NA COVA DO LEÃO

Thursday, April 19, 2007

Dixie chiques


Baixei e vi no fim de semana o doc "Shut up & sing", que conta aquele perrengue pelo qual o trio feminino de country americano Dixie Chicks passou por ter manifestado uma opinião. Foi o seguinte: em 2003, elas estavam tocando no Sheperd´s Bush Empire, em Londres, qndo, em dado momento, a cantora principal, Natalie Maines, resolveu dizer, em meio a um sorriso maroto e jogando pra platéia dos londrinos, que sentia vergonha de ser da mesma terra (Texas) que o presidente Bush. Tudo bem, isso morreria ali. Não fosse a data ser a véspera da invasão americana no Iraque. O q fez o comentário atravessar o oceano e tomar proporções imensas. Logo, a banda que tocava na abertura do Superbowl, lotava arenas, vendia discos à rodo e tocava sem parar nas rádios foi praticamente excomungada por seus patricios e fãs. Num instante, pessoas passaram a jogar os CDs delas no lixo, manifestantes iam para portas de shows devolver ingressos, as rádios country simplesmente a botaram na geladeira (um locutor diz no filme q era mais fácil pra ele tocar Marilyn Manson!) e as meninas sairam de cena. Tiraram férias, foram cuidar dos maridos e filhos (Natalie é casada com o cara que faz Peter Petrelli em "Heroes") e repensar a carreira. Após dois anos começaram um novo disco, "Take the long way", produzido por Rick Rubin (com Chad Smith do RHCP nas baquetas) e resolveram mandar o country, que as abandonou, às favas. Recentemente, as Dixie Chicks voltaram ao mesmo Empire onde a frase foi dita. E Natalie mandou na lata: "estamos de volta à cena do crime (risos). E não tenho nada de novo pra dizer. Só que sinto vergonha de vir da mesma terra que o presidente dos Estados Unidos" (aplausos). É isso aí, uma garota de atitude e que não amarela, que nem fez o Justino naquele caso ridículo dos seios da Janet Jackson. Taí, mesmo não gostando de country, virei fã das Dixie Chicks. Elas tem mais atitude do que muito roqueiro posudo por aí. By t way, o doc é muito bom e vai além do simples fato, questionando tbm a liberdade de expressão, independentemente de raça, credo, sexo ou nacionalidade...

29 comments:

vmvieira said...

nao conhecia a estoria nem as musicas da banda, mas tambem fiquei bem simpatico com a causa- q americanada mais bitolada, parece aquele caso do lennon falar que os beatles eram maiores que cristo

Pedro said...

po, eu lembro desse caso.E me lembro tb, que ele teve destaque na impressa musical.Inclusive alguns rockeiros tb falaram mal das meninas :S

Assim como o green day, que foi esculachado pelo vocalista do Killers, devido a postura anti-bush e afins.

Po, o cara pode ser nacionalista, mas tb nao precisa ser idiota.Assim como a America tem milhares de acertos, tem milhares de erros.Nao da pra fechar os olhos.
-------------
Tom, fiquei com vontade de ver o doc, mas to com um problema.Eu nao sei aonde baixar os filmes rss
Me da uma dica de onde eu arrumo esse doc, e a legenda (q pode ser em ingles mesmo ).
valeu.

Felipe said...

Engraçado, não soube dessa história, mesmo não conhecendo o trabalho das mocinhas.

Sei que elas faturaram trocentos Grammys esse ano, então quer dizer que está tudo ok agora.

Essa coisa de patriotismo exarcebado é bem coisa de americano, sempre tem histórinhas de boicote, Madonna que o diga, nem chega aos pés delas.

Off Topic:

E esse massacre que rolou nos EUA o que vocês tem a dizer a respeito?

Engraçado que não foi por parte de ninguém ligado ao mundo Islamico, um sul coreano, mas nas declarações do cara ele foi bem enfático em sinalizar a terceira pessoa, se referindo a America pelo ocorrido.

Sinceramente, não sei o que se passa na cabeça dessas pessoas, já que eles vivem uma cultura totalmente diferente da nossa.

Em todos os lugares existem os "Freeks and Geeks", mas acho que isso lá é interpretado de uma maneira muito mais séria e raivosa do que aqui.

A cultura do consumo, a inveja, a ganância, as frustrações se transformam em proporções muito maiores na classe média de lá, ainda mais você sendo de outro país numa universidade de elite.

Isso tudo combinado gera pessoas como esse carinha, que nunca teve atenção reconhecida na vida por algo feito, e de alguma forma, chamou a atenção pra algo alarmante que acontece lá.

Xenofobia já existe nos EUA e na Europa faz tempo, misturado com a ostentação dos americanos e o desleixo aos imigrantes.

Já que tem imigrantes, acho que deviam pensar seriamente na igualdade e no atendimento psicólogico desses.

Taí, um carinha que foi rejeitado e sacaneado a vida inteira ganhou seu dia de fama, não da melhor maneira, mas fez direitinho o que ele planejou, mostrando que os EUA ainda não são 100% seguros.

fabio fernandes said...

eu tenho um cd das meninas, ainda da fase anterior, acentuadamente country, sempre simpatizei com elas ... que na entrega do grammy deste ano deram um tapa com luva de pelica na cara de todos, já que passaram o rodo nos prêmios.
ou não, de repente, os prêmios que elas ganharam foram uma espécie de desculpa ???

tom said...

um cantor country de segunda, toby keith, liderou o boicote a elas e chamou-as de vagabundas. sabe o q a natalie (a do meio na foto) fez? bordou numa camiseta as iniciais FUTK (vc sabe o q significa) e disse pra imprensa que significava Fans United Together in Kindness, rarara. ela tbm é a unica do trio q fala palavrao e se veste de um modo, digamos, mais punky...

tom said...

esse lance do tiroteio sempre vai acontecer, por um motivo ou por outro. um amigo meu de longa data mora la desde os 8 anos, estudou, se formou, se casou, fez tudo lá. ja tem cidadania, green card, tudo. mas, pros americanos, pela pela dele mais morena e pelo nome de familia latino, ele sempre será um imigrante, de fora, outsider. eles segregacionam mesmo...

Rocha07 said...

Acho isso muita besteira. Existem historias de imigrantes que deram certo nos EUA. Quanto a serem aceitos ou nao, bom, se o cara deu certo, profissionalmente e tal, entao ele foi aceito de alguma forma.
Li alguns artigos a respeito desse coreano e parece que ele sempre foi quieto, desde que morava na Coreia do Sul. Os colegas dele, tanto na high school quanto na faculdade, diziam que ele nao abria a boca. Po, ai fica dificil ser aceito ne?
E quanto aos pais do garoto? Sera que eles sabiam que o filho era meio violento? A responsabilidade cai sobre eles porque, afinal de contas, eles que decidiram ir morar nos EUA pra "tentar uma vida melhor", pelo o que eu li. O que eu não entendo, porque já li que a Coréia do Sul é um dos países mais promissores da Ásia no momento.
O cara quis ser um mártir, falou em Jesus Cristo e tudo, ao mesmo tempo que falava mal do cristianismo. Fez homenagem aos moleques de Columbine. Acho que ele queria aparecer e entrar pra história. E conseguiu.
Em qualquer colégio, de qualquer lugar do mundo, existem crianças que são sacaneadas, seja por qualquer motivo. Mas isso não justifica nada. E se os imigrantes são tão escorraçados nos EUA, caralho, por que diabos eles vão pra lá então?

tom said...

ue, rocha, os imigrantes vao pra la pq, mesmo sendo sacaneados, ganham melhor q em suas terras, e isso é fato. claro q isso nem o fato do cara ser ignorado devem servir de desculpa, mas a america, mas do q qq lugar, divide bem seus grupos como naqueles partos de refeição escolar. o arroz aqui, o feijao acolá e os legumes do outro lado. isso tbm é fato...

Jaime said...

boicote é uma coisa típica de pelego, não! é foda! a mediocridade tenta ser represa, mas os diques arrebentam com a força da natureza...

pacheco said...

Eu vi um show delas num rodeio lá em hoston!!!! =)

Eu estava numa aula de Debate lá quando isso aconteceu... rolou uma discussão saudável.

Rocha07 said...

Ok mas então há de se concordar que todos pagam um certo preço por aquilo que querem na vida. O imigrante vai pra América (do Norte), consegue um bom emprego, ganha bem, etc...mas talvez ele nunca vá ser aceito como um americano. E aí? Vale a pena? Nada na vida é de graça.
E, se tratando do caso do coreano, vários asiáticos se dão bem nos EUA. Até melhor do que os hispânicos. Então não acho que o motivo seja esse. Acho que o moleque era perturbado, talvez até mesmo antes de ter ido pros EUA. Tu chegou a ver o vídeo que ele mandou pra NBC? Tá lá no youtube. O discurso dele não faz o menor sentido.

Felipe said...

A facilidade de compra de armas dentro do EUA aumenta muito esses casos, seria muito dificil isso acontecer entre cidadões comuns (sem ser terroristas), como acontece lá.

As pessoas podem ter até planos aqui de fazer algo, mas não é qualquer um, lá acho que acima de 18 você já pode comprar qualquer tipo de arma e munição (lembram Tiros em Columbine?)

E a comunidade sul-coreana já está sendo mal vista pelos americanos, só da uma volta por youtube e blogs da vida que eles já generalizam tudo (Pigs, Motherfucker, suckers).

Outra coisa chata, você sul-coreano, paga o pato todo pelo que esse carinha fez, cria mais xenofobia no país.

Estão falando já nos jornais que ele se inspirou em Matrix e naquele filme "nervoso" Oldboy, me lembro que até comentei aqui, prendem o cara por anos e o cara sai matando todo mundo, da frio na espinha esse filme, mas é um filmaço.

Ele mandou fotos e filmes pra NBC, ainda estão interpretando o caso, é o cara quis chamar atenção e conseguiu.

fabio fernandes said...

eu comentava em que momento os "especialistas" iriam encontrar a inspiração do sul-coreano em músicas, filmes ou games. não demorou muito, logo, logo já surgiu o nome de oldboy ...
cuja versão americana (produzida por sean penn) foi cancelada, graças a deus. quem deve estar feliz é o diretor chan-wook park
, que compôs a trilogia da vingança (quem não viu os outros dois, deve ver, são ótimos), que acaba de ganhar publicidade gratuita ...

fabio fernandes said...

off topic:
e o air, finalmente, vem aí ...

Otaner said...

Ainda bem que no Rio de Janeiro não tem esses problemas de tiroteio...

Felipe said...

Mudando de assunto, vocês vão no Keane hoje?

To lá!

E esse ano nem vou no Skol Beats, 2 dias sem chances! :)

Rocha07 said...

Pra ser sincero, eu nem sei aonde eu iria no Rio pra comprar uma arma (legalmente). Nem sei aonde se vende. Nos EUA é fácil porque em qualquer lugar tem uma lojinha vendendo.

Rocha07 said...

Acho que a diferença é que aqui neguinho não tem grana pra comprar uma arma. Quanto que custa? Duvido que seja barato.

tom said...

aqui no rio, acho q se vc tiver acesso a algum trafica local ou ao carinha q vende drogas na noite, de repente chega a quem vende armas, uma coisa ta ligada na outra. acho q em casa de caça e pesca se compra armas aqui, tipo rifle, mas deve ter muita burocracia. e acho q nem tem a arma a mostra na loja, como tem nos eua. lá é muito facil mesmo.

Marcio said...

Todo o meu respeito à dignidade das Dixie Chicks, cujo trabalho realmente não conheço. Uma curiosidade, Tom: você conhece o "The Radio Department", que, assim como o "Air", está na trilha de Marie Antoinette? Acho que as faixas deles foram as minhas preferidas do disco, que acho uma coletânea excelente.

Rocha07 said...

So pra nao dizer que eu nao comentei sobre o topico em si, eu sempre gostei das Dixies. Nao sou fa de country, mas tb nao tenho nada contra. E elas sempre fizeram um country meio pop. Eu ja ouvi esse ultimo cd...se merecia ou nao ganhar tantos grammys eu nao sei. Mas ruim nao eh. Acho que o que rolou nos grammys foi uma atitude meio politica, anti-Bush.
Sao exemplos como o delas que mostram que os EUA nao eh feito so de idiotas e patriotas cegos.

pacheco said...

Na escola onde eu estudei eles dão bastante atenção aos estrangeiros... a escola até tem aŭlas especiais chamadas ESL (english second language) que é pro pessial estrangeiro se acostumar com a língua... e não vi nenhum traço de xenofobismo entre os estudantes. A única coisa que havia era a separação de culturas na hora do almoço, mas acho que isso é mais culpa dos estrangeiros mesmo. Se tem 3 brasileiros na minha escola, é lógico que eu vou sentar com eles.

Eŭ adorava todos os coreanos... meŭs amigos se resumiam a coreanos e muçulmanos.

Jaime said...

varg virkenes

tom said...

alguem ai foi no keane? prestou? alguem ai foi no jethro tull? e alguem ai vai no evanescencia?

Pedro said...

o cara tinha problemas psicologicos.
nao tem nada a ver com old boy, rock alemao...e coisas do tipo.
o cara era doente e ponto final.
O mais engracado foi o comentario do avo dele..foi algo do tipo "bem feito pro fdp..morreu com aquelas pessoas"
todos na familia dele falavam que o coreano era doente.

tom said...

tem um camarada chamado jaime que fica mandando toda hora o nome do vocalista do burzum, varg virkenes, aquele que botava fogo em igrejas. jaime, ja colocamos um post seu, pode parar de mandar. sobre oldboy, ridiculo. sempre tentam passar a culpa pra algo mais facil, como tentaram jogar em marilyn manson a parada de columbine. cho era doente...

Jaime said...

ahahahahahah

Jaime said...

vcs leram a reportagem do estadão na sexta? foi a única que não colocou panos quentes, nem tapou o sol com a paneira. vagabundo aloprava com o infeliz que nem fazem com o finatti na comuna da bizz e etc. o mais leve que falavam pro cara era: "volte pra china, seu imigrante fdp"...

aí o cara vai aguentando quieto, aguentando e aí depois não adianta querer represar pq os diques sempre hão de romper. e deu naquela merda que todo mundo viu na tevê.

na verdade, a cultura pop tb tem parcela de culpa, sim! pq é vendida uma hiper-realidade que gera frustração em muitos. rolou ontem no globo news uma discussão tb muito interessante - sem esse maniqueísmo idiota de quem se acha elite e a cambada de fora de seu círculo lixo branco. se é pra discussão ser nesses termos, vá se foder com moralismo de quinta!

e sinceramente acho que conceber esta merda de realidade apenas como artefato para consumo é se negar a enxergar a própria responsabilidade, que é de todos.

caso contrário pq moleque de rua entraria numas de roubar ipod ou tênis nike de playba? isso tudo é reflexo de uma violência a que esse pessoal é submetido diariamente... aí já viu!

o pior é que sempre vai ter gente com mentalidade de velhota tricoteira que acha que novela é retrato da vida real. fala sério!

o darcy ribeiro falava uma coisa muito séria e muita gente dava de ombros: falava na importância da educação deste povo. e aí nas sucessões, seus projetos eram sabotados por razões políticas contrárias. mas era aquela história: o inimigo não é aquele seu vizinho que é um pouquinho diferente de vc (putz), o inimigo hj é um mal bem pior... aquele negócio que o glauber ironizou naquele filme toscaço dele, com rotação alterada de áudio e tudo, reprocessando os primórdios do cinema moderno aqui deste país.

acho sinceramente que antes de qq atribuição de juízos de valor, todo mundo teria de ter lido a genealogia da moral, daquele alemão bigodudo. assim é mais fácil não se surpreender depois que o leite estiver esparramado no assoalho.

Jaime said...

miltom, coveiros, vamos lá!
varg virkenes é nosso rei!!!!!!

NA CIDADE

JANEIRO TEM DUAS FACES:

CASAS & SHOWS: Circo Voador 19 - Samba Rap Festival: Elza Soares / Karol Conka 20 - Samba Rap Festival: Emicida / Jongo da Serrinha / Bateria da Império Serrano 25 - Phoenix (FRA) 26 - Vanessa da Mata / Fióti / DJ Incidental 27 - Barão Vermelho

Fundição Progresso 19 - BaianaSystem 20 - Tim Music no Samba: Xande de Pilares & Mumuzinho - Participação: Bateria do Salgueiro 26 – Johnny Hooker / Letrux 27 - Nando Reis

Teatro Odisseia 21 - Radnor With Lee (EUA) 28 - Demon Hunter (EUA) / Pantokrator (SUE)

Teatro Riachuelo 16 - Leila Pinheiro: Voz & Piano 23 - Ed Motta: Baile do Flashback 30 - Laila Garin & A Roda

Teatro Rival 20 - João Bosco: Voz & Violão 25 - Angela Ro Ro 26 - Bloco Sargento Pimenta 27 - Geraldo Azevedo: Voz & Violão

Audio Rebel 16 - Adaury Mothé Trio 17 - Rafael Rocha Quinteto 28 - N.D.R. / Triunfe / Dissonância 29 - Ana Baird & Camila Costa: Perigosas

Espaço Sérgio Porto 18 - Sinara 25 - Karine Carvalho: Galega Hits

Sala Baden Powell 19 - Sempre Livre / Sylvinho Blau Blau / Dr. Silvana & Cia. 20 – Nelson Sargento 21 – Banda do Síndico 24 - João Donato - Participação: Carlos Lyra & Roberto Menescal & Marcos Valle 25 - Mario Adnet: Jobim Jazz 26 – Marcos Ariel 27 – Cris Delanno 28 - Azymuth

Beco das Garrafas 17 - André Gonçalves 18 - Lu Oliveira 19 - Georgiana de Moraes & Fernanda Cunha & Camilla Dias: Homenagem a Vinicius de Moraes (20h) 19 - Joyce Cândido: Homenagem a Elis Regina (22h30) 20 - Hélio Delmiro (21h) 20 - Maíra Freitas & Taís Feijão (22h30) 21 - Dóris Monteiro 24 - Rosana Sabença 25 - Conexão Rio: Homenagem a Tom Jobim 26 - Amanda Bravo: Homenagem a Durval Ferreira - Participação: Paulinho Trompete, Mauricio Einhorn, Rosana Sabença, Billy Blanco Jr., Thaís Fraga 27 - Hector Costita & Joseval Paes 31 - Maria Luiza

Casa de Cultura Laura Alvim 16 - Dani Black 21 – Pedro Mann 23 - Davi Moraes 28 – Qinho Canta Marina Lima 30 - Matheus VK

Teatro Café Pequeno 18 – Verônica Sabino 25 – Elisa Queirós

Blue Note Rio 16 - Big Gilson 17 - Roberto Menescal 18 - Gabriel Moura 19 - Daniel Jobim & Daniel Boaventura: Homenagem a Tom Jobim & Frank Sinatra 20 - MPB-4 23 - Escalandrum (ARG) 24 - Mayer Hawthorne (EUA) 25 - Wanda Sá & Gilson Peranzzetta & Mauro Senise: Homenagem a Tom Jobim & Vinicius de Moraes

KM de Vantagens Hall 19 – Molejo & É O Tchan – Participação: Ludmilla 20 - Ney Matogrosso: Atento aos Sinais

Imperator 23 - Jazz Pras Sete: Chico Costa & Quarteto Artilheiro 24 - Quartas Brasileiras: Cordão da Bola Preta 27 - Forró Lánalaje: Marcelo Mimoso Trio / DJ Edna Carvalho 28 - Bloco Pipoca & Guaraná 31 - Toquinho: Voz & Violão - Participação: Camilla Faustino

Centro de Referência da Música (Tijuca) 17 - Ellen de Lima & Reginaldo Bessa: Homenagem a Lamartine Babo 18 - Rosa Marya Colin - Participação: Jefferson Gonçalves 19 - André Gabeh 17 - Eduardo Dussek 24 - Quinteto em Tom Maior 25 - Rosane Corrêa: Homenagem a Ella Fitzgerald 26 - Daíra: Homenagem a Belchior 31 - Ana Egito

Baile do Digitaldubs - HUB (Santo Cristo) 21 - Cedric "The Congos" Myton (JAM) 28 - Mad Professor & Aisha

Música no Deck - Barraca do Pepê (Barra da Tijuca) 20 – Filipe Ret 21 – Kell Smith 27 – Um 44k 28 – Luiza Possi Barra Blues Festival 26 - Sergio Diab Stratoman / Projeto Soul Jazz / Ana Egito / Alamo Leal Blues Groover’s / Corcel Mágico 27 - RJ Café / UniJazz Brasil / The Blue Fever / Sergio Rocha / Serra Blues Trio 28 - André Barroso / WestSide Blues / State of Blues / Victor Biglione Festival Downtown Sunset - Shopping Downtown (Barra da Tijuca) 20 – Gabriel O Pensador 27 – Biquini Cavadão

Rio Rock & Blues - Rock Experience (Lapa) 19 - Titanossauros / Conexão Japeri 20 - Love & The Lovers / The Loreleis 26 - The Smiths Cover 27 - Pedro Santana Trio / Elemento Surpresa / A Bolha Revisited

Circuito SESI 24 - Centro: Fhernanda Fernandes - Participação: Nana Kozak, Sandra Duailibe, Clarisse Grova, Ninah Joh, Andréa França

MIXXX: 17 – Matheus VK – Teto Solar / Botafogo 19 - Maratona Black - Baile Charme – Gafieira Elite / Centro 19 - O Rappa: Tour de Despedida – Quadra da Mocidade / Padre Miguel 20 - Festival Rock in Brisa 4: 90 Contos / Cosmobox – Espaço Tequila´s / Guaratiba 20 - Playmobille / Tem Amor – La Esquina / Lapa 20 - Indivíduo K / Cândido / Banheiro Azul – O Pecado Mora ao Lado / Praça da Bandeira 21 - Aniversário de 57 Anos do Cacique de Ramos 21 - Festival Lona Rock Sunday: Memora / The Outs / Corcel Mágico – Lona Terra / Guadalupe 21 - Lu Oliveira – Praia de Conceição de Jacareí / Mangaratiba 26 - Laurent Garnier (FRA) 26 - Bloco do S Convida KL Jay – Fosfobox / Copacabana 27 - Slide / Sollarium / Fresno / Glória / Strike - Clube Tamoio / São Gonçalo 27 – Matanza – Arena Fernando Torres / Parque de Madureira 27 - Visibilidade Transvestigenere - Beco Encantado: Mulher Pepita & MC Xuxu – Beco do Rato / Lapa 28 - Festa Divina Circus: IZA – Clube 4 Linhas / Bento Ribeiro 28 - Bloco Eficiente: Inclusão Se Faz Com Várias Mãos – Praça Paris / Glória 28 - Facing Fear / Stuff / Cidade Nua – Rock´N Beer Pub / São Gonçalo

exposição de fotografias de Raymond Depardon, “Un moment si doux”. Depois de passar por Paris e Buenos Aires, o CCBB Rio recebe as 170 fotografias de diferentes cores e formatos tiradas na Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Ate 22 de janeiro. qua-seg 9am-21pm. Grátis.

FESTIVAL DE CULTURA DIGITAL: De 18 a 20 de janeiro, quinta a sábado, acontece no CCBB RJ DIGI – Festival de cultura digital, uma mega programação que inclui imersão, reflexão e diversão. Tem até shows geek. quinta, 19 de janeiro, às 21h, apresentação da orquestra Ritornello de Jedi, com repertório de trilhas musicais de videogames, séries e desenhos, com cordas e vozes, e arranjos exclusivos. O objetivo é dar acesso à formação clássica com temas musicais do cotidiano. sexta, 20 janeiro, às 21h, é a vez de The Screeners, banda que faz releituras rock ’n’ roll de trilhas sonoras clássicas do cinema, de videogames, séries de TV, desenhos animados. É tudo grátis, das 9 às 21h.

MOSTRA NA CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO EXIBE O CINEMA DE HAL HARTLEY Programação reúne todos os 14 longas do diretor americano, além de debate, sessões comentadas e um curso de roteiro cinematográfico de 23 de janeiro a 4 de fevereiro de 2018 (terça a domingo)

O Ministério da Cultura, o Centro Cultural Banco do Brasil e a Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro apresentam a 14ª Mostra Melhores Filmes do Ano Além das exibições dos filmes, a mostra traz homenagens e catálogo especial com textos sobre os filmes e as iniciativas cinematográficas que fizeram a diferença em 2017 De 24 de janeiro a 1 de fevereiro
PROG IN BRASIL: Carl Palmer, Premiata Forneria Marconi, estarão no Brasil em 2018, se apresentando nas cidades de Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo, como parte da Top Cat Concert Series 2018. Os italianos do Premiata Forneria Marconi CHEGAM EM ABRIL. O grupo de rock progressivo, formado em 1971, vem lançar seu novo álbum 'Emotional tattoos', e também vai tocar seus clássicos. Maio vai trazer o baterista do Emerson, Lake & Palmer e também do Asia, Carl Palmer, com seu tributo ao ELP.Show promete surpresas com algumas participações especiais de peso.

No dia 24/jan, começa no CCBB SP a mostra Sonora: Ennio Morricone, que homanageia o maestro no ano que completa 90 anos. Ao todo, serão exibidos 22 filmes que têm a marca musical do maestro.

Nico Rezende fará show em homenagem a Chet Baker dia 26/01 no Blue Note. Aliás, esse ano completa 30 anos da morte do Chet!!! 2018 marca o trigésimo aniversário da morte de Chet Baker. Nico Rezende presta homenagem ao trompetista no palco do Blue Note Rio, no dia 26 de janeiro (sexta), para apresentar alguns clássicos imortalizados por Baker. Estão no programa canções como ‘Time after time’, My funny valentine’ e ‘There will never be another you’.

RU PAUL´S DRAG RACE TOUR: Em 2018, as drag queens de RuPaul's Drag Race vão levar a turnê oficial do reality-show, WERQ THE WORLD TOUR, para a terra do “Come to Brazil”! Michelle Visage vai comandar a apresentação no Brasil e todos os shows contarão com performances ao vivo de algumas das drag queens mais inesquecíveis de RuPaul's Drag Race, entre elas, as recém-divulgadas participantes da terceira temporada de All Stars, Shangela e Kennedy Davenport. Outras fan favorites devem marcar presença, como Detox, Kim Chi, Violet Chachki, Valentina e Peppermint. Ainda haverá um pré-show com DJ set e performance de Lady Bunny, a drag queen que é uma lenda da cena noturna de Nova York. 23/FEV TEATRO BRADESCO/RJ

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers