NA COVA DO LEÃO

Saturday, June 25, 2011

PRAZERES SINTÉTICOS


Noite dessas, antes de dormir, assisti a um doc da BBC muito bacana chamado 'Synth brittania', sobre a cena do synth/techno pop bretão, que começou ali, no fim dos 70s, com bandas como OMD, Human League e Joy Division inspiradas pelo som do Kraftwerk (claro), ate chegar nos grandes nomes, que levaram o som ao mainstream, como Gary Numan, Depeche Mode, New Order e Pet Shop Boys. Curioso notar, pelos deps da galera, que, no principio, eles não eram uma cena, como foi o punk, por exemplo. Cada banda vinha de uma parte diferente da Inglaterra e eles não se frequentavam. E pior: a imprensa musical local sempre foi contra e os detonava geral. Quem mais sofreu com isso foi Gary Numan, que acabou sendo banido para a obscuridade, injustamente por ter feito muito sucesso com 'Cars'.

Legal ver os integrantes dos grupos falando sobre a parada hoje (na verdade, o doc foi filmado em 2009) e mostrando que, se não fosse a influencia do Kraftwerk (principalmente dos discos 'Trans Europe Express' e 'Man/machine') e a queda dos preços dos aparatos, fabricados por empresas japonesas (que os separava dos caros paredões usados pela galera do progressivo, que custavam o mesmo que um carro ou uma casa pequena), nada teria rolado. Eles foram a versão eletronica do punk: garotos pobres do interior que compravam um teclado e iam à luta. De suma importancia também o envolvimento de Daniel Miller, da banda The Normal, que, ao fundar o selo Mute Records, só para lançar nomes do synth (como o louco Fad Gadget), revelou Depeche Mode, Yazoo e ajudou a deslanchar todo o resto. Ele é tipo o padrinho da parada (entrevistei Miller séculos atrás para o Rio Fanzine, quando a Mute fez 20 anos) e um cara pra se respeitar.

É isso. Corram nas torrents que o doc tem pra baixar e vale MUITO à pena:
Wednesday, June 22, 2011

A CHINA É AZUL




Lá vamos nós com mais um review de gadget prático. Desta vez, trata-se de mais um aparato chinês, o fone bluetooth para celulares Bluedio AV-890, que, claro, se encontra no camelódromo ou no mercado livre, com preços entre $ 50 (no ML, fora frete) e 70. Fui atrás de um BT Philips, que no shopping custa $250 e ja vi na Uru por $170, mas este estava em falta. Desolee. Ai, na lojinha em que peguei pelicula e capa de silicone pro meu smart, estava lá a paradinha.

É tudo muito simples: vc ativa seu bluetooth, liga a paradinha (do tamanho de um mini pen drive), e ela parea na hora. Atraves dele, vc comanda volume, faixas e outros lances (vide esquema abaixo) de seu cell azulado. O som é ok, sem ruido algum, e vc pode plugar um fone melhor no device se quiser (pq o q vem nao é muito confy e meio grande pra certos ouvidos). Muito leve e prático. Só ainda estranho falar sozinho pela rua, ja q seu fone vira hands free. Infelizmente ele nao parea com o blue tooth do PS3, ja fiz o teste.

Sunday, June 19, 2011

UMA NOITE HISTÓRICA. MESMO

A apresentação de Peter Hook e banda neste sábado, 18/jun, no Circo Voador, foi realmente histórica. Desde o começo, com uma projeção de cerca de 20mins, contando a história do Joy Division/New Order/Factory/Haçienda, até o fato de que, pela primeira vez, tivemos acesso a musicas do repertório do Joy Division que jamais haviamos ouvido por aqui antes, atraves de um integrante original da banda, que ja esteve no país algumas vzs e, com o New Order, no máximo tocava 'Love will tear us apart', como na mais recente vinda. Hook está viajando com a turne comemorativa dos 30 anos de lançamento do primeiro álbum do Joy Division, 'Unknown pleasures', que foi tocado na integra e na ordem; álbum do qual ele fez parte intensamente como integrante original da banda, compositor e, principalmente, como o criador das linhas de baixo soturnas que viraram marca registrada do JD e da dark wave. O fator histórico se deu até pela musica que precedeu a entrada de Hook e banda The Light (que conta com seu filho, Jack, no baixo) em cena: 'Trans Europe Express', do Kraftwerk, banda que influenciou o Joy.

O fator histórico continuou pq, antes de começar o álbum homenageado, Hook tocou tres early tracks do JD, incluindo 'Digital (day in/day out'), quase dando pra ver a sombra de Ian Curtis no palco. Depois, apareceu na tela o famoso desenho iconico da capa de 'Unknown pleasures' (que muita gente usa em camisetas hj em dia sem ter ideia do q se trata) e, a partir da faixa de abertura, 'Disorder', veio a sequencia que se ouvia sem parar no escuro do quarto (incluindo 'New dawn fades', q ja foi ate regravada pelo Nine Inch Nails). Quando chega o momento da dobradinha 'She´s lost control'/'Shadowplay' (esta, recentemente regravada pelo Killers), parte da plateia é tomada pela dança epiléptica do falecido Curtis, que influenciou a do também defunto Renato Russo, entao, a sequencia se encerra com 'I remember nothing', que deixa aquele rastro deprê, originalmente com o ruido de vidros se estilhaçando no final.

Pra noite nao acabar tao dark e pra baixo (no Circo, neguinho quer dar mosh até em show de blues), Hook volta para um adendo com mais uma rodada de singles do Joy, incluindo 'Atmosphere', 'Ceremony', 'Transmission', 'These days' e o hit postumo de Curtis, após 'Closer', a já clássica 'Love will tear us apart' (mil vzs regravada por aí), que encerrou a noite numa dança coletiva esfuziante, deixando de lado os eu clima melancólico, apesar de fazer muita gente ficar com lágrimas nos olhos. Apesar de fanfarrão, Hook nao é nenhum picareta, ele tem direitos nestas músicas e nós tivemos a oportunidade unica de ouvir as canções do Joy que jamais teremos a chance de ouvir de novo atraves de um membro original. Agora, só se ele voltar às boas com o restante do New Order e fizerem a tour comemorativa do sensacional 'Power, corruption & lies', que ja ja estará também completando 30 anos. Eu estarei lá, dançando loucamente ao som de 'Blue monday', sem a menor culpa =)
Sunday, June 12, 2011

NO HAY BANDA!


No começo do ano, o cineasta David Lynch gravou um single de musica eletronica, "Good Day Today", junto com o DJ ingles Rob da Bank (lançado recentemente) e, no momento, ele esta completando as gravações de um disco inteiro só de techno music. A previa do trabalho aconteceu no International Music Summit, em Ibiza, no final de maio. Não bastasse isso, Lynch agora está se preparando para lançar em Paris o CLUB SILENCIO, uma clara referência ao filme «Mulholland Drive», e ao estranho clube que aparecia na obra onírica. Situado na zona de Faubourg-Montmartre, o clube tem o design criado pelo próprio Lynch (que desenhou os moveis). Ele vai ser inaugurado em setembro. Mas não será um clube comum, só com pista de dança e bar. No Silencio, Lynch projeta décor e móveis para uma sala de cinema, um espaço de shows, uma galeria de arte, restaurante e, claro, um bar. Infelizmente, Será um clube privativo, só para sócios.

Wednesday, June 08, 2011

A FORÇA DE UM PRODUTOR


Um disco é tão bom qnto a mão de seu produtor. O inverso ocorre, também. Na semana passada, um destes produtores que fazem diferença, o inglês Martin Rushent, se foi. Responsável pelos primeiros (e irretocáveis) discos dos Stranglers, o primeiro do Altered Images (que eu estive reouvindo mes passado e chapei com a qualidade e atemporalidade) e o clássico 'Dare', do Human League, entre outros, Rushent começou a carreira nos anos 1970 como engenheiro de som e passou a assinar discos no final daquela década, com 'Rattus norvegicus', o primeiro do Stranglers (e um clássico do punk rock). Na época, ele tbm produziu Buzzcocks e 999, até que, em 1980, veio 'Dare', que criou alguns dos parametros para o synth pop dos 80s.

Eu sempre comprei discos pelo conjunto de obra: a banda, a gravadora e o produtor. Foi assim que encarei Joy Division (que nao seria nada sem a produção do também falecido Martin Hannet, Ian Curtis à parte) e New Order (que nao teria identidade sem a arte de Pete Saville), que davam o diferencial que os separavam dos artistas mainstream, criados em reuniões pelas grandes gravadoras. Vc tbm podia comprar discos da 4Ad e beggars banquet quase no escuro, levando em conta estes critérios. O ultimo trabalho de Rushent foi para o álbum de estreia da detonante banda Does it Offend You, Yeah?, cujo guitarista, James, é seu filho. R.I.P.
Thursday, June 02, 2011

UNCANNY X-MEN!

Os dois primeiros capitulos dos X-Men do Bryan Singer foram dos melhores filmes de super herois que ja vi ate hj: muito benfeitos, roteirizados, dirigidos e atuados. Era cinema, além do genero. Se o terceiro decepcionou um pouco, e o 'Wolverine: origins' foi bem ruinzinho, o novo filme da saga, 'X-men first class' traz de volta toda a qualidade dos filmes de Singer, com uma maior dose de nerdice e clima de gibi, que o diretor ingles Matthew Vaughan (do sensacional 'Kick-ass') sabe fazer muito bem. E já é um dos melhores filmes (de heroi ou não) do ano.

O nome em ingles refere-se ao fato de o filme contar a historia da origem dos X-Men (dai o primeira classe, como em turma escolar), desde a infancia/juventude de Xavier e Magneto, e de como um fator determinante na amizade entre eles criou uma cisão entre o grupo de mutantes que perdura ate os dias atuais. Tudo se passa na época em que os X-Men chegaram aos gibis, os anos 60, e o pano de fundo é a crise dos misseis de Cuba, que quase provocou a terceira guerra mundial, guiada por Russia e Estados Unidos. Por isso, tem aquele clima sixties dos primeiros filmes de James Bond e a tecnologia ainda está em desenvolvimento.

O roteiro é tao bem amarrado que torna o filme tenso e sem nenhuma cena dispensavel em suas duas horas de duração. É um filme de ação, um drama de época, de espionagem, de super heróis, é um filme formidável, independentemente de genero. E as atuações de James McAvoy (o jovem Charles Xavier) e Michael Fassbender (o angustiado Magneto) são as cerejas desse bolo muito bem confeitado e que, para felicidade geral, não foi rodado em 3D.

Wednesday, June 01, 2011

CHAMADA GERAL GERACAO ELETRONICA

cLIQUE NA IMAGEM PARA INFORMAÇÕES SOBRE O WORKSHOP,,,

NA CIDADE

JANEIRO TEM DUAS FACES:

CASAS & SHOWS: Circo Voador 19 - Samba Rap Festival: Elza Soares / Karol Conka 20 - Samba Rap Festival: Emicida / Jongo da Serrinha / Bateria da Império Serrano 25 - Phoenix (FRA) 26 - Vanessa da Mata / Fióti / DJ Incidental 27 - Barão Vermelho

Fundição Progresso 19 - BaianaSystem 20 - Tim Music no Samba: Xande de Pilares & Mumuzinho - Participação: Bateria do Salgueiro 26 – Johnny Hooker / Letrux 27 - Nando Reis

Teatro Odisseia 21 - Radnor With Lee (EUA) 28 - Demon Hunter (EUA) / Pantokrator (SUE)

Teatro Riachuelo 16 - Leila Pinheiro: Voz & Piano 23 - Ed Motta: Baile do Flashback 30 - Laila Garin & A Roda

Teatro Rival 20 - João Bosco: Voz & Violão 25 - Angela Ro Ro 26 - Bloco Sargento Pimenta 27 - Geraldo Azevedo: Voz & Violão

Audio Rebel 16 - Adaury Mothé Trio 17 - Rafael Rocha Quinteto 28 - N.D.R. / Triunfe / Dissonância 29 - Ana Baird & Camila Costa: Perigosas

Espaço Sérgio Porto 18 - Sinara 25 - Karine Carvalho: Galega Hits

Sala Baden Powell 19 - Sempre Livre / Sylvinho Blau Blau / Dr. Silvana & Cia. 20 – Nelson Sargento 21 – Banda do Síndico 24 - João Donato - Participação: Carlos Lyra & Roberto Menescal & Marcos Valle 25 - Mario Adnet: Jobim Jazz 26 – Marcos Ariel 27 – Cris Delanno 28 - Azymuth

Beco das Garrafas 17 - André Gonçalves 18 - Lu Oliveira 19 - Georgiana de Moraes & Fernanda Cunha & Camilla Dias: Homenagem a Vinicius de Moraes (20h) 19 - Joyce Cândido: Homenagem a Elis Regina (22h30) 20 - Hélio Delmiro (21h) 20 - Maíra Freitas & Taís Feijão (22h30) 21 - Dóris Monteiro 24 - Rosana Sabença 25 - Conexão Rio: Homenagem a Tom Jobim 26 - Amanda Bravo: Homenagem a Durval Ferreira - Participação: Paulinho Trompete, Mauricio Einhorn, Rosana Sabença, Billy Blanco Jr., Thaís Fraga 27 - Hector Costita & Joseval Paes 31 - Maria Luiza

Casa de Cultura Laura Alvim 16 - Dani Black 21 – Pedro Mann 23 - Davi Moraes 28 – Qinho Canta Marina Lima 30 - Matheus VK

Teatro Café Pequeno 18 – Verônica Sabino 25 – Elisa Queirós

Blue Note Rio 16 - Big Gilson 17 - Roberto Menescal 18 - Gabriel Moura 19 - Daniel Jobim & Daniel Boaventura: Homenagem a Tom Jobim & Frank Sinatra 20 - MPB-4 23 - Escalandrum (ARG) 24 - Mayer Hawthorne (EUA) 25 - Wanda Sá & Gilson Peranzzetta & Mauro Senise: Homenagem a Tom Jobim & Vinicius de Moraes

KM de Vantagens Hall 19 – Molejo & É O Tchan – Participação: Ludmilla 20 - Ney Matogrosso: Atento aos Sinais

Imperator 23 - Jazz Pras Sete: Chico Costa & Quarteto Artilheiro 24 - Quartas Brasileiras: Cordão da Bola Preta 27 - Forró Lánalaje: Marcelo Mimoso Trio / DJ Edna Carvalho 28 - Bloco Pipoca & Guaraná 31 - Toquinho: Voz & Violão - Participação: Camilla Faustino

Centro de Referência da Música (Tijuca) 17 - Ellen de Lima & Reginaldo Bessa: Homenagem a Lamartine Babo 18 - Rosa Marya Colin - Participação: Jefferson Gonçalves 19 - André Gabeh 17 - Eduardo Dussek 24 - Quinteto em Tom Maior 25 - Rosane Corrêa: Homenagem a Ella Fitzgerald 26 - Daíra: Homenagem a Belchior 31 - Ana Egito

Baile do Digitaldubs - HUB (Santo Cristo) 21 - Cedric "The Congos" Myton (JAM) 28 - Mad Professor & Aisha

Música no Deck - Barraca do Pepê (Barra da Tijuca) 20 – Filipe Ret 21 – Kell Smith 27 – Um 44k 28 – Luiza Possi Barra Blues Festival 26 - Sergio Diab Stratoman / Projeto Soul Jazz / Ana Egito / Alamo Leal Blues Groover’s / Corcel Mágico 27 - RJ Café / UniJazz Brasil / The Blue Fever / Sergio Rocha / Serra Blues Trio 28 - André Barroso / WestSide Blues / State of Blues / Victor Biglione Festival Downtown Sunset - Shopping Downtown (Barra da Tijuca) 20 – Gabriel O Pensador 27 – Biquini Cavadão

Rio Rock & Blues - Rock Experience (Lapa) 19 - Titanossauros / Conexão Japeri 20 - Love & The Lovers / The Loreleis 26 - The Smiths Cover 27 - Pedro Santana Trio / Elemento Surpresa / A Bolha Revisited

Circuito SESI 24 - Centro: Fhernanda Fernandes - Participação: Nana Kozak, Sandra Duailibe, Clarisse Grova, Ninah Joh, Andréa França

MIXXX: 17 – Matheus VK – Teto Solar / Botafogo 19 - Maratona Black - Baile Charme – Gafieira Elite / Centro 19 - O Rappa: Tour de Despedida – Quadra da Mocidade / Padre Miguel 20 - Festival Rock in Brisa 4: 90 Contos / Cosmobox – Espaço Tequila´s / Guaratiba 20 - Playmobille / Tem Amor – La Esquina / Lapa 20 - Indivíduo K / Cândido / Banheiro Azul – O Pecado Mora ao Lado / Praça da Bandeira 21 - Aniversário de 57 Anos do Cacique de Ramos 21 - Festival Lona Rock Sunday: Memora / The Outs / Corcel Mágico – Lona Terra / Guadalupe 21 - Lu Oliveira – Praia de Conceição de Jacareí / Mangaratiba 26 - Laurent Garnier (FRA) 26 - Bloco do S Convida KL Jay – Fosfobox / Copacabana 27 - Slide / Sollarium / Fresno / Glória / Strike - Clube Tamoio / São Gonçalo 27 – Matanza – Arena Fernando Torres / Parque de Madureira 27 - Visibilidade Transvestigenere - Beco Encantado: Mulher Pepita & MC Xuxu – Beco do Rato / Lapa 28 - Festa Divina Circus: IZA – Clube 4 Linhas / Bento Ribeiro 28 - Bloco Eficiente: Inclusão Se Faz Com Várias Mãos – Praça Paris / Glória 28 - Facing Fear / Stuff / Cidade Nua – Rock´N Beer Pub / São Gonçalo

exposição de fotografias de Raymond Depardon, “Un moment si doux”. Depois de passar por Paris e Buenos Aires, o CCBB Rio recebe as 170 fotografias de diferentes cores e formatos tiradas na Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Ate 22 de janeiro. qua-seg 9am-21pm. Grátis.

FESTIVAL DE CULTURA DIGITAL: De 18 a 20 de janeiro, quinta a sábado, acontece no CCBB RJ DIGI – Festival de cultura digital, uma mega programação que inclui imersão, reflexão e diversão. Tem até shows geek. quinta, 19 de janeiro, às 21h, apresentação da orquestra Ritornello de Jedi, com repertório de trilhas musicais de videogames, séries e desenhos, com cordas e vozes, e arranjos exclusivos. O objetivo é dar acesso à formação clássica com temas musicais do cotidiano. sexta, 20 janeiro, às 21h, é a vez de The Screeners, banda que faz releituras rock ’n’ roll de trilhas sonoras clássicas do cinema, de videogames, séries de TV, desenhos animados. É tudo grátis, das 9 às 21h.

MOSTRA NA CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO EXIBE O CINEMA DE HAL HARTLEY Programação reúne todos os 14 longas do diretor americano, além de debate, sessões comentadas e um curso de roteiro cinematográfico de 23 de janeiro a 4 de fevereiro de 2018 (terça a domingo)

O Ministério da Cultura, o Centro Cultural Banco do Brasil e a Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro apresentam a 14ª Mostra Melhores Filmes do Ano Além das exibições dos filmes, a mostra traz homenagens e catálogo especial com textos sobre os filmes e as iniciativas cinematográficas que fizeram a diferença em 2017 De 24 de janeiro a 1 de fevereiro
PROG IN BRASIL: Carl Palmer, Premiata Forneria Marconi, estarão no Brasil em 2018, se apresentando nas cidades de Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo, como parte da Top Cat Concert Series 2018. Os italianos do Premiata Forneria Marconi CHEGAM EM ABRIL. O grupo de rock progressivo, formado em 1971, vem lançar seu novo álbum 'Emotional tattoos', e também vai tocar seus clássicos. Maio vai trazer o baterista do Emerson, Lake & Palmer e também do Asia, Carl Palmer, com seu tributo ao ELP.Show promete surpresas com algumas participações especiais de peso.

No dia 24/jan, começa no CCBB SP a mostra Sonora: Ennio Morricone, que homanageia o maestro no ano que completa 90 anos. Ao todo, serão exibidos 22 filmes que têm a marca musical do maestro.

Nico Rezende fará show em homenagem a Chet Baker dia 26/01 no Blue Note. Aliás, esse ano completa 30 anos da morte do Chet!!! 2018 marca o trigésimo aniversário da morte de Chet Baker. Nico Rezende presta homenagem ao trompetista no palco do Blue Note Rio, no dia 26 de janeiro (sexta), para apresentar alguns clássicos imortalizados por Baker. Estão no programa canções como ‘Time after time’, My funny valentine’ e ‘There will never be another you’.

RU PAUL´S DRAG RACE TOUR: Em 2018, as drag queens de RuPaul's Drag Race vão levar a turnê oficial do reality-show, WERQ THE WORLD TOUR, para a terra do “Come to Brazil”! Michelle Visage vai comandar a apresentação no Brasil e todos os shows contarão com performances ao vivo de algumas das drag queens mais inesquecíveis de RuPaul's Drag Race, entre elas, as recém-divulgadas participantes da terceira temporada de All Stars, Shangela e Kennedy Davenport. Outras fan favorites devem marcar presença, como Detox, Kim Chi, Violet Chachki, Valentina e Peppermint. Ainda haverá um pré-show com DJ set e performance de Lady Bunny, a drag queen que é uma lenda da cena noturna de Nova York. 23/FEV TEATRO BRADESCO/RJ

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers