Pular para o conteúdo principal

Pega o emo!

Ultimamente vem ocorrendo várias demonstrações de intolerancia e preconceito contra os emos. é fato que a maioria merece uns sustos pq pagam pra vacilar (rs), mas nada como o que vem rolando aqui e na vecindad. No mexico, grupos de headbangers e skins esperam os emos sairem de shows pra encher a turma de porrada. No chile, onde os emos são chamados de pokEMOns, o pau também come. Bem como na periferia de sp, quando os carecas repetem o que faziam contra os punks no passado, espancando quem tem pinta de emo sem pena.

Isso me lembra a minha adolescencia, qndo eu tbm sofria preconceito so por andar no visual. ja tomei ovo e pega de playboy por conta de meu look punk. et é viado era o minimo q ouvia. em sampa, vivi uma experiencia digna do cerco dos indios contra os pioneiros. na saida de um show do ira e inocentes no ruth escobar (que fica num lugar tipo o bairro peixoto aqui no rio, que é meio que fechado no meio de copa), carecas e headbangers cercaram todas as ruas em volta pra porrar tudo o q fosse punk. o pau comeu e me escondi embaixo de um carro pra escapar, pq la neguinho dava facada e tudo. O diferencial é q valia a pena passar sufoco pelo punk, havia algum tipo de bandeira politica e atitude nisso. já o emo, o q tem além do visual (e das bandas ruins de chorar)?

Comentários

  1. Na escola sempre fui zoada por causa do meu visual que na época era gótico, e por eu andar muito de coturno engraxado e ser fã da alemanha um professor meu de geografia achava que eu era skin...hahaha. Só fui saber q careca usa coturno engraxado a pouco tempo.
    A propósito, mesmo não existindo mais punks de verdade hoje em dia, tenho ouvido falar muito de porrada entre carecas e "punks" no Rio.
    Acho tudo muito palhaçada, punk de mentira apanhar de graça dos carecas, como vc disse, se fose por uma causa/ideologia forte, mas não é.
    De punk só conheço mesmo a música.
    Crass!!

    E sacanagem com os Emos, tão inofensivos, rsrs.

    ResponderExcluir
  2. tem muita gente pequena nesse mundo

    ResponderExcluir
  3. em casa nao tinha problema em usar visual, mas um amigo meu, ate mais velho e o maior da turma (ironia), tinha que sair de casa vestido "normal" e se trocar na escada do predio ou entao deixar as roupas dele na casa de alguem antes de ir pra algum show ou sair com a galera. achei q esse tipo de coisa ja tinha acabado hj em dia, ja q piercing, tatoo e o cabelo colorido ja nao sao mais novidade, ate pagodeiro usa. mas o preconceito sempre existira de alguma forma, vide que ja nos 90s, por ir a raves, tbm passei por "drogado", pq quem ouve musica eletronica toma e, quem ouve metal adora o demonio e por ai. ah, os estereotipos...

    ResponderExcluir
  4. Nunca gostei de me “fantasiar” e nem fui muito xiita com essas coisas de só ouvir um tipo de música, nem mesmo na adolescência (época típica desses tribalismos).
    Sempre curti um visual básico tipo camiseta e jeans e tênis.
    Uma vez num show (não lembro de que banda) um camarada com uma camisa (maneira) com a estampa da capa do disco London Calling, entrou numa de tirar onda com a minha cara, o Mané não conhecia cinco músicas do Clash... Tremendo pela fantasiado... Ou poser como se dizia na época.
    Isso é só para dizer que o preconceito é recíproco... Essa galera, seja punk ou Emo, gosta de ser excluída é tipo religião como se só eles conhecem a verdade ou o bom gosto... Sei lá... Nunca gostei dessas paradas.
    Conheci poucos fantasiados que viviam mesmo a cultura punk no dia a dia, ou ao menos sabia do que se tratava.
    Isso pra nem falar dos grunges que usavam casaco de flanela em pleno verão carioca. E ainda achavam ridículo usar terno e gravata no mesmo calor.
    Mas sei que isso faz parte de uma fase da vida, principalmente pros que se sentem meio deslocados no mundo, exteriorizar isso pode ser importante pra se afirmar e tal... Mas só até os vinte anos, depois disso é escrotidão mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Tópico excelente!!

    Finalmente vamos discutir emo e suas derivações aqui.

    Tipo, quando tinha 13-16 anos usava camisas de metal direto, sem nenhuma retaliação, até adimiravam pq eu viajava e trazia dos eua e europa, tenho camisas aqui que não se encontra em lugar algum.

    Meu vício era comprar CD's, tenho mais de mil, comprava compulsivamente, essa era a minha droga na época.

    Sempre andei cabeludo com correntes e camisa de Rock, mas acho que não existia mais preconceito em relação a isso, já estava na fase do grunge que tb aderi.

    Sempre fui muito aberto com todos os tipos de pessoas, de playboys a moderninhos, o importante pra mim era a cabeça da pessoa e se ela me aceitava como eu era.

    Acho que foi ocorrer algum problema com os meus 17 anos, minha fase clubber, quando ia todo super hyper moderno pra uma festa e voltava de óculos escuro se mordendo. Já me chatavam de viado hehehe As pessoas me perguntavam óculos escuros de noite? falava que fazia parte do vestuário. Depois de uns 5 anos os plays aqui do prédio sacaram tudo como aderiram, mas no psy trance onde acampei o brasil inteiro pra experimentar todo tipo de coisa e musica 24hs por 7 dias.

    Mas aí é que tá, tanto as minhas camisas de metal ou rock tinham um significado, eu gostava e conhecia a banda, e no caso clubber foi tinha o lado mágico do encontro com a emusic e o xtc, queria me sentir dentro daquele mundo, mas sempre querendo saber MAIS até me tornar DJ.

    Agora esse Emos, não bebem, não fumam, não fodem, não tem um motivo por serem assim. Gastam fortunas pra fazer chapinha na franja, se fazem de emotivos. Quem banda que revolucionou isso? Fall Out Boy?? MCR?? Panic at The Disco?

    Pra mim, essas bandas todas que passam no MTV Hits da net (clipes 24 horas na net, muita coisa boa tb, canal 88)são continuações das boys bands. Um backstreet boys mais radical?

    Você ve que essas bandas são famosíssimas, Pop e tem um público em sua maioria feminino (simple plan, good Charlotte, MCR)

    Não tem nada pra se revindicar aí, são bandas jabazeiras que só querem ganhar dinheiro e ficar maiores. Só isso, e reza a lenda que a bissexualidade e o mutilamento são bem vindos. (MCR)

    BAD BRAINS - Caralho que show foda! um dos melhores do ano até agora. isso que é se entregar no show, nunca vi tanta gente fazendo sky, e a energia que a banda passa é incrível. O Circo me ferrou com esse negócio de horário, acabei chegando um pouco atrasado, mais foi intenso. vocalista muito competente, quebrou o galho legal, isso sim é hardcore original, o cara até fumou um beck da minha mão e ficou um tempoi de mão dadas comigo ahahaha se jogou na galera enfim, foi uma loucura. e eu filmando o show, toda hora neguinho se jogava em cima de mim, se jogaram umas 20 pessoas, toda hora cortavam a filmagem hehehe Mas esse show valeu por uma vida, acho dificil um show ter uma liberdade e tanta gente entregue ao rastafari. Jah Love!!

    Agora tem Rufus Wainwright na cecília meireles, Hercules and Love Affair sexta, Mombojó e Móveis Coloniais de Acaju (básicos)

    abs!

    obs: onde fica o club 69 tom?

    ResponderExcluir
  6. aFf Ki bObu iXXU axXxu KE IXXu Eh tu pReCoNcEiTu konTRAh UxXx eMu iSxXxu devErIAH kabaH LOgU td 1 iNtOLEraNCIAH 1 bAnu di sen NADAH Prah faSe

    ResponderExcluir
  7. Dizem Que Não Existe Mas PUNK!

    Isso so pode ser afirmado por quem defende o movimento!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Winner winner, chicken dinner!

É o lema de quem ganha na mesa de blackjack (21) em Las Vegas. A frase, que diz a lenda, é de autoria de um oriental, que quebrou a banca num dos cassinos da cidade nos anos 50, é dita várias vezes no filme "21" (aqui, "Quebrando a banca"), que estréia semana q vem e vi hj cedo numa cabine. Ela significa algo como, quem ganha paga o jantar. O filme é interessante. Apesar de envolver galera e ter uma trilha sonora atual (com direito a faixa inédita do LCD, não tem aquela edição frenética MTV. Até porque, a história de um grupo de geniozinhos do MIT (Massachusetts Institute of Technology) que têm a capacidade de contar decks de cartas de baralho (sem precisar ser autistas, como o rain man) e vão faturar algum na maciota em Las Vegas, aconteceu mesmo na vida real. Isso é o ponto de maior interesse no filme, sacar os bastidores desse fato verídico. Os atores, a maioria novatos (tem o carinha de "Across the universe", mas tbm tem Kevin Spacey e a gatinha Kate …

KELVIN?

UNZAMIGOS MEU FORO RANGAR EM COPA DEPOIS DO SHOW DO JUSTICE E ACABARO ALI NA REGIAO DA PRADO JUNIOR TRAÇANDO UM GALETO COM AS PUTAS E TRAVECO. DADO MOMENTO, UM DELES VE UM ANUNCIO COLADO NUM ORELHÃO DO LADO DO BAR QUE DIZIA: "LOURINHA GOSTOSA. FAÇO KELVIN ATÉ O FINAL!", AI, GERAL BOLOU. O QUÊ OU QUEM DIABOS É KELVIN? NEGUIM JÁ DESCOLADO EM PUTARIA NÃO SABIA O QUE ERA AQUILO. KELVIN? WHATTAFUCK? A SOLUÇÃO? LIGAR PRA PUTA, É CLARO. AÍ, ELA EXPLICOU A PARADA: KELVIN É FAZER GARGANTA PROFUNDA ATÉ O FINAL SEM USAR CAMISINHA (20 CONTOS). MATADA METADE DA CHARADA. MAS POR QUE KELVIN? FIZ UMA BUSCA NO GOOGLE E SÓ APARECERAM DOIS LINKS SOBRE A PARADA!!! (O RESTO TODO ERA LIGADO A PESSOAS CHAMADAS KELVIN OU AO GRAU KELVIN). UM ERA UM FÓRUM NO QUAL A MESMA RESPOSTA E PERGUNTA QUE FAÇO AQUI ERA REQUERIDA, OUTRO ERA UM ANUNCIO DE JORNAL DE UMA VAGABA QUE FAZ KELVIN. ENTÃO, O MISTÉRIO CONTINUA: POR QUÊ KELVIN? ALGUÉM AÍ SABE?

OS SHOWS QUE VEM POR AI!

A agenda de shows internacionais no Brasil, neste primeiro semestre, está bem movimentada. Teremos desde grandes atrações inéditas (Phil Collins), até velhos conhecidos (Foo Fighters) e despedidas (Ozzy). Infelizmente, algumas das atrações, como Gorillaz e Depeche Mode, apenas em SP





DEPECHE MODE - SÃO FRANCISCO


PHIL COLLINS

PRIMEIRA VEZ NO BRASIL, SOLO - JÁ VEIO COM O GENESIS, NOS ANOS 70,
COM ABERTURA DO PRETENDERS

 22 FEVEREIRO: MARACANÃ/RJ
 24 FEVEREIRO: ALLIANZ PARQUE/SP
 27 FEVEREIRO: BEIRA RIO/POA




FOO FIGHTERS

COM ABERTURA DO QUEENS OF THE STONE AGE 

25 FEVEREIRO: MARACANÃ /RJ
27 FEVEREIRO : ALLIANZ PARQUE /SP
2 MARÇO: PEDREIRA PAULO LEMINSKI/CURITIBA
4 MARÇO: BEIRA RIO/POA


KATY PERRY