Pages

Friday, June 05, 2009

O REI DA PILANTRAGEM


FINALMENTE VI O DOC DO SIMONAL, "NINGUÉM SABE O DURO QUE DEI". MUITO BOM. EU NÃO TINHA IDÉIA DO QUE ROLOU. PRA MIM, O SIMONA ERA UM CARA ENGRAÇADO, QUE CONHECI AINDA CRIANÇA, NOS 70S, CANTANDO "MEU LIMÃO, MEU LIMOEIRO" (HIT DO TOPO GIGIO) E NUM ANUNCIO DA SHELL, NO QUAL ELE GUIAVA UM CARRÃO COM A LINDA E LOURA LUCINHA LINS. MAS AI, SUMIU! HA ALGUNS ANOS MAURICIO VALLADARES RETOMOU O ASSUNTO NUM PGM DELE (QNDO O CARA TAVA PRESTES A MORRER) , CONTANDO DA HISTORIA DO SUMIÇO DO CARA, DA DEDURAGEM E TAL. EU NAO TINHA IDEIA DO TODO E A MAIORIA DE VCS TBM NAO DEVEM TER. ENTAO, É BOM ASSISTIR AO DOC PRA SACAR O MAIOR E MAIS POPULAR CANTOR NEGRO QUE O BRASIL JA TEVE, NO NIVEL DE UM JAMES BROWN POR AQUI, QUE, INFELIZMENTE, POR CONTA DE UM MAL ENTENDIDO E DE ATITUDES ERRADAS (ELE SE ACHAVA O REI DA COCADA PRETA, E ERA), FOI BANIDO, FICOU INVISIVEL E MORREU DE DESGOSTO (BEBEU TANTO ATE TOMBAR DE CIRROSE). É IMPRESSIONANTE COMO O CARA ERA POPULAR. E COMO A GALERA DA MPB E DA TROPICALIA, SOBRETUDO, NAO DEU NEM UMA FORCINHA (PO, ELE ERA PRETO, NAO TINHA BONS AMIGOS, NAO ERA APRECIADO PELA CLASSE MEDIA, TIPO OS CHICAETANOS DA VIDA,POR ISSO ODEIO ESSA GENTE, QUE SE JULGAM SUPERIORES E INTOCAVEIS). SO FALTA AGORA ALGUEM FAZER UM BOM DOC SOBRE O CARLOS IMPERIAL, O CARA QUE INTRODUZIU O ROCK NO BRASIL, INVENTOU A PILANTRAGEM, LANÇOU O ROBERTO CARLOS E DESCOBRIU A GRETCHEN E QUE TBM MORREU MEIO NO OSTRACISMO, PQ NAO FAZIA PARTE DAS PANELINHAS. ESSE, SIM, FOI O AVO DOS ALTERNATIVOS, UM MALCOLM MCLAREN CAFAJESTE TUPINIQUIM.

23 comments:

tom said...

UM LINK BACANA:

http://rateyourmusic.com/list/ByteMe/the_origins_of_band_names//

Guto Jimenez said...

Ambos foram vítimas do patrulhamento da intelligentzia musical brasileira - q seria melhor descrita como "ignorantzia". De qquer forma, acho mto difícil de alguém conseguir produzir algo sobre o Imperial, pelos motivos q vc já apontou (ele cagava & andava pros "astros" da mpbosta) qto por todo o mistério q envolve tudo o q se relaciona ao Roberto Carlos.
O título do filme é mole: "10! Nota 10!", hehehe...

Cara, se tem alguém q poderia ser o Mclaren brazuca, acho q estaria + pro Calanca (Baratos Afins) ou até mesmo o Kid Vinil (enquanto produtor).

Alessandro said...

Sou fã de carteirinha do Simona.

Tenho a discografia completa há muito tempo.

Sou fã desde uma entrevista que ele deu no Jô Soares na década de 90. Quando ele já bastante debilitado calou o apresentador que tentava calar a voz fraca dele, que se defendia sobre a acusação e do silencio a ele imposto pela classe artistica.

Enquanto o Jô argumentava que na época acreditou na história e que Simonal tinha realmente errado, Simonal perguntava/gritava qual era a culpa dele que o fez ser calado? Jô se calou...

Achei aquilo tão punk que comecei a correr atrás de material dele.
Que o cara errou em suas atitudes, é inegável. Só que fazer o que fizeram foi a pior sacanagem!

Como tu falou Tom, os tais "formadores de opinião" da época, colocaram o cara no limbo sem julgamento. O lance que fizeram com ele no Pasquim então foi cruel! Ziraldo e Jaguar foram cruéis e até hoje não vejo remorso ou coisa do tipo no discurso deles.
Diferente dos artigos e relatos do amigo, e outro gênio colocado no limbo, Chico Anysio que sempre defendeu o Simonal.

Um dia Maracanãzinho, no outro ostracismo total!

Tem uma música do Max de Castro(filho do Simonal) que descreve bem o que deve ter sido ficar a vida do lado de um cara que foi calado e sepultado vivo. O nome da música é "Calaram a voz do nosso amor".

Ouçam aqui: http://bit.ly/x7bnT

Abração

fabio fernandes said...

eu sempre gostei do simonal pqe minha mãe conhecia a esposa (mãe do max e do simoninha) dele e sempre falou muito do cara lá em casa. vendo o doc e esclarecendo certas partes obscuras da biografia do cara, vc fica realmente impressionado com duas coisas:
1) a popularidade do cara durante o auge, foi um dos maiores pop stars do brasil (o problema é que era marrento demais o que incomodava/incomoda muita gente). só que ninguém menciona o simonal, parece que ele caiu em um limbo e poucos se referem a ele.
2) é impressionante como TODOS viraram as costas para simonal quando ele mais precisou !!! isso não dá prá ser esquecido tbém.

tom said...

mas, guto, digo mclaren em termos de invenção. o calanca e o kid nao inventam nada, so batalham pelo rock. o imperial, assim como o malcolm, via uma situaççao e imaginava toda uma cena a partir dela. o cara fez o unico filme disco do brasil, os embalos alucinantes de sabado, que passa no canal brasil e foi todo rodado na new york city disco, em ipanema. se ele nao tivesse feito, nao teriamos o registro dessa epoca. era o rei do exploitaition...

Tiago Velasco said...

Pô, que o cara é foda não tem discussão. Agora, julgar a postura do povo que virou as costas é fácil hoje. Imagina na época que o couro estava comendo, vários amigos caíam e, de repente, sabe-se que um dos principais artistas do momento tinha boas relações com a ditadura? Virar as costas era um típico ato de radicalismo da época, um postura política contra a ditadura. Hoje, soa babaquice, mas não podemos descontextualizar.
Sobre as críticas á MPB e ao tropicalismo... Bem, é sabido que o tropicalismo, vide Caetano, jogou luz sobre os cantores populares, gravou alguns deles, gostava da jovem guarda. Podia ser até aquela forma de consumir o brega que a classe média culta adora fazer, com uma certa ironia, como um produto kitsch, nada muito diferente do que hoje acontece com o funk carioca na Fosfobox, por exemplo.

ANDALUZ AURORA DEMOS said...

Caras, eu vi o doc e considerei a obra um "especial do Video Show disfarçado"...

Porra, um especial chancelado pela RG, porra? E kd a galera limpando a barra do cara na época da abertura?

Ah, vcs deviam ler Nietzche...

Essas coisas me fazem ter desgosto da humanidad!

Mas aí, eu me recordo desse programa que o Mauricio fez na época em que ele estava internado...

Foi muito bom! E eu devo ter isso gravado em K7! QQ dia posto na web!

Lembro muito bem do LAM, ops do Ferrare, primeiro defendendo WS, mas depois entrou outro camarada e seu depoimento fez o cara reagir de uma forma contrária!

MEMORÁVEL!
abraços

tom said...

É INEGAVEL QUE VIRAR AS COSTAS NA EPOCA ERA UMA TOMADA DE POSIÇÃO, NÓS AQUI PROVAVELMENTE FARIAMOS O MESMO. MAS PQ DEPOIS NAO SE TENTOU ESCLARECER E ACHAR A VERDADE? TEVE ANISTIA PRA TODO MUNDO, PQ NAO TEVE PRO CARA (SE ELE MERECESSE)? ATE JAGUAR E ZIRALDO LEVARAM PRA CASA SEU MILHAOZINHO DE INDENIZAÇÃO. O DOC NAO TOMA PARTIDO, DEIXA CLARO QUE O CARA PISOU NA BOLA, SIM. MAS GERAL SE CALOU SOBRE SE TUDO ERA VERDADE

ANDALUZ AURORA DEMOS said...

Independentemente da veracidade ou não do rumor, isso deixa claro o quanto o ser humano é uma bosta!

Tem mais é que rolar uma merda que dizime essa praga do planeta.

Sem contar a postura meio madalena do cara, em se esconder. Quem não tem rabo preso não se esconde...

É simples!

E esse lance da indenização desses caras do Pasquim deixam bem claro o quanto não passavam de um bando de fanfarrões. E de repente ainda tinham inveja do apreço da lourada pela jeba afrobrasileira do pilantra.

Tb acho que o fator formação educacional deve ter pesado muito na postura do cara...

Só considerei o doc um "Vídeo Show disfarçado" em razão da superficialidade na abordagem da complexidade da figura em questão.

Esperemos que os extras do DVD tragam mais infos.

ALém do mais, existem os casos do Erlon Chaves e do Tornado, que mal são mencionados no lance.

Ou seja, é produto para ser consumido - e não um documento histórico! abs

tom said...

SERA QUE TEM ALGUEM POR AI LENDO ISSO AQUI QUE VIVEU O PERIODO PARA FAZER ALGUM COMENTARIO MAIS PRECISO?

ANYWAY, VI NO CINEMAX NOITE DESSAS, JA TAVA NO FINAL, O DOC O DIA EM QUE JAMES BROWN SALVOU BOSTON. NO MESMO DIA EM QUE LUTHER KING FOI MORTO, JB FEZ UM SHOW EM BOSTON QUE FOI TRANSMITIDO PELA TV E RADIO. ENTAO, A GALERA DE COR LOCAL SO NAO SAIU DE CASA E QUEBROU TUDO PQ O CARA PEDIU NO SHOW E ACALMOU OS ANIMOS. O SHOW FOI REPETIDO ASSIM QUE ACABOU, PRA MANTER O PESSOAL EM CASA...

atlantic said...

É fato que o Simonal acabou pisando na bola e deu munição para o próprio fuzilamento. Se achava acima de tudo e devia pensar que as declarações pró-militarismo seriam uma situação fácil de reverter.

Falar mal da turma do Pasquim é injusto também. Eles estavam ali para avacalhar, criticar. E não custa lembrar: eles trabalharam com material "fornecido" pelo próprio Simonal.

Vi o doc e fiquei triste pra caramba. Teve muita mágoa nessa história e agora, infelizmente, a importância do cara como um grande showman tipiniquim já foi quase apagada.

Felipe Proença said...

poxa, Simona foi um dos maiores interpretes brasileiros que já existiu. Talento e atitude sempre presentes. Acho que essa perseguição idiota da qual ele foi vítima por gente que se dizia contra o sisitema autoritário que comandava o Brasil da época, mas que acabou por ajudar a criar coisas muito piores e bem mais nocivas ao nosso país não manchou em nada a brilhante carreira e vida do Simonal. Eu tô afinzão de ver esse documentário que foi bastante elogiado por todo mundo.

Felipe Proença said...

by the way
eu tava escutando o seu programa e quando entrou "war pigs" foi engraçado...o fone que eu tava escutando tava com defeito e só tava saindo som de um lado. Por isso antes de saber que era a versão instrumental da música eu pensei que se tratava de uma gravação stereo e que por isso eu não conseguia escutar a voz do ozzy no fone direito que estava quebrado.
: ]]

Felipe Proença said...

Eu tenho uma admiração sincera e profunda pelo Nelson Motta, mas não gostei muito do tratamento que ele deu tanto ao Carlos Imperial quanto ao próprio Simonal no "Verdades Tropicais", aquele ótimo livro de memórias que ele lançou em 99. Acho que ele foi meio deselegante com o Imperial nolivro. E até com próprio Simonal.

Felipe Proença said...

Alessandro. muita gente, naqueles anos horríveis de ditadura, era paranóica, xiita e de mentalidade tão ridícula e fascista qnto o governo brasileiro da época. até quem não viveu aqueles anos sabe disso. Até o maravilhoso pasquim se mostrou um pouco assim numa entrevista horrivel [da parte dos entrevistadores]que eles fizeram, no final dos anos 60, com o grande cineasta Carlos Manga. Eles praticamente passaram o tempo todo da entrevista criticando o Manga, dizendo quase diretamente que ele era americanizado, colonizado, alienado, etc...Não sei como ele não se sentiu ofendido na época. Vale à pena ler.

PEDRO BAMBAATAA said...

Porra, pena que só estou chegando agora em casa, depois do finde, e vendo este post, com um assunto sobre o qual sempre quis falar.

Sempre gostei de musica estrangeira e rock, que conheci nos tempos que morei em brasilia quando tinha 12 anos.

Nunca fui fã de MPB, mas sempre gostei de 2 artistas nacionais, pela contemporâneidade e misturando a black music com elementos nacionais.
Eles eram o Tim Maia e o grande Simonal, que quando eu tinha 8 aninhos já cantava "sá marina" minha canção favorita.

Me lembro até um programa do Claudio Calvalcante em que o cara foi sabatinado sobre o ocorrido.

Com o tempo e mais senso crítico
passei a odiar a tal "esquerda escocesa" que só sabiam fazer patrulhamento e falar mal de artistas que curtiam rock ou eram influenciados pelo som.

Na hora da porrada, sempre corriam, e morria um estudante "boi de piranha" da massa de manobra, que eles orquestravam com a porra do jornaleco "pasquim" com seu ziraldo e seu jaguar, gostavam de patrulhar, e meter um pau em alguem, como fizeram com simona.

Digo isso pq conhecia pessoas que tinham contato com essa galera.

O seu jaguar era funcionário do banco do brasil que via faltando, e enchendo os cornos de cachaça, isso dito pelo meu pai que tb era func do banco do brasil e me contava, que essa galerinha gostava mesmo é de badalações, festinhas na zonal sul regadas a muita coca e uísque, tanto que com o final da didatura esse jornaleco perdeu toda graça, fechou e acho que voltou, mas isso não interessa.

O fato que, o filme foi feito muito bem realizado e não sei pq não está sendo bem distribuido pelas salas do rio, mas é bem esclarecedor.

um abraço,

Bem said...

"Wilson Simonal. Ninguém sabe o mole que eu dei" - Arnaldo Branco...

PEDRO BAMBAATAA said...

realmente Simonal deu mole...

Fazendo como muitos faziam, e ainda fazem hoje, Simona estava
sendo roubado pelo safado de seu
contador.
Descobriu, ficou puto
e mandou alguns amigos darem umas porradas no cara.
Esta certo? claro que não. Mas quantos faziam e ainda usam esse "jeitinho da força bruta" para
conseguirem as coisas?
O problema é que Simona era negro e um excelente cantor, despertando
assim raiva e inveja de muitos.
E aí deu no que deu, foi injustamente perseguido.

um abraço!!

Bem said...

O problema foi a época. Se fosse hoje em dia ele estaria nos programas de Tv tipo o da Luciana Gimenez.

henrique kurtz said...

Estive com o Simonal em 1994 (acho que algum amigo deve ter foto desse momento; não existia a facilidade das máquinas digitais) por ocasião do lançamento de uma excelente coletânea em CD - A Bossa e o Balanço de WS - idealizada pela extinta loja All The Best, Ipanema.
Me lembro tão bem que ficamos meio constrangidos pelo fato de praticamente ninguém do meio artístico ter prestigiado a noite de lançamento do CD. O lance ficou vazio! O patrulhamento perdurou até o fim do Simona.
Pra ser sincero, me recordo da presença do Sidney Magal e da cantora Ellen de Lima (Canção das Misses). E só.
Ah! Também não me lembro de ter visto os filhos dele por lá...
Alguns anos depois ele morreu.
E quanto ao Imperial, porra! É ídolo total (e outro que sofreu na mão da mesma tchurma da ignorantzia brasileira). Fiz até amizade com o autor da biografia recém-lançada (Dez! Nota Dez!), Denilson Monteiro.

Márcio said...

Achei o filme excelente, porque mostra o talento de Simonal sem querer transformá-lo em vítima. A propósito, Caetano Veloso deu ontem (09/06) ao Estadão o seguinte depoimento sobre o assunto:

"Vi o documentário e gostei muito. Vi sozinho, num cineminha de Ipanema. Mas os outros espectadores, gente que eu não conhecia, vieram todos falar comigo, me fazer perguntas. Falei tudo o que sei. O mais importante é a reaparição de um dos maiores cantores que já houve no Brasil. Também é algo imenso que os realizadores tenham conseguido o depoimento da vítima dele. Sente-se a complexidade de tudo. O fato de Bárbara Heliodora ter sido patroa da mãe de Simonal dá arrepios: é tanto do Brasil que se revela nisso! Ela fala com muita dignidade.

Claro que o ponto alto é o dueto com Sarah Vaughan: que cantor ele era! E tão à vontade na presença dela! Senti falta de uma referência à passagem de Simonal por Natal. Estive com ele lá, depois de um show meu, a pedido de um cara que era uma mãe para ele. Jantamos juntos e conversamos. Isso no início dos anos 80, creio. Ele estava cheio de chinfra, como se continuasse segurando o personagem. Mas tinha cheiro de álcool e a voz, que, falando, parecia firme, cantando não funcionava mais. Fiquei triste. Ele voltou e eu o vi na TV: segurando o charme mas sem nem poder cantar.

Sim, 'Alegria, Alegria' teve o título inspirado nele (e no Chacrinha, que tinha adotado o bordão). Eu o adorava. No edifício São Carlos do Pinhal, colado ao prédio da Gazeta, éramos vizinhos e nos víamos com carinho e humor. Eu estava bem ciente dos parentescos da Tropicália com a pilantragem. Admirava a bossa dele mas se ntia a fragilidade do projeto ultracomercial. Os militares que me interrogaram por 6 horas quando vim ao Brasil em 1971, numa concessão conseguida por Bethânia com a ajuda de Chico Anísio e Benil Santos, interrompendo o exílio para estar no aniversário de 40 anos de casamento de meus pais, me disseram, entre ameaças e seduções, para eu colaborar com eles, que Simonal já o fazia. Disseram outros nomes. Não acreditei. Decidi não acreditar.

Houve canção feita para o governo militar por compositor/cantor que também é preto, e a desgraça não caiu sobre ele. Leia "Eu Não Sou Cachorro Não". Simonal se pôs num lugar para que acontecesse a tragédia. É terrível, porque tem algo como uma caricatura da impossibilidade de um pretinho talentosíssimo, filho de cozinheira, cumprir um destino positivo até o fim.

Felipe Proença said...

yes! "sá Marina" do Antonio Adolfo e Tibério gaspar, autores do Br3 do Tony Tornado
kkkkkkk
o pessoal do pasquim era a vanguarda boêmia da imprensa brasileira.

Felipe Proença said...

errata: e feia....eu disse que o livro do Nelson Motta que ele fala do Simonal, etc... se chama "Verdades Tropicais", e na verdade se chama "Noites Tropicais".
"Verdade Tropical" é a maravilhosa auto-biografia do Caetano, que vale muito à pena ser lida. O capitulo da prisão e exílio dele é um livro à parte. Obra prima. Aliás, o Caetano, além de tudo, ainda escreve pra kcete. com se pode ver nesse artigo dele sobre o Simonal pro Estadão.

NA CIDADE

JULIANAS:

casas & shows: Circo Voador 18 – Metá Metá / Rakta 19 – Roberta Sá  20 – Testament (EUA) 25 – Johnny Hooker 26 – O Baú do Raul – 25 Anos: Marcelo Nova / Mauricio Baia / B.Negão / Chico Chico / Karina Buhr / Rick Ferreira / Vivi Seixas

Fundição Progresso 18 e 19 – Novos Baianos 25 - Mitchell Brunnings (HOL) / Orquestra Brasileira de Música Jamaicana 26 – Festival RapRJ 7: Cone Crew Diretoria / Luccas Carlos / Froid / 1Kilo / ADL – Participação: Ducon / Modestiaparte – Participação: Liink & Buddy Poke

Teatro Rival 18 – Festa La Cumbia 19 - Afrojazz - Participação: Larissa Luz & Jesuton 23 - Michael Sweet (Stryper) & John Schlitt (Petra) 24 - Júlia Bosco & Emerson Leal & Gustavo Macacko – Participação: Mart´nália & Simone Mazzer 25 – Alma Thomas 26 – Jay Vaquer 50 meia Setor A, 40 meia Setor B, 30 meia Lounge 30 – Cabaré Diferentão

Teatro Riachuelo 29 – Paulo Ricardo Teatro Odisseia 18 – Ordinária - Baile do Lindote: Molejo 24 - The World is a Beautiful Place & I am No Longer Afraid to Die / gorduratrans / E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante  26 - Esteban Tavares / Sheffield 

Vivo Rio 18 - Postmodern Jukebox (EUA)  19 – Barão Vermelho 20 – Roy Hargrove & Roberta Gambarini 25 - Jacob Collier (ING) 

Baratos da Ribeiro (Botafogo) 19 – Vespeiro: Marcelo Perdido / Real Sociedade / O Branco e o Índio 26 - Vespeiro: Tacy de Campos / Jonnata Doll & Os Garotos Solventes

Estúdio Hanói (Botafogo) 18 - Nativity in Black Fest: Justabeli (SP) / Dark Tower / Profane Art  19 - Festival Nativity in Black: Justabeli (SP) / Dark Tower / Profane Art  27 - Back To Hanoi Metal Fest: Forkill / Unmasked Brains / Evil Inside / Savant  30 - Rectal Smegma (HOL) / Uzômi / Baga  Audio Rebel 16 – Quintavant: Thiago França: Sambanzo 17 – Quintavant: Thiago França: Space Charanga Quarteto 18 - Jair Naves & Britt Harris / Kasparhauser 19 – Quintavant: Ava Rocha 20 - Homenagem a John Coltrane (Widor Santiago, Sergio Barrozo, Adaury Mothé, Didac Thiago, Roberto Rutigliano) 23 – Quintavant: Hans Koch (SUI) - Participação: Bella, Thomas Rohrer, Cadu Tenório, Antonio Panda Gianfratti 24 – Quintavant: Hans Koch (SUI) - Participação: Thomas Rohrer, Antonio Panda Gianfratti 30 – Quintavant: AJJA (Pedro Calmon & Alex Frias)

Espaço Sérgio Porto 18 - Marcio Lugó / Capela  24 - Mulheres de Buço 25 - Whipallas 31 - CEP 20.000

Sala Baden Powell 16 - Donatinho: Homenagem a João Donato - Participação: Ithamara Koorax, Wanda Sá, Cris Delanno, Amanda Bravo, Ricardo Silveira 19 - Quarteto do Rio 23 - Lúcia Menezes 26 - Marcel Powell - Homenagem a Baden Powell - Participação: Thais Motta, Ithamara Koorax, Gabriel Aquino, Amanda Bravo, Dilma Oliveira 27 - Dorina Canta Aldir Blanc 30 - Eliana Pittman

Theatro Net Rio 16 – Laila Garin & A Roda 22 – Paulo Miklos 12/09 Simone Mazzer

Beco das Garrafas Casa de Cultura Laura Alvim 09 e 10 – Festival Levada: Luísa Maita 15 – Katerina Polemi 16 e 17 – Festival Levada: Apanhador Só 23 e 24 – Festival Levada: Bruna Mendez 30 e 31 – Festival Levada: Tamy

Teatro Ipanema 15 - A.Nota: Sambas do Absurdo (Juçara Marçal & Rodrigo Campos & Gui Amabis) 16 - Aíla (PA) – Participação: Posada 17 - Ana Frango Elétrico / Thiago Nassif 18 - Amora Pêra 22 - A.Nota: Marcelo Vig & Marcos Suzano

Teatro Café Pequeno 17 - Lu Dantas & Natália Boere 24 - Marcos Oliveira 31 - Filtra

Metropolitan 24 – Hanson (EUA) 26 - Lindsey Stirling (EUA) Teatro Bradesco 18 – Leo Jaime 24 – Almir Sater

Teatro Municipal de Niterói 18 e 19 – Roberta Campos 22 – Clube do Choro Homenageia Noel Rosa 24 – Quarteto do Rio

Planet Music (Cascadura) 18 - Torture Squad / Hatefulmurder / Reckoning Hour / Warcursed  19 - Black Days (SP) / Sheffield / Amsterdan / LaVille  26 - Festival Invasão Underground 2: Inversa (SP) / Maieuttica / Adrift / Tormentta / The Last Whale 

Imperator 16 - Quartas Brasileiras: Tia Surica - Tributo a Clara Nunes - Participação: Nilze Carvalho, Ana Quintas, Mariene de Castro 22 – Jazz Pras Sete: Folakemi Duo 23 – Maurício Mattar – Participação: Alexandre Pires 24 - Homenagem a Dalva de Oliveira: Amelinha, Zezé Motta, Dóris Monteiro, Leny Andrade, Rita Beneditto, Áurea Martins, Agnaldo Timóteo, Simone Mazzer, Zé Renato, Eliana Pittman, Rosa Maria Colyn, Luciene Franco, Ellen de Lima, Ataulfo Alves Jr, Gottsha 30 – Agnaldo Timóteo 31 – Samba do Imperator: Grupo Arruda, Marquinhos de Oswaldo Cruz, Arlindinho

Centro de Referência da Música Carioca Artur da Távola (Tijuca) 16 – Coletivo Samba na Rua 17 – Quinta Instrumental: Jimmy Santa Cruz 18 – Victor Mus 19 – Danilo Caymmi 23 – Fábrica Nômade Sonora 24 – Quinta Instrumental: Carlos Café 25 – Laura Zennet 26 – Quarteto do Rio 30 – Projeto Vitrola

FM Hall 23 – Manu Gavassi (grátis) 29 – Illy (grátis)

La Esquina (Lapa) 17 - Red Mess / Blind Horse / Stoned Jesus 24 – Mobile Drink

Smokey Rio (Lapa) 19 – Festa Rio Vinil Clube 26 – Bel Almeida Ganjah (Lapa) 18 – Duda Brack & Thiago Ramil 23 – Festa HempFyah: Rafyah Dread & Hempfield DubLab / Lion Dornellas / André Pfefer / Tagu Selectah Vibration 25 - Azul Casu & 3 du Mar

Casa de Baco (Lapa) 17 – Gafieira Pé de Louro 19 – Relógio de Dalí 24 – Joyce Cândido

CCBB 18 - Festival CCBB - Quanto Mais Tropicália, Melhor: Pato Fu / Céu – Praça do Centro Cultural dos Correios (22h – R$ 20) 19 - Festival CCBB - Quanto Mais Tropicália, Melhor: Pedro Luís & A Parede / Tom Zé – Praça do Centro Cultural dos Correios (22h – R$ 10)

Quintas no BNDES 17 - Byafra: 35 Anos de Sucesso 24 - Luiza Borges 31 - Tarita de Souza

Circuito SESC 16 – Copacabana: Philippe Baden Powell & Quarteto Ludere: Baden Powell 80 Anos 18 – Niterói: Clara Gurjão 26 – Engenho de Dentro: Clara Gurjão Circuito SESI 26 – Duque de Caxias: Tiê 25 – Jacarepaguá: Tiê _____________________________________________________________

mixx: 18 - Carmen Blues – Bar Kunin / Vila Isabel 18 – Sara & Nina – Olho da Rua / Vila Isabel 18 - Ronaldo Diamante – TribOz / Glória 18 - Wake the Dead Festival: Surra (SP) / Rats / Der Baum (SP) / Nove Zero Nove – Clube Mageense / Magé 18 – RaggaBrass – Boulevard Olímpico / Praça Mauá 18 - O Rappa - Tour de Despedida – Quadra da Grande Rio / Duque de Caxias 19 - Insurgente Rock Festival: Maieuttica / Ágona / Born2Bleed / Melyra / Forkill / Negah – Caixa de Surpresa / Bangu 19 - Breaking Bad - A Festa: Cervical / Controle / Mau Presságio – Buffallos Bar / Méier 19 - Festa RapSoul 5 Anos: Rael – Armazém / Praça Mauá 19 - Akira Presidente – Espaço BF / Mesquita

20 - Caxias Hell Festival: Velho / Justabeli (SP) / Dark Tower / Gutted Souls / Unnature / Vicious – Lira de Ouro / Duque de Caxias 25 - Bloco Fanfarra D´Águas – Praça das Nações / Bonsucesso 25 - Rogério Caetano - Participação: Hamilton de Holanda – Eco Som / Botafogo 25 - Arraiá do Bloco Vem Cá, Minha Flor – Feira de São Cristóvão

LEO JAIME LEO "GUANABARA" JAIME Com mais de 30 anos de carreira, Leo Jaime experimenta momentos de grande intensidade em sua vida profissional. Além da obra consagrada, como cantor e compositor, o artista está sempre atuando em novos projetos. Humor, interpretações arrebatadoras, inteligência e versatilidade são as marcas deste artista que apresenta ao publico carioca, no dia 18 de agosto, no Teatro Bradesco Rio, o espetáculo “Leo “Guanabara” Jaime”. No show ele relembra seus grandes sucessos musicais e as histórias por trás das canções e dos bastidores do Rock Brasil

PROGRAMAÇÃO BLUE NOTE JAZZ CLUB RIO (ONDE ERA A MIRANDA, NO COMPLEXO LAGOON, NA LAGOA, LADO LEBLON):   07/09 - Quinta-feira 20:00 Maceo Parker 22:30 Maceo Parker   08/09 – Sexta-feira 21:00 Maceo Parker 23:30 Maceo Parker   09/09 – Sábado 21:00 Sergio Mendes 23:30 Sergio Mendes   10/09 – Domingo 20:00 Sergio Mendes 22:30 Sergio Mendes   13/09 - Quarta-feira 20:00 Jaques Morelenbaum convida   16/09 – Sábado 21:00 Baby do Brasil 23:30 Baby do Brasil   17/09 – Domingo 20:00 Baby do Brasil 22:30 Baby do Brasil   20/09 - Quarta-feira   20:00 Jaques Morelenbaum convida   27/09 - Quarta-feira 20:00 Anne Paceo 28/09 Quinta-feira   20:00 Orquestra Atlântica 22:30 Orquestra Atlântica    Outubro   04/10 - Quarta-feira 20:00 Ala.Ni 05/10 – Quinta-feira 20:00 Chris Botti 22:30 Chris Botti  06/10 – Sexta-feira 21:00 Chris Botti 23:30 Chris Botti    07/10 – Sábado 21:00 Chris Botti 23:30 Chris Botti    08/10 – Domingo  20:00 Chris Botti 22:30 Chris Botti  11/10 - Quarta-feira 20:00 Teresa Salgueiro 22:30 Teresa Salgueiro    12/10 – Quinta-feira 20:00 Teresa Salgueiro 22:30 Teresa Salgueiro    20/10 – Sexta-feira 21:00 Chick Corea & Steve Gadd Band 23:30 Chick Corea & Steve Gadd Band   Novembro 02/11 Quinta-feira 20:00 Spyro Gyra 22:30 Spyro Gyra   03/11 Sexta-feira 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   04/11 Sábado 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   15/11 Quarta-feira 20:00 Laura Perrudin   16/11 Quinta-feira 20:00 Didier Lockwood Trio 22:30 Didier Lockwood Trio

ULTRA BRASIL ANUNCIA A PHASE 1 DE SEU LINEUP PARA A EDIÇÃO 2017: ADAM BEYER, ALESSO, ARMIN VAN BUUREN, DAVID GUETTA, JAMIE JONES, JOSEPH CAPRIATI, SASHA & JOHN DIGWEED e THE MARTINEZ BROTHERS SERÃO HEADLINERS FESTIVAL ACONTECE NOS DIAS 12, 13 E 14 DE OUTUBRO NO SAMBÓDROMO DO RIO

_______________________________________________________ CURSOS DE AGOSTO no Estação NET Botafogo    - História do Cinema Independente Brasileiro, com Cavi Borges    - Ancine e o fomento ao audiovisual brasileiro, com Julio Augusto Zucca    - Cinema Afrodisíaco? O sexo na tela, com Dodô Azevedo

Circuito Estação NET de Cinema e Cinemateca do MAM apresentam: Exposição CINEMA EM CASA: Equipamentos do acervo da Cinemateca do MAM. A partir de 23 de fevereiro, no Estação NET Botafogo de 23 de fevereiro a 23 de agosto 2017 Horário de visitação: 14h às 22h Entrada franca

DISTOPIAS BRASILEIRAS NO CINEMA A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 15 a 27 de agosto de 2017, a mostra cinematográfica Brasil Distópico, que traça um panorama da produção nacional sobre as distopias. Para a programação, os curadores Luís Fernando Moura e Rodrigo Almeida selecionaram 37 curtas e longas-metragens que imaginam diferentes futuros sombrios para o país, entre clássicos da ficção-científica brasileira e obras menos conhecidas.  Na programação, filmes como O quinto poder (1962), de Alberto Pieralisi, e Brasil ano 2000 (1969), de Walter Lima Júnior. Outras incorporam as convenções da ficção científica, encenando a ameaça nuclear e o colapso do planeta, como Parada 88: o limite de alerta (1978), de José de Anchieta; e Oceano Atlantis (1993), de Francisco de Paula. Há, ainda, aqueles que instalam o cinema de gênero em imaginários locais do Brasil, como é o caso de Abrigo nuclear (1981), de Roberto Pires; e Areias Escaldantes (1985). ESTE ULTIMO, TRAZ NO ELENCO, VARIOS NOMES E BANDAS DO ROCK BRASIL DOS ANOS 80, COMO LOBÃO, TITÃS, E TEMA-TITULO DE LULU SANTOS.

DEIXA NA RÉGUA: O filme estreia no dia 10 de Agosto no INSTITUTO MOREIRA SALLES com sessões às 16h e 20h e no CINE SANTA com sessão às 17h10. Deixa Na Régua. Direção: Emílio Domingos. Produção: Osmose Filmes. Documentário. Brasil. 73 minutos.

COM SESSÕES LOTADAS EM ALGUMAS CIDADES, UCI ABRE MAIS SALAS PARA “DAVID GILMOUR: LIVE IN POMPEII” E AGORA APRESENTA A EXIBIÇÃO EM XPLUS  Ingressos já estão à venda e o público poderá conferir o show também com o poderoso som Dolby Atmos em 360º



BLITZ AO VIVO: No embalo do lançamento do álbum 'Aventuras 2', Evandro Mesquita e sua Blitz finalizam seu quarto DVD, gravado no Circo Voador em abril, para lançamento em outubro. A banda está a todo vapor, com presença confirmada no próximo Rock In Rio e tem turnê pelos Estados Unidos confirmada em fevereiro de 2018

FESTIVAL DE CINEMA DA NOVA ZELANDIA

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers