Pages

Wednesday, June 27, 2007

PHOTOS

Algumas fotos de minha recente andança en la ciudad de los angeles de california (não sou muito de fotografar, então, contentem-se):

1- A praia de Santa Monica (o Pacífico ao fundo), vista de minha janela. Imagine Ipanema sem camelô, sem cachorro, sem cocô, sem pivete. É isso. Mas não é tão legal (rerere). Faz um frio danado o ano todo.

2-O homem, a lenda, o mito: John Travolta. Tirando a cientologia, o cara é gente fina pacas. Ele faz o papel da gorda Edna Turnblat (feito antes por Divine) no musical "Hairspray" (aqui, em setembro)

3- Fachada da galeria La Luz de Jesus, point da arte alternativa em geral, em North Hollywood. Ela funciona junto com a loja Wacko, onde se acha tudo qnto é tipo de tralha pop, de toy art a bonecas da Jenna Jameson.


4- John Krasinski, o carinha do Office US (Jim), que vem aí numa comédia romântica, "License to wed", com Mandy Moore (esta não pude fotografar) e Robin Williams. Estréia lá no feriadão da semana que vem...

5- E o parquinho do pier de Santa Monica, um mafuá simpático com roda-gigante e montanha-russa, que funciona todas as noites no verão.
Tuesday, June 26, 2007

Sábado som


Não sei pq, mas sábado, pra mim, qndo moleque, sempre foi o dia em que ia nas lojas de discos checar as novidades, encontrar amigos, trocar idéias etc. Fazia muito isso na Modern Sound, Gramophone e, principalmente, numa lojinha que tinha no postos seis (copa) cujo vendedor era o falecido Zé Ramone, que sacava tudo de música (meio como os caras do alta fidelidade). No sábado passado tive essa sensação de volta qndo fui na imensa Amoeba Music de Los Angeles. nem sei dizer se ela é maior do que a original de San Francisco, mas é grande paca. Mas era sábado, a loja tava cheia, foi bacana ver toda aquela gente ainda se importando em comprar cds e vinis (que estao voltando com força total, principalmente os singles), cada um no seu corredor espécifico com o visual de seu estilo (galera de preto na area industrial, cabeludos na metal, indies idem etc e tal). Dizem que a chegada da Amoeba a L.A. causou um efeito Wal-Mart nas lojinhas da cidade, que fecharam aos montes. Mas, pra quem tem fetiche por disco e música como eu, é uma beleza poder circular (e enlouquecer, pq dá vontade de levar tudo) naqueles corredores. Essa é a hora em que gostaria que a música vendida a varejo não acabasse...
Sunday, June 24, 2007

não-pod


Nada tenho contra a apple, não. até acho legal a filosofia da empresa, embora me incomode um pouco o clima hippie/new age de steve jobs, esse lance de ser tudo branquinho e coisa e tal. o que me chateia mesmo é a onipresença e o monopólio do i-pod como tocador de mp3 universal. digo isso pq tentei comprar em l.a. perifericos para meu zen vision (como fones extras ou o cabo a/v) e não encontrei. nas lojas só dá trecos para o produto apple. um vendedor da circuit city me disse para comprar os lances da creative pela internet, pq, embora eles vendam os aparelhos da marca, nao tem nenhum periferico nas lojas. ate no quarto do hotel tinha despertador com dock para i-pod. meu zen ate encaixou, mas nao ligou. tentei comprar uma base com falantes bose, mas so serve para apple. que saco. se o i-pod fosse o melhor produto, ok. mas nem isso. o i-pod video tem resolução quatro vzs menor que o zen vision, e este ja vem com tudo incluido no preço: microfone embutido, receptor fm. para vc ter isso no i-pod tem que comprar perifericos que custam de 50 dolares pra cima (fora os 250 q vc ja pagou na traquitana). ou seja, pra ter um i-pod completo vc gasta uns 500 dolares. e assim o sr jobs fica mais rico pregando uma filosofia, ahn, zen. ate mesmo a sony (que qndo reinava absoluta com seus walkmans nao era assim) faz coisa melhor. trouxe um tocador mp3 flash pra pedalar e fazer ginastica com 2 giga, display oled, fm, cronometro, contador de calorias e passos, relogio etc, por apenas 70 dolares, dez a menos do que um i-pod shuffle, que nao tem nada, nem visor, e só 1 giga! mas os otarios preferem usar a marca que todo mundo usa do que atentar para os recursos. uma pena. o cumulo foi, numa das entrevistas que fiz, uma japonesa do meu lado ficar fascinada com meu zen que fazia tudo, sem usar fio ou periferico algum. ela tava usando gravador com fitas!!! na boa, pra mim, o i-pod só é mais bonitinho. pq até a bateria deles é uma porcaria (aposentei meu mini menos de dois anos depois de comprado e desisti dos aparelhos apple). saí da multidão e tô fora dos branquinhos. thanks, but no thanks, mr. jobs...
Wednesday, June 20, 2007

fantastic surfer


fas de hqs ou não sabem que o primeiro filme do quarteto fantastico foi um engano (bom, só não foi pior do que o da elektra). era ate meio engracadinho, mas muito fraco como filme de super heroi e vagabundo nos efeitos (sem contar as atuações pessimas). mas fez grana e garantiu a segunda parte. assisti no meu day-off (como é bom ter cinema que começa as 11 e tem sessao a 1am tbm, ai da pra escolher). dei sorte de ter perto de mim uma sala que exibia em projeção digital com som dolby digital certificado thx. e sem fila, apesar de ser a estreia da semana e top do box office. foi show. mas quem dá show mesmo na tela é o surfista prateado (que tem a voz de laurence fishburne, já que é todo em cgi), o filosofo do universo. o batedor de galactus é a melhor coisa do filme. a principio, ele é um vilao, ja que vem abrindo caminho para a destruição. mas, depois que toma contato com os terraqueos, muda de ideia. nisso, o filme é fiel ao quadrinho original dos ff. mas galactus nao aparece como aquele ser meio viking dos gibis. é apenas uma imensa força cósmica, tipo um buraco negro ambulante. no mais, o filme é pouco menos vagabundo, mas tem dialogos imbecis (para garotos menores de 12 anos, é PG) e as atuacoes do sr fantastico e jessica alba continuam constrangedoras. mas o surfista faz tudo valer a pena. ate aplaudiram no final...

LAX-MIA-GIG


Pois então, fui a l.a. fazer uns lances de cinema e fiquei cinco dias em sta. monica, cuja temperatura ta igual a daqui, solzinho, nuvens, cerca de 22 a 25 graus. foi minha quarta vez em los angeles e confesso que ja gostei mais da cidade. hj em dia me incomoda a breguice, o artificialismo e o fato de nao se poder fazer nada a pé, só de carro. a vida inteira das pessoas é sentada, dirigindo. ainda q os carros e as freeways sejam uma maravilha, nao conseguiria viver assim. consegui fazer alguma coisa a pé pq tava perto do promenade, uma area de hoteis, turistica, com ruas de pedestres e a borda da praia pra se andar ou pedalar. mesmo assim, saindo dessa area, os carro-passantes me viam como ameaça, já que vc só vê andando a pé mendigos, malucos e tipos sinistros (ou então, chicanos esperando os onibus). pedestre em l.a. é alien. tive que pegar taxi uns dias e foi um sufoco. alem de caros, pq qq distancia é muito longe (tipo, um bairro qualquer é maior que toda a zona sul carioca), os motoristas sao energumenos despreperados (tudo borat, armenios, russos etc), que nao conhecem a cidade, nao sabem usar o gps, nem ler mapas (sequer sabem usar a maquineta do cartao de credito!). eu tive que praticamente guiar um destes imbecis ate onde eu queria ir e quase perdi um compromisso de trabalho. é um perrengue que custa caro, mas nao tive opção (metro lá vai do nada ao lugar algum). ainda bem que tenho um amigo morando lá e passei um dia off com ele e pude ir a lugares como a amoeba records, pelo menos. alias, na sexta teve showcase dos noisettes na amoeba (tava trabalhando e perdi) e nessa segunda os white stripes transformaram a extinta tower records da sunset em icky thump records e fizeram um show de graça a meia-noite. mas, nessa hora, eu ja tava voando de volta. contudo, trouxe o nme com um single em vinil deles. resumindo: já gostei mais dessa cidade. hj, nao tanto. nos eua hj em dia só presta nova york, onde as pessoas sao um pouco mais inteligentes e menos roboticas. e onde se anda a pé, de onibus, taxi e metro numa boa. e, praia por praia, as daqui dão de mil nas da california. e as garotas, também. crime? bom, teve dois drive-by shootings em tres dias. o pior daqui é ver criança no sinal, o que prova que somos terceiro mundo enquanto nao resolvermos isso...

*na foto, as colinas de Hollywood vistas da sacada de um hotel em Beverly Hills (se fosse no Rio, seria o Cristo visto de Copacabana :-))
Tuesday, June 19, 2007

GIG-MIA-LAX


ESTA FOI MINHA ROTA DE VIAGEM. JÁ JÁ CONTO MAIS DETALHES PRA VCS. AINDA ESTOU MEIO (CON)FUSO. CYA...

*essa foto acima foi tirada no Tar Pit, fosso de piche pré-histórico que fica em La Brea, bem no meio da cidade, onde viviam os mamutes. Nesse lugar tbm se passa uma das cenas do filme "The last action hero", com o Governator Arnold Schwarzenegger.
Saturday, June 09, 2007

Sarah is magic


Ninguém a conhece por aqui. A não ser aqueles que viram o filme “Escola de rock” e notaram que aquela garota reclamona de voz chatinha era um bocado interessante. Mas, no meio do humor nos Estados Unidos, Sarah Silverman reina absoluta. Até porque, é uma raríssima comediante feminina num mundo dominado, sobretudo, por comediantes machos negros e, principalmente, judeus. Bom, judia ela é. Desbocada, também. Mas Sarah Silverman é cool. Por isso, foi chamada para apresentar o MTV Movie Awards 2007, que a filial brasileira exibe neste domingo, às 17h. A princesa judia pode dizer as maiores barbaridades com aquela carinha de santa do puta que tem. É dela, por exemplo, os momentos mais podres do documentário “The aristocrats”, sobre a piada mais engraçada (e) suja do mundo, que só os comediantes contam entre eles.

E é com seu jeitinho feminino e legal que ela desanca Paris Hilton, por exemplo, na premiação da MTV. Ela diz: “Para fazer Paris Hilton se sentir mais confortável na prisão, os guardas pintaram as barras como se fossem pênis” (risos gerais). E então, arremata: “Me preocupa que ela possa quebrar os seus dentes nisso”. Daí, a câmera pega Paris, sem ter onde enfiar a cara. Depois, Sarah volta as suas atenções para Jack Nicholson, que concorreu (e ganhou) na categoria melhor vilão (pelo gângster irlandês Costello, em “Os infiltrados”, de Martin Scorsese). “Jack, eu te adoro. Você esteve em todas as minhas atrizes favoritas”, diz ela para um Jack Nicholson que ri sem jeito.

Quem quiser conhecer mais deve baixar "Jesus is magic", filme que capta uma apresentação stand-in dela, ou a primeira temporada de “The Sarah Silverman program”, atualmente em exibição no Comedy Central, que é uma espécie de versão feminina do “Curb your enthusiasm” de Larry David, com ela sendo ela mesma.
Recentemente, Sarah ficou na posição 29 da lista de mulheres mais quentes do ano da revista masculina “Maxim”. Pela foto acima, nota-se que, além de cojones, a mulher tem peito (rs)
Monday, June 04, 2007

A musa do fânqui


Nao sei se vcs viram o papo com a Priscila Nocetti que saiu no Rio Fanzine. Como sei que tem alguns coveiros que são fãs, aqui vai outra foto e parte da entrevista:
— Meu tempo é todo apertado e marcado — diz Priscila, com a sua vozinha fina (ela que ligou, pra não passar o celular). Todo dia faço um programa de rádio (de manhã, na 107 FM de Petrópolis, pega na ZN e ZO), depois gravo o programa de TV, malho e vou pra faculdade. E tem baile também em alguns dias de semana. No sábado, fico até cinco da tarde no curso, durmo e acordo pra ir pro baile. Só no domingo fico de folga. E aí, durmo a tarde toda.

A garota tem fôlego. Até para cantar, que, revela, não é o que mais gosta de fazer.
— Na verdade, não penso muito nisso (cantar) não, sabe? Porque gosto mais da parte de apresentadora. Canto mais pra brincar, interagir com o público. Coloco umas duas músicas em cada CD da Furacão, mas não penso em ter um disco solo. Na verdade, tenho um projeto de lançar um CD para crianças (oh, o clichê). Aí, botarei coisas minhas.

O tal curso que Priscila faz nos sábados à tarde faz parte da faculdade de direito.
— Tô no oitavo período da faculdade de direito. Quero ser juiza, é um sonho meu.

Mas, e aí, quando se formar, vai largar a calça da gang do funk pela toga de juiza?
— Acho que terei de parar com tudo por um tempo, porquê, para ser juíza, tem que passar um tempo como advogada, fazer a prova, estudar bastante. Só depois que passar é que eu vejo isso (manter a carreira), porque ainda faltam alguns anos. Mas não pretendo largar totalmente meu lado artista, não. Tentarei conciliar as duas coisas.

Pri, que já curtia os bailes antes de virar namorada de romulo costa e ocupar o trono que outrora foi da mae loura (a atual vereadora veronica costa, que continua no mundo funk com a equipe gamurosa), diz aque hoje se sente a vontade no, digamos, cargo.
— eu ja curtia alguns bailes, curtia as matines, mas nao conhecia o mundo do funk. depois que entrei, primeiro fui modelo para as capas de cds da furacao, nem queria fazer tv. mas o romulo (com que está ha cinco anos) insistiu. a primeira vez que gravei um teste, eu chorava, nao conseguia falar. no baile, ficava muda. mas o romulo insistiu, porque ele achou que eu tinha carisma. agora ja me acostumei.


Saturday, June 02, 2007

Toy art virou moda


O que eu já faço há um tempão, colecionar bonecos de artistas japoneses ou alternativos (e tbm bonecos de filmes e desenhos favoritos), de repente virou moda. e agora chamam de toy art. por isso, o preço dos toys lá fora inflacionou. se antes se comprava bons bonecos por cerca de 10, 12 dólares, agora eles começam na casa dos 30 e vão até o céu. a ultima vez que tive em ny, lojas como toy tokyo e kid robot estavam em expansão. a segunda, que é mais sofisticada e tem endereço no soho, abre filiais a cada mês pela américa. a primeira é mais bagunçada e a gente acha de tudo. em são paulo abriu essa semana um toy bar nos jardins, todo decorado no estilo. o pior dessa moda é que agora qq picareta faz um boneco troncho, bota numa butique por preço alto e chama de "toy art". já vi cada coisa medonha aqui no rio que dá até vontade de entrar e sacanear quem fez ou tá vendendo. basta fazer um boneco de plush com olho vesgo e lingua de fora (ou dentuço) e pronto, toy art. ridículo. o conceito é diferente disso. vem de artistas japas ou americanos, como baseman, kozik e cia, que passaram a dar forma tridimensional (em vinil) a seus desenhos estranhos e as vzs bizarros. Essa parada vai ficar ainda mais forte com o tempo. Acho q vou vender os meus no ebay (como esse da foto, do steven house, só que o meu é laranja) e faturar alguns trocados, já que virou alta arte (rs).

NA CIDADE

NOVEMBERINAS:

Teatro Odisseia 26 - Vanguart / Ariella

Teatro Rival 22 – Rival Rebolado 23 – Nelson Sargento 25 – Festa Batmakumba: Abayomy 30 - Festival Norueguês: Sondre Lerche / Greni

Teatro Riachuelo 22 – Golden Boys

Coordenadas Bar (Botafogo) 05, 12, 19 e 26 – Pedro Baby & Convidados 21 - Sérgio Rocha Blues Band: Homenagem a Celso Blues Boy Estúdio Fórum (Botafogo) 24 - Sexta Infame: PxExNxE (COL) / Blaspherion / Lástima / Baga

Solar de Botafogo 24 - Kosmus / Aura / Psilocibina 29 – Gabriel Calisman

Theatro Net Rio 27 -  Alessandra Verney  29 – Silva Canta Marisa Monte 

Blue Note 22 - Lina Nyberg (SUE) – Participação: Ilessi (22h30) 23 – Quarteto do Rio & Roberto Menescal – Participação: Joyce & Wanda Sá & Pedro Miranda (20h) 23 – Insula (22h30) 24 e 25 - Kenny Garret Quartet  29 e 30 - Ed Motta: Baile do Flashback

Sala Baden Powell 22 – Doralyce & Maracutaia 25 - Augusto Martins & Paulo Malaguti 26 - João Carlos Assis Brasil & Carlos Navas

Teatro da UFF (Niterói) 24 a 26 – MPB – a Era dos Festivais: Soraya Ravenle & Edu Krieger & Marcelo Caldi & Fabiano Salek & PC Castilho

Planet Music (Cascadura) 25 - For Annie / Ollie / Colorado / Visceral Fear

Imperator 23 – Humberto Gessinger: “A Revolta dos Dândis – 30 Anos” 24 – Cidade Negra Canta Gilberto Gil 25 – Terraço do Imperator: Forró Lánalaje: Trio Ventura / DJ Edna Carvalho 25 – Paulinho Moska 26 - Fafá de Belém (com Manoel & Felipe Cordeiro): Guitarradas do Pará 28 – Coral Imperator

Centro de Referência da Música (Tijuca) 23 – Felipe Adetokunbo 24 – Nina Rosa & Thiago Kobe 25 – Rodrigo Maranhão & Pretinho da Serrinha 29 – Joyce Cândido Canta Elis Regina  30 – Michel Taski

Aparelho (Centro) 18 - Second Come 24 - Felipe Zenicola / Marcos Campello / Lucas Pires  Motim (Centro) 24 - Gragoatá / Vitor Milagres / Daniel Villares

Quintas no BNDES 19h - grátis 23 - CDR Style 30 - Sergio Santos

Teatro Glauce Rocha (Centro) 23 - Alice Passos & Maurício Carrilho  30 - Olivia & Francis Hime Museu de Arte do Rio 24 - Sarau do Alemão / Rincon Sapiência

BRASIL EM TRANSE: Com curadoria de Ismail Xavier e coordenação da Sociedade Amigos da Cinemateca, em parceria com a Cinemateca Brasileira e o Cinusp, esta Mostra reúne mesas de debate e exibição de filmes que acontece de 16 de novembro a 1º de dezembro, em São Paulo. CINEMATECA BRASILEIRA

Circuito SESC 24 - Niterói: De Leve (19h - R$ 20) 25 - Madureira: De Leve (17h - R$ 20) 25 - Ramos: Cassiano & Trio Beija Flor (17h - grátis) 25 - São Gonçalo: Bebeto (17h - R$ 20) 26 - Madureira: Dorina (17h - grátis) 26 - São Gonçalo: De Leve (19h - R$ 20) 29 - Tijuca: Marcelo D2 & SambaDrive (19h30 - R$ 20) 30 - Tijuca: De Leve (20h - R$ 20) ______________________________

MIXX: 25 – Qinho - Ahlma.CC / Leblon 25 - AcaraJazZ: Bondesom / Juliana Linhares / Doralyce – Rio City Lab / Santo Cristo 26 - Alaska (SP) / Hover / Whipallas – La Esquina / Lapa 26 - Cervical / Mari & The GoodFellas / Facing Fear – Calabouço / Vila Isabel 29 - Baculeju da Sandra de Sá – Teatro Glaucio Gill / Copacabana

as dinamarquesas do grupo WE LIKE WE, são o destaque internacional na abertura da 5º edição do Festival Música Estranha em São Paulo.

Abertura da exposição de fotografias de Raymond Depardon, “Un moment si doux”, no dia 1º de novembro. Depois de passar por Paris e Buenos Aires, o CCBB Rio recebe as 170 fotografias de diferentes cores e formatos tiradas na Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Ate 22 de janeiro. qua-seg 9am-21pm. Grátis.

Alexandra Jackson no Blue Note dia 28/11 (terca).   Alexandra é uma cantora americana que esta lançando EP, “Legacy & Alchemy”, dedicado à canção brasileira com standards da MPB .  O show tem participação de Pretinho da Serrinha.

#BLAZEYOURSELF @ Rooftop 5 Data: 25 de novembro, sábado – a partir das 17 horas até meia noite Local: Rooftop 5 – Rua Coropé, 88 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05426-100 Atrações: Selvagem, Jaloo e Tropkillaz Entrada gratuita mediante cadastro e confirmação no site, limitada a 500 pessoas

Tropicália ganha exposição tech com livre reinterpretação conceitual Nos 50 anos do movimento, na Galeria BNDES   Os artistas Barbara Castro e Luiz Ludwig, do estúdio Ambos&&, apresentam uma livre reinterpretação dos conceitos do movimento tropicalista à luz da arte e da tecnologia. Com a exposição Vamos Comer, estimulam o público a “devorar” experiências sensoriais e orgânicas, incluindo quatro instalações de arte computacional. Ela está aberta a visitações na Galeria BNDES, no Rio, entre os dias 18 de outubro e 1º de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h

“Piano, Voz e Jobim” Augusto Martins e Paulo Malaguti Pauleira   _ Homenagem aos 90 do maestro brasileiro _ Sala Baden Powell, sábado 25.nov (sáb), às 21h

FICI 2017 O Festival Internacional de Cinema Infantil, que acontece no Rio de 24 a 3 de dezembro, exibirá, na edição deste ano, 120 filmes de 25 países, entre animações, curtas, médias e longas-metragens. confira a programação.

O espetáculo “Kid Morengueira – Olha o breque!” homenageia Moreira da Silva (1902 – 2000), o cantor que popularizou o samba de breque, tornando-se um ícone da música brasileira. O samba permitiu a ele criticar, sempre com muito bom humor, os poderosos com seus desmandos, os malandros que conheceu na noite, e os compositores que ajudou a tornar conhecidos. A peça estreia para uma curta temporada no Teatro I do Sesc Tijuca - de 03 de novembro a 03 de dezembro, de sexta a domingo, sempre às 20:00.

Após o sucesso da temporada nos meses de abril e maio desse ano, que passou por sete cidades brasileiras e esgotou em todas as praças, o espetáculo “STOMDUP” de Tom Cavalcante volta para novas apresentações no Rio de Janeiro (dia 01 de novembro, no Teatro Bradesco Rio); Natal (dia 30 de novembro, no Teatro Riachuelo); Fortaleza (dia 01 de dezembro, no Teatro RioMar Fortaleza).

SOLID ROCK: a participação da banda Lynyrd Skynyrd no Solid Rock (Curitiba, Pedreira Paulo Leminski, dia 12/12; São Paulo, Allianz Parque, dia 13/13; e Rio de Janeiro, Jeunesse Arena, dia 15/12) acaba de ser CANCELADA por motivos pessoais da banda. No lugar, Cheap Trick será a banda que fará parte do lineup, junto do Deep Purple e Tesla. Mais informações sobre devolução de ingressos serão divulgadas em breve.

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers