Pages

Thursday, May 17, 2007

Nunca amei MPB

Eu bem que tentei. Minha mãe tinha uns discos de jovem guarda (que eram mais pop/rock) e depois seguiu roberto e descobriu simone, joanna e coisa e tal. Eu preferia rita e made in brazil. Daí veio o punk e música brasileira de qq espécie saiu do meu radar. Até chegar o rock dos 80´s com letras que falavam do nosso cotidiano. Legiao, paralamas, lobão, ultraje, ira, plebe, camisa e tantos mais. Como eram legais. Pulo de tempo e só nos 90´s algumas bandas passaram a usar elementos da musica local na mistura, tipo a galera do mangue beat. Bacana. CSNZ rules. Mas eu tava enredado na eletrônica, q era mais pulsante e curiosa, tudo novidade, e, como DJ não tocava músicas com vocais, então qq coisa brazuca tava limada. A tal da drum and bossa nunca me seduziu, era música para coroas e lounges. Até q o electro releu o som dos 80´s e a onda retrô se instalou com os vocais trazidos de volta por miss kittin e companhia. Tentaram imitar aqui, mas não deu pé. Até chegar o CSS, a coisa tava feia. As bandas de rock contemporâneas (exceções há, claro) ficam muito abaixo daquelas que embalaram minha adolescência. Sou mais a Lovefoxxx, sozinha! Não dou a mínima pro chico. O resto já morreu. MPB é só uma sigla. Nunca foi pop...

12 comments:

Vida Fuleira said...

Parece o Nelson Rodrigues que diia que MPB não era música, nem popular e muito menos brasileira...

Outro dia teve uma discussão no Globo sobre isso. Alguns artistas argumentavam que MPB era só um gênero popular no sudeste...

tom said...

que maneiro. o nersão sabia das coisas. pq, se a gente parar pra pensar no caso, realmente, a mpb é mais uma musica de zona sul, classe media ou universitarios. musica popular brasileira memso é o que se convencionou chamar de brega, como está naquele livro "eu nao sou cahorro, nao". ate os shows dessa galera dita mpb sao inacessiveis para as classes mais populares. entao, viva o reginaldo rossi!!! (rs)

jack white said...

fala tom

concordo com vc. do rock antigo, curto o roberto, o erasmo e o ronnie von (até comprei a reedição dos três cds dele). da tropicália, mutantes e o tom zé q trazia letras interessantes e sonoridades inusitadas, fora do padrão caetano-gil.

de rock anos 70 raul, rita, made in brazil, brazões, casa das máquinas e o terço.

dos oitenta eu curto todos esses citados por vc mas eu realmente sou fã incondicional dos paralamas, do lulu e do lobão.

dos 90 e 00 csnz, penélope, mundo livre s/a e o otto até um certo momento.

abs tom.

pacheco said...

Chico buarque fez algumas das músicas mais lindas que eu já ouvi; caetano consegue ser versátil, compor bem pra caramba, escrever letras fodas e ainda consegue ser experimental; tom zé é o compositor mais fearless e divertido que eu conheço.

Agora, ser popular... de jeito nenhum! Desde quando música boa é popular?

PEDRO BAMBAATAA said...

interessante o tópico...
ótimo título... já falei isso
para muita garota que queria
dar uns amassos, pois a maioria
que conhecia e conheço na noite
falava ou fala, "ha curto, djavan,
chico, Ana Carolin(blargh!!)..."
eu falava "eu odeio isso"...

porra até hoje por causa do meu
pai que é fã de bossa nova,nunca
gostei deste estilo, nem
o db nacional que vc citou tb
no tópico...

sempre gostei de artista nacionais
que tiveram uma atitude "rocker"
perante a vida...

se sempre gostei de dois em fases
específicas:

o grande tim maia nos anos 70, antes de fase brega, que ouço até
hoje e a Srª Rita na fase que tocou com, para mim a melhor banda
de rock nacional setentista, "o tutti - fruti", tanto que meu primeiro disco comprado foi fruto proibido em 1976...

fora isso só fui curtir musica
brasileira com o boom do rock brasil... no mais até hoje escuto
mais musica estrangeira...
hoje em dia não escuto nada nacional...

em geral só tenho achado coisas
interessantes na musica eletrônica...

abraços!!

tom said...

qndo eu tinha uns dez anos a musica mais legal q eu ouvia na radio era construção, do chico. e, se eu fosse hippie nos 60´s certamente teria sido fa do chaetano. mas o primeiro vem com esse discurso pro-cuba, mas mora numa mansao no alto gavea desde sempre (apoia o paredon?) e o segundo vive se metendo na vida dos novos artistas (tipo, tem que ter a benção dele) para parecer up to date. ve la se o bob dylan faz isso? tim maia era melhor q os dois juntos, mole. mas o q ta em jogo aqui é o rotulo mpb como um todo. ele nao funciona. lulu santos faz pop com qualidade e sabe se atualizar sem pelar saco.

Sandro said...

Ouço Rock desde sempre!

Ultimamente tenho buscado descobrir "velharias" e "desconhecidos/esquecidos" da época da bossa nova.

Sou fã incondicional de Tamba Trio, Tania Maria e alguns outros relegados ao segundo plano.

um amigo veio com este papo de que eu estava entrando no hall dos "apreciadores de MPB..."

MPB é o cacete! Popular aonde?
Popular para mim é o que consta nos livros "eu nao sou cahorro, nao" e "almanaque de musica brega"...

Assim como gosto de Miles Davis, ouço Tania Maria. Assim como gosto de algumas musicas do Weather Report, ouço Azimuth.

E não vejo nada de popular em nenhum deles! Muito pelo contrário...

Assim como um sociólogo falou que só acreditava em globalização quando pudesse comprar acarajé em frente ao Louvre, eu só acredito que "MPB" é popular quando ouvir no Maracanã a torcida do meu Flamengo cantar em uníssono:
"Vam' borandá
Que a terra já secou, borandá
É, borandá,
Que a chuva não chegou, borandá"

hehehehehehe...

tom said...

pacheco, tomzé é um caso a parte. ele ta a cima disso tudo. o cara se diverte, nao tira marra, faz a musica dele sem se ligar em nada do que ta rolando no mercado. e fez a capa de um disco cuja foto é um olho do cu com uma bola de gude enfiada (!). o problema no brasil é que há 40 anos ou mais os "astros" da dita mpb sao sempre os mesmos. ninguem entra no clube sem a aprovação deles. e quem ouve essa gente se acha superior...

Jaime said...

"ninguem entra no clube sem a aprovação deles. e quem ouve essa gente se acha superior..."

se isso acontece até aqui nos circuitos underground pq seria diferente no olimpo musical institucionalizado?

tom said...

o negocio é o seguinte, embora a mpb fale a nossa lingua, ela nao fala a MINHA lingua, if you what I mean. ja o cinema nacional consegue traduzir o q a musica nao. pelo menos o filme baixio das bestas, que vi hj, pega bem o clima do que é o brasil, uma parte do pais q a gente aqui do sul-deste nao conhece. e sem usar a quela fotografia de diretor paulista de publicidade, nem de videoclip. o tal do claudio assis é o bicho.

fabio fernandes said...

cláudio assis é phoda. fiquei pensando: se o cara começou com um filme como amarelo manga imagina o que vêm por aí ... e não me decepcionei, baixio é ainda mais cru, mais direto. eu li uma matéria comentando sobre isso, o nordestino que ele mostra é um contraponto aquele mostrado nas produções da globo filmes (e eu até gosto muito do guel arraes), nada nele é limpo, asséptico ...

pacheco said...

Minha irmã odiou baixio das bestas, devo ver?

Sobre o assunto,
"o primeiro vem com esse discurso pro-cuba, mas mora numa mansao no alto gavea desde sempre (apoia o paredon?) e o segundo vive se metendo na vida dos novos artistas"

Não sei o que isso tem a ver com música!
É que nem não gostar de oasis porque o liam é arrogante, não ouvir guns porque o axl é racista/preconceituoso, jogar a discografia dos beatles no fogo porque eles falaram que são mais populares que jesus, etc.

Eu sei que vc não gosta porque não gosta, porque a voz do chico é irritante, porque as letras do caetano são pseudo-intelectuais, porque o vibrato dele é forçado, sei lá...
Mas não gosto de misturar a vida dos artistas com a arte dos artistas.

Ah, e desculpa pelo soylent green que ainda está comigo!!! Eu já o salvei no computador.

Abraço!

NA CIDADE

OCTOBERFESTIVAS:

FESTIVAL DO RIO  ÚLTIMA CHANCE   de 16 a 18 de outubro   Estação NET Botafogo 1 + Estação NET Rio 4 e 5    

ESTAÇÃO NET BOTAFOGO 1: 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  15:00     Ocidental Dir. Neïl Beloufa 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Matar Jesus Dir. Laura Mora 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  19:00     Memórias do subdesenvolvimento Dir. Tomás Gutiérrez Alea 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  21:00     As misândricas Dir. Bruce LaBruce

  17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  15:00     Ensiriados Dir. Philippe Van Leeuw 17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Antipornô             Sion Dir. Sono 17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  19:00     Patti Cake$ Dir. Geremy Jasper 17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  21:00     Meu colégio inteiro afundando no mar Dir. Dash Shaw  

18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  15:00     Últimos homens em Aleppo Dir. Firas Fayyad 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Cadáveres bronzeados Dir. Hélène Cattet, Bruno Forzani 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Sal Dir. Diego Freitas 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  19:00     Alanis Dir. Anahí Berneri 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  21:00     How to Talk to Girls at Parties Dir. John Cameron Mitchell  

ESTAÇÃO NET RIO: 16/10/2017         Estação NET Rio 5             14:15     Kim Dotcom: Agarrado na web Dir. Annie Goldson 16/10/2017         Estação NET Rio 5             16:15     God's Own Country Dir. Francis Lee 16/10/2017         Estação NET Rio 4             18:00     A liberdade do diabo Dir. Everardo González 16/10/2017         Estação NET Rio 5             18:45     Golden Exits Dir. Alex Ross Perry 16/10/2017         Estação NET Rio 4             19:45     As entrevistas de Putin Dir. Oliver Stone 16/10/2017         Estação NET Rio 5             21:00     A vendedora de fósforos Dir. Alejo Moguillansky  

17/10/2017         Estação NET Rio 5             14:15     Encriptado Dir. Nick de Pencier 17/10/2017         Estação NET Rio 5             16:15     Eduardo II Dir. Derek Jarman 17/10/2017         Estação NET Rio 4             17:30     Top of the Lake: China Girl Dir. Jane Campion, Ariel Kleiman 17/10/2017         Estação NET Rio 5             18:45     Titicut Follies Dir. Frederick Wiseman 17/10/2017         Estação NET Rio 5             21:00     Invisível Dir. Pablo Giorgelli

  18/10/2017         Estação NET Rio 5             14:15     Senhora Fang Dir. Wang Bing 18/10/2017         Estação NET Rio 5             16:00     Minha adorável lavanderia Dir. Stephen Frears 18/10/2017         Estação NET Rio 4             17:20     Tangerine Dream: a revolução do som Dir. Margarete Kreuzer 18/10/2017         Estação NET Rio 5             17:50     Cicciolina - Madrinha do escândalo  Dir. Alessandro Melazzini 18/10/2017         Estação NET Rio 5             19:00     O diabo e o Padre Amorth Dir. William Friedkin 18/10/2017         Estação NET Rio 4             19:10     Long Strange Trip: A viagem do Grateful Dead Dir. Amir Bar-Lev 18/10/2017         Estação NET Rio 5             20:30     Ex Libris: Biblioteca pública de Nova York Dir. Frederick Wiseman  

INGRESSOS: R$22,00 / meia: R$11,00 Meia entrada para quem comprou Passaporte

UCI INAUGURA A PRIMEIRA SALA DE CINEMA XPLUS LASER DO BRASIL, NO RIO DE JANEIRO: No ano em que comemora duas décadas no Brasil, a rede UCI reforça sua missão de oferecer ao público a melhor experiência em cinema e o que há de mais moderno no mundo, no mercado audiovisual. No Rio, inova mais uma vez com a primeira sala XPLUS Laser do país. A novidade será no maior complexo de cinemas brasileiro, o UCI New York City Center, que este ano também recebeu a primeira 4DX da cidade, com cadeiras que se movimentam e efeitos especiais. A aquisição do novo projetor a laser torna ainda mais imersiva a tecnologia da XPLUS, que tem projeção 3D de última geração, tela gigante com definição 4K e som Dolby Atmos™, com mais de 54 caixas acústicas e 128 streams de áudio que criam a ilusão de um campo infinito ao redor de cada espectador.

PROGRAMAÇÃO DO BLUE NOTE JAZZ CLUB RIO (ONDE ERA A MIRANDA, NO COMPLEXO LAGOON, NA LAGOA, LADO LEBLON):     Outubro   20/10 – Sexta-feira 21:00 Chick Corea & Steve Gadd Band 23:30 Chick Corea & Steve Gadd Band   Novembro 02/11 Quinta-feira 20:00 Spyro Gyra 22:30 Spyro Gyra   03/11 Sexta-feira 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   04/11 Sábado 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   15/11 Quarta-feira 20:00 Laura Perrudin   16/11 Quinta-feira 20:00 Didier Lockwood Trio 22:30 Didier Lockwood Trio

Tropicália ganha exposição tech com livre reinterpretação conceitual Nos 50 anos do movimento, na Galeria BNDES   Os artistas Barbara Castro e Luiz Ludwig, do estúdio Ambos&&, apresentam uma livre reinterpretação dos conceitos do movimento tropicalista à luz da arte e da tecnologia. Com a exposição Vamos Comer, estimulam o público a “devorar” experiências sensoriais e orgânicas, incluindo quatro instalações de arte computacional. Ela está aberta a visitações na Galeria BNDES, no Rio, entre os dias 18 de outubro e 1º de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h

Zucchero (o 'roberto carlos da itália') vem fazer shows no Brasil em outubro: Rio de Janeiro, no dia 26 de outubro, no Teatro Bradesco Rio São Paulo, no dia 27 de outubro, no Teatro Bradesco Porto Alegre, no dia 28 de outubro, no Teatro do Bourbon Country  

AGENDA CUTURAL BARATOS DA RIBEIRO: Sábado, 21 de outubro, a partir das 17h: VESPEIRO com as bandas Estranhos Românticos e Imperfeitos Quinta-feira, 26 de outubro, a partir das 19h: LEVADAS DA BECA, com as DJs Ana Paula Moniz (Beca Brechó), Bia Andrade & Ana Galli + uma convidada surpresa! Sábado, 11 de novembro, a partir das 17h: VESPEIRO com a banda Os Alquimistas (MS) e Mauk + Pedro White & banda fazendo tributo duplo: ao Bruce Springsteen e ao Tom Petty! RUA PAULINO FERNANDES 15, BOTAFOGO/RJ

MOSTRA DE CINEMA ARGENTINO CONTEMPORÂNEO VOLTA À CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO EM SUA SEGUNDA EDIÇÃO   Histórias extraordinárias apresenta uma seleção com os melhores filmes recentes do país vizinho. Debates com cineastas e especialistas completam a programação Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2 Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro  (Metrô e VLT: Estação Carioca) Telefone: (21) 3980-3815 Data: de 07 a 19 de novembro de 2017 (terça-feira a domingo)

II FESTIVAL IMPERIAL DE CINEMA DE PETRÓPOLIS COMEÇA NESTA QUARTA, DIA 18: Festival é gratuito e conta com filmes inéditos na programação  A abertura será no Theatro D. Pedro com exibição do filme “João, O Maestro”, de Mauro Lima.

Angela Ro Ro leva o show "Amor & Humor" para a Zona Norte A cantora - que pela primeira vez pisa no palco do Centro Cultural João Nogueira -  faz  apresentação única no Méier, dia 29 de outubro, às 19h, no Imperator

estreia: 5º FEIRA/ 19 OUT - ABERTURA DA MOSTRA JÓIAS DO CINEMA DINAMARQUÊS: CINE JOIA DO RIO DE JANEIRO (copacabana) EXIBE SEIS LONGAS INÉDITOS DO PAÍS NÓRDICO; E O PRIMEIRO DOC LONGA-METRAGEM FILMADO NA GROENLÂNDIA.

Depois de regravar sucessos do Pop, Rock e Samba, a Orquestra Petrobras Sinfônica prepara uma homenagem ao reggae. O quarto EP da série “O Clássico é...” trará versões inéditas de “Andei só” (Natiruts), “Minha felicidade” (Roberta Campos), “Um anjo do céu” (Maskavo), “Aonde você mora” (Cidade Negra) e “Segue o baile” (Braza). A primeira apresentação do novo projeto será no Teatro Rival Petrobras, com entrada gratuita, às 20h do dia 18 de outubro (quarta-feira).

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers