Pages

Friday, May 25, 2012

I WAS A TEENAGE PUNK

Por aqui, pessoas escrevem certos livros sem consultar quem participou de cenas. Ja vi dois livros falando de punk brazuca e nenhum dos dois falou com pessoas importantes da cena carioca, p ex. Um era paulista, entao a gente ja espera isso. Mas o outro foi escrito por um carioca, que nao viveu a cena. Gente boa, mas não checou tudo. E a cena punk carioca nasceu em volta da turma de skatistas que frequentava pista de campo grande (tres dos quatro integrantes do coquetel molotov eram skatistas) e points como o dancy méier, a pça mahatma ghandi (cinelandia) e arredores da lapa. eu fiz parte dessa turma (e jamais nenhum desses autores de supostos textos sobre o punk carioca falaram comigo, nao para ser citado, mas pelo menos, para contar um lado da historia, e nem mesmo com nomes importantes desta cena, só ficaram na superfície). entao, vou contar o que vi/vivi:

A genese foi ali, em campo grande, ao som de ramones. os punks do rio ouviam mais o som americano do que ingles, embora clash e pistols estivessem na agenda. mas, aqui, éramos mais fas de ramones, dk, black flag etc. ate porque, a cena em si so começou a se formar no começo dos 80s, enquanto que a de sp começou no final dos 70s. entao, nos 80s, o hardcore usa mandava mais. vale lembrar que a cena punk rock do rio (e do país, tbm) veio pouco antes da cena rock dos 80s (junto com os punks, só mesmo a gang 90). só que ninguem conhecia essa galera, que era realmente alternativa, por isso são preteridos em livros que falam de rock brasileiro dos 80s. diferentemente do povo do rock, todos filhos de classe media e de militares, os garotos punks eram pobres, vindos de lares desfeitos (nenhum amigo meu tinha pai ou mae vivendo juntos, eu inclusive) e ter grana para comprar equipamentos era sonho. em geral, os baixos e guitarras eram comprados em lojas de segunda mao no centro. alguem ai já usou um baixo felpa? pois é, eu tive um. as roupas e adereços tbm eram improvisados, quase nada comprado em loja. nos espantava saber que a galera punk de brasilia era toda de burgueses.

o coquetel molotov nasceu da necessidade de ter uma banda para falar por essa galera sub no rio, pois em sp ja existiam colera, inocentes, olho seco e ratos de porão. o disco 'grito suburbano' deu o impulso. dai, tatu, olmar (que era meu melhor amigo, na época), lucio flavio e cesar nine se juntaram e formaram a banda -- que, depois, inspirou outras, como descarga suburbana, eutanásia etc. eu fazia parte da entourage e cheguei a escrever letras junto com tatu ('uma certa manhã em 1984', entre elas) e ate mesmo a tocar baixo em ensaios. mas eu ja queria ser jornalista e escrevia o fanzine 'blitz' (antes da banda existir) -- pq blitz é o termo para o ataque dos alemaes na segunda guerra --, que era distribuido nos shows, e 'blitzgrieg bop', uma musica dos ramones. o primeiro palco para os show foi no dancy (escrito errado assim mesmo) meier, um lugar decadente em frente a estação de trem, do lado do cinema, que alguem da turma descolou para shows, aos domingos. isso nao durou nem um ano, seis meses, se tanto. mas fez barulho o bastante pra levar ate gente da imprensa e da zs (como hermano vianna e mauricio valladares) pra ver qualera -- hermano escreveu a primerisisma materia sobre a turma na revista 'pipoca moderna'. nas quintas-feiras, a  turma se encontrava ali perto, no corredor do cine imperator (dava pra fazer street e tudo). só depois, qndo o circo voador foi pra lapa, é que os encontros mudaram de lugar. e a turma aumentou consideravelmente.

o coquetel nunca lançou um disco de fato, embora tenha emplacado musicas na fluminense fm ('odio as tvs', p ex, tocou bastante uma época), o punk rock era sujo demais para o rock brasil, foi abafado. ate o fim de sua vida (em 2005), tatu tentou reunir a banda para gravar um disco oficial. mas tudo o que restou foram cassetes perdidas (eu não tenho nenhuma). sequer uma faixa em coletanea o coquetel teve. ninguem tinha um puto para nada. e, tirando uns poucos shows no circo, como um histórico, em 83, com lobão e ratos -- e um no festival de rock de juiz de fora, junto com lobão, barão e erasmo carlos! --, a banda so tocou em espeluncas obscuras do rio e arredores (nunca tocu em sp). pelo seu próprio espirito anarquico, foi ate natural que isso tivesse acontecido. mais adiante, a mistura com o rap ja começara a acontecer na lapa, que resultaria no que viria a ser o embrião do planet hemp (cujo elo foi o tbm já falecido skunk, que era da turma punk). mas essa, ja é outra história...

Thursday, May 17, 2012

A MULHER QUE VEIO DO ESPAÇO

EU MAL TINHA 10 ANOS QUANDO COMEÇOU A TOCAR LA EM CASA, NUM VINIL DA MAMA, O ALBUM 'LOVE TO LOVE YOU BABY', DE DONNA SUMMER, PRODUZIDO POR GIORGIO MORODER (ABAIXO). ERA ESTRANHO, DIFERENTE, E TINHA UMA MULHER GEMENDO, EU NEM SABIA O PORQUE, MAS CAUSAVA ALGUMA COISA (RS). SÓ BEM MAIS A FRENTE SOUBE QUE ERA DONNA SUMMER. E BEM MAIS A FRENTE AINDA, DESCOBRI QUE ESSA FOI A PEDRA FUNDAMENTAL DA DISCO MUSIC. E QUE EM SUA VERSAO DE PISTA (o primeiro maxi single da historia) ELA DURAVA 18 MINUTOS, SENDO UNS 2 OU 3MINS SÓ DO (SUPOSTO) ORGASMO DE DONNA SUMMER! PARAVA TUDO! -- NOS ANOS 90, O LIL LOUIS COPIOU ESSE ESQUEMA EM 'FRENCH KISS', UMA MUSICA LONGA QUE PARAVA NO MEIO PRA UMA MULHER GOZAR E DEPOIS VOLTAVA AO BEAT --. COM GIORGIO, SUMMER TBM GRAVOU O MARCO DA SPACE-DISCO, 'I FEEL LOVE', EM 77, COPIADA POR 10 ENTRE 10 DJS ATUAIS...


DEPOIS VIERAM VARIAS DANCE TRACKS, DANDO O START DO QUE VIRIA A SER A DISCO MUSIC MUNDO A FORA (AINDA RESTRITA AS CHAMADAS BOATES, DEPOIS AO MAINSTREAM, COM O ESTOURO DO FILME 'SATURDAY NIGHT FEVER', QUE INSPIROU 'THANK GOD, IT´S FRIDAY', NO QUAL SUMMER APARECE COMO ATRIZ), E DONNA SUMMER REINOU NAS PARADAS POP/DANCE POR MAIS DE UMA DÉCADA, ALBUM APÓS ALBUM, TODOS TOP HITS, COM MAIS QUALIDADES E VOZ DO QUE AS LADY GAGA E KATE PERRYS DE HJ, SEM PRO-TOOLS OU TRUQUES DE VOZ (E COM BANDA). NOS ANOS 90 ELA SE CONVERTEU AO EVANGELHO E TIROU DO SETLIST AS MUSICAS MAIS OUSADAS DE SUA ERA DISCO (COMO A PROPRIA ME CONFIRMOU EM ENTREVISTA POR TELEFONE, HA UNS 4 ANOS, QNDO LANÇOU 'CRAYONS' E ESTEVE AQUI PÁRA SEUS ULTIMOS SHOWS NO BRASIL). UMA PENA. SUAS GIGS MAIS RECENTES JA NAO CONTAVAM MAIS COM 'I FEEL LOVE', 'BAD GIRLS' (ELA POSOU COMO PUTA NA CAPA) OU 'LOVE TO LOVE YOU, BABY'.
 R.I.P. DONNA SUMMER
Saturday, May 12, 2012

NYMPHS: MORTOS NA LARGADA


DANDO UMA GERAL NOS VINIS DEPAREI-ME COM O PRIMEIRO E UNICO ÁLBUM DA BANDA NYMPHS, QUE SAIU NO BRASIL EM 1991, APENAS POR CAUSA DO ESTOURO DO NIRVANA, JA QUE ERAM DA MESMA GEFFEN RECORDS E ELES QUERIAM EMPLACAR TUDO O QUE FOSSE ROCK AGRESSIVO NA ÉPOCA. FORMADA EM NEW JERSEY EM 1985, MAS COM CARREIRA TRILHADA PELOS CLUBES DE LOS ANGELES, O NYMPHS FOI CHAMADO DE GLAM PUNK, PELO ESTILO VISUAL E PELAS LETRAS, A MAIORIA DELAS ESCRITAS PELA VOCALISTA INGER LORRE, RAZÃO DO SUCESSO E DO FRACASSO DA BANDA. BONITA, TALENTOSA E TEMPESTIVA, INGERA ERA UMA PRE-COURTNEY LOVE (PELO VISTO, LOVE ROUBOU MUITAS IDEIAS DELA). REZA A LENDA QUE, AO ASSINAR COM A GEFFEN, ELA SUBIU NA MESA E TIMBROU O CONTRATO COM UMA MIJADA. POR CAUSA DE SEU TEMPERAMENTO, A BANDA ACABOU NÃO ACONTECENDO, JA QUE INGER NAO TOPAVA FAZER TUDO O QUE A GRAVADORA MANDAVA. UMA PENA, JA QUE ELES PODIAM TER SIDO GRANDES, PQ TINHAM O QUE ERA PRECISO PARA ISSO.



CURIOSO QUE, APESAR DO UNICO ALBUM DA BANDA SER MUITO BOM (ATE HJ, SÓ TENHO VINIL, JAMAIS ACHEI EM CD), EU SÓ COMEÇAVA A OUVI-LO PELO LADO B, ONDE ESTÃO AS FAIXAS 'SUPERSONIC' E 'SAD AND DAMNED'. ESTA ULTIMA, ACABOU SENDO O PRIMEIRO E UNICO CLIPE DA BANDA, QUE PASSAVA AQUI NA MTV (MOSTRAVA, ENTRE OUTRAS COISAS BIZARRAS, VERMES SAINDO DA BOCA DE INGER, NUMA VERSAO FREAK SHOW DO CHÁ DE ALICE). DEPOIS, ELES AINDA LANÇARAM UM EP E A BANDA ACABOU EM 1992. RECENTEMENTE, INGER ANDOU FAZENDO SHOWS SOLO ONDE APRESENTOU O REPERTORIO DO NYMPHS, E COGITOU-SE ATE UM COMEBACK DA BANDA, QUE, INFELIZMENTE, FOI ABORTADO PELA MORTE DO BATERISTA ALEX KIRST (QUE TOCOU COM IGGY POP, DAI IGGY TER FEITO UNS VOCALIZES EM 'SUPERSONIC'). ALEX FOI ATROPELADO E MORTO NUMA ESTRADA DA CALIFORNIA NO COMEÇO DE 2011. RESTOU-NOS APENAS O UNICO DISCO DO NYMPHS, QUE, GRAVADO HA 21 ANOS, TEM MAIS PUNCH E BALLS DO QUE A MAIORIA DO SISSY ROCK QUE SE FAZ HJ EM DIA. VALE A PENA CONHECE-LO. PARA OUVIR BEM ALTO E, SE DER, CHAPADO (RS)



*NOTEM QUE FOI DIRIGIDO POR TIM POPE, QUE FAZIA OS CLIPES DO CURE...
Tuesday, May 08, 2012

ZIGGY PLAYS... DECKS!!!


Muita gente se espanta quando descobre que eu tbm sou dj. E ha mais de 20 anos! O que não os deixa saber é que, nesta carreira paralela, eu atuava usando pseudonimos (tony the tiger, ziggy), para nao misturar canais. O DJ não tinha nada a ver com o jornalista. Mas, o começo de tudo, vem lá atrás, ainda moleque, quando eu geralmente era o dj de improviso das festinhas, pq achava um saco esperar uma musica acabar e começar outra. No principio, passava do vinil para o cassete (e v-v), nos antigos 3x1, depois passei a usar fitas montadas, com trechos editados na base da fita splice (estas, eu usava para sonorizar campeonatos de skate antes do cd), ate chegar aos toca discos profissionais, em casas como as extintas crepusculo de cubatão e dr smith (rj), aí ja ganhando algum pelo trabalho. No cubatão, comecei por acaso, cobrindo o viajante ze roberto mahr, qndo este nao podia, junto com o luis carlos franco (que nao seguiu carreira). Fiz o mesmo tbm na metropolis, junto com dudu menna barreto. depois, ganhei noite fixa no cubatao (como tony the tiger, alcunha dada pelo philippe seabra, da plabe), junto com paulinho the hunter, a quem batizei de paulo futura, baseado no cabaré futura e num projeto nosso (com hermano vianna), que nao rolou. nestas noites (que variavam entre goth rock e acid house), tbm toquei com outro iniciante, que depois ficou famoso, o dj felipe venancio.

Mas só nos 90s é que a coisa se tornou profissional e dedicada. Aí, entra em cena ziggy (homenagem ao et de bowie), que tem esse nome pq, a principio, tocava um tipo de eletronica 'espacial', uma coisa nova lá da primeira metade dos 90s. era o som trance do inicio, antes de o termo virar sinonimo de farofa, que contava tanto com tunes de moby quanto de the orb. era uma musica muito viajandona e instrumental. quando os chemical brothers apareceram, o som acelerou e, dai em diante (meados dos 90s), criei o site/festa electric head, que começou itinerante em 1995, ate pousar na sala 2 da bunker, em 97, onde ficou até o fechamento da casa, em 2005 (toda sexta). esta fase foi a mais prolifica, com gigs toda sexta na bunker e sábados em raves (que ainda nao eram redutos de playbas), aqui ou em outros estados, como sp, mg e rs. Como ziggy, as vzs faturava mais do que no jornal (mas metade da grana era reinvestida em discos vinil importados) e cheguei a ter musicas incluidas em tres coletaneas diferentes: uma da utter records (feita com leoni, como prisoners), num cd do rock in rio de 2001 (já como dj ziggy) e numa do site bitsmag (esta ultima circulou ate no japao), alem de a galera do b.u.m. ter feito remix para a track 'fall out' e a incluido num cd deles, underground collective.

 Ao contrario dos demais djs, nunca me especializei só num tipo de som. eu simplesmente ia evoluindo junto com a eletronica corrente: trance, big beat, techno, electro e variantes, nunca gostei de gueto, nem de repetição. tem djs que tocam o mesmo som do começo ao fim, por anos a fio. me dá tédio. nas raves, com mais gente, é que caia mais para um tipo de trance (o progressivo), por causa do público. já abri ate pros aliens do sun project. mas nao tocava psy, e sim uma seleção da belga bonzai records, que me mandava discos semanalmente para testar, a maioria sem nome, pq o dono do selo era o yves deruyter (dos space hit 'calling earth', que é fodástica), a quem conheci pessoalmente. Falando em conhecer, lá no começo da internet, segunda metade dos 90s, varios djs gringos vieram tocar na electric head por causa do site: da dupla israelense analog pussy, passando por djs do canadá, nova york, finlandia, londres, e até o pacou da tresor. eu descolava o cache e/ou lugar pra ficar e eles vinham. Foi tbm na e-head que tocaram, pela primeira vez, as djs locais K-milla (hj morando na Holanda) e rave girl (agora estilista), além de amigos como alexey, jay b, roger lyra e tantos mais...

Com o fim da bunker, passei a tocar eventualmente em casas como fosfobox (eletronico em geral), dama de ferro (electro) e matriz (crossover rock/eletronica, estilo dfa). mas, atualmente, com as poucas casas que restaram no rio, dominadas por grupos, onde só rolam festas e djs que fazem parte de uma mesma panela/produtora, fui tirado do circuito. tbm nunca quis fazer parte de agencias (embora ja tenha sido convidado por duas). fui dj como fui skatista: for fun. no momento em que a coisa fica seria demais, vira 'trabalho', salto fora. mas meus decks estao montados em casa e meus discos preferidos (a maioria em vinil) continuam lá, a postos. E estou aqui contando a história, pq senao, ninguém vai ficar sabendo disso -- sempre rolou preconceito pq eu era do rio fanzine/globo, e mesmo livros escritos por coleguinhas sobre djs nesse meio tempo sequer citam ziggy ou a e-head. por outro lado, existiram aqueles q chamavam pra tocar achando q isso garantia nota na coluna (nao garantia). para todos estes, UM SONORO bip!


*fotos de dani bever
Friday, May 04, 2012

ADAM YAUCH: 1964-2012



É com grande tristeza que confirmamos que o músico, rapper, ativista e diretor Adam "MCA" Yauch, membro fundador do Beastie Boys e também da Milarepa Foundation, que produziu o Tibetan Freedom Concert, e da empresa de produção e distribuição de filmes  Oscilloscope Laboratories, faleceu em sua cidade natal Nova Iorque, nesta manhã, depois de uma batalha de quase três anos contra um câncer.

Ele tinha 47 anos de idade. Nascido no Brooklyn, Nova York, Yauch aprendeu a tocar baixo sozinho, ainda na escola, ao formar uma banda para sua festa de aniversário de 17 anos, que mais tarde se tornaria conhecida no mundo inteiro como Beastie Boys. Com os colegas Michael "Mike D" Diamond e Adam "Adrock" Horovitz, o grupo Beastie Boys vendeu mais de 40 milhões de álbuns. Lançou quatro álbuns #1 - incluindo o primeiro álbum de hip hop a chegar ao topo da Billboard 200, o álbum de estréia de 1986, Licensed To Ill - ganhou três Grammys e o MTV Video Vanguard Lifetime Achievement Award.

No mês passado Beastie Boys foram introduzidos o Rock & Roll Hall of Fame, com Diamond e Horovitz lendo um discurso de aceitação de Yauch, que não pôde comparecer á cerimônia. Além de ter participado da criação de álbuns históricos do Beastie Boys, como Paul’s Boutique, Check Your Head, Ill Communication, Hello Nasty e muito mais,  Yauch foi dos fundadores do Milarepa Fund, uma organização sem fins lucrativos dedicada a promover a conscientização e ativismo sobre as injustiças cometidas aos tibetanos nativos pelo governo chinês e forças militares. Em 1996, Milarepa produziu o primeiro Tibetan Freedom Concert no Golden Gate Park, em San Francisco, que foi assistido por 100 mil pessoas, tornando-o maior show beneficente em solo estadunidense desde o Live Aid de 1985. O Tibetan Freedom Concert  continuaria quase uma década seguinte em Nova Iorque, Washington DC, Tóquio, Sydney, Amsterdam, Taipei e outras cidades.

Na sequência do  11 de setembro de 2001, Milarepa organizou o New Yorkers Against Violence, um evento beneficiente encabeçado pelos Beastie Boys no Hammerstein Ballroom, Nova York, com os rendimentos destinados para a New York Women’s Foundation Disaster Relief Fund e o New York Association for New Americans (NYANA), um fundo para refugiados - cada um deles escolhido por seus esforços em nome das vítimas do atentado e com menos probabilidade de receber ajuda de outras fontes.

Sob o pseudônimo de Nathanial Hörnblowér, Yauch dirigiu icônicos vídeos do Beastie Boys incluindo So Whatcha Want, Intergalactic, Body Movin e Ch-Check It Out. Em seu próprio nome, Yauch dirigiu  ano passado o Fight For Your Right Revisited, um video estendido, de meia-hora, para Make Some Noise do álbum Hot Sauce Committee Part Two, estrelado por Elijah Wood, Danny McBride e Seth Rogen como em 1986, Beastie Boys, fazendo seu caminho, em uma aventura, até se depararem com Jack Black, Will Ferrell e John c. Reill como os Beastie Boys do futuro. 

A paixão e talento para o cinema de Yauch levaram-no a fundar a Oscilloscope Laboratories, e, em 2008, ele lançou seu primeiro filme como diretor, o documentário sobre basquete Gunnin’ For That #1 Spot  e, desde então, tornou-se uma grande força na distribuição de vídeos independentes, acumulando um catálogo de títulos aclamados como Wendy and Lucy, de Kelly Reichardt, The Messenger, de Oren Moverman, Exit Through The Gift Shop, do Banksy, Tell Them Anything You Want: A Portrait Of Maurice Sendak de Lance Bangs e Spike Jonze, entre outros.

Yauch deixa sua esposa Dechen e sua filha Tenzin Losel, bem como seus pais Frances e Noel Yauch

*tradução do comunicado oficial do site beastieboys.com

NA CIDADE

NOVEMBERINAS:

Teatro Odisseia 17 – Siriun / Gutted Souls / Obituary (EUA)  21 – Delain (HOL) 26 - Vanguart / Ariella

Teatro Rival 16 – Tempero Carioca 17 - Eddie 22 – Rival Rebolado 23 – Nelson Sargento 25 – Festa Batmakumba: Abayomy 30 - Festival Norueguês: Sondre Lerche / Greni

Teatro Riachuelo 22 – Golden Boys

Casa Julieta de Serpa (Praia do Flamengo) 19 - Paris Jazz & Blues: Marcio Lott & Charles Marot Trio  26 - Paris Jazz & Blues: Carol Fazu

Coordenadas Bar (Botafogo) 05, 12, 19 e 26 – Pedro Baby & Convidados 21 - Sérgio Rocha Blues Band: Homenagem a Celso Blues Boy Estúdio Fórum (Botafogo) 24 - Sexta Infame: PxExNxE (COL) / Blaspherion / Lástima / Baga

Solar de Botafogo 16 – Paulo Malaguti 22 - Andrea Dutra & Cacala Carvalho & Elisa Queirós: Salto Triplo 24 - Kosmus / Aura / Psilocibina 29 – Gabriel Calisman Audio Rebel 17 - Ostra Brains / ‎Whatever Happened to Baby Jane (ES) 18 - Os Chás / Ente 19 - Altair Martins & Widor Santiago & Marcelo Magalhães Pinto & Didac Tiago & Roberto Rutigliano: Homenagem a Miles Davis & John Coltrane

Theatro Net Rio 27 -  Alessandra Verney  29 – Silva Canta Marisa Monte 

Blue Note 16 - Didier Lockwood Trio (FRA)  17 - Antônio Carlos & Jocafi Convidam Ithamara Koorax (20h)  17 e 18 - Amaro Freitas (22h30) 22 - Banda Zil (20h) 22 - Lina Nyberg (SUE) – Participação: Ilessi (22h30) 23 – Quarteto do Rio & Roberto Menescal – Participação: Joyce & Wanda Sá & Pedro Miranda (20h) 23 – Insula (22h30) 24 e 25 - Kenny Garret Quartet  29 e 30 - Ed Motta: Baile do Flashback

Ganjah Lapa 16 - Samba Que Elas Querem 17 - Anjos de Vidro / Mara Rúbia 22 - Conterrâneos 28 – Theozin

Sala Baden Powell 18 – Boca Livre 19 - Fhernanda Fernandes - Participação: Andréa França, Clarisse Grova, Nana Kozak, Ninah Jo, Sandra Duailib 22 – Doralyce & Maracutaia 25 - Augusto Martins & Paulo Malaguti 26 - João Carlos Assis Brasil & Carlos Navas

KM de Vantagens Hall 17 e 18 – Marisa Monte & Paulinho da Viola

Praça da Apoteose 18 e 19 - DNCE / Bruno Mars

Teatro da UFF (Niterói) 24 a 26 – MPB – a Era dos Festivais: Soraya Ravenle & Edu Krieger & Marcelo Caldi & Fabiano Salek & PC Castilho

Planet Music (Cascadura) 18 - Fugindo da Realidade / De Outono / Fall Back / Visceral Fear / We Are The Revenge  25 - For Annie / Ollie / Colorado / Visceral Fear

Imperator 19 - Folakemi / Jesuton / DJ Marcello MBGroove 20 – Mariene de Castro 21 – Terraço do Imperator: Jazz Pras Sete: Pimenta Jazz Trio 22 – Marcio Gomes 23 – Humberto Gessinger: “A Revolta dos Dândis – 30 Anos” 24 – Cidade Negra Canta Gilberto Gil 25 – Terraço do Imperator: Forró Lánalaje: Trio Ventura / DJ Edna Carvalho 25 – Paulinho Moska 26 - Fafá de Belém (com Manoel & Felipe Cordeiro): Guitarradas do Pará 28 – Coral Imperator

Centro de Referência da Música (Tijuca) 16 – Magali 17 – Carlos Uzêda 18 – Ana Costa & Carrapicho Rangel 21 - Dagô 23 – Felipe Adetokunbo 24 – Nina Rosa & Thiago Kobe 25 – Rodrigo Maranhão & Pretinho da Serrinha 29 – Joyce Cândido Canta Elis Regina  30 – Michel Taski O Pecado Mora Ao Lado (Praça da Bandeira) 15 - Acidez (MEX) / Pós-Sismo / Juventude Maldita (SP) / Dissgrama  18 - Sétimo Andar / Circus / Roterdan / Pilfer

Aparelho (Centro) 18 - Second Come 24 - Felipe Zenicola / Marcos Campello / Lucas Pires  Motim (Centro) 24 - Gragoatá / Vitor Milagres / Daniel Villares

Quintas no BNDES 19h - grátis 16 - Karla da Silva 23 - CDR Style 30 - Sergio Santos

Teatro Glauce Rocha (Centro) 16 - Fábrica Orquestra  23 - Alice Passos & Maurício Carrilho  30 - Olivia & Francis Hime CCBB 18 - Madrugada no Centro: Larissa Luz - Participação: MV Bill & Caio Prado / Festas Soul de Santa, Trap'in, QXO  Museu de Arte do Rio 24 - Sarau do Alemão / Rincon Sapiência

Som no Deck T.T. Burger - Leblon 19h - grátis 16 - Os Camelos 23 - Pimenta Jazz Trio 30 - Qinho

BRASIL EM TRANSE: Com curadoria de Ismail Xavier e coordenação da Sociedade Amigos da Cinemateca, em parceria com a Cinemateca Brasileira e o Cinusp, esta Mostra reúne mesas de debate e exibição de filmes que acontece de 16 de novembro a 1º de dezembro, em São Paulo. CINEMATECA BRASILEIRA

Circuito SESC 17 - São Gonçalo: Cassiano & Trio Beija Flor (16h - grátis) 18 - Copacabana: Guilherme Pimenta Trio (16h - grátis) 19 - São Gonçalo: Monarco (16h - R$ 20) 20 - São João de Meriti: Ed Motta SOLO (16h - R$ 20) 24 - Niterói: De Leve (19h - R$ 20) 25 - Madureira: De Leve (17h - R$ 20) 25 - Ramos: Cassiano & Trio Beija Flor (17h - grátis) 25 - São Gonçalo: Bebeto (17h - R$ 20) 26 - Madureira: Dorina (17h - grátis) 26 - São Gonçalo: De Leve (19h - R$ 20) 29 - Tijuca: Marcelo D2 & SambaDrive (19h30 - R$ 20) 30 - Tijuca: De Leve (20h - R$ 20) ______________________________

MIXX: 17 – Santos – Praça XV 17 - Victor Bertrami Quarteto - Participação: Azymuth, Arthur Maia, Robertinho Silva, Kiko Continentino – Casa com a Música / Lapa 17 - Aether / Tempus Fugit – Lona Elza Osborne / Campo Grande 18 - Festival Rock no Parque: Bala N'Agulha / Dona Penha – Arena Dicró / Penha 18 - Wake The Dead Festival: Surra (SP) / Rats / Der Baum (SP) / Nove Zero Nove – Magé Futebol Clube 19 - Surra (SP) / Plastic Fire / Halé / Triunfe – La Esquina / Lapa

25 – Qinho - Ahlma.CC / Leblon 25 - AcaraJazZ: Bondesom / Juliana Linhares / Doralyce – Rio City Lab / Santo Cristo 26 - Alaska (SP) / Hover / Whipallas – La Esquina / Lapa 26 - Cervical / Mari & The GoodFellas / Facing Fear – Calabouço / Vila Isabel 29 - Baculeju da Sandra de Sá – Teatro Glaucio Gill / Copacabana

o MIMO, que chega a Olinda nesse fim de semana (17 a 19 de novembro).   É a última etapa de 2017 do festival – depois de passar por Portugal, Tirandentes, Ouro Preto, Paraty e Rio de Janeiro –, com 44 atrações gratuitas de música, cinema e educação.

Abertura da exposição de fotografias de Raymond Depardon, “Un moment si doux”, no dia 1º de novembro. Depois de passar por Paris e Buenos Aires, o CCBB Rio recebe as 170 fotografias de diferentes cores e formatos tiradas na Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Ate 22 de janeiro. qua-seg 9am-21pm. Grátis.

SHOW SOBREGAL - MARCELA MANGABEIRA Dia: 16 de novembro (quinta-feira) Horário: 20h Local: Teatro Municipal Café Pequeno Endereço: Av. Ataulfo de Paiva, 269, Leblon - Rio de Janeiro, RJ Tel.: 2294-4480

50 ANOS DE CARREIRA: Antônio Carlos e Jocáfi convidam Ithamara Koorax Dia 17 de novembro (sexta) Blue Note Rio – Av. Borges de Medeiro, 1424 - Lagoa   SESSÃO: Sessão: 20 horas

Tropicália ganha exposição tech com livre reinterpretação conceitual Nos 50 anos do movimento, na Galeria BNDES   Os artistas Barbara Castro e Luiz Ludwig, do estúdio Ambos&&, apresentam uma livre reinterpretação dos conceitos do movimento tropicalista à luz da arte e da tecnologia. Com a exposição Vamos Comer, estimulam o público a “devorar” experiências sensoriais e orgânicas, incluindo quatro instalações de arte computacional. Ela está aberta a visitações na Galeria BNDES, no Rio, entre os dias 18 de outubro e 1º de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h

Parque Villa-Lobos/SP recebe SlowKids em 18 de novembro     Evento gratuito busca desacelerar as crianças do universo tecnológico com um dia inteiro de brincadeiras tradicionais, teatro, literatura e música; “Kombi dos sonhos” será uma das novidades desta nona edição

MOSTRA DE CINEMA ARGENTINO CONTEMPORÂNEO VOLTA À CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO EM SUA SEGUNDA EDIÇÃO   Histórias extraordinárias apresenta uma seleção com os melhores filmes recentes do país vizinho. Debates com cineastas e especialistas completam a programação Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2 Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro  (Metrô e VLT: Estação Carioca) Telefone: (21) 3980-3815 Data: de 07 a 19 de novembro de 2017 (terça-feira a domingo)

'Cria', novo espetáculo de Alice Ripoll no grupo Suave, traz 'dancinha', dança contemporânea e funk ao Sergio Porto/HUMAITÁ e ao Centro Coreográfico. o trabalho estreia dia 17 com 10 dançarinos em uma mistura inovadora que também traz a dança afro, o afrofunk, o passinho, contato- improvisação e linguagem teatral de 17 a 20 de novembro de 2017 Horários: Sexta-feira - 21h                 Sábado - 21h                 Domingo - 20h                 Segunda-feira - 21h

O espetáculo “Kid Morengueira – Olha o breque!” homenageia Moreira da Silva (1902 – 2000), o cantor que popularizou o samba de breque, tornando-se um ícone da música brasileira. O samba permitiu a ele criticar, sempre com muito bom humor, os poderosos com seus desmandos, os malandros que conheceu na noite, e os compositores que ajudou a tornar conhecidos. A peça estreia para uma curta temporada no Teatro I do Sesc Tijuca - de 03 de novembro a 03 de dezembro, de sexta a domingo, sempre às 20:00.

Após o sucesso da temporada nos meses de abril e maio desse ano, que passou por sete cidades brasileiras e esgotou em todas as praças, o espetáculo “STOMDUP” de Tom Cavalcante volta para novas apresentações no Rio de Janeiro (dia 01 de novembro, no Teatro Bradesco Rio); Natal (dia 30 de novembro, no Teatro Riachuelo); Fortaleza (dia 01 de dezembro, no Teatro RioMar Fortaleza).

SOLID ROCK: a participação da banda Lynyrd Skynyrd no Solid Rock (Curitiba, Pedreira Paulo Leminski, dia 12/12; São Paulo, Allianz Parque, dia 13/13; e Rio de Janeiro, Jeunesse Arena, dia 15/12) acaba de ser CANCELADA por motivos pessoais da banda. No lugar, Cheap Trick será a banda que fará parte do lineup, junto do Deep Purple e Tesla. Mais informações sobre devolução de ingressos serão divulgadas em breve.

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers