NA COVA DO LEÃO

Tuesday, November 06, 2007

NIGGA MY ASS!

Nao sei pq, me lembrei de um momento do passado, qndo fui na coletiva de James Brown, numa das vzs em que ele esteve aqui. Nessa epoca eu n trabalhava pro jornal, mas qndo sabia q ia ter alguma coletiva me infiltrava via amigos ou na careta mesmo (foi assim, p ex, que penetrei na coletiva do kiss, no caesar park). acho q vi na tv uma tradução fora do contexto e me lembrei do ocorrido.

foi mais ou menos assim: a coletiva (no velho hotel nacional) tinha tradução instantânea. uma dona de oculos, com cara de professora, do lado do godfather do soul, translava as frases pra ele, que respondia de volta. tudo ia bem, ate q uma pessoa perguntou sobre a questao dos negros etc e tal, e a tradutora mandou na lata para james brown: ta ta ta ta ta NIGGA bla bla bla. Cara, mr dynamite ficou branco, quase socou a dona (coisa q ele fazia bem, foi boxeador) e saiu batido. Rápido panos quentes, tiveram que explicar pra ele que no brasil nao era pejorativo usar o termo negro e a dona se confundiu. Correção feita, the hardest workman of show business voltou para a mesa e, com nigga mudado para black people, as coisas continuaram, mas o clima mudou totalmente...

10 comments:

pacheco said...

haahahah

=)

Nigga é uma das palavras mais complexas da língua estado unidense.

Historicamente, nigger começou sendo apenas uma espécie de "gíria" para negro. Teoricamente, falar "I met a nigger bla bla bla" não teria problema.

Entretanto, la na terra do lynyrd skynyrd e outros pescoços vermelhos, quando havia a escravatura, chamavam os negros com quem estavam falando de nigger , por exemplo: " Hey nigger, come here". Isso é obviamente racismo, pois isso é o equivalente a "ô seu negro, vem cá".

Hoje em dia, devido ao que eu disse no parágrafo acima, nigger virou um termo pejorativo em qualquer contexto. "I met a nigger", por exemplo, é racismo.

Entretanto, se um negro chama outro de nigger, não tem problema algum. (Ver RUSH HOUR para um bom exemplo desse tipo de confusão)

Apesar de eu saber que chamar outra pessoa de nigger NÃO É XINGAMENTO, pois eu não vejo nada de errado em ser negro, eu concordo com a reação do mestre, pois quem fala "nigger" nos EUA realmente é racista.
Ele devia ter noção de que isso é obviamente um problema cultural do país dele, logo essas regras não cabem no brasil, mas como ele deve ter sofrido a vida toda com essa palavra, deve ter sido um choque.

Mudando de assunto,

http://www.youtube.com/watch?v=lj3iNxZ8Dww

Tom, acho que vc devia fazer um post só sobre esse vídeo.

Abraços

Pedro said...

SANDMAN
vc ja contou essa historia algumas vezes tom rs
Po, mas ate eu que n sou fluente em ingles saberia que usar o termo "nigga" seria pejorativo.
que mulher idiota haha

tom said...

po, entao to realmente ficando gaga, my nigga sandman (rs). alias, o unico filme atual que usa o termo negro, sem problema, é hairspray, ja que. no contexto do filme, começo dos anos 60, ainda era assim que os blacks americanos eram chamados. alias, o filme é uma pequena peça de subversão para os dias atuais, ja que as pessoas fumam, falam negro, rola romance interracial e tal. mas nao bate o original de john waters

tom said...

na mesma epoca, uma reporter de uma grande rede de tv (hj bem famosa) perguntou para o grupo de free jazz americano yellow jackets pq eles se chamavam assim, insistindo no lance de "pq jaquetas amarelas", é a cor preferida de vcs? os caras riram muito na cara dela, pq yellow jacket nada mais é do que um tipo de vespa ou abelha, aquelas mais amarelinhas. mesmo com a explicação, a dona (que é loura) continuou nao entendendo.

tom said...

certa vez, teve um camarada por aqui (agora me escapa o nome, era um brasileiro que mora na australia e tem uma banda de reggae) que queria iniciar uma campanha para acabar com o uso da cor preta, do negro, para simbolizar coisas ruins. tipo: o lado negro da força, a coisa ta preta, e derivados. ridiculo, ne? afinal, o dark side of the moon é legal, e como ficaria então?

Marcio said...

Ainda não vi o Hairspray novo, que deve ser legal. Mas como você falou, é muito difícil superar o original, pois John Waters tem sacadas geniais que o mainstream é incapaz de entender, quiçá imitar bem.
Para mim uma das melhores "aulas" sobre racismo nas grandes cidades dos EUA é o filme "Faça a coisa certa", de Spike Lee. Achei no youtube uma cena que representa bem o conflito, e o que faz o pau comer é justamente a palavra "nigga" pronunciada por um não-negro:

http://www.youtube.com/watch?v=Jpa5fh3uW6k

Tiago Velasco said...

Pois é...
E a coisa está russa? Deve ter a ver com a propagando americana anticomunismo.

fabio fernandes said...

acho que acontece o mesmo com "neguinho" ... tinha uma professora (que não era negra) que ficava puta e corrigia qualquer aluno que falasse "neguinho fez isso", por exemplo. ela logo remendava, "branquinho tbém faz" ...

já falei algumas vezes e não me canso de falar, mas john waters é rei, e fico feliz que tenham homenageado o cara (muito bem com a refilmagem de hairspray) ainda em vida.

e, finalizando, para a galera do rio que curte um saldão (na sete de setembro, próximo a pça tiradentes), comprei o dvd de interstella 5555, do daft punk, por inacreditáveis r$ 8 !!! nem eu acreditei ainda.

tom said...

fabio, tinha mais interstella? so tenho copiado/baixado. queria ter o original. vo la amanha mesmo!

fabio fernandes said...

pô, tom, eu dei uma boa revirada mas acho que só tinha este mesmo. se bem que sempre tem algum lugar que a gente não olha direito.

sabe qual é a loja ? eu não lembro o nome pqe ela mudou de nome pouco tempo atrás, mas é fácil: no início da sete setembro (ela começa na pça tiradentes), tem um rei do mate, uma loja de fotos, um estacionamento
e esta loja de cd´s/dvd´s. tem um saldão de dvd´s logo na entrada, 1 é r$8 2 são r$ 15 e foi ali que achei. mas olhando por toda loja, tem vários dvds baratos misturados com os caros, então se tiver paciência e tempo, pode ser que ache.

NA CIDADE

JANEIRO TEM DUAS FACES:

CASAS & SHOWS: Circo Voador 19 - Samba Rap Festival: Elza Soares / Karol Conka 20 - Samba Rap Festival: Emicida / Jongo da Serrinha / Bateria da Império Serrano 25 - Phoenix (FRA) 26 - Vanessa da Mata / Fióti / DJ Incidental 27 - Barão Vermelho

Fundição Progresso 19 - BaianaSystem 20 - Tim Music no Samba: Xande de Pilares & Mumuzinho - Participação: Bateria do Salgueiro 26 – Johnny Hooker / Letrux 27 - Nando Reis

Teatro Odisseia 21 - Radnor With Lee (EUA) 28 - Demon Hunter (EUA) / Pantokrator (SUE)

Teatro Riachuelo 16 - Leila Pinheiro: Voz & Piano 23 - Ed Motta: Baile do Flashback 30 - Laila Garin & A Roda

Teatro Rival 20 - João Bosco: Voz & Violão 25 - Angela Ro Ro 26 - Bloco Sargento Pimenta 27 - Geraldo Azevedo: Voz & Violão

Audio Rebel 16 - Adaury Mothé Trio 17 - Rafael Rocha Quinteto 28 - N.D.R. / Triunfe / Dissonância 29 - Ana Baird & Camila Costa: Perigosas

Espaço Sérgio Porto 18 - Sinara 25 - Karine Carvalho: Galega Hits

Sala Baden Powell 19 - Sempre Livre / Sylvinho Blau Blau / Dr. Silvana & Cia. 20 – Nelson Sargento 21 – Banda do Síndico 24 - João Donato - Participação: Carlos Lyra & Roberto Menescal & Marcos Valle 25 - Mario Adnet: Jobim Jazz 26 – Marcos Ariel 27 – Cris Delanno 28 - Azymuth

Beco das Garrafas 17 - André Gonçalves 18 - Lu Oliveira 19 - Georgiana de Moraes & Fernanda Cunha & Camilla Dias: Homenagem a Vinicius de Moraes (20h) 19 - Joyce Cândido: Homenagem a Elis Regina (22h30) 20 - Hélio Delmiro (21h) 20 - Maíra Freitas & Taís Feijão (22h30) 21 - Dóris Monteiro 24 - Rosana Sabença 25 - Conexão Rio: Homenagem a Tom Jobim 26 - Amanda Bravo: Homenagem a Durval Ferreira - Participação: Paulinho Trompete, Mauricio Einhorn, Rosana Sabença, Billy Blanco Jr., Thaís Fraga 27 - Hector Costita & Joseval Paes 31 - Maria Luiza

Casa de Cultura Laura Alvim 16 - Dani Black 21 – Pedro Mann 23 - Davi Moraes 28 – Qinho Canta Marina Lima 30 - Matheus VK

Teatro Café Pequeno 18 – Verônica Sabino 25 – Elisa Queirós

Blue Note Rio 16 - Big Gilson 17 - Roberto Menescal 18 - Gabriel Moura 19 - Daniel Jobim & Daniel Boaventura: Homenagem a Tom Jobim & Frank Sinatra 20 - MPB-4 23 - Escalandrum (ARG) 24 - Mayer Hawthorne (EUA) 25 - Wanda Sá & Gilson Peranzzetta & Mauro Senise: Homenagem a Tom Jobim & Vinicius de Moraes

KM de Vantagens Hall 19 – Molejo & É O Tchan – Participação: Ludmilla 20 - Ney Matogrosso: Atento aos Sinais

Imperator 23 - Jazz Pras Sete: Chico Costa & Quarteto Artilheiro 24 - Quartas Brasileiras: Cordão da Bola Preta 27 - Forró Lánalaje: Marcelo Mimoso Trio / DJ Edna Carvalho 28 - Bloco Pipoca & Guaraná 31 - Toquinho: Voz & Violão - Participação: Camilla Faustino

Centro de Referência da Música (Tijuca) 17 - Ellen de Lima & Reginaldo Bessa: Homenagem a Lamartine Babo 18 - Rosa Marya Colin - Participação: Jefferson Gonçalves 19 - André Gabeh 17 - Eduardo Dussek 24 - Quinteto em Tom Maior 25 - Rosane Corrêa: Homenagem a Ella Fitzgerald 26 - Daíra: Homenagem a Belchior 31 - Ana Egito

Baile do Digitaldubs - HUB (Santo Cristo) 21 - Cedric "The Congos" Myton (JAM) 28 - Mad Professor & Aisha

Música no Deck - Barraca do Pepê (Barra da Tijuca) 20 – Filipe Ret 21 – Kell Smith 27 – Um 44k 28 – Luiza Possi Barra Blues Festival 26 - Sergio Diab Stratoman / Projeto Soul Jazz / Ana Egito / Alamo Leal Blues Groover’s / Corcel Mágico 27 - RJ Café / UniJazz Brasil / The Blue Fever / Sergio Rocha / Serra Blues Trio 28 - André Barroso / WestSide Blues / State of Blues / Victor Biglione Festival Downtown Sunset - Shopping Downtown (Barra da Tijuca) 20 – Gabriel O Pensador 27 – Biquini Cavadão

Rio Rock & Blues - Rock Experience (Lapa) 19 - Titanossauros / Conexão Japeri 20 - Love & The Lovers / The Loreleis 26 - The Smiths Cover 27 - Pedro Santana Trio / Elemento Surpresa / A Bolha Revisited

Circuito SESI 24 - Centro: Fhernanda Fernandes - Participação: Nana Kozak, Sandra Duailibe, Clarisse Grova, Ninah Joh, Andréa França

MIXXX: 17 – Matheus VK – Teto Solar / Botafogo 19 - Maratona Black - Baile Charme – Gafieira Elite / Centro 19 - O Rappa: Tour de Despedida – Quadra da Mocidade / Padre Miguel 20 - Festival Rock in Brisa 4: 90 Contos / Cosmobox – Espaço Tequila´s / Guaratiba 20 - Playmobille / Tem Amor – La Esquina / Lapa 20 - Indivíduo K / Cândido / Banheiro Azul – O Pecado Mora ao Lado / Praça da Bandeira 21 - Aniversário de 57 Anos do Cacique de Ramos 21 - Festival Lona Rock Sunday: Memora / The Outs / Corcel Mágico – Lona Terra / Guadalupe 21 - Lu Oliveira – Praia de Conceição de Jacareí / Mangaratiba 26 - Laurent Garnier (FRA) 26 - Bloco do S Convida KL Jay – Fosfobox / Copacabana 27 - Slide / Sollarium / Fresno / Glória / Strike - Clube Tamoio / São Gonçalo 27 – Matanza – Arena Fernando Torres / Parque de Madureira 27 - Visibilidade Transvestigenere - Beco Encantado: Mulher Pepita & MC Xuxu – Beco do Rato / Lapa 28 - Festa Divina Circus: IZA – Clube 4 Linhas / Bento Ribeiro 28 - Bloco Eficiente: Inclusão Se Faz Com Várias Mãos – Praça Paris / Glória 28 - Facing Fear / Stuff / Cidade Nua – Rock´N Beer Pub / São Gonçalo

exposição de fotografias de Raymond Depardon, “Un moment si doux”. Depois de passar por Paris e Buenos Aires, o CCBB Rio recebe as 170 fotografias de diferentes cores e formatos tiradas na Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Ate 22 de janeiro. qua-seg 9am-21pm. Grátis.

FESTIVAL DE CULTURA DIGITAL: De 18 a 20 de janeiro, quinta a sábado, acontece no CCBB RJ DIGI – Festival de cultura digital, uma mega programação que inclui imersão, reflexão e diversão. Tem até shows geek. quinta, 19 de janeiro, às 21h, apresentação da orquestra Ritornello de Jedi, com repertório de trilhas musicais de videogames, séries e desenhos, com cordas e vozes, e arranjos exclusivos. O objetivo é dar acesso à formação clássica com temas musicais do cotidiano. sexta, 20 janeiro, às 21h, é a vez de The Screeners, banda que faz releituras rock ’n’ roll de trilhas sonoras clássicas do cinema, de videogames, séries de TV, desenhos animados. É tudo grátis, das 9 às 21h.

MOSTRA NA CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO EXIBE O CINEMA DE HAL HARTLEY Programação reúne todos os 14 longas do diretor americano, além de debate, sessões comentadas e um curso de roteiro cinematográfico de 23 de janeiro a 4 de fevereiro de 2018 (terça a domingo)

O Ministério da Cultura, o Centro Cultural Banco do Brasil e a Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro apresentam a 14ª Mostra Melhores Filmes do Ano Além das exibições dos filmes, a mostra traz homenagens e catálogo especial com textos sobre os filmes e as iniciativas cinematográficas que fizeram a diferença em 2017 De 24 de janeiro a 1 de fevereiro
PROG IN BRASIL: Carl Palmer, Premiata Forneria Marconi, estarão no Brasil em 2018, se apresentando nas cidades de Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo, como parte da Top Cat Concert Series 2018. Os italianos do Premiata Forneria Marconi CHEGAM EM ABRIL. O grupo de rock progressivo, formado em 1971, vem lançar seu novo álbum 'Emotional tattoos', e também vai tocar seus clássicos. Maio vai trazer o baterista do Emerson, Lake & Palmer e também do Asia, Carl Palmer, com seu tributo ao ELP.Show promete surpresas com algumas participações especiais de peso.

No dia 24/jan, começa no CCBB SP a mostra Sonora: Ennio Morricone, que homanageia o maestro no ano que completa 90 anos. Ao todo, serão exibidos 22 filmes que têm a marca musical do maestro.

Nico Rezende fará show em homenagem a Chet Baker dia 26/01 no Blue Note. Aliás, esse ano completa 30 anos da morte do Chet!!! 2018 marca o trigésimo aniversário da morte de Chet Baker. Nico Rezende presta homenagem ao trompetista no palco do Blue Note Rio, no dia 26 de janeiro (sexta), para apresentar alguns clássicos imortalizados por Baker. Estão no programa canções como ‘Time after time’, My funny valentine’ e ‘There will never be another you’.

RU PAUL´S DRAG RACE TOUR: Em 2018, as drag queens de RuPaul's Drag Race vão levar a turnê oficial do reality-show, WERQ THE WORLD TOUR, para a terra do “Come to Brazil”! Michelle Visage vai comandar a apresentação no Brasil e todos os shows contarão com performances ao vivo de algumas das drag queens mais inesquecíveis de RuPaul's Drag Race, entre elas, as recém-divulgadas participantes da terceira temporada de All Stars, Shangela e Kennedy Davenport. Outras fan favorites devem marcar presença, como Detox, Kim Chi, Violet Chachki, Valentina e Peppermint. Ainda haverá um pré-show com DJ set e performance de Lady Bunny, a drag queen que é uma lenda da cena noturna de Nova York. 23/FEV TEATRO BRADESCO/RJ

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers