Pular para o conteúdo principal

Nunca amei MPB

Eu bem que tentei. Minha mãe tinha uns discos de jovem guarda (que eram mais pop/rock) e depois seguiu roberto e descobriu simone, joanna e coisa e tal. Eu preferia rita e made in brazil. Daí veio o punk e música brasileira de qq espécie saiu do meu radar. Até chegar o rock dos 80´s com letras que falavam do nosso cotidiano. Legiao, paralamas, lobão, ultraje, ira, plebe, camisa e tantos mais. Como eram legais. Pulo de tempo e só nos 90´s algumas bandas passaram a usar elementos da musica local na mistura, tipo a galera do mangue beat. Bacana. CSNZ rules. Mas eu tava enredado na eletrônica, q era mais pulsante e curiosa, tudo novidade, e, como DJ não tocava músicas com vocais, então qq coisa brazuca tava limada. A tal da drum and bossa nunca me seduziu, era música para coroas e lounges. Até q o electro releu o som dos 80´s e a onda retrô se instalou com os vocais trazidos de volta por miss kittin e companhia. Tentaram imitar aqui, mas não deu pé. Até chegar o CSS, a coisa tava feia. As bandas de rock contemporâneas (exceções há, claro) ficam muito abaixo daquelas que embalaram minha adolescência. Sou mais a Lovefoxxx, sozinha! Não dou a mínima pro chico. O resto já morreu. MPB é só uma sigla. Nunca foi pop...

Comentários

  1. Parece o Nelson Rodrigues que diia que MPB não era música, nem popular e muito menos brasileira...

    Outro dia teve uma discussão no Globo sobre isso. Alguns artistas argumentavam que MPB era só um gênero popular no sudeste...

    ResponderExcluir
  2. que maneiro. o nersão sabia das coisas. pq, se a gente parar pra pensar no caso, realmente, a mpb é mais uma musica de zona sul, classe media ou universitarios. musica popular brasileira memso é o que se convencionou chamar de brega, como está naquele livro "eu nao sou cahorro, nao". ate os shows dessa galera dita mpb sao inacessiveis para as classes mais populares. entao, viva o reginaldo rossi!!! (rs)

    ResponderExcluir
  3. fala tom

    concordo com vc. do rock antigo, curto o roberto, o erasmo e o ronnie von (até comprei a reedição dos três cds dele). da tropicália, mutantes e o tom zé q trazia letras interessantes e sonoridades inusitadas, fora do padrão caetano-gil.

    de rock anos 70 raul, rita, made in brazil, brazões, casa das máquinas e o terço.

    dos oitenta eu curto todos esses citados por vc mas eu realmente sou fã incondicional dos paralamas, do lulu e do lobão.

    dos 90 e 00 csnz, penélope, mundo livre s/a e o otto até um certo momento.

    abs tom.

    ResponderExcluir
  4. Chico buarque fez algumas das músicas mais lindas que eu já ouvi; caetano consegue ser versátil, compor bem pra caramba, escrever letras fodas e ainda consegue ser experimental; tom zé é o compositor mais fearless e divertido que eu conheço.

    Agora, ser popular... de jeito nenhum! Desde quando música boa é popular?

    ResponderExcluir
  5. interessante o tópico...
    ótimo título... já falei isso
    para muita garota que queria
    dar uns amassos, pois a maioria
    que conhecia e conheço na noite
    falava ou fala, "ha curto, djavan,
    chico, Ana Carolin(blargh!!)..."
    eu falava "eu odeio isso"...

    porra até hoje por causa do meu
    pai que é fã de bossa nova,nunca
    gostei deste estilo, nem
    o db nacional que vc citou tb
    no tópico...

    sempre gostei de artista nacionais
    que tiveram uma atitude "rocker"
    perante a vida...

    se sempre gostei de dois em fases
    específicas:

    o grande tim maia nos anos 70, antes de fase brega, que ouço até
    hoje e a Srª Rita na fase que tocou com, para mim a melhor banda
    de rock nacional setentista, "o tutti - fruti", tanto que meu primeiro disco comprado foi fruto proibido em 1976...

    fora isso só fui curtir musica
    brasileira com o boom do rock brasil... no mais até hoje escuto
    mais musica estrangeira...
    hoje em dia não escuto nada nacional...

    em geral só tenho achado coisas
    interessantes na musica eletrônica...

    abraços!!

    ResponderExcluir
  6. qndo eu tinha uns dez anos a musica mais legal q eu ouvia na radio era construção, do chico. e, se eu fosse hippie nos 60´s certamente teria sido fa do chaetano. mas o primeiro vem com esse discurso pro-cuba, mas mora numa mansao no alto gavea desde sempre (apoia o paredon?) e o segundo vive se metendo na vida dos novos artistas (tipo, tem que ter a benção dele) para parecer up to date. ve la se o bob dylan faz isso? tim maia era melhor q os dois juntos, mole. mas o q ta em jogo aqui é o rotulo mpb como um todo. ele nao funciona. lulu santos faz pop com qualidade e sabe se atualizar sem pelar saco.

    ResponderExcluir
  7. Ouço Rock desde sempre!

    Ultimamente tenho buscado descobrir "velharias" e "desconhecidos/esquecidos" da época da bossa nova.

    Sou fã incondicional de Tamba Trio, Tania Maria e alguns outros relegados ao segundo plano.

    um amigo veio com este papo de que eu estava entrando no hall dos "apreciadores de MPB..."

    MPB é o cacete! Popular aonde?
    Popular para mim é o que consta nos livros "eu nao sou cahorro, nao" e "almanaque de musica brega"...

    Assim como gosto de Miles Davis, ouço Tania Maria. Assim como gosto de algumas musicas do Weather Report, ouço Azimuth.

    E não vejo nada de popular em nenhum deles! Muito pelo contrário...

    Assim como um sociólogo falou que só acreditava em globalização quando pudesse comprar acarajé em frente ao Louvre, eu só acredito que "MPB" é popular quando ouvir no Maracanã a torcida do meu Flamengo cantar em uníssono:
    "Vam' borandá
    Que a terra já secou, borandá
    É, borandá,
    Que a chuva não chegou, borandá"

    hehehehehehe...

    ResponderExcluir
  8. pacheco, tomzé é um caso a parte. ele ta a cima disso tudo. o cara se diverte, nao tira marra, faz a musica dele sem se ligar em nada do que ta rolando no mercado. e fez a capa de um disco cuja foto é um olho do cu com uma bola de gude enfiada (!). o problema no brasil é que há 40 anos ou mais os "astros" da dita mpb sao sempre os mesmos. ninguem entra no clube sem a aprovação deles. e quem ouve essa gente se acha superior...

    ResponderExcluir
  9. "ninguem entra no clube sem a aprovação deles. e quem ouve essa gente se acha superior..."

    se isso acontece até aqui nos circuitos underground pq seria diferente no olimpo musical institucionalizado?

    ResponderExcluir
  10. o negocio é o seguinte, embora a mpb fale a nossa lingua, ela nao fala a MINHA lingua, if you what I mean. ja o cinema nacional consegue traduzir o q a musica nao. pelo menos o filme baixio das bestas, que vi hj, pega bem o clima do que é o brasil, uma parte do pais q a gente aqui do sul-deste nao conhece. e sem usar a quela fotografia de diretor paulista de publicidade, nem de videoclip. o tal do claudio assis é o bicho.

    ResponderExcluir
  11. cláudio assis é phoda. fiquei pensando: se o cara começou com um filme como amarelo manga imagina o que vêm por aí ... e não me decepcionei, baixio é ainda mais cru, mais direto. eu li uma matéria comentando sobre isso, o nordestino que ele mostra é um contraponto aquele mostrado nas produções da globo filmes (e eu até gosto muito do guel arraes), nada nele é limpo, asséptico ...

    ResponderExcluir
  12. Minha irmã odiou baixio das bestas, devo ver?

    Sobre o assunto,
    "o primeiro vem com esse discurso pro-cuba, mas mora numa mansao no alto gavea desde sempre (apoia o paredon?) e o segundo vive se metendo na vida dos novos artistas"

    Não sei o que isso tem a ver com música!
    É que nem não gostar de oasis porque o liam é arrogante, não ouvir guns porque o axl é racista/preconceituoso, jogar a discografia dos beatles no fogo porque eles falaram que são mais populares que jesus, etc.

    Eu sei que vc não gosta porque não gosta, porque a voz do chico é irritante, porque as letras do caetano são pseudo-intelectuais, porque o vibrato dele é forçado, sei lá...
    Mas não gosto de misturar a vida dos artistas com a arte dos artistas.

    Ah, e desculpa pelo soylent green que ainda está comigo!!! Eu já o salvei no computador.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Winner winner, chicken dinner!

É o lema de quem ganha na mesa de blackjack (21) em Las Vegas. A frase, que diz a lenda, é de autoria de um oriental, que quebrou a banca num dos cassinos da cidade nos anos 50, é dita várias vezes no filme "21" (aqui, "Quebrando a banca"), que estréia semana q vem e vi hj cedo numa cabine. Ela significa algo como, quem ganha paga o jantar. O filme é interessante. Apesar de envolver galera e ter uma trilha sonora atual (com direito a faixa inédita do LCD, não tem aquela edição frenética MTV. Até porque, a história de um grupo de geniozinhos do MIT (Massachusetts Institute of Technology) que têm a capacidade de contar decks de cartas de baralho (sem precisar ser autistas, como o rain man) e vão faturar algum na maciota em Las Vegas, aconteceu mesmo na vida real. Isso é o ponto de maior interesse no filme, sacar os bastidores desse fato verídico. Os atores, a maioria novatos (tem o carinha de "Across the universe", mas tbm tem Kevin Spacey e a gatinha Kate …

KELVIN?

UNZAMIGOS MEU FORO RANGAR EM COPA DEPOIS DO SHOW DO JUSTICE E ACABARO ALI NA REGIAO DA PRADO JUNIOR TRAÇANDO UM GALETO COM AS PUTAS E TRAVECO. DADO MOMENTO, UM DELES VE UM ANUNCIO COLADO NUM ORELHÃO DO LADO DO BAR QUE DIZIA: "LOURINHA GOSTOSA. FAÇO KELVIN ATÉ O FINAL!", AI, GERAL BOLOU. O QUÊ OU QUEM DIABOS É KELVIN? NEGUIM JÁ DESCOLADO EM PUTARIA NÃO SABIA O QUE ERA AQUILO. KELVIN? WHATTAFUCK? A SOLUÇÃO? LIGAR PRA PUTA, É CLARO. AÍ, ELA EXPLICOU A PARADA: KELVIN É FAZER GARGANTA PROFUNDA ATÉ O FINAL SEM USAR CAMISINHA (20 CONTOS). MATADA METADE DA CHARADA. MAS POR QUE KELVIN? FIZ UMA BUSCA NO GOOGLE E SÓ APARECERAM DOIS LINKS SOBRE A PARADA!!! (O RESTO TODO ERA LIGADO A PESSOAS CHAMADAS KELVIN OU AO GRAU KELVIN). UM ERA UM FÓRUM NO QUAL A MESMA RESPOSTA E PERGUNTA QUE FAÇO AQUI ERA REQUERIDA, OUTRO ERA UM ANUNCIO DE JORNAL DE UMA VAGABA QUE FAZ KELVIN. ENTÃO, O MISTÉRIO CONTINUA: POR QUÊ KELVIN? ALGUÉM AÍ SABE?

OS SHOWS QUE VEM POR AI!

A agenda de shows internacionais no Brasil, neste primeiro semestre, está bem movimentada. Teremos desde grandes atrações inéditas (Phil Collins), até velhos conhecidos (Foo Fighters) e despedidas (Ozzy). Infelizmente, algumas das atrações, como Gorillaz e Depeche Mode, apenas em SP





DEPECHE MODE - SÃO FRANCISCO


PHIL COLLINS

PRIMEIRA VEZ NO BRASIL, SOLO - JÁ VEIO COM O GENESIS, NOS ANOS 70,
COM ABERTURA DO PRETENDERS

 22 FEVEREIRO: MARACANÃ/RJ
 24 FEVEREIRO: ALLIANZ PARQUE/SP
 27 FEVEREIRO: BEIRA RIO/POA




FOO FIGHTERS

COM ABERTURA DO QUEENS OF THE STONE AGE 

25 FEVEREIRO: MARACANÃ /RJ
27 FEVEREIRO : ALLIANZ PARQUE /SP
2 MARÇO: PEDREIRA PAULO LEMINSKI/CURITIBA
4 MARÇO: BEIRA RIO/POA


KATY PERRY