Pages

Tuesday, May 08, 2012

ZIGGY PLAYS... DECKS!!!


Muita gente se espanta quando descobre que eu tbm sou dj. E ha mais de 20 anos! O que não os deixa saber é que, nesta carreira paralela, eu atuava usando pseudonimos (tony the tiger, ziggy), para nao misturar canais. O DJ não tinha nada a ver com o jornalista. Mas, o começo de tudo, vem lá atrás, ainda moleque, quando eu geralmente era o dj de improviso das festinhas, pq achava um saco esperar uma musica acabar e começar outra. No principio, passava do vinil para o cassete (e v-v), nos antigos 3x1, depois passei a usar fitas montadas, com trechos editados na base da fita splice (estas, eu usava para sonorizar campeonatos de skate antes do cd), ate chegar aos toca discos profissionais, em casas como as extintas crepusculo de cubatão e dr smith (rj), aí ja ganhando algum pelo trabalho. No cubatão, comecei por acaso, cobrindo o viajante ze roberto mahr, qndo este nao podia, junto com o luis carlos franco (que nao seguiu carreira). Fiz o mesmo tbm na metropolis, junto com dudu menna barreto. depois, ganhei noite fixa no cubatao (como tony the tiger, alcunha dada pelo philippe seabra, da plabe), junto com paulinho the hunter, a quem batizei de paulo futura, baseado no cabaré futura e num projeto nosso (com hermano vianna), que nao rolou. nestas noites (que variavam entre goth rock e acid house), tbm toquei com outro iniciante, que depois ficou famoso, o dj felipe venancio.

Mas só nos 90s é que a coisa se tornou profissional e dedicada. Aí, entra em cena ziggy (homenagem ao et de bowie), que tem esse nome pq, a principio, tocava um tipo de eletronica 'espacial', uma coisa nova lá da primeira metade dos 90s. era o som trance do inicio, antes de o termo virar sinonimo de farofa, que contava tanto com tunes de moby quanto de the orb. era uma musica muito viajandona e instrumental. quando os chemical brothers apareceram, o som acelerou e, dai em diante (meados dos 90s), criei o site/festa electric head, que começou itinerante em 1995, ate pousar na sala 2 da bunker, em 97, onde ficou até o fechamento da casa, em 2005 (toda sexta). esta fase foi a mais prolifica, com gigs toda sexta na bunker e sábados em raves (que ainda nao eram redutos de playbas), aqui ou em outros estados, como sp, mg e rs. Como ziggy, as vzs faturava mais do que no jornal (mas metade da grana era reinvestida em discos vinil importados) e cheguei a ter musicas incluidas em tres coletaneas diferentes: uma da utter records (feita com leoni, como prisoners), num cd do rock in rio de 2001 (já como dj ziggy) e numa do site bitsmag (esta ultima circulou ate no japao), alem de a galera do b.u.m. ter feito remix para a track 'fall out' e a incluido num cd deles, underground collective.

 Ao contrario dos demais djs, nunca me especializei só num tipo de som. eu simplesmente ia evoluindo junto com a eletronica corrente: trance, big beat, techno, electro e variantes, nunca gostei de gueto, nem de repetição. tem djs que tocam o mesmo som do começo ao fim, por anos a fio. me dá tédio. nas raves, com mais gente, é que caia mais para um tipo de trance (o progressivo), por causa do público. já abri ate pros aliens do sun project. mas nao tocava psy, e sim uma seleção da belga bonzai records, que me mandava discos semanalmente para testar, a maioria sem nome, pq o dono do selo era o yves deruyter (dos space hit 'calling earth', que é fodástica), a quem conheci pessoalmente. Falando em conhecer, lá no começo da internet, segunda metade dos 90s, varios djs gringos vieram tocar na electric head por causa do site: da dupla israelense analog pussy, passando por djs do canadá, nova york, finlandia, londres, e até o pacou da tresor. eu descolava o cache e/ou lugar pra ficar e eles vinham. Foi tbm na e-head que tocaram, pela primeira vez, as djs locais K-milla (hj morando na Holanda) e rave girl (agora estilista), além de amigos como alexey, jay b, roger lyra e tantos mais...

Com o fim da bunker, passei a tocar eventualmente em casas como fosfobox (eletronico em geral), dama de ferro (electro) e matriz (crossover rock/eletronica, estilo dfa). mas, atualmente, com as poucas casas que restaram no rio, dominadas por grupos, onde só rolam festas e djs que fazem parte de uma mesma panela/produtora, fui tirado do circuito. tbm nunca quis fazer parte de agencias (embora ja tenha sido convidado por duas). fui dj como fui skatista: for fun. no momento em que a coisa fica seria demais, vira 'trabalho', salto fora. mas meus decks estao montados em casa e meus discos preferidos (a maioria em vinil) continuam lá, a postos. E estou aqui contando a história, pq senao, ninguém vai ficar sabendo disso -- sempre rolou preconceito pq eu era do rio fanzine/globo, e mesmo livros escritos por coleguinhas sobre djs nesse meio tempo sequer citam ziggy ou a e-head. por outro lado, existiram aqueles q chamavam pra tocar achando q isso garantia nota na coluna (nao garantia). para todos estes, UM SONORO bip!


*fotos de dani bever

3 comments:

Fräulein said...

Quando eu comecei a frequentar a bunker eu já sabia que ziggy era tom (que vc era vc...)rs. nem lembro como soube, mas achava estranho como muita gente que frequentava a e-head não sabia quem era um dos caras do rio fanzine, que acompanhei dos 13 anos até o fim. E lembro que antes de saber quem estava por trás do rio fanzine, ficava imaginando como era, ouvia a voz em algum programa de radio, e dava maior emoção (coisa q só entende quem ouviu rádio para conhecer música) e aí, um dia eu dei de cara com o meu ídolo e me apresentei, isso é muito legal.rs

Frequentando a E-Head saí em foto algumas vezes no rio show ou rio fanzine, de costas, sempre de costas, aí os amigos me ligavam, eee te vi no jornal, lá na bunker e tal.

Ia gostar bastante te ver discotecando ainda, mas entendo toda essa parada aí, e sei de gente que era cheio de cri cri por vc ser quem é.

ah vai, comentário enorme, declaração de admiração, só isso.

Alexandre Mandarino said...

Texto muito bem mandado! O Rio virou uma panela meio pop meio neo-hippie.
Mas quem sabe das coisas sempre vai reconhecer a importância dos seus sets e, claro, da coluna.
A noite da cidade ficou chata. Metade quer ser fotografado pra aparecer em sites (?) e a outra quer fingir que é DJ tendo ouvido apenas meia dúzia de discos dos Beatles.

Blogger said...

Play Audio: Sprinter - True Lya Lya

NA CIDADE

MAIO-NESE:

CASAS E SHOWS: Circo Voador 18 - Sonata Arctica (FIN) 19 – Ira! Folk 20 – Mano Brown  26 - Amon Amarth (SUE) / Abbath (NOR) 27 – Lô Borges: Disco do Tênis (1972) / Dônica

Fundição Progresso 20 - Mic Master Brasil: Marcelo D2 / Haikaiss / Classe A / Casa Onze DJs

Teatro Rival 17 – Rival Rebolado 18 – Dream Team do Passinho Canta e Dança Jackson 5 20 – Festa Los Britânicos 25 – Jay Vaquer  26 – Mulheres de Chico 27 – Festa Baby Boom 31 – Martha Moreno

Teatro Odisseia 21 - Garage Fuzz (SP) / Diabo Verde / Plastic Fire / Reckoning Hours / Cannon of Hate / NDR

Vivo Rio 19 – Mariza (POR) 20 – Diogo Nogueira 26 – Renaissance: Songs For All Times 27 – Roberta Miranda

Theatro Net Rio 17 – Chiara Civello 24 – Gottsha – Participação: Marya Bravo 31 – Edson Cordeiro

Beco das Garrafas 17 – Bottle´s Bar: Laura Finocchiaro

Audio Rebel (Botafogo) 18 - Quintavant: Ricardo Pereira  19 – Anjos de Vidro / Chico Brown 20 - Boobarellas / Korja / Os Carburadores / Gambrinus 74  25 - Quintavant: Chelpa Ferro 28 - Phone Trio / Coffeemakers / The Last Whale

Espaço Sérgio Porto (Humaitá) 18 – Posada / Mantuano Trio 19 – Ventre / Mahmed 25 – CEP 20.000 26 – Sinara 

Rio Arena 25 - Ed Sheeran (ING) Teatro Bradesco 25 – João Bosco

Metropolitan 20 – Capital Inicial Acústico 24 – Jose Carreras 27 – Maiara & Maraísa

Imperator 17 – Quartas Brasileiras – Homenagem a Dick Farney: Zé Luiz Mazziotti & Itamar Assiere – Participação: Áurea Martins 18 – Scalene / Alarmes 24 – Goldherança: Golden Boys / Trio Esperança / Evinha Planet Music (Cascadura) 27 – Esteban Tavares / Amplifica / Plano B

Lona Jacob do Bandolim (Jacarepaguá) 19 - Danilo Caymmi 20 – Menores Atos / La Ville / Na Panela / Roterdan Lona Carlos Zéfiro (Vista Alegre) 27 – Banheiro Azul Lona Gilberto Gil (Realengo) 19 - Eliana Printes

Casa Levi´s (Botafogo) grátis 19 – 19h: Concurso de Bandas 20 – 20h30: Erasmo Carlos

Pub Panqs (Tijuca) 20 - Márvio Ciribelli - Participação: Mylena Ciribelli (21h - R$ 20) Ruínas (Praça Tiradentes) Quintall Rock (22h20 – grátis até 23:30, 10 após) 18 - Facção Caipira 25 - Os Vulcânicos

Teatro Eva Herz / Livraria Cultura 27 - Carol Naine (19h - R$ 30) Casa do Choro (Centro) 17 e 18 - João Cavalcanti & Marcelo Caldi (19h - R$ 40) 24 - Aurélie & Verioca (19h - R$ 40) Museu de Arte do Rio 18h – R$ 6 26 - MAR de Música: Boogarins (GO) / Festa Manie Dansante

Caixa Cultural 25 a 27 – Tom Zé (19h – R$ 20) Circuito SESI 26 - Duque de Caxias: Clarice Falcão (20h - R$ 34) 26 - Jacarepaguá: Mulheres em Pixinguinha (21h - R$ 12) 27 - Jacarepaguá: Clarice Falcão (20h - R$ 34) 27 - Duque de Caxias: Mulheres em Pixinguinha (20h - R$ 12)

MIXX: 20 - Qinho Canta Marina Lima – Soma Hub / Duque de Caxias (18h – R$ ) 20 - Baile Charme de Madureira: 27 Anos – Viaduto de Madureira (22h – R$ 10 1º lote, 15 2º lote) 20 - Paranoia Musique: Cubüs / Poëtika – Espaço Multifoco / Lapa (23h – R$ 20) 20 - Cacife Clandestino – Boiler Rio / Centro (23h – R$ 40 1º lote, 50 2º lote) 20 - 20 Anos do Heavy Duty: Unnature / Evil Inside / Último Sopro / Ambstract – Praça da Bandeira (23h – R$ 10) 21 - Canto Cego – Centro Cultural Laurinda Santos / Santa Teresa (13h – R$ 20) 21 - Contando Bicicletas / Chico de Barro / Relva – Santê Hostel / Santa Teresa (13h – R$ 15) 21 - Lithos Rock Fest: Pumpkinhead / Mavericks / Purano – Calabouço / Vila Isabel (19h – R$ 10) 21 - Hip Hop Lapa – Rua Joaquim Silva (16h – grátis) 21 - Qinho Canta Marina Lima – Mormaço / Nova Iguaçu (18h – grátis) 21 - Rock Fest: Golpe Certo / Old Kitchen / The Queen And The Jacks – Espaço Bel Maciel / Maria da Graça (18h – R$ 10) 24 - Luciana Mello – FM Hall / Centro (19h – grátis) 24 - Renaissance: Songs For All Times – Teatro Municipal de Niterói (20h – R$ ) 27 - Esteban Tavares / Amplifica / Plano B – Planet Music / Cascadura (17h – R$ 25 1° lote, 35 2° lote, 45 na hora) 27 - Festa Demons Over Gotham – Porto Pirata / Praça da Bandeira (22h – grátis) 

 VEM AI: Festival Varilux de Cinema Francês 2017 De 7 a 21 de junho em mais de 55 cidades brasileiras (informações sujeitas a alteração): Águas Claras (DF), Aracaju (SE), Barretos (SP), Barueri (SP), Belém (PA), Belo Horizonte (MG),Blumenau (SC), Buzios (RJ), Brasilia (DF), Campinas (SP), Caxambu (MG), Campo Grande (MS), Caxias do Sul (RS),Caxambu(MG), Cotia (SP), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE),Foz do Iguaçu (PR), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Juiz de Fora (MG), Jundiaí (SP), Londrina (PR), Macaé (RJ), Maceió (AL), Manaus (AM), Maringá (PR), Mossoró (RN), Natal (RN), Niterói (RJ), Nova Friburgo (RJ), Pelotas (RS), Petrópolis (RJ), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Rio Verde (GO),Salvador (BA), Santa Maria (RS), Santos (SP), São Carlos (SP), São José dos Campos (SP), São José do Rio Preto (SP), São Luiz (MA), São Paulo (SP), Theresina (PI), Vitória (ES), Volta Redonda (RJ)

RENAISSANCE VEM AO BRASIL EM 2017   Com quase 50 anos de estrada, o grupo que foi pioneiro do rock progressivo britânico vem ao Brasil em maio de 2017. Curitiba (Teatro Guaíra), dia 24, São Paulo (Espaço das Américas) no dia 25, Rio de Janeiro (Vivo Rio) no dia 26, Porto Alegre (Auditório Araújo Vianna), dia 27, e Belo Horizonte (Palácio das Artes), dia 28

ULTRA BRASIL ANUNCIA A PHASE 1 DE SEU LINEUP PARA A EDIÇÃO 2017 ADAM BEYER, ALESSO, ARMIN VAN BUUREN, DAVID GUETTA, JAMIE JONES, JOSEPH CAPRIATI, SASHA & JOHN DIGWEED e THE MARTINEZ BROTHERS SERÃO HEADLINERS FESTIVAL ACONTECE NOS DIAS 12, 13 E 14 DE OUTUBRO NO SAMBÓDROMO DO RIO

_______________________________________________________ O Cine Joia Copacabana, em parceria com o Instituto Goethe/rj, começa a exibir a partir do dia 18 de maio, indo até o dia 31 de maio, sete filmes alemães inéditos em mais uma edição da Mostra Joias do Cinema Alemão. Nessa 4a edição, novamente com curadoria da equipe de Programação do Cine Joia, o projeto volta a trazer filmes alemães inéditos no circuito carioca e que nunca chegaram ao circuito exibidor brasileiro.



Circuito Estação NET de Cinema e Cinemateca do MAM apresentam: Exposição CINEMA EM CASA: Equipamentos do acervo da Cinemateca do MAM. A partir de 23 de fevereiro, no Estação NET Botafogo de 23 de fevereiro a 23 de agosto 2017 Horário de visitação: 14h às 22h Entrada franca

UMMAGUMA THE BRAZILIAN PINK FLOYD VOLTA AO PALCO DO METROPOLITAN   Considerada pela crítica como o melhor cover do Pink Floyd no Brasil, a banda faz show no dia 19 de maio com a turnê You Gotta Be Crazy.

Mostra 'As marionetes de Jirí Trnka': Caixa Cultural RJ exibe filmes do "Walt Disney do Leste Europeu", inéditos no Brasil, a partir de 16 de maio



Aventura Antonioni   Retrospectiva completa do cineasta italiano Michelangelo Antonioni com  curtas e longas-metragens, documentários e ficções, além de aula magna e debate                     CCBB Rio de Janeiro – 26 de abril a 22 de maio                    CCBB São Paulo – 26 de abril a 22 de maio | CineSesc (SP) – 11 a 17 de maio                   CCBB Brasília – 3 a 29 de maio  
(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers