Nelson Sargento, André Mata 17 - Beach Combers / Arte no Escuro / Cólera / Gangrena Gasosa

Planet Music 09 - Maieuttica / Involuntarium / Colwire (SP) / No Trauma / Quantum 17 - Festival Irmandade Underground: Go! Victory / A Marcha das Árvores / Eu, Você e um Oceano / Faithless / Inner Flow / Santaria / Arena Centro de Referência da Música (Tijuca) 07 - Jeff Gardner: Homenagem a Johnny Alf 08 - Trem Vocal 09 - Júlia Vargas 10 - Equale: Homenagem a Dorival Caymmi 12 - Sarau dos Sambistas 14 - Eduardo Ponti

Bar dos Descasados (Santa Teresa) 07 – Ed Motta 14 – Toni Garrido 21 – Sandra de Sá

Aparelho (Centro) 07 - Ricardo Dias Gomes / Joana Queiroz 09 - Anjos de Vidro / Mara Rúbia 11 - Michel Temer Trio / Test (SP) 14 - Winter (EUA) / My Magical Glowing Lens (ES) 16 - LoveJoy / Ênio Berlota & A Nóia Coletivo Machina (Centro) 07 - Astro Venga / Lunares 09 - Test (SP) / Entropiah (ESP) / Jessica Worms / Sorry For All (SP) 14 - Blastfemme / Lâmmia 15 - Tailten / Punching Namard 23 - LoveJoy / Cidade Chumbo Motim (Centro) 08 - Talude / Chico de Barro / SLVDR 09 - Rawph / Warmest Winter / Lacerda 10 - Quasar / Eliminadorzinho / gorduratrans 16 - Desgraça / Yukio

CCBB 09 - Orquestra Bom Me Quer Paquetá e Corais da Escola de Música Villa-Lobos 15 - Nilze Carvalho 16 - Farra dos Brinquedos 16 - Madrugada no Centro: Rico Dalasam / Minha Luz é de Led 17 - Folia de Reis Céu na Terra BNDES 06 - Vicente Paschoal 07 - Alaíde Costa Convida Turíbio Santos 13 - Paulo Bellinati & Cristina Azuma 14 – Guinga

Festival Wine Jazz, Bossa & Blues Inverso Restaurante (Jockey Clube) 06 - Maurício Einhorn & Jefferson Gonçalves & Gabriel Grossi 07 - Azymuth 08 - Wagner Tiso & Victor Biglione

Festival Novas Frequências 06 – Audio Rebel: Louis Laurain (FRA) / Luisa Lemgruber & Gabriela Mureb & Sanannda Acácia 07 – Oi Futuro Flamengo (16h): Dewi De Vree & Patrizia Ruthensteiner: Magnetoceptia (performance sonora) 07 – Lagoa Rodrigo de Freitas (17h): Dewi De Vree & Patrizia Ruthensteiner: Magnetoceptia (performance sonora) 07 – Audio Rebel: Jeremy Gara (CAN) / Flores Feias 08 – Igreja do Carmo (Lapa): William Basinski / Dewi De Vree & Patrizia Ruthensteiner 09 – Parque Lage: Chelpa Ferro: Acusma para Crianças 09 – MAM: 09 - Nicolas Field & Pontogor: To The Bone (performance sonora) 09 – Local não divulgado: Festa O/NDA: Acid Arab (FRA) / Aïsha Devi (SUI) / Carrot Green / Stellar OM Source (FR) / grassmass apresenta: Coisas - a synth tribute to Moacir Santos / Deo’Jorge 10 – Sala Mário Tavares (Centro): Chelplexx (Chelpa Ferro + Duplexx) / ensemBle baBel plays Christian Marclay (CH)

Íris Festival (Rio City Lab / Santo Cristo) 27 - Roberta Nistra / Sambanosso / DJ MAM & Sotaque Carregado / Agytoê 28 - Beach Combers / Bloco Cru / Bloco Toca Raul 29 - New Kids on The Bloco / Bloco Fogo & Paixão / DJ Sany Pitbull

Circuito SESC 07 – Tijuca: Zé Bigode - Participação: Thiago El Niño 09 - Duque de Caxias: Sotaque do Nordeste 09 - Nova Iguaçu: Expresso Santiago 10 - Madureira: Carlos Dafé 10 – Engenho de Dentro: Zé Bigode - Participação: Thiago El Niño 10 - São Gonçalo: Dorina 12 - SESC Ginástico: Frejat 16 - Niterói: Sotaque do Nordeste 16 - Nova Iguaçu: Leoni 17 - Nova Iguaçu: Dorina 17 - São Gonçalo: Sotaque do Nordeste

MIXXX: 7 - Laura Lagub - Participação: Marcela Mangabeira – Teatro Café Pequeno 07 - Cidade Negra – Shopping Village Mall 07 - Mari Blue - Participação: Duda Brack, Mihay, Zé Ibarra – Rock Experience / Lapa 07 - Hare Festival Psicodélico: Eletrotupiniquim – Hareburguer Leblon 08 - Camila Costa & Rubinho Jacobina – Casa Igba / Santa Teresa 08 - Banda Nós 3 – Teatro Ziembinski 08 - 1º Cortejo Pré-Carnaval Maracatu Baque Mulher – Casa Nem / Lapa – Indo até a FEBARJ 08 - Ensaio Aberto do Bloco Planta na Mente – Largo dos Arcos da Lapa 08 - IZA / MC Sabrina / Drik Barbosa / Filhas de Bamba / DJ Ingrid Nepomuceno – Unidos da Villa Rica / Copacabana 08 - BudxRio: Manie Gang / TechnoBrass – Bar do Nanam / Praça Tiradentes 09 - Festival Hippie Punk Beatnik: Ventura / Igor Anti-Projeto / Ramyrez 77 / Mau Presságio / Atentado 70 / AMEOPOEMA – Centro Cultural Toca Raul – Duque de Caxias 09 - Festival Trama: Luíza Boê / Kosmo Coletivo Urbano / Jamelão Sound System / DJ Eloy Vergara – Malha / São Cristóvão 09 - Orquestra Petrobras Sinfônica: Thiller Sinfônico - Homenagem a Michael Jackson – Theatro Municipal 09 – Arthus Fochi Trio – Parque das Ruínas / Santa Teresa 09 - Festival Rock no Parque: Espinoza / Lenhadores – Arena Dicró / Penha 09 - Quasar / Chico de Barro / Eliminadorzinho – PEGA / Duque de Caxias 09 - AtitudExtrema / Tereza Bicuda / Universo Inverso – Arena Renato Russo / Ilha do Governador 09 - Luísa Lacerda & Carlos Chaves – Casa de Esquina / Grajaú 09 - Braza – Lona Carlos Zéfiro / Anchieta 09 - Contando Bicicletas – Estúdio Fórum 09 - CharmeBloco - Praça Marechal Âncora / Praça XV 10 - Festival Hippie Punk Beatnik: Fanfarra Locomotiva da Baixada – Centro Cultural Toca Raul / Duque de Caxias 10 - Letrux (pocket show) – Ahlma / Leblon 10 - Headbanger Fest: Nervosa / Siriun / Vorgok – La Esquina / Lapa 10 – Rio Na Rua: Melim - Posto 8 / Leblon 10 - Bloco Cru - A Volta! - Parque dos Patins / Lagoa 12 - Noite Faro: Castello Branco – FM Hall 12 - Festival Realmente Som: Sinara – Ganjah Lapa 13 - Roda de Samba do Fundo de Quintal - Participação: Maria Rita & Sombrinha – Cacique de Ramos 13 - Mario Adnet & Paulo Jobim: Jobim Sinfônico – Sala Cecília Meireles 13 e 14 - Mariene de Castro & Almério (POR) – Teatro XP Investimentos / Lapa 14 - Funarte Plural: Alvaro Lancellotti – Teatro Glauce Rocha / Centro 15 - Varanda Suspensa: Fausto Fawcett & Omulu – Parque Lage 15 - Tavinho Paes - Lançamento do livro "Bob Dylan - A Liberdade que Canta": Arnaldo Brandão, Fred Nascimento, Cash Crash, Marcela Sperandio & Cecilia Spyer, Bayard Tonelli – Estúdio Hanói / Botafogo 15 - Duda Brack & Rodrigo Garcia – Ganjah Lapa 15 - Guilherme Arantes – Teatro Oi Casa Grande 15 - Laboratório do Éter – La Carmelita / Lapa 16 - Raf F. Guimarães / AlBaca / Two Step Flow – Estúdio Hanói / Botafogo 16 - Braza - Lona Jacob do Bandolim / Jacarepaguá 16 - Two Step Flow / Força & Honra / Blind Freedom / Gambrinus 74 – Praça do Pinheiro / Jacarepaguá 16 - Alcione - Participação: Maria Bethânia & Bateria da Mangueira – Ribalta / Barra da Tijuca 17 - Festival Boca do Rock: Diabo Verde / Nove Zero Nove / We Are The Revenge – Lira de Ouro / Duque de Caxias 17 - Taurus / Nervochaos / Coldblood / Velho – La Esquina / Lapa 17 - Matanza / Diplomatas – Lona Jacob do Bandolim / Jacarepaguá 17 - Festival Arena Alternatiba 2: Dwo / Alter / Indivíduo K / Altopo – Arena Chacrinha / Pedra de Guaratiba 22 - O Último Baile do Bené: Flora Matos / MC Marcinho – Viaduto de Madureira 27 - George Israel - Baretto Londra / Fasano 30 - Pré-Reveillon POPline: IZA - Espaço Sacadura / Saúde

Vila Encantada de Natal, que chega ao Rio a partir de 8/12 (6af), nas cidades de: Caxias (8/12, 6af); Itaboraí (9/12, sáb); São Gonçalo (10/12, dom); Casimiro de Abreu (15/12, 6af); Rio das Ostras (16/12, sáb) e São Pedro da Aldeia (17/12, dom). A caravana itinerante chega na cidade com uma carreta-palco imensa, a equipe realiza uma oficina de enfeites natalinos com a população, enfeitam - com o que produziram - a praça onde acontecerá a apresentação de cinema e teatro ao ar live, todos com a temática lúdica e afetuosa do Natal. ______________________________

A SÉTIMA edição da Mostra de Cinema Polonês, acontece de quarta-feira dia 6 a 11 de dezembro no CCBB de São Paulo após passar pelo Rio e Brasília. Com curadoria da historiadora de arte Ewa Zukrowska (polonesa residente em SP), o evento presta homenagem ao diretor e roteirista Juliusz Machukski, aclamado como o "rei da comédia" pelos críticos de seu país e exibe sete de seus filmes. Entre os títulos inéditos no país tem "Sexmissão", que quando estreou em 1983 levou 12 milhões de poloneses ao cinema.

FEIRA RETOKE: uma ótima oportunidade para as compras de Natal, com três edições em dezembro, a partir deste primeiro fim de semana do mês de dezembro, neste sábado, 2/12, na Lapa. As outras edições da feira colaborativa, que reúne moda, decoração, arte, gastronomia, saúde, beleza e novas tendências do Rio, acontecem na Barra, dia 9/12 e, na Tijuca, nos dias 15, 16 e 17/12.

Abertura da exposição de fotografias de Raymond Depardon, “Un moment si doux”, no dia 1º de novembro. Depois de passar por Paris e Buenos Aires, o CCBB Rio recebe as 170 fotografias de diferentes cores e formatos tiradas na Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Ate 22 de janeiro. qua-seg 9am-21pm. Grátis.

Escola de Cinema Darcy Ribeiro/rj apresenta Mostra de Cinema Leila Diniz Em comemoração aos 15 anos da escola e a inauguração da Sala de Dramaturgia Leila Diniz   Entrada franca ESCOLA DE CINEMA DARCY RIBEIRO Sala de Dramaturgia Leila Diniz Rua da Alfândega, 5 – Centro - Rio de Janeiro

Entre os dias 13 e 18 de dezembro, acontecerá a 12ª edição do Festival Internacional de Cinema Feminino – FEMINA - no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro. O evento é realizado pelo Instituto de Cultura e Cidadania Femina que, desde 2004, se dedica a exibir longas, médias e curtas-metragens dirigidos por mulheres e/ou com temática feminina.

Retrospectiva do Cinema Brasileiro reúne a diversidade da produção nacional no CineSesc/SP e abre exposição: “Ozualdo Candeias, Fotografias” - 07/12/2017 O CineSesc realiza a 18ª edição da Retrospectiva do Cinema Brasileiro durante todo o mês de dezembro (de 07/12 a 03/01/2018). Nesta edição, a curadoria foi realizada pela montadora de cinema Cristina Amaral, do crítico de cinema Chico Fireman e a equipe do CineSesc. Foi selecionado o total de 55 filmes, sendo 26 longas-metragens de ficção, 24 documentários e cinco curtas- entre os 141 filmes lançados no período. Na abertura da 18ª edição da Retrospectiva do Cinema Brasileiro será exibida a cópia restaurada do filme A Margem, de Ozualdo Candeias, e exposição:

“IRMÃOS MAYSLES – A DISCIPLINA DO OLHAR“ exibirá 30 filmes, entre curtas, médias e longas, e promoverá debate e masterclass de 30 de novembro a 13 de dezembro na Caixa Belas Artes, em São Paulo. A mostra tem o patrocínio da CAIXA e do Governo Federal.

CIRQUE DU SOLEIL CHEGA AO RIO DE JANEIRO COM ESPETÁCULO INÉDITO, NO PARQUE OLIMPICO Após temporada de sucesso em São Paulo, AMALUNA estreia no Rio de Janeiro dia 28 de dezembro
ARCADE FIRE NA FUNDIÇÃO: A BANDA CANADENSE ARCADE FIRE SE APRESNTA NO DIA 08/12 (SEXTA) NA FUNDIÇÃO PROGRESSO, COM SHOW DA TURNE 'INFINITE CONTENT'. NO SÁBADO, 09, SE APESNTA NA ARENA ANEHMEBI/SP. NO RIO, O SHOW TEM ABERTURA DA BOMBA STEREO.

SNARKY PUPPY A BANDA DE MODERN JAZZ SE APRESENTA 15/12, NO CIRCO VOADOR ABERTURA: Pandeiro Repique Duo com part. Carlos Malta e Gabriel Grossi

A Bela da Tarde, longa de Luis Buñuel Clássico de Luis Buñuel retorna ao cinema com distribuição da Zeta Filmes, em Cópia Restaurada – Estreia dia 07/12/2017 - 50 anos!

SOLID ROCK: a participação da banda Lynyrd Skynyrd no Solid Rock (Curitiba, Pedreira Paulo Leminski, dia 12/12; São Paulo, Allianz Parque, dia 13/13; e Rio de Janeiro, Jeunesse Arena, dia 15/12) acaba de ser CANCELADA por motivos pessoais da banda. No lugar, Cheap Trick será a banda que fará parte do lineup, junto do Deep Purple e Tesla. Mais informações sobre devolução de ingressos serão divulgadas em breve.

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers