Pages

Friday, June 05, 2009

O REI DA PILANTRAGEM


FINALMENTE VI O DOC DO SIMONAL, "NINGUÉM SABE O DURO QUE DEI". MUITO BOM. EU NÃO TINHA IDÉIA DO QUE ROLOU. PRA MIM, O SIMONA ERA UM CARA ENGRAÇADO, QUE CONHECI AINDA CRIANÇA, NOS 70S, CANTANDO "MEU LIMÃO, MEU LIMOEIRO" (HIT DO TOPO GIGIO) E NUM ANUNCIO DA SHELL, NO QUAL ELE GUIAVA UM CARRÃO COM A LINDA E LOURA LUCINHA LINS. MAS AI, SUMIU! HA ALGUNS ANOS MAURICIO VALLADARES RETOMOU O ASSUNTO NUM PGM DELE (QNDO O CARA TAVA PRESTES A MORRER) , CONTANDO DA HISTORIA DO SUMIÇO DO CARA, DA DEDURAGEM E TAL. EU NAO TINHA IDEIA DO TODO E A MAIORIA DE VCS TBM NAO DEVEM TER. ENTAO, É BOM ASSISTIR AO DOC PRA SACAR O MAIOR E MAIS POPULAR CANTOR NEGRO QUE O BRASIL JA TEVE, NO NIVEL DE UM JAMES BROWN POR AQUI, QUE, INFELIZMENTE, POR CONTA DE UM MAL ENTENDIDO E DE ATITUDES ERRADAS (ELE SE ACHAVA O REI DA COCADA PRETA, E ERA), FOI BANIDO, FICOU INVISIVEL E MORREU DE DESGOSTO (BEBEU TANTO ATE TOMBAR DE CIRROSE). É IMPRESSIONANTE COMO O CARA ERA POPULAR. E COMO A GALERA DA MPB E DA TROPICALIA, SOBRETUDO, NAO DEU NEM UMA FORCINHA (PO, ELE ERA PRETO, NAO TINHA BONS AMIGOS, NAO ERA APRECIADO PELA CLASSE MEDIA, TIPO OS CHICAETANOS DA VIDA,POR ISSO ODEIO ESSA GENTE, QUE SE JULGAM SUPERIORES E INTOCAVEIS). SO FALTA AGORA ALGUEM FAZER UM BOM DOC SOBRE O CARLOS IMPERIAL, O CARA QUE INTRODUZIU O ROCK NO BRASIL, INVENTOU A PILANTRAGEM, LANÇOU O ROBERTO CARLOS E DESCOBRIU A GRETCHEN E QUE TBM MORREU MEIO NO OSTRACISMO, PQ NAO FAZIA PARTE DAS PANELINHAS. ESSE, SIM, FOI O AVO DOS ALTERNATIVOS, UM MALCOLM MCLAREN CAFAJESTE TUPINIQUIM.

23 comments:

tom said...

UM LINK BACANA:

http://rateyourmusic.com/list/ByteMe/the_origins_of_band_names//

Guto Jimenez said...

Ambos foram vítimas do patrulhamento da intelligentzia musical brasileira - q seria melhor descrita como "ignorantzia". De qquer forma, acho mto difícil de alguém conseguir produzir algo sobre o Imperial, pelos motivos q vc já apontou (ele cagava & andava pros "astros" da mpbosta) qto por todo o mistério q envolve tudo o q se relaciona ao Roberto Carlos.
O título do filme é mole: "10! Nota 10!", hehehe...

Cara, se tem alguém q poderia ser o Mclaren brazuca, acho q estaria + pro Calanca (Baratos Afins) ou até mesmo o Kid Vinil (enquanto produtor).

Alessandro said...

Sou fã de carteirinha do Simona.

Tenho a discografia completa há muito tempo.

Sou fã desde uma entrevista que ele deu no Jô Soares na década de 90. Quando ele já bastante debilitado calou o apresentador que tentava calar a voz fraca dele, que se defendia sobre a acusação e do silencio a ele imposto pela classe artistica.

Enquanto o Jô argumentava que na época acreditou na história e que Simonal tinha realmente errado, Simonal perguntava/gritava qual era a culpa dele que o fez ser calado? Jô se calou...

Achei aquilo tão punk que comecei a correr atrás de material dele.
Que o cara errou em suas atitudes, é inegável. Só que fazer o que fizeram foi a pior sacanagem!

Como tu falou Tom, os tais "formadores de opinião" da época, colocaram o cara no limbo sem julgamento. O lance que fizeram com ele no Pasquim então foi cruel! Ziraldo e Jaguar foram cruéis e até hoje não vejo remorso ou coisa do tipo no discurso deles.
Diferente dos artigos e relatos do amigo, e outro gênio colocado no limbo, Chico Anysio que sempre defendeu o Simonal.

Um dia Maracanãzinho, no outro ostracismo total!

Tem uma música do Max de Castro(filho do Simonal) que descreve bem o que deve ter sido ficar a vida do lado de um cara que foi calado e sepultado vivo. O nome da música é "Calaram a voz do nosso amor".

Ouçam aqui: http://bit.ly/x7bnT

Abração

fabio fernandes said...

eu sempre gostei do simonal pqe minha mãe conhecia a esposa (mãe do max e do simoninha) dele e sempre falou muito do cara lá em casa. vendo o doc e esclarecendo certas partes obscuras da biografia do cara, vc fica realmente impressionado com duas coisas:
1) a popularidade do cara durante o auge, foi um dos maiores pop stars do brasil (o problema é que era marrento demais o que incomodava/incomoda muita gente). só que ninguém menciona o simonal, parece que ele caiu em um limbo e poucos se referem a ele.
2) é impressionante como TODOS viraram as costas para simonal quando ele mais precisou !!! isso não dá prá ser esquecido tbém.

tom said...

mas, guto, digo mclaren em termos de invenção. o calanca e o kid nao inventam nada, so batalham pelo rock. o imperial, assim como o malcolm, via uma situaççao e imaginava toda uma cena a partir dela. o cara fez o unico filme disco do brasil, os embalos alucinantes de sabado, que passa no canal brasil e foi todo rodado na new york city disco, em ipanema. se ele nao tivesse feito, nao teriamos o registro dessa epoca. era o rei do exploitaition...

Tiago Velasco said...

Pô, que o cara é foda não tem discussão. Agora, julgar a postura do povo que virou as costas é fácil hoje. Imagina na época que o couro estava comendo, vários amigos caíam e, de repente, sabe-se que um dos principais artistas do momento tinha boas relações com a ditadura? Virar as costas era um típico ato de radicalismo da época, um postura política contra a ditadura. Hoje, soa babaquice, mas não podemos descontextualizar.
Sobre as críticas á MPB e ao tropicalismo... Bem, é sabido que o tropicalismo, vide Caetano, jogou luz sobre os cantores populares, gravou alguns deles, gostava da jovem guarda. Podia ser até aquela forma de consumir o brega que a classe média culta adora fazer, com uma certa ironia, como um produto kitsch, nada muito diferente do que hoje acontece com o funk carioca na Fosfobox, por exemplo.

ANDALUZ AURORA DEMOS said...

Caras, eu vi o doc e considerei a obra um "especial do Video Show disfarçado"...

Porra, um especial chancelado pela RG, porra? E kd a galera limpando a barra do cara na época da abertura?

Ah, vcs deviam ler Nietzche...

Essas coisas me fazem ter desgosto da humanidad!

Mas aí, eu me recordo desse programa que o Mauricio fez na época em que ele estava internado...

Foi muito bom! E eu devo ter isso gravado em K7! QQ dia posto na web!

Lembro muito bem do LAM, ops do Ferrare, primeiro defendendo WS, mas depois entrou outro camarada e seu depoimento fez o cara reagir de uma forma contrária!

MEMORÁVEL!
abraços

tom said...

É INEGAVEL QUE VIRAR AS COSTAS NA EPOCA ERA UMA TOMADA DE POSIÇÃO, NÓS AQUI PROVAVELMENTE FARIAMOS O MESMO. MAS PQ DEPOIS NAO SE TENTOU ESCLARECER E ACHAR A VERDADE? TEVE ANISTIA PRA TODO MUNDO, PQ NAO TEVE PRO CARA (SE ELE MERECESSE)? ATE JAGUAR E ZIRALDO LEVARAM PRA CASA SEU MILHAOZINHO DE INDENIZAÇÃO. O DOC NAO TOMA PARTIDO, DEIXA CLARO QUE O CARA PISOU NA BOLA, SIM. MAS GERAL SE CALOU SOBRE SE TUDO ERA VERDADE

ANDALUZ AURORA DEMOS said...

Independentemente da veracidade ou não do rumor, isso deixa claro o quanto o ser humano é uma bosta!

Tem mais é que rolar uma merda que dizime essa praga do planeta.

Sem contar a postura meio madalena do cara, em se esconder. Quem não tem rabo preso não se esconde...

É simples!

E esse lance da indenização desses caras do Pasquim deixam bem claro o quanto não passavam de um bando de fanfarrões. E de repente ainda tinham inveja do apreço da lourada pela jeba afrobrasileira do pilantra.

Tb acho que o fator formação educacional deve ter pesado muito na postura do cara...

Só considerei o doc um "Vídeo Show disfarçado" em razão da superficialidade na abordagem da complexidade da figura em questão.

Esperemos que os extras do DVD tragam mais infos.

ALém do mais, existem os casos do Erlon Chaves e do Tornado, que mal são mencionados no lance.

Ou seja, é produto para ser consumido - e não um documento histórico! abs

tom said...

SERA QUE TEM ALGUEM POR AI LENDO ISSO AQUI QUE VIVEU O PERIODO PARA FAZER ALGUM COMENTARIO MAIS PRECISO?

ANYWAY, VI NO CINEMAX NOITE DESSAS, JA TAVA NO FINAL, O DOC O DIA EM QUE JAMES BROWN SALVOU BOSTON. NO MESMO DIA EM QUE LUTHER KING FOI MORTO, JB FEZ UM SHOW EM BOSTON QUE FOI TRANSMITIDO PELA TV E RADIO. ENTAO, A GALERA DE COR LOCAL SO NAO SAIU DE CASA E QUEBROU TUDO PQ O CARA PEDIU NO SHOW E ACALMOU OS ANIMOS. O SHOW FOI REPETIDO ASSIM QUE ACABOU, PRA MANTER O PESSOAL EM CASA...

atlantic said...

É fato que o Simonal acabou pisando na bola e deu munição para o próprio fuzilamento. Se achava acima de tudo e devia pensar que as declarações pró-militarismo seriam uma situação fácil de reverter.

Falar mal da turma do Pasquim é injusto também. Eles estavam ali para avacalhar, criticar. E não custa lembrar: eles trabalharam com material "fornecido" pelo próprio Simonal.

Vi o doc e fiquei triste pra caramba. Teve muita mágoa nessa história e agora, infelizmente, a importância do cara como um grande showman tipiniquim já foi quase apagada.

Felipe Proença said...

poxa, Simona foi um dos maiores interpretes brasileiros que já existiu. Talento e atitude sempre presentes. Acho que essa perseguição idiota da qual ele foi vítima por gente que se dizia contra o sisitema autoritário que comandava o Brasil da época, mas que acabou por ajudar a criar coisas muito piores e bem mais nocivas ao nosso país não manchou em nada a brilhante carreira e vida do Simonal. Eu tô afinzão de ver esse documentário que foi bastante elogiado por todo mundo.

Felipe Proença said...

by the way
eu tava escutando o seu programa e quando entrou "war pigs" foi engraçado...o fone que eu tava escutando tava com defeito e só tava saindo som de um lado. Por isso antes de saber que era a versão instrumental da música eu pensei que se tratava de uma gravação stereo e que por isso eu não conseguia escutar a voz do ozzy no fone direito que estava quebrado.
: ]]

Felipe Proença said...

Eu tenho uma admiração sincera e profunda pelo Nelson Motta, mas não gostei muito do tratamento que ele deu tanto ao Carlos Imperial quanto ao próprio Simonal no "Verdades Tropicais", aquele ótimo livro de memórias que ele lançou em 99. Acho que ele foi meio deselegante com o Imperial nolivro. E até com próprio Simonal.

Felipe Proença said...

Alessandro. muita gente, naqueles anos horríveis de ditadura, era paranóica, xiita e de mentalidade tão ridícula e fascista qnto o governo brasileiro da época. até quem não viveu aqueles anos sabe disso. Até o maravilhoso pasquim se mostrou um pouco assim numa entrevista horrivel [da parte dos entrevistadores]que eles fizeram, no final dos anos 60, com o grande cineasta Carlos Manga. Eles praticamente passaram o tempo todo da entrevista criticando o Manga, dizendo quase diretamente que ele era americanizado, colonizado, alienado, etc...Não sei como ele não se sentiu ofendido na época. Vale à pena ler.

PEDRO BAMBAATAA said...

Porra, pena que só estou chegando agora em casa, depois do finde, e vendo este post, com um assunto sobre o qual sempre quis falar.

Sempre gostei de musica estrangeira e rock, que conheci nos tempos que morei em brasilia quando tinha 12 anos.

Nunca fui fã de MPB, mas sempre gostei de 2 artistas nacionais, pela contemporâneidade e misturando a black music com elementos nacionais.
Eles eram o Tim Maia e o grande Simonal, que quando eu tinha 8 aninhos já cantava "sá marina" minha canção favorita.

Me lembro até um programa do Claudio Calvalcante em que o cara foi sabatinado sobre o ocorrido.

Com o tempo e mais senso crítico
passei a odiar a tal "esquerda escocesa" que só sabiam fazer patrulhamento e falar mal de artistas que curtiam rock ou eram influenciados pelo som.

Na hora da porrada, sempre corriam, e morria um estudante "boi de piranha" da massa de manobra, que eles orquestravam com a porra do jornaleco "pasquim" com seu ziraldo e seu jaguar, gostavam de patrulhar, e meter um pau em alguem, como fizeram com simona.

Digo isso pq conhecia pessoas que tinham contato com essa galera.

O seu jaguar era funcionário do banco do brasil que via faltando, e enchendo os cornos de cachaça, isso dito pelo meu pai que tb era func do banco do brasil e me contava, que essa galerinha gostava mesmo é de badalações, festinhas na zonal sul regadas a muita coca e uísque, tanto que com o final da didatura esse jornaleco perdeu toda graça, fechou e acho que voltou, mas isso não interessa.

O fato que, o filme foi feito muito bem realizado e não sei pq não está sendo bem distribuido pelas salas do rio, mas é bem esclarecedor.

um abraço,

Bem said...

"Wilson Simonal. Ninguém sabe o mole que eu dei" - Arnaldo Branco...

PEDRO BAMBAATAA said...

realmente Simonal deu mole...

Fazendo como muitos faziam, e ainda fazem hoje, Simona estava
sendo roubado pelo safado de seu
contador.
Descobriu, ficou puto
e mandou alguns amigos darem umas porradas no cara.
Esta certo? claro que não. Mas quantos faziam e ainda usam esse "jeitinho da força bruta" para
conseguirem as coisas?
O problema é que Simona era negro e um excelente cantor, despertando
assim raiva e inveja de muitos.
E aí deu no que deu, foi injustamente perseguido.

um abraço!!

Bem said...

O problema foi a época. Se fosse hoje em dia ele estaria nos programas de Tv tipo o da Luciana Gimenez.

henrique kurtz said...

Estive com o Simonal em 1994 (acho que algum amigo deve ter foto desse momento; não existia a facilidade das máquinas digitais) por ocasião do lançamento de uma excelente coletânea em CD - A Bossa e o Balanço de WS - idealizada pela extinta loja All The Best, Ipanema.
Me lembro tão bem que ficamos meio constrangidos pelo fato de praticamente ninguém do meio artístico ter prestigiado a noite de lançamento do CD. O lance ficou vazio! O patrulhamento perdurou até o fim do Simona.
Pra ser sincero, me recordo da presença do Sidney Magal e da cantora Ellen de Lima (Canção das Misses). E só.
Ah! Também não me lembro de ter visto os filhos dele por lá...
Alguns anos depois ele morreu.
E quanto ao Imperial, porra! É ídolo total (e outro que sofreu na mão da mesma tchurma da ignorantzia brasileira). Fiz até amizade com o autor da biografia recém-lançada (Dez! Nota Dez!), Denilson Monteiro.

Márcio said...

Achei o filme excelente, porque mostra o talento de Simonal sem querer transformá-lo em vítima. A propósito, Caetano Veloso deu ontem (09/06) ao Estadão o seguinte depoimento sobre o assunto:

"Vi o documentário e gostei muito. Vi sozinho, num cineminha de Ipanema. Mas os outros espectadores, gente que eu não conhecia, vieram todos falar comigo, me fazer perguntas. Falei tudo o que sei. O mais importante é a reaparição de um dos maiores cantores que já houve no Brasil. Também é algo imenso que os realizadores tenham conseguido o depoimento da vítima dele. Sente-se a complexidade de tudo. O fato de Bárbara Heliodora ter sido patroa da mãe de Simonal dá arrepios: é tanto do Brasil que se revela nisso! Ela fala com muita dignidade.

Claro que o ponto alto é o dueto com Sarah Vaughan: que cantor ele era! E tão à vontade na presença dela! Senti falta de uma referência à passagem de Simonal por Natal. Estive com ele lá, depois de um show meu, a pedido de um cara que era uma mãe para ele. Jantamos juntos e conversamos. Isso no início dos anos 80, creio. Ele estava cheio de chinfra, como se continuasse segurando o personagem. Mas tinha cheiro de álcool e a voz, que, falando, parecia firme, cantando não funcionava mais. Fiquei triste. Ele voltou e eu o vi na TV: segurando o charme mas sem nem poder cantar.

Sim, 'Alegria, Alegria' teve o título inspirado nele (e no Chacrinha, que tinha adotado o bordão). Eu o adorava. No edifício São Carlos do Pinhal, colado ao prédio da Gazeta, éramos vizinhos e nos víamos com carinho e humor. Eu estava bem ciente dos parentescos da Tropicália com a pilantragem. Admirava a bossa dele mas se ntia a fragilidade do projeto ultracomercial. Os militares que me interrogaram por 6 horas quando vim ao Brasil em 1971, numa concessão conseguida por Bethânia com a ajuda de Chico Anísio e Benil Santos, interrompendo o exílio para estar no aniversário de 40 anos de casamento de meus pais, me disseram, entre ameaças e seduções, para eu colaborar com eles, que Simonal já o fazia. Disseram outros nomes. Não acreditei. Decidi não acreditar.

Houve canção feita para o governo militar por compositor/cantor que também é preto, e a desgraça não caiu sobre ele. Leia "Eu Não Sou Cachorro Não". Simonal se pôs num lugar para que acontecesse a tragédia. É terrível, porque tem algo como uma caricatura da impossibilidade de um pretinho talentosíssimo, filho de cozinheira, cumprir um destino positivo até o fim.

Felipe Proença said...

yes! "sá Marina" do Antonio Adolfo e Tibério gaspar, autores do Br3 do Tony Tornado
kkkkkkk
o pessoal do pasquim era a vanguarda boêmia da imprensa brasileira.

Felipe Proença said...

errata: e feia....eu disse que o livro do Nelson Motta que ele fala do Simonal, etc... se chama "Verdades Tropicais", e na verdade se chama "Noites Tropicais".
"Verdade Tropical" é a maravilhosa auto-biografia do Caetano, que vale muito à pena ser lida. O capitulo da prisão e exílio dele é um livro à parte. Obra prima. Aliás, o Caetano, além de tudo, ainda escreve pra kcete. com se pode ver nesse artigo dele sobre o Simonal pro Estadão.

NA CIDADE

JUNEBUG: Shows - Junho / 2017 Circo Voador 24 - Lamb of God (EUA) / Carcass (ING) / Heaven Shall Burn (ALE)

Teatro Rival 22 – Picassos Falsos 23 – Vinicius Cantuária

Vivo Rio 24 - Beto Guedes & 14 Bis - Participação: Sérgio Hinds 30 – Celebrare

Audio Rebel 22 - Manu Maltez - Participação: Juçara Marçal  25 - Vital & Os Bacharéis / Homobono 29 - Anganga: Juçara Marçal & Emygdio Costa & Cadu Tenório

Sérgio Porto (Humaitá) 22 - Sarah Abdala / Raquel Dimantas / Ana Frango Elétrico 29 - CEP 20.000

Sala Baden Powell (Copacabana) 24 - Cordão do Boitatá: De Gonzagão a Dominguinhos - Participação: Pedro Miranda 25 - Mulheres de Chico 28 - Marcelo Nogueira

Theatro Net Rio (Copacabana) 26 - Sarau da Leda Nagle: Amelinha & Ednardo 27 - Vanessa Jackson: Uma Saudação a Whitney Houston 28 – Dudu Nobre

Teatro Café Pequeno (Leblon) 22 - Verônica Sabino 29 - Jullie

Jeunesse Arena (Barra da Tijuca) 29 – Ariana Grande / Sabrina Carpenter

Subúrbio Alternativo (Brás de Pina) 24 - Toxic Fest:  Korja / Old Kitchen / Genomades / Nove Zero Nove

Imperator 22 – Marcos Valle 25 – Moonspell (POR) 28 - Tunai & Wagner Tiso: Saudade da Elis 29 – Samba do Imperator: Grupo Arruda, Bom Gosto, Lucas de Moraes

Centro de Referência da Música Carioca (Tijuca) 23 - Moacyr Luz 24 - Danilo Caymmi 28 - Duda Brack & Daíra Sabóia 29 - Quarteto Leandro Braga 30 - Cláudio Jorge Teatro Ziembinski (Tijuca) 2xNelson: a falecida/a serpente 23 - Lica Tito

Shell Open Air (abaixo, apenas a programação de shows) Marina da Glória 23 - Sexteto Sobrenatural / Dream Team do Passinho Canta e Dança Jackson 5 24 - 3 Na Bossa

FM Hall 22 - Ludmilla 28 – Anavitória (grátis)

MIXX: 21 - Laura Finocchiaro – Bottle´s Bar / Copacabana 22 - Dream Team do Passinho Canta e Dança Jackson 5 – Theatro Bangu 23 - Montezuma / Santos / Geração Perdida (Vitor Brauer & Jonathan Tadeu) – Motim / Centro 24 - Arraial do Monobloco: Rodrigo Lampreia - Participação: Bianca Chami – Jockey Club 25 - Tay Galega – Saloon 79 / Botafogo

Festival Varilux de Cinema Francês 2017 De 7 a 21 de junho em mais de 55 cidades brasileira: Águas Claras (DF), Aracaju (SE), Barretos (SP), Barueri (SP), Belém (PA), Belo Horizonte (MG),Blumenau (SC), Buzios (RJ), Brasilia (DF), Campinas (SP), Caxambu (MG), Campo Grande (MS), Caxias do Sul (RS),Caxambu(MG), Cotia (SP), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE),Foz do Iguaçu (PR), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Juiz de Fora (MG), Jundiaí (SP), Londrina (PR), Macaé (RJ), Maceió (AL), Manaus (AM), Maringá (PR), Mossoró (RN), Natal (RN), Niterói (RJ), Nova Friburgo (RJ), Pelotas (RS), Petrópolis (RJ), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Rio Verde (GO),Salvador (BA), Santa Maria (RS), Santos (SP), São Carlos (SP), São José dos Campos (SP), São José do Rio Preto (SP), São Luiz (MA), São Paulo (SP), Theresina (PI), Vitória (ES), Volta Redonda (RJ)

Dia da Música 24/06 – grátis 10h: Força & Garra Jazzman Company Colégio Stephania de Carvalho (São Gonçalo) 10h: Original Black Sound System / Projeto do Nada Espaço Cultural Viaduto de Realengo 12h: Rock na Biblioteca: Átila La TrupEvoé / Corcel Mágico / LaVille / Traqitana / Caos Banal / Taturana de Aço / Senhor Kalota  Biblioteca Leonel Brizola (Duque de Caxias) 13h: Grupo Chorando de Rir / Bico Doce & Samba da Siriguela Cultural Bar (Nova Iguaçu) 13h: Mon-Ra / Nomades Rap Arena Dicró (Penha) 14h: Hugo Ardilha / Menezes / Kali (SP) / Pedro Gama Espaço Multifoco (Lapa) 14h: Molho Negro / Ana Muller / Chicas / Esdras Nogueira / Do Amor / Som Peba e Bobby DJoy + Jeza da Pedra / Linn da Quebrada Praça Luís de Camões (Glória) 15h30: Dub Club Band / Saudades de Cumbia / Melodica Vibezz / Ratel Largo das Neves (Santa Teresa) 16h: Rodrigo Miguez / Luciane Dom Praça Sandro Moreira (Flamengo) 16h: Yassine Lagraf / TMRP MM (Praia de Boa Viagem / Niterói) 17h: Hollywood Mantra / João Azevedo / Banda Gente / Gente Estranha no Jardim / DJ Feminoise / DJ Gisa Morena Palco Coelhão - Praça de Coelho da Rocha (São João de Meriti) 17h: Aura / Monstro Amigo / Anjo Gabriel (PE) Teatro Odisseia (Lapa) 17h: Edson Júnior / O Velho Se Foi La Carmelita (Lapa) 17h: McGee & The Lost Hope / Blind Horse / Hammerhead Blues La Esquina (Lapa) 17h: Monica Avila / Amalá Maracatu Brasil (Laranjeiras) 17h: Mon-Ra / Lado A / Aika Cortez / Selvagens da Noite HF (Alameda São Boa Ventura / Niterói) 17h: Senhor Kalota / Roterdan Centro Cultural Joaquim Lavoura (São Gonçalo) 18h: Jota / Rataria Nuclear Praça das Juras (Bangu) 18h: Floppy Flipper / Alambradas Motim (Centro) 18h: Coronel Soares / McGee & The Lost Hope / MOS / Giallos (SP) Escritório (Centro) 19h: The Zacatto / Hero-Beat Jack Praça Jorge Pinheiro (Parque Veneza / Belford Roxo) 19h: Karla da Silva / Pietá Praça Guilherme da Silveira (Bangu) 19h: Zé Bigode / João Azevedo / Samba de Dois Casa Aberta (Rocha) 19h: Dulcineia Enferrujada / Eddu Grau Largo do Boi Tolo (Praça XV) 19h: Caroline Alves / Hugo Ardilha / Menezes / Raul de Barros Jr. Il Piccolo Caffè Biergarten (Lapa) 19h: Zanzibar / Luciane Dom Sobrado Boemia (Praça São Salvador / Laranjeiras) 19h: Luiza Sales / Malundu Galpão Ladeira das Artes (Cosme Velho) 19h: Labibe / Hollywood Mantra / Projeto do Nada / Gente Estranha no Jardim Bar do Nanam (Praça Tiradentes) 20h: Dois Infinitos / Bruno Perez Pub Panq´s (Tijuca) 20h: Mihay / Marcelo Vig / Raquel Coutinho Bar Semente (Lapa) 20h: Thiago Nassif / Avec Silenzi Audio Rebel (Botafogo) 20h: Caroline Alves / Labibe Quintal do Miguelito (Recreio dos Bandeirantes) 21h: Qu4rto Teto / Reduto Sunday Rock (Cosmorama / Mesquita) 21h: Canto Cego Praça Jackson do Pandeiro (Santa Cruz) 22h: TopVox / Fuzzcas Saloon 79 (Botafogo) 23h: Dub Ataque / Aika Cortez Praça Marechal Âncora (Centro) 23h: Blind Horse / Pantanum (PR) / The Mountain Season / Son Of A Witch (RN) Coletivo Machina (Lapa

ULTRA BRASIL ANUNCIA A PHASE 1 DE SEU LINEUP PARA A EDIÇÃO 2017: ADAM BEYER, ALESSO, ARMIN VAN BUUREN, DAVID GUETTA, JAMIE JONES, JOSEPH CAPRIATI, SASHA & JOHN DIGWEED e THE MARTINEZ BROTHERS SERÃO HEADLINERS FESTIVAL ACONTECE NOS DIAS 12, 13 E 14 DE OUTUBRO NO SAMBÓDROMO DO RIO

_______________________________________________________ Caixa Cultural 19h - R$ 20 29 - Encontro das Gerações do Folk e Rock Rural: Tuia, Tavito, Guarabyra, Ricardo Vignin

Zé Bigode apresenta Fluxo ao vivo em show gratuito no Parque das Ruínas (1/7) a partir de 17h

Circuito Estação NET de Cinema e Cinemateca do MAM apresentam: Exposição CINEMA EM CASA: Equipamentos do acervo da Cinemateca do MAM. A partir de 23 de fevereiro, no Estação NET Botafogo de 23 de fevereiro a 23 de agosto 2017 Horário de visitação: 14h às 22h Entrada franca

MOSTRA DE CINEMA COLOMBIANO TRAZ A CALIWOOD DE LUIS OSPINA PARA A CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO A programação reúne 34 filmes, sendo 29 realizados pelo cineasta, que participa da mostra em uma masterclass no dia 1º de julho Caliwood de Luis Ospina: Cinema colombiano de vanguarda, em cartaz na CAIXA Cultural Rio de Janeiro de 27 de junho a 9 de julho de 2017. Com curadoria de Lúcia Ramos Monteiro, a mostra traz uma retrospectiva completa do realizador colombiano fundador do Grupo de Cali e expoente do cinema independente da Colômbia.

SHELL OPEN AIR: O Shell Open Air, maior cinema ao ar livre do mundo, volta ao Rio de Janeiro de 7 a 25 de Junho na Marina da Glória. Com uma tela de cinema gigante de 325m², o público poderá assistir clássicos, blockbusters, além de assistir a shows.    a programação de cinema contará com filmes como Velozes e Furiosos 8, La La Land, Deadpool, Fragmentado, Animais Fantásticos e Onde Habitam,  A Bela e a Fera, Moana,Sing – Quem canta seus males espanta, Rush – No Limite da Emoção, Rogue One – Uma história Star Wars; Os clássicos Moulin Rouge, Footloose, O Iluminado, Alien – O Oitavo Passageiro, Dias de Trovão e Elis e Minha Mãe é uma peça 2.

HANSON CHEGA AO BRASIL COM A MIDDLE OF EVERYWHERE 25th ANNIVERSARY WORLD TOUR   24 de Agosto no Km de Vantagens Hall RJ (antigo Metropolitan), no Rio de Janeiro; 25 de Agosto no Km de Vantagens Hall BH (antigo BH Hall), em Belo Horizonte; e 26 de Agosto no Citibank Hall, em São Paulo


1ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo Especial Mohamed Khan Homenagem a um dos mais aclamados cineastas do país Exibição de 13 longas-metragens e realização de um debate com a presença de Wessam Soliman, viúva de Mohamed Khan e roteirista de A menina da fábrica, Meninas do Centro e No apartamento de Heliópolis CCBB Rio de Janeiro – 14 a 26 de junho



(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers