Pages

Thursday, July 10, 2008

PT-LSD

Esse era o prefixo do jatinho que em 1 de março de 1996 se espatifou na serra da Cantareira com os Mamonas Assassinas. Lembrei do fato essa noite qndo, buscando um jornal da noite, vi o especial que passou na Grobo. Fora o fato chato da emissora nao mostrar cenas e fatos referentes a outras empresas (tipo, eles apareceram no SBT bem antes de ir no Faustão, pois eram bem populares; a FM que lançou "O vira" foi a Transamérica etc e tal), deu pra ter um gostinho da curta carreira da banda (faltaram tbm imagens da turnê, que a MTV cobriu). Se fosse um True Hollywood Story do canal E! teria sido mais completo e melhor apurado. Mas, pelo menos, fizeram o programa. Pena que passa numa hora ruim, deveria rolar num domingo a tarde.

Não vou dizer que era fã da banda. Lembro que, qndo eles apareceram, fui convidado pra ir numa audição na EMI (João Augusto, hj dono da Deckdisc, foi quem os contratou, mais por força do filho), com a própria banda no local, dispensei. Tava mais numa onda grunge-industrial e não ia perder tempo com aquilo. No entanto, meu filho, que mal tinha 4 anos na época, ouvia sem parar o CD dos caras. E my little lion sempre me indicou o que ia fazer sucesso, fosse o que fosse, de Mamonas a Kelly Key, ele sempre sabia uns 6 meses antes (rs). Acabei aprendendo a gostar e rir de algumas músicas (acho aquela dos animais muito boa), mas nunca me bateu no coração (a imprensa em geral execrava a banda).

Quis o destino que eu estivesse de plantão no dia que rolou o acidente. No sábado, foi tranks. Mas, à noite, ouvindo a CBN antes de dormir, ouvi a notícia. No dia seguinte, tava eu e a mulher do Dapieve cuidando de criar a página obituário da banda, e conheci e ouvi tudo deles em menos de 24 horas. E aprendi a gostar daqueles cinco moleques de Guarulhos. Gente simples, gente boa, brincalhões, inocentes, sem nenhuma daquela marra de certas bandas. Por meios tortos, os Mamonas acabaram personificando quase tudo o que simboliza o rock: a espontaneidade, o não se levar a sério, a tosquice sincera e a ironia, que zombava do Brasil e deles mesmos. E viveram rápido e morrem jovens, no auge. Que nem no day the music day de Buddy Holly, Big Bopper e Richie Valens...

6 comments:

iga_rio said...

Fala Tom,

Eu não era grande fã da banda também não.. mas relamente os caras eram engraçados.
Na época eu também tava curtindo mais grunge, metal, punk... rsrsrs
sem contar que o Mamonas apareceu quando o Raimundos já estava estourado com o primeiro cd... era natural eu curtir mais Raimundos que era mais pesado e uma novidade pra época.

Tiago Velasco said...

Eu também não curtia na época. Com 15 anos, não costumava gostar de nada que estava na moda - o que nem era tão verdade, pq eugostava de várias outrasm coisas, gringas, que estavam estouradas, mas para mim tinha uma aura de autenticidade maior.
Lembro que fica meio puto de os caras fazerem palhaçada, achava que rock não era pra isso.
Ranzinzices à parte, hj acho que deixei de aproveitar a piada. Eu não precisava entrar no frenesi de todos, mas excluir a banda totalmente, como fiz, também não me parece, hoje, uma atitude sensata.
P.S. Essa dos animais que vc falou é realmente muito engraçada.

Alessandro said...

Lembro até hoje de uma edição do International Magazine em que veio de brinde o single de "Vira" dos Mamonas. Esta aqui em casa em meio aos CDS empoeirados...

Ouvi, ri e depois esqueci.

Quer dizer, não deu para esquecer pois em menos de 1 mês virou febre!

Não sou fã, mas é inegável o poder das piadas do grupo. Tanto que muitas das músicas deles vc ouve HOJE e ri daquela piada que já foi contada há pelo menos 10 anos!

O respeito pelos caras vem da atitude simples diante do sucesso breve. Não temos como dizer como seria se eles estivessem vivos até hoje, mas eu achava muito interessante a atitude "nem ai" deles.

Em tempos de tudo politicamente Correto, faz falta este tipo de música simples e com o compromisso com o riso.

Hoje as piadas são as mesmas e monitoradas!

Dia destes tive o azar de parar em frente a TV num tal concurso de piadas. Além de sofríveis, os caras contavam TODAS as piadas dos discos do COSTINHA! Eu não sou comediante, mas já sabia o final da piada só de ouvir o começo!

Em termos musicais não lembro de nada parecido com o Mamonas hoje, mas se aparecer muito provavelmente será piada repetida...

Assim como as piadas os comediantes que não inventam nada e tentam ser geniais repetindo piadas do Costinha!

Homero, O Tosco said...

Mamonas... Eu estava no fim da adolescência nessa época, acho que ia fazer 18 anos... Eu ainda era escroto ao ponto de ter a pretensão de desconfiar de bandas que faziam sucesso, antes de eu telas ouvido pelo circuito alternativo, ou pelo menos ter ouvido falar...
A primeira música que ouvi foi o “vira”, na casa de um amigo... Morremos de rir com Áquila letra tosca.
Era isso que a banda era, uma piada sem pretensões.
O problema da impressa foi o mal humor... Não entenderam que era uma simples piada, uma brincadeira... Os críticos usavam argumentos sérios para julgar um trabalho de puro humor descompromissado e até ingênuo. (por isso fazia sucesso com os kids).
Já nessa época eu não tinha paciência com a patrulha do “bom gosto” e as vezes escutava só pra implicar com os amigos babacas que ficavam viajando e filosofando nas letras do Raul Seixas.
Era música apenas pra relaxar e se divertir dando gargalhadas. Provavelmente a piada perderia a graça logo e os caras cairiam no anonimato se não fosse o acidente. Não acho que teriam fôlego para outro disco de sucesso.

Não vi esse programa da Globo, Vi o que eles fizeram sobre o Tim Maia e achei bem legal, não é um doc foda e tal, mas valeu pra dar uma passada rápida pela biografia do cara e entender um pouco da loucura dele.

pacheco said...

Vi o doc também... muito triste! =(

Como seu filho eu era fã... e ainda acho geniais as letras. Aliás, dá uma ouvida em "uma arlinda mulher" e vê se não é uma das músicas mais bonitas ever... =)

tom said...

tbm acho que, se vivo fossem, a banda ja teria acabado ou estaria na decadencia. acho que eles fariam ainda um segundo disco de sucesso, pois tinham coisas no show que nao tinham entrado no primeiro disco, mas a piada nao duraria muito...

NA CIDADE

JUNEBUG: Shows - Junho / 2017 Circo Voador 24 - Lamb of God (EUA) / Carcass (ING) / Heaven Shall Burn (ALE)

Teatro Rival 22 – Picassos Falsos 23 – Vinicius Cantuária

Vivo Rio 24 - Beto Guedes & 14 Bis - Participação: Sérgio Hinds 30 – Celebrare

Audio Rebel 22 - Manu Maltez - Participação: Juçara Marçal  25 - Vital & Os Bacharéis / Homobono 29 - Anganga: Juçara Marçal & Emygdio Costa & Cadu Tenório

Sérgio Porto (Humaitá) 22 - Sarah Abdala / Raquel Dimantas / Ana Frango Elétrico 29 - CEP 20.000

Sala Baden Powell (Copacabana) 24 - Cordão do Boitatá: De Gonzagão a Dominguinhos - Participação: Pedro Miranda 25 - Mulheres de Chico 28 - Marcelo Nogueira

Theatro Net Rio (Copacabana) 26 - Sarau da Leda Nagle: Amelinha & Ednardo 27 - Vanessa Jackson: Uma Saudação a Whitney Houston 28 – Dudu Nobre

Teatro Café Pequeno (Leblon) 22 - Verônica Sabino 29 - Jullie

Jeunesse Arena (Barra da Tijuca) 29 – Ariana Grande / Sabrina Carpenter

Subúrbio Alternativo (Brás de Pina) 24 - Toxic Fest:  Korja / Old Kitchen / Genomades / Nove Zero Nove

Imperator 22 – Marcos Valle 25 – Moonspell (POR) 28 - Tunai & Wagner Tiso: Saudade da Elis 29 – Samba do Imperator: Grupo Arruda, Bom Gosto, Lucas de Moraes

Centro de Referência da Música Carioca (Tijuca) 23 - Moacyr Luz 24 - Danilo Caymmi 28 - Duda Brack & Daíra Sabóia 29 - Quarteto Leandro Braga 30 - Cláudio Jorge Teatro Ziembinski (Tijuca) 2xNelson: a falecida/a serpente 23 - Lica Tito

Shell Open Air (abaixo, apenas a programação de shows) Marina da Glória 23 - Sexteto Sobrenatural / Dream Team do Passinho Canta e Dança Jackson 5 24 - 3 Na Bossa

FM Hall 22 - Ludmilla 28 – Anavitória (grátis)

MIXX: 21 - Laura Finocchiaro – Bottle´s Bar / Copacabana 22 - Dream Team do Passinho Canta e Dança Jackson 5 – Theatro Bangu 23 - Montezuma / Santos / Geração Perdida (Vitor Brauer & Jonathan Tadeu) – Motim / Centro 24 - Arraial do Monobloco: Rodrigo Lampreia - Participação: Bianca Chami – Jockey Club 25 - Tay Galega – Saloon 79 / Botafogo

Festival Varilux de Cinema Francês 2017 De 7 a 21 de junho em mais de 55 cidades brasileira: Águas Claras (DF), Aracaju (SE), Barretos (SP), Barueri (SP), Belém (PA), Belo Horizonte (MG),Blumenau (SC), Buzios (RJ), Brasilia (DF), Campinas (SP), Caxambu (MG), Campo Grande (MS), Caxias do Sul (RS),Caxambu(MG), Cotia (SP), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE),Foz do Iguaçu (PR), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Juiz de Fora (MG), Jundiaí (SP), Londrina (PR), Macaé (RJ), Maceió (AL), Manaus (AM), Maringá (PR), Mossoró (RN), Natal (RN), Niterói (RJ), Nova Friburgo (RJ), Pelotas (RS), Petrópolis (RJ), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Rio Verde (GO),Salvador (BA), Santa Maria (RS), Santos (SP), São Carlos (SP), São José dos Campos (SP), São José do Rio Preto (SP), São Luiz (MA), São Paulo (SP), Theresina (PI), Vitória (ES), Volta Redonda (RJ)

Dia da Música 24/06 – grátis 10h: Força & Garra Jazzman Company Colégio Stephania de Carvalho (São Gonçalo) 10h: Original Black Sound System / Projeto do Nada Espaço Cultural Viaduto de Realengo 12h: Rock na Biblioteca: Átila La TrupEvoé / Corcel Mágico / LaVille / Traqitana / Caos Banal / Taturana de Aço / Senhor Kalota  Biblioteca Leonel Brizola (Duque de Caxias) 13h: Grupo Chorando de Rir / Bico Doce & Samba da Siriguela Cultural Bar (Nova Iguaçu) 13h: Mon-Ra / Nomades Rap Arena Dicró (Penha) 14h: Hugo Ardilha / Menezes / Kali (SP) / Pedro Gama Espaço Multifoco (Lapa) 14h: Molho Negro / Ana Muller / Chicas / Esdras Nogueira / Do Amor / Som Peba e Bobby DJoy + Jeza da Pedra / Linn da Quebrada Praça Luís de Camões (Glória) 15h30: Dub Club Band / Saudades de Cumbia / Melodica Vibezz / Ratel Largo das Neves (Santa Teresa) 16h: Rodrigo Miguez / Luciane Dom Praça Sandro Moreira (Flamengo) 16h: Yassine Lagraf / TMRP MM (Praia de Boa Viagem / Niterói) 17h: Hollywood Mantra / João Azevedo / Banda Gente / Gente Estranha no Jardim / DJ Feminoise / DJ Gisa Morena Palco Coelhão - Praça de Coelho da Rocha (São João de Meriti) 17h: Aura / Monstro Amigo / Anjo Gabriel (PE) Teatro Odisseia (Lapa) 17h: Edson Júnior / O Velho Se Foi La Carmelita (Lapa) 17h: McGee & The Lost Hope / Blind Horse / Hammerhead Blues La Esquina (Lapa) 17h: Monica Avila / Amalá Maracatu Brasil (Laranjeiras) 17h: Mon-Ra / Lado A / Aika Cortez / Selvagens da Noite HF (Alameda São Boa Ventura / Niterói) 17h: Senhor Kalota / Roterdan Centro Cultural Joaquim Lavoura (São Gonçalo) 18h: Jota / Rataria Nuclear Praça das Juras (Bangu) 18h: Floppy Flipper / Alambradas Motim (Centro) 18h: Coronel Soares / McGee & The Lost Hope / MOS / Giallos (SP) Escritório (Centro) 19h: The Zacatto / Hero-Beat Jack Praça Jorge Pinheiro (Parque Veneza / Belford Roxo) 19h: Karla da Silva / Pietá Praça Guilherme da Silveira (Bangu) 19h: Zé Bigode / João Azevedo / Samba de Dois Casa Aberta (Rocha) 19h: Dulcineia Enferrujada / Eddu Grau Largo do Boi Tolo (Praça XV) 19h: Caroline Alves / Hugo Ardilha / Menezes / Raul de Barros Jr. Il Piccolo Caffè Biergarten (Lapa) 19h: Zanzibar / Luciane Dom Sobrado Boemia (Praça São Salvador / Laranjeiras) 19h: Luiza Sales / Malundu Galpão Ladeira das Artes (Cosme Velho) 19h: Labibe / Hollywood Mantra / Projeto do Nada / Gente Estranha no Jardim Bar do Nanam (Praça Tiradentes) 20h: Dois Infinitos / Bruno Perez Pub Panq´s (Tijuca) 20h: Mihay / Marcelo Vig / Raquel Coutinho Bar Semente (Lapa) 20h: Thiago Nassif / Avec Silenzi Audio Rebel (Botafogo) 20h: Caroline Alves / Labibe Quintal do Miguelito (Recreio dos Bandeirantes) 21h: Qu4rto Teto / Reduto Sunday Rock (Cosmorama / Mesquita) 21h: Canto Cego Praça Jackson do Pandeiro (Santa Cruz) 22h: TopVox / Fuzzcas Saloon 79 (Botafogo) 23h: Dub Ataque / Aika Cortez Praça Marechal Âncora (Centro) 23h: Blind Horse / Pantanum (PR) / The Mountain Season / Son Of A Witch (RN) Coletivo Machina (Lapa

ULTRA BRASIL ANUNCIA A PHASE 1 DE SEU LINEUP PARA A EDIÇÃO 2017: ADAM BEYER, ALESSO, ARMIN VAN BUUREN, DAVID GUETTA, JAMIE JONES, JOSEPH CAPRIATI, SASHA & JOHN DIGWEED e THE MARTINEZ BROTHERS SERÃO HEADLINERS FESTIVAL ACONTECE NOS DIAS 12, 13 E 14 DE OUTUBRO NO SAMBÓDROMO DO RIO

_______________________________________________________ Caixa Cultural 19h - R$ 20 29 - Encontro das Gerações do Folk e Rock Rural: Tuia, Tavito, Guarabyra, Ricardo Vignin

Zé Bigode apresenta Fluxo ao vivo em show gratuito no Parque das Ruínas (1/7) a partir de 17h

Circuito Estação NET de Cinema e Cinemateca do MAM apresentam: Exposição CINEMA EM CASA: Equipamentos do acervo da Cinemateca do MAM. A partir de 23 de fevereiro, no Estação NET Botafogo de 23 de fevereiro a 23 de agosto 2017 Horário de visitação: 14h às 22h Entrada franca

MOSTRA DE CINEMA COLOMBIANO TRAZ A CALIWOOD DE LUIS OSPINA PARA A CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO A programação reúne 34 filmes, sendo 29 realizados pelo cineasta, que participa da mostra em uma masterclass no dia 1º de julho Caliwood de Luis Ospina: Cinema colombiano de vanguarda, em cartaz na CAIXA Cultural Rio de Janeiro de 27 de junho a 9 de julho de 2017. Com curadoria de Lúcia Ramos Monteiro, a mostra traz uma retrospectiva completa do realizador colombiano fundador do Grupo de Cali e expoente do cinema independente da Colômbia.

SHELL OPEN AIR: O Shell Open Air, maior cinema ao ar livre do mundo, volta ao Rio de Janeiro de 7 a 25 de Junho na Marina da Glória. Com uma tela de cinema gigante de 325m², o público poderá assistir clássicos, blockbusters, além de assistir a shows.    a programação de cinema contará com filmes como Velozes e Furiosos 8, La La Land, Deadpool, Fragmentado, Animais Fantásticos e Onde Habitam,  A Bela e a Fera, Moana,Sing – Quem canta seus males espanta, Rush – No Limite da Emoção, Rogue One – Uma história Star Wars; Os clássicos Moulin Rouge, Footloose, O Iluminado, Alien – O Oitavo Passageiro, Dias de Trovão e Elis e Minha Mãe é uma peça 2.

HANSON CHEGA AO BRASIL COM A MIDDLE OF EVERYWHERE 25th ANNIVERSARY WORLD TOUR   24 de Agosto no Km de Vantagens Hall RJ (antigo Metropolitan), no Rio de Janeiro; 25 de Agosto no Km de Vantagens Hall BH (antigo BH Hall), em Belo Horizonte; e 26 de Agosto no Citibank Hall, em São Paulo


1ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo Especial Mohamed Khan Homenagem a um dos mais aclamados cineastas do país Exibição de 13 longas-metragens e realização de um debate com a presença de Wessam Soliman, viúva de Mohamed Khan e roteirista de A menina da fábrica, Meninas do Centro e No apartamento de Heliópolis CCBB Rio de Janeiro – 14 a 26 de junho



(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers