Pages

Sunday, October 28, 2007

tim, noite 2


JULIETTE & THE LICKS = no que pese o fato de Juliette ser uma ótima performer e recitar direitinho a cartilha dos clichês do rock, sua banda é apenas ok e as músicas são monótonas e parecidas com o rock farofa dos anos 80. Qualquer banda de bar no US toca igual. Se naquele palco estivesse o Garbage as coisas teriam sido muito melhores, sem duvida.

THE KILLERS = show grandioso como os americanos sabem fazer, realçando a cafonália de Las Vegas com o lado mórmom de Brandon Flowers, que parecia um pastor. Nota dez na produção, mas fica aquele sentimento de algo burocrático. Flowers (e suas flores), ao vivo lembra o extinto Freddie Mercury. Na volta pro bis, uma versão alegrinha demais para "Shadowplay" do Joy Division (que está na trilha de "Control"). Mas as músicas do primeiro disco são melhores. E o Muse, também.



CRAIG ARMSTRONG = o maestro do massive attack fez um set atmosférico e com clima de chill out, q as vzs virava um electro de pista e acordava o povo (que só vai nessa tenda pra aparecer e bater papo). mas, qndo tava ficando bom, acabou, justamente pela falta das cobra killer, que nao vieram. se tivesse um hype em cima enchia. O lance foi voltar depois pro Spank Rock e GirlTalk, que botaram fogo na cool.

17 comments:

Henrique said...

E o Lindstrom? Alguém viu o carinha?

Henrique said...

Muito atraso para começar o Tim Festa...
Alguém aí conferiu o Lindstrom?

tom said...

fiquei na espera do lindstrom, mas qndo cheguei la ainda a levar mais de uma hora pra comecar, entao vazei pra oura tenda. quem viu?

PEDRO BAMBAATAA said...

Segunda noite ontem, enfim os caras melhoram liberaram a entrada para o palco principal, não estava chovendo, e tudo correu bem...

o show da juliette, fiquei até supreso com a primeira musica e sua performance, mas depois vieram muitos clichês, e a famosa média com a platéia empunhando
a bandeira brasileira...

bem logo, depois iniciou o show, que particularmente, eu, esperava... THE KILLERS...

realmente me impressionou bastante a produção, o visual de pastor do vocal sua postura em palco, realmente muitas das vezes lembrando freddy mercury...
mas achei que o cara canta muito
bem... e o forte do grupo, as melodias com base feita no teclado, deram um tom solene
bem interessante ao show, com
uma participação bem interessante do publico que cantou quase todas as músicas... para fechar minha
música favorita, neste ultimos 5anos, MR BRIGHTSIDE, com parcipação mais uma vez, quase religiosa, da plateia... agora relmente as musicas do HOT FUZZ,
empolgaram bem mais que, que as de
SAM'S TOWN....
mas gostei bastante e daria uma nota 9...

espero que ano que vem os caras melhorem a infra...

abraços

fabio fernandes said...

bem, amei a juliette,
curti o killers,
não tive paciência de esperar o lindstrom (acho que os atrasos este ano foram insuportáveis), diplo legal como sempre, hercovitch + johnny luxo divertídissimos,
spank rock começou capenga mas se superou,
girl talk rules !!!

achei os cenários legais, até um pouco melhores do que no ano passado. e, como sempre, tudo muito caro lá dentro e o que salva são as carroças de pipoca, cachorro-quente, churros e tapioca (!).

acho que é isso ...

Felipe Passarelli said...

todo mundo morgado né? rs to um caco. muitos erros, bem mais que acertos, mas foi intenso e o melhor veio nos 45 do 2o tempo. vamos lá:

- Antony and The Johnsons - O show em sí foi ótimo, porém em horário e palco errados. Antony tem uma voz que é realmente divina, mas não tem deus que ajude a ele fazer algo piano e voz pra um povo que falava o tempo todo ou estava só pela Bjork. Tem que ser sentado e bem confortável. (fora o calor que já estava ficando insurpotável)

- Bjork - Foi maravilhoso do começo ao fim, uma figuraça que sabe ser lírica e não deixar o show ficar chato em tempo nenhum. Vários Bloms Blips e o remix de "hyper-ballad" foi parte alta do show. Banda 10, Mike Stent tava lá, o cara é fera nos efeitos foi lindo. Depois a gente ve pq o hype em cima da lovefoxxx, que imita descaradamente ela, prum lado bom.

- Hot Chip - Cheguei um pouco atrasado pela fila la fora, daí fiquei vendo katia b, que foi legal, mas deu pra ver a metade. Nossa foi curto mais intenso (45 min e 1h pra Juliette). Hot Chip também é DFA do James Murphy e eles estão melhorando a cada dia. Finalmente um show new rave aqui, o som tava tão viajante que parecia q tinha tomado xtc, era fechar os olhos e viajar, o terceiro disco promete. O público não era o mesmo, deveriam colocar eles em outro lugar, 90% dos fãs do Arctic Monkeys viraram a cara.

- Arctic Monkeys - Show de qualidade, prova que é realmente uma das melhores do mundo, 65 minutos de pura adrenalina, pulação, gritos e roda. Todas as músicas são ótimas tanto do primeiro album quanto do segundo, estavamos precisando de um show assim, cru e intenso, adorei mas faltou mardy bum e 505.

- The Killers - Achei espetacular, talvez o melhor show no todo, me arrepiava em cada abertura de musica com os teclados, o Brandon Flowers tem uma super presença de palco e uma voz muito boa. a galera pulando o show inteiro, eu surtando mais ainda, foi o show mais completo de músicas acho, e ainda teve a cover do joy division "shadowplay" que eu acho maravilhosa. Nota 10.

Cibelle - em SP dizem que foi maravilhoso, mas aqui foi um porre, cheios de problemas tecnicos, ela reclamando toda hora, levando choques, mas no fundo é mais uma bossa-nova-bebel-gilberto-esque. Fiquei bem puto pq iria ser a CAT POWER a tocar por último, só vi ela saindo do palco, um absurdo, nisso muita gente vazou.

Spank Rock - São ótimos quando estão sem aquela percussão paraíba, fazem sons incríveis, mas esses tribalistas realmente achei fake e chato.

Girl Talk - A melhor coisa q2ue se aconteceu nesse Tim, foi histórico esse set, greg é muito crazy e geek tb, as musicas rolando ele vem fica pulando com a galera, se joga, chama a massa pra dançar junto com ele, porrada atrás de porrada, só naquela noite ele deve ter tocado uns 500 pedaços de musicas diferentes. o cara é o "now", kill your idols, ele além de dar a festa participa. uma pena não ter no jornal uma linha sobre esse show. Fantastic.

problemas: o breu daquele tuneu que ligava a saída, que pobreza, o no-ar-condicionado no show da bjork, estava insuportavel e o calor cada vez me irritava mais, a saida do palco em somente duas passagens, a demora insuportável pra começar o tim festa, cerveja péssima e não se tinha escolha.

depois me arrependi de não ter ido no tim cool, nem sabia do massive attack, era bom pra esperar até o tim festa começar.

será que o lindstrom tocou? só vi toktok q foi bem bacana. tb queria saber como foi.

buá! quero mais, até SP com CSS!

Abraços

Henrique said...

Eu pude ver bons trechos de algumas apresentações. O atraso e os palcos simultâneos me deixaram dividido. Gosto de acompanhar um set do começo ao fim. Porém, nas condições impostas pela organização, não foi possível.
Destaco o Lindstrom, com sua música espacial, mas sem ser aquela coisa viajandona. Era bem dançante. Tirava altos beats do laptop. Parecia que a Donna Summer e o Tio Moroder iam baixar no palco a qq momento...
A performance incendiária do Girl Talk vai ficar na lembrança. Muito legal!
E os sets do Sinden e do Diplo no palco Funk valeram a pena. Eles fizeram bonito. Dinamite pura. Marlboro foi apenas Ok.
Também vi alguma coisa do Spank Rock mas não me impressionei.
Quando fui embora, dia claro, tavam mandando um sambão atrás do outro naquele palco do Village onde o Johnny Luxo tinha tocado.
Queria ler as opiniões dos coveiros...

iga_rio said...

Fala Tom,

Cara concordo com sua critica no o globo !! Artic Monkeys foi do caralho !! saiu como eu esperava... banda e publico bem entrosados! já a estrutura do festival teve mais baixos do que altos... sem contar o preço das paradas... apesar de alguns criticarem, achei maneiro a parada das barraquinhas !!

Abraços,

PEDRO BAMBAATAA said...

é, pelo que estou vendo e lendo, a impressão que tenho neste segundo tim na marina, é que a
falta de estrutura e organização,
presentes no ano passado(1º ano de tim na marina)continuaram ou
pioraram este ano... acho que o
evento perdeu muuiito, quando saiu
do MAM... a produção deveria pensar em outro local, tipo jóquei-club, ou algo parecido... enfim achei, muito desorganizado...
o tal túnel tb, muito escuro e vazio... podiam colocar um dj ou algo parecido, pois, pelo preço de cobram deveriam oferecer mais coisas...
Ano que vem já não sei se irei...
Pensarei duas vezes...
o que valeu mesmo foi o show do
killers, muito legal mesmo...

abraços a todos!!

fabio fernandes said...

eu acho que o pior da segunda noite foi o atraso do tim festa ocorrido por causa do atraso do tim cool. o killers acabou bem cedo, antes da meia noite, e a produção demorou demais a colocar algo para atrair a multidão que ficou vagando para lá e para cá sem uma musiquinha para ouvir ... até o village poderia ter começado mais cedo para que as pessoas pudessem curtir/dançar mais. acho que faltou sensibilidade a produção para perceber que já estava ficando chato.

fabio fernandes said...

eu nem acho que o festival tenha que mudar de lugar, é claro que gostava mais do mam, mas a marina tem o seu charme. a questão é a organização do festival prestar atenção onde errou/erra:

- realmente, aquele espaço imenso entre entrada e palcos deveria ter um dj, um lounge, sei lá,
- mofo, devassa, espelunca chic são ótimos (e caros) lugares. só que fora de um festival que já cobra um preço exorbitante. acho que as opções para comer/beber teriam que ser mais acessíveis e por isso, viva as carroçinhas !

já tá na hora do festival descer redondo afinal já foram cinco edições do tim (três no mam, duas na marina).

algo que foi bem engraçado é o serviço de mensagens no telão. ótimo para passar o tempo enquanto aquele aguardado show não começa logo.

fabio fernandes said...

tom, o meu post anterior foi ?

Felipe Passarelli said...

achei finalmente uma notícia sobre Girl Talk! Do Daniel Tambarotti, esse entende bem de música. ele disse que lindstrom foi musicas ambiente só.

aqui, foi na G1 do globo.com, que aliás tem uma equipe excelente de jornalistas:

http://g1.globo.com/Noticias/Musica/0,,MUL161035-7085,00-CATARTICO+GIRL+TALK+E+O+MELHOR+ELETRONICO+DO+TIM.html

tb acho que o tunel tinha que ter uma pista, um perigo se alguem se espatifar no chão.

Lorena said...

como representante do lado negro da forca, atravesseis as largas pistas do aterro e fui pro circo ver o napalm death.

musica extrema e de qualidade unica. os caras dominam todas as velocidades e sao os mestres da rapidez demente. guitarra e bateria inconfundiveis, e o baixo distorcido sujando tudo ao fundo.

26 anos a servico da musica (um erro restringir caras tao originais ao genero metal)sem concessoes, livre de preocupacoes mercadologicas e modismos.

o frontman e uma figuraca. parece um frankenstein saido de um filme do monty phyton, tentando acompanhar o massacre sonoro com gestos e movimentos totalmente desencontrados e debiloides.

teve headbanger cascudo aos prantos na sequencia de musicas do scum, primeiro disco da banda.

noite inesquecivel.

fabio fernandes said...

pois é, comentário sobre o napalm já rolou.
e o joão penca, alguém viu ? otaner, vc foi ?

fabio fernandes said...

nem bem saímos do tim, já tem o lcd (que prá variar, será bem mais barato em sp) e carl cox (23/11, vivo rio, r$ 70 !) ...

Otaner said...

Fábio, acabei não indo no João Penca. Mas parece que devem rolar mais shows deles logo, logo.

Preço do LCD no circo: 100 reais a meia. Mais um show que eu gostaria de ir, mas não vou.

NA CIDADE

JULIANAS:

casas & shows: Circo Voador 18 – Metá Metá / Rakta 19 – Roberta Sá  20 – Testament (EUA) 25 – Johnny Hooker 26 – O Baú do Raul – 25 Anos: Marcelo Nova / Mauricio Baia / B.Negão / Chico Chico / Karina Buhr / Rick Ferreira / Vivi Seixas

Fundição Progresso 18 e 19 – Novos Baianos 25 - Mitchell Brunnings (HOL) / Orquestra Brasileira de Música Jamaicana 26 – Festival RapRJ 7: Cone Crew Diretoria / Luccas Carlos / Froid / 1Kilo / ADL – Participação: Ducon / Modestiaparte – Participação: Liink & Buddy Poke

Teatro Rival 18 – Festa La Cumbia 19 - Afrojazz - Participação: Larissa Luz & Jesuton 23 - Michael Sweet (Stryper) & John Schlitt (Petra) 24 - Júlia Bosco & Emerson Leal & Gustavo Macacko – Participação: Mart´nália & Simone Mazzer 25 – Alma Thomas 26 – Jay Vaquer 50 meia Setor A, 40 meia Setor B, 30 meia Lounge 30 – Cabaré Diferentão

Teatro Riachuelo 29 – Paulo Ricardo Teatro Odisseia 18 – Ordinária - Baile do Lindote: Molejo 24 - The World is a Beautiful Place & I am No Longer Afraid to Die / gorduratrans / E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante  26 - Esteban Tavares / Sheffield 

Vivo Rio 18 - Postmodern Jukebox (EUA)  19 – Barão Vermelho 20 – Roy Hargrove & Roberta Gambarini 25 - Jacob Collier (ING) 

Baratos da Ribeiro (Botafogo) 19 – Vespeiro: Marcelo Perdido / Real Sociedade / O Branco e o Índio 26 - Vespeiro: Tacy de Campos / Jonnata Doll & Os Garotos Solventes

Estúdio Hanói (Botafogo) 18 - Nativity in Black Fest: Justabeli (SP) / Dark Tower / Profane Art  19 - Festival Nativity in Black: Justabeli (SP) / Dark Tower / Profane Art  27 - Back To Hanoi Metal Fest: Forkill / Unmasked Brains / Evil Inside / Savant  30 - Rectal Smegma (HOL) / Uzômi / Baga  Audio Rebel 16 – Quintavant: Thiago França: Sambanzo 17 – Quintavant: Thiago França: Space Charanga Quarteto 18 - Jair Naves & Britt Harris / Kasparhauser 19 – Quintavant: Ava Rocha 20 - Homenagem a John Coltrane (Widor Santiago, Sergio Barrozo, Adaury Mothé, Didac Thiago, Roberto Rutigliano) 23 – Quintavant: Hans Koch (SUI) - Participação: Bella, Thomas Rohrer, Cadu Tenório, Antonio Panda Gianfratti 24 – Quintavant: Hans Koch (SUI) - Participação: Thomas Rohrer, Antonio Panda Gianfratti 30 – Quintavant: AJJA (Pedro Calmon & Alex Frias)

Espaço Sérgio Porto 18 - Marcio Lugó / Capela  24 - Mulheres de Buço 25 - Whipallas 31 - CEP 20.000

Sala Baden Powell 16 - Donatinho: Homenagem a João Donato - Participação: Ithamara Koorax, Wanda Sá, Cris Delanno, Amanda Bravo, Ricardo Silveira 19 - Quarteto do Rio 23 - Lúcia Menezes 26 - Marcel Powell - Homenagem a Baden Powell - Participação: Thais Motta, Ithamara Koorax, Gabriel Aquino, Amanda Bravo, Dilma Oliveira 27 - Dorina Canta Aldir Blanc 30 - Eliana Pittman

Theatro Net Rio 16 – Laila Garin & A Roda 22 – Paulo Miklos 12/09 Simone Mazzer

Beco das Garrafas Casa de Cultura Laura Alvim 09 e 10 – Festival Levada: Luísa Maita 15 – Katerina Polemi 16 e 17 – Festival Levada: Apanhador Só 23 e 24 – Festival Levada: Bruna Mendez 30 e 31 – Festival Levada: Tamy

Teatro Ipanema 15 - A.Nota: Sambas do Absurdo (Juçara Marçal & Rodrigo Campos & Gui Amabis) 16 - Aíla (PA) – Participação: Posada 17 - Ana Frango Elétrico / Thiago Nassif 18 - Amora Pêra 22 - A.Nota: Marcelo Vig & Marcos Suzano

Teatro Café Pequeno 17 - Lu Dantas & Natália Boere 24 - Marcos Oliveira 31 - Filtra

Metropolitan 24 – Hanson (EUA) 26 - Lindsey Stirling (EUA) Teatro Bradesco 18 – Leo Jaime 24 – Almir Sater

Teatro Municipal de Niterói 18 e 19 – Roberta Campos 22 – Clube do Choro Homenageia Noel Rosa 24 – Quarteto do Rio

Planet Music (Cascadura) 18 - Torture Squad / Hatefulmurder / Reckoning Hour / Warcursed  19 - Black Days (SP) / Sheffield / Amsterdan / LaVille  26 - Festival Invasão Underground 2: Inversa (SP) / Maieuttica / Adrift / Tormentta / The Last Whale 

Imperator 16 - Quartas Brasileiras: Tia Surica - Tributo a Clara Nunes - Participação: Nilze Carvalho, Ana Quintas, Mariene de Castro 22 – Jazz Pras Sete: Folakemi Duo 23 – Maurício Mattar – Participação: Alexandre Pires 24 - Homenagem a Dalva de Oliveira: Amelinha, Zezé Motta, Dóris Monteiro, Leny Andrade, Rita Beneditto, Áurea Martins, Agnaldo Timóteo, Simone Mazzer, Zé Renato, Eliana Pittman, Rosa Maria Colyn, Luciene Franco, Ellen de Lima, Ataulfo Alves Jr, Gottsha 30 – Agnaldo Timóteo 31 – Samba do Imperator: Grupo Arruda, Marquinhos de Oswaldo Cruz, Arlindinho

Centro de Referência da Música Carioca Artur da Távola (Tijuca) 16 – Coletivo Samba na Rua 17 – Quinta Instrumental: Jimmy Santa Cruz 18 – Victor Mus 19 – Danilo Caymmi 23 – Fábrica Nômade Sonora 24 – Quinta Instrumental: Carlos Café 25 – Laura Zennet 26 – Quarteto do Rio 30 – Projeto Vitrola

FM Hall 23 – Manu Gavassi (grátis) 29 – Illy (grátis)

La Esquina (Lapa) 17 - Red Mess / Blind Horse / Stoned Jesus 24 – Mobile Drink

Smokey Rio (Lapa) 19 – Festa Rio Vinil Clube 26 – Bel Almeida Ganjah (Lapa) 18 – Duda Brack & Thiago Ramil 23 – Festa HempFyah: Rafyah Dread & Hempfield DubLab / Lion Dornellas / André Pfefer / Tagu Selectah Vibration 25 - Azul Casu & 3 du Mar

Casa de Baco (Lapa) 17 – Gafieira Pé de Louro 19 – Relógio de Dalí 24 – Joyce Cândido

CCBB 18 - Festival CCBB - Quanto Mais Tropicália, Melhor: Pato Fu / Céu – Praça do Centro Cultural dos Correios (22h – R$ 20) 19 - Festival CCBB - Quanto Mais Tropicália, Melhor: Pedro Luís & A Parede / Tom Zé – Praça do Centro Cultural dos Correios (22h – R$ 10)

Quintas no BNDES 17 - Byafra: 35 Anos de Sucesso 24 - Luiza Borges 31 - Tarita de Souza

Circuito SESC 16 – Copacabana: Philippe Baden Powell & Quarteto Ludere: Baden Powell 80 Anos 18 – Niterói: Clara Gurjão 26 – Engenho de Dentro: Clara Gurjão Circuito SESI 26 – Duque de Caxias: Tiê 25 – Jacarepaguá: Tiê _____________________________________________________________

mixx: 18 - Carmen Blues – Bar Kunin / Vila Isabel 18 – Sara & Nina – Olho da Rua / Vila Isabel 18 - Ronaldo Diamante – TribOz / Glória 18 - Wake the Dead Festival: Surra (SP) / Rats / Der Baum (SP) / Nove Zero Nove – Clube Mageense / Magé 18 – RaggaBrass – Boulevard Olímpico / Praça Mauá 18 - O Rappa - Tour de Despedida – Quadra da Grande Rio / Duque de Caxias 19 - Insurgente Rock Festival: Maieuttica / Ágona / Born2Bleed / Melyra / Forkill / Negah – Caixa de Surpresa / Bangu 19 - Breaking Bad - A Festa: Cervical / Controle / Mau Presságio – Buffallos Bar / Méier 19 - Festa RapSoul 5 Anos: Rael – Armazém / Praça Mauá 19 - Akira Presidente – Espaço BF / Mesquita

20 - Caxias Hell Festival: Velho / Justabeli (SP) / Dark Tower / Gutted Souls / Unnature / Vicious – Lira de Ouro / Duque de Caxias 25 - Bloco Fanfarra D´Águas – Praça das Nações / Bonsucesso 25 - Rogério Caetano - Participação: Hamilton de Holanda – Eco Som / Botafogo 25 - Arraiá do Bloco Vem Cá, Minha Flor – Feira de São Cristóvão

LEO JAIME LEO "GUANABARA" JAIME Com mais de 30 anos de carreira, Leo Jaime experimenta momentos de grande intensidade em sua vida profissional. Além da obra consagrada, como cantor e compositor, o artista está sempre atuando em novos projetos. Humor, interpretações arrebatadoras, inteligência e versatilidade são as marcas deste artista que apresenta ao publico carioca, no dia 18 de agosto, no Teatro Bradesco Rio, o espetáculo “Leo “Guanabara” Jaime”. No show ele relembra seus grandes sucessos musicais e as histórias por trás das canções e dos bastidores do Rock Brasil

PROGRAMAÇÃO BLUE NOTE JAZZ CLUB RIO (ONDE ERA A MIRANDA, NO COMPLEXO LAGOON, NA LAGOA, LADO LEBLON):   07/09 - Quinta-feira 20:00 Maceo Parker 22:30 Maceo Parker   08/09 – Sexta-feira 21:00 Maceo Parker 23:30 Maceo Parker   09/09 – Sábado 21:00 Sergio Mendes 23:30 Sergio Mendes   10/09 – Domingo 20:00 Sergio Mendes 22:30 Sergio Mendes   13/09 - Quarta-feira 20:00 Jaques Morelenbaum convida   16/09 – Sábado 21:00 Baby do Brasil 23:30 Baby do Brasil   17/09 – Domingo 20:00 Baby do Brasil 22:30 Baby do Brasil   20/09 - Quarta-feira   20:00 Jaques Morelenbaum convida   27/09 - Quarta-feira 20:00 Anne Paceo 28/09 Quinta-feira   20:00 Orquestra Atlântica 22:30 Orquestra Atlântica    Outubro   04/10 - Quarta-feira 20:00 Ala.Ni 05/10 – Quinta-feira 20:00 Chris Botti 22:30 Chris Botti  06/10 – Sexta-feira 21:00 Chris Botti 23:30 Chris Botti    07/10 – Sábado 21:00 Chris Botti 23:30 Chris Botti    08/10 – Domingo  20:00 Chris Botti 22:30 Chris Botti  11/10 - Quarta-feira 20:00 Teresa Salgueiro 22:30 Teresa Salgueiro    12/10 – Quinta-feira 20:00 Teresa Salgueiro 22:30 Teresa Salgueiro    20/10 – Sexta-feira 21:00 Chick Corea & Steve Gadd Band 23:30 Chick Corea & Steve Gadd Band   Novembro 02/11 Quinta-feira 20:00 Spyro Gyra 22:30 Spyro Gyra   03/11 Sexta-feira 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   04/11 Sábado 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   15/11 Quarta-feira 20:00 Laura Perrudin   16/11 Quinta-feira 20:00 Didier Lockwood Trio 22:30 Didier Lockwood Trio

ULTRA BRASIL ANUNCIA A PHASE 1 DE SEU LINEUP PARA A EDIÇÃO 2017: ADAM BEYER, ALESSO, ARMIN VAN BUUREN, DAVID GUETTA, JAMIE JONES, JOSEPH CAPRIATI, SASHA & JOHN DIGWEED e THE MARTINEZ BROTHERS SERÃO HEADLINERS FESTIVAL ACONTECE NOS DIAS 12, 13 E 14 DE OUTUBRO NO SAMBÓDROMO DO RIO

_______________________________________________________ CURSOS DE AGOSTO no Estação NET Botafogo    - História do Cinema Independente Brasileiro, com Cavi Borges    - Ancine e o fomento ao audiovisual brasileiro, com Julio Augusto Zucca    - Cinema Afrodisíaco? O sexo na tela, com Dodô Azevedo

Circuito Estação NET de Cinema e Cinemateca do MAM apresentam: Exposição CINEMA EM CASA: Equipamentos do acervo da Cinemateca do MAM. A partir de 23 de fevereiro, no Estação NET Botafogo de 23 de fevereiro a 23 de agosto 2017 Horário de visitação: 14h às 22h Entrada franca

DISTOPIAS BRASILEIRAS NO CINEMA A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 15 a 27 de agosto de 2017, a mostra cinematográfica Brasil Distópico, que traça um panorama da produção nacional sobre as distopias. Para a programação, os curadores Luís Fernando Moura e Rodrigo Almeida selecionaram 37 curtas e longas-metragens que imaginam diferentes futuros sombrios para o país, entre clássicos da ficção-científica brasileira e obras menos conhecidas.  Na programação, filmes como O quinto poder (1962), de Alberto Pieralisi, e Brasil ano 2000 (1969), de Walter Lima Júnior. Outras incorporam as convenções da ficção científica, encenando a ameaça nuclear e o colapso do planeta, como Parada 88: o limite de alerta (1978), de José de Anchieta; e Oceano Atlantis (1993), de Francisco de Paula. Há, ainda, aqueles que instalam o cinema de gênero em imaginários locais do Brasil, como é o caso de Abrigo nuclear (1981), de Roberto Pires; e Areias Escaldantes (1985). ESTE ULTIMO, TRAZ NO ELENCO, VARIOS NOMES E BANDAS DO ROCK BRASIL DOS ANOS 80, COMO LOBÃO, TITÃS, E TEMA-TITULO DE LULU SANTOS.

DEIXA NA RÉGUA: O filme estreia no dia 10 de Agosto no INSTITUTO MOREIRA SALLES com sessões às 16h e 20h e no CINE SANTA com sessão às 17h10. Deixa Na Régua. Direção: Emílio Domingos. Produção: Osmose Filmes. Documentário. Brasil. 73 minutos.

COM SESSÕES LOTADAS EM ALGUMAS CIDADES, UCI ABRE MAIS SALAS PARA “DAVID GILMOUR: LIVE IN POMPEII” E AGORA APRESENTA A EXIBIÇÃO EM XPLUS  Ingressos já estão à venda e o público poderá conferir o show também com o poderoso som Dolby Atmos em 360º



BLITZ AO VIVO: No embalo do lançamento do álbum 'Aventuras 2', Evandro Mesquita e sua Blitz finalizam seu quarto DVD, gravado no Circo Voador em abril, para lançamento em outubro. A banda está a todo vapor, com presença confirmada no próximo Rock In Rio e tem turnê pelos Estados Unidos confirmada em fevereiro de 2018

FESTIVAL DE CINEMA DA NOVA ZELANDIA

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers