Pular para o conteúdo principal

SHARON!!!

O mais legal de ter ido ver Ozzy e Korn na Rioarena foi conhecer o lugar. Finalmente temos aqui uma arena parecida com as que existem nos EUA, para grandes shows e eventos esportivos. É quase igual a uma que fui ano passado em Tampa, Fl. A diferença é a organização e o jumbotron vagabundo (pequeno e sem tela de alta definição). Também foi meio complicado entrar no local, pq cada pessoa dava uma informação diferente e e errada. Por isso, levei uns 20 minutos até chegar na pista do show. Desde onde parar o carro até qual a porta certa para entrada de imprensa, nem os caras do estacionamento (15 contos!), nem as meninas com roupas do hsbc, nem os seguranças se entendiam quanto as direções certas. Cada um falava uma coisa, na cara do outro! Acabei indo sozinho e entrando onde achava q era e deu certo. Lá dentro, tudo certinho e limpinho, bom espaço (o mais próximo q temos aqui de um Madison Square Garden, só falta agora comparar com o novo Maracanazinho), boa acustica, facil de circular, mas acabamento fraco para aguentar show de rock. No meio do Ozzy uma grade da arquibancada em frente a saida B se soltou. Ainda bem que nao caiu ninguem, nem em cima de alguém. Uns caras (que nem tavam fazendo banging) seguraram a grade antes da queda. Ou seja, material ruim ou mal pregado, pra uma obra que custou os olhos da cara, bem além do previsto. O show? bacana, mas o q ele fez ha uns dez anos no Claro Hall foi melhor. Preferi o Korn, mais dinamico, embora o som estivesse notadamente mais baixo. Se o Maiden voltar e tocar lá, vai ser dez. Alguém vai lá ver o Rod? me not...

Comentários

  1. RICARDO

    também me amarrei no local. estacionamento grande, pista espaçosa, facilidade pra comprar bebida (cerveja 5 reais, mas pelo menos é skol) e na saída em menos de um minuto já tava fora do estacioamento.

    o que me deixou puto foi o volume do show do korn. logo o korn que faz um som que tem que se ouvir no último furo. dava até pra conversar sem gritar enquanto os caras tocavam. comprometeu o show pra cacete. uns seis anos atrás eu vi os caras em sp e os graves faziam o chão tremer.

    e o show do ozzy foi divertidaço.

    ResponderExcluir
  2. Eu não fui ao show. Confesso q achei q não seria um bom show por vários motivos: o local - problemas de deslocamento: chegar na Barra cedo durante a semana é quase impossível, para alguém que como eu trabalha até as 18hs e ir embora seria algo terrivel tb; o set list - não gosto dos ultimos albuns do ozzy, e pelo q li no site G1, o set list não foi bom na minha opinião; e por fim, o Ozzy, achei q ele não iria segurar a peia. É verdade q a série "the osbournes" influenciou e mto na minha opinião sobre isso (ele tá superdetonado na série), apesar daquilo ser um programa de tv, e pode ser q ele faça uma personagem.
    Mas fico feliz pelo o q vc escreveu sobre a arena. Ainda não conheço a casa, e espero conhece-la logo, mas apesar dos problemas apontados por vc, que podem ser solucionados (e espero q sejam), é mto bom pra cidade ter uma casa que comporta tais shows.
    Quem sabe o RATM venham fazer um show no local, e assim eu possa conhece-lo. Existe essa possibilidade não é?
    abraços,

    ResponderExcluir
  3. sinceramente, eu tinha mais vontade de ver o rod do que o ozzy mas fico preocupado que ele tenha outra dor de barriga daquelas ... rsrs
    mas este ainda não é O show que me fará vencer a resistência de ir até aquele lugar tão longe.

    talvez paula toller ou tangos & tragédias no canecão.

    e, uma dica imperdível, é a partir da próxima semana, a exposição (que já foi exibida em sp) "heaven to hell", do david lachapelle, no oi futuro.

    ResponderExcluir
  4. Ontem meu blog chegou à marca de 6.666 acessos e devido ao número da besta lembrei do Ozzy e de que eu lamentavelmente não iria a esse show.

    Tom, eu fui nesse show do Claro há 10 anos, ele jogou muita água na galera.
    Tava tão cheio que eu não consegui chegar pra frente, parei no meio da pista.

    ResponderExcluir
  5. Fala Tom,

    Achei o show do Korn FODA !! valeu a espera por eles no Rio... porem achei meio curto o show... e é claro sempre falta uma ou outra música, e pra mim faltou "No Place To Hide" e "it's on". Os caras mandaram "Here To Stay" pra mim a melhor deles... Gravei "Blind" com meu celular !!!

    já o show de Ozzy era o que eu esperava mesmo... uma porrada de sucessos, pena qe só mandou três do sabbath.

    O que mais me espantou na arena é que não teve problema de transito... sai mais cedo do trabalho achando que ia ser uma merda e por incrivel que pareça não... estacionamento tranquilo para colocar o carro.. e na saída pra mim foi tranquila também.

    Sou suspeito em elogiar a arena já que pra mim é perto.
    Ahhh teve um porem... o nível da lanchonete aqui podia ser igual das arenas dos EUA... pra mim deixou a desejar.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  6. um detalhe engraçado..

    Esta semana a Folha de S. Paulo estampou na capa do caderno de cultura uma matéria de uma jornalista que foi cobrir o show do Rod no México.. e entrevistá-lo sobre os shows no brasil logo mais... . No final da matéria o Rod comentou a pedida dela sobra as duas vezes que esteve aqui. Ele fala que as duas experiênxcias foram ruins.."a segunda vez eu estava doente".. Na hora lembrei de um post do Tom sobre esta "doença".. achei engraçado; imaginei de a Sylvia Colombo (a jornalista) soubesse da história...

    ResponderExcluir
  7. O local é longe pra todo mundo, mas pelo menos tem shows de porte grande que podem vir pra cá e a gente não ter que ir mais longe ainda como em SP.

    Eu tinha falado do local aqui antes quando fui ao Bob Dylan, fiquei babando de tão lindo, me lembrou tb minhas viagens aos EUA. Fui em jogo de basquete, hoquei e baseball lá. Os estádios são bem parecidos com o Rio Arena, ar condicionado funcionando que chic!

    Também fui no Claro Hall ver o Ozzy em 1995, mas o cast tb era foda, Faith no More e Paradise Lost. Porradeira total, e me lembro que foi um dos shows que mais passei aperto na vida, de pedir pra deus pra saír daquele lugar, eram cotoveladas, espreme espreme, não dava pra mexer os pés.

    Nesse foi mais brando, mais num desse empurra empurras eu quase perdi meu tenis, vinha uma onda pra esquerda, depois pra direita, depois pra frente, depois pra trás, tipo ação e reação era foda pq vc não sabia quando vinha isso, num momento estava tudo ok e de repente vc estava sendo esmagado rs

    Mas valeu cada centavo, fui mais pra ver o Korn e saí apaixonado pelo show do Ozzy. O som do Korn tava uma bosta, nos meus vídeos mesmo você ouve conversas inteiras mais altas que o próprio som do Korn. O Korn foi ótimo também, mais os fãs do Ozzy não curtem Korn, e toda ora mostravam o dedo e gritavam "ozzy, ozzy, ozzy", enchendo o saco, pq será essa rixa né? O Korn pelo que eu sei não é emo é nu metal, talvez seja por isso.

    Como vc tinha citado no outro show tom, a gente pode mudar de idéia sobre as bandas depois de ver. apesar de já ter gostado muito de ozzy, e ter ido em um show, não sabia como seria esse, estava esperando bem menos. O set list não foi tão ruim assim, teve no more tears, bark at the moon, paranoid, iron man, war pigs, mr crowley, suicide solucion, crazy train, i dont wanna stop, i dont know.... Foi bem bacana, o cara manda muito ainda e concordo que o que ele faça na MTV possa ser um personagem, já que ele encarnou isso na vida dele toda. Hiperativo a beça, o coroa ta bem a beça, jogando agua correndo, fazendo bunda lelê, limpo e fazendo o que gosta mais: cantar pra galera (e ganhar $$$ claro pela série da pra ver que ele é milionário).

    A banda tb é ótima com o tecladista filho do cara do Yes Rick Wakeman, batera do faith no more Mike Bordin, Zakk...

    Enfim, foi uma ótima noite e mais um grande show pra ficar na história e no youtube:

    http://youtube.com/user/cybertechno

    ResponderExcluir
  8. esse lance de distancia é relativo (dã). em qq grande cidade do mundo as arenas e ginasios poliesportivos ficam longe dos centros e de bairros mais populosos justamente para nao causar confusao no transito ou perturbar a paz alheia. se vc ta em l.a, p ex, pra ver um show do porte de um depeche mode ou metallica, tem q ir ao rose bowl (tipo duas horas de carro) ou ao irvine meadows arena (uns 90 mins). em ny eles tem o madison pq é um predio antigo, mas pra ver festivais vc tem q ir, no minimo, ate nova jersey, na continental arena. qndo vi o dm em sanfra, tive q ir ate o vale do silicio, mais d uma hora pela freeway. nas cidades so rola teatro, lugar de pequeno e medio porte. ou seja, é como ir a barra ou recreio, sempre, pq é onde tem esses espaços grandes e vazios. como aqui a gente nao tem essa cultura do carro e nem boa rede de transporte publico (nos eua tbm nao tem pq, teoricamente, qq um tem carro), fica mais dificil pra galera q curte rock, geralmente moleques sem carro, ir a algum lugar. em tese, o claro hall é perto, se a gente tivesse um metro ou linhas de onibus regulares. e, sim, a arena rio é bacana, mas ficou a dever na parte de rango. so tinha um cachorro frio e refris, sequer era da geneal. nem uma batatinha de saco. no entanto, pra comprar e pegar era tudo jogo rapido, em 5mins vc ta servido

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Winner winner, chicken dinner!

É o lema de quem ganha na mesa de blackjack (21) em Las Vegas. A frase, que diz a lenda, é de autoria de um oriental, que quebrou a banca num dos cassinos da cidade nos anos 50, é dita várias vezes no filme "21" (aqui, "Quebrando a banca"), que estréia semana q vem e vi hj cedo numa cabine. Ela significa algo como, quem ganha paga o jantar. O filme é interessante. Apesar de envolver galera e ter uma trilha sonora atual (com direito a faixa inédita do LCD, não tem aquela edição frenética MTV. Até porque, a história de um grupo de geniozinhos do MIT (Massachusetts Institute of Technology) que têm a capacidade de contar decks de cartas de baralho (sem precisar ser autistas, como o rain man) e vão faturar algum na maciota em Las Vegas, aconteceu mesmo na vida real. Isso é o ponto de maior interesse no filme, sacar os bastidores desse fato verídico. Os atores, a maioria novatos (tem o carinha de "Across the universe", mas tbm tem Kevin Spacey e a gatinha Kate …

KELVIN?

UNZAMIGOS MEU FORO RANGAR EM COPA DEPOIS DO SHOW DO JUSTICE E ACABARO ALI NA REGIAO DA PRADO JUNIOR TRAÇANDO UM GALETO COM AS PUTAS E TRAVECO. DADO MOMENTO, UM DELES VE UM ANUNCIO COLADO NUM ORELHÃO DO LADO DO BAR QUE DIZIA: "LOURINHA GOSTOSA. FAÇO KELVIN ATÉ O FINAL!", AI, GERAL BOLOU. O QUÊ OU QUEM DIABOS É KELVIN? NEGUIM JÁ DESCOLADO EM PUTARIA NÃO SABIA O QUE ERA AQUILO. KELVIN? WHATTAFUCK? A SOLUÇÃO? LIGAR PRA PUTA, É CLARO. AÍ, ELA EXPLICOU A PARADA: KELVIN É FAZER GARGANTA PROFUNDA ATÉ O FINAL SEM USAR CAMISINHA (20 CONTOS). MATADA METADE DA CHARADA. MAS POR QUE KELVIN? FIZ UMA BUSCA NO GOOGLE E SÓ APARECERAM DOIS LINKS SOBRE A PARADA!!! (O RESTO TODO ERA LIGADO A PESSOAS CHAMADAS KELVIN OU AO GRAU KELVIN). UM ERA UM FÓRUM NO QUAL A MESMA RESPOSTA E PERGUNTA QUE FAÇO AQUI ERA REQUERIDA, OUTRO ERA UM ANUNCIO DE JORNAL DE UMA VAGABA QUE FAZ KELVIN. ENTÃO, O MISTÉRIO CONTINUA: POR QUÊ KELVIN? ALGUÉM AÍ SABE?

OS SHOWS QUE VEM POR AI!

A agenda de shows internacionais no Brasil, neste primeiro semestre, está bem movimentada. Teremos desde grandes atrações inéditas (Phil Collins), até velhos conhecidos (Foo Fighters) e despedidas (Ozzy). Infelizmente, algumas das atrações, como Gorillaz e Depeche Mode, apenas em SP





DEPECHE MODE - SÃO FRANCISCO


PHIL COLLINS

PRIMEIRA VEZ NO BRASIL, SOLO - JÁ VEIO COM O GENESIS, NOS ANOS 70,
COM ABERTURA DO PRETENDERS

 22 FEVEREIRO: MARACANÃ/RJ
 24 FEVEREIRO: ALLIANZ PARQUE/SP
 27 FEVEREIRO: BEIRA RIO/POA




FOO FIGHTERS

COM ABERTURA DO QUEENS OF THE STONE AGE 

25 FEVEREIRO: MARACANÃ /RJ
27 FEVEREIRO : ALLIANZ PARQUE /SP
2 MARÇO: PEDREIRA PAULO LEMINSKI/CURITIBA
4 MARÇO: BEIRA RIO/POA


KATY PERRY