Pages

Sunday, February 23, 2014

ELECTRIC HEAD: 20 ANOS



ELECTRIC HEAD É O NOME DE UMA GIG DE MUSICA ELETRONICA QUE MANTIVE POR 8 ANOS, TODAS AS SEXTAS-FEIRAS, NA SALA 2 DA EXTINTA BUNKER, EM COPACABANA, A PARTIR DE 1997. MAS A IDEIA VEIO ANTES. POR VOLTA DE 1994, CRIEI UM SITE, ELECTRIC HEAD, PARA FALAR DA NOVA CENA ELETRONICA QUE SURGIA NO RIO, E JA FAZIA VERSOES MENORES E ITINERANTES DA FESTA EM LUGARES COMO UMA CASA NA RUA BAMBINA (COM WILSON E AMANDIO) OU NAQUELE CASARAO ONDE HJ É UMA CASA SHOW, PERTO DO LGO. DOS LEÕES/HUMAITÁ.

  NAQUELE TEMPO, A INTERNET ERA BEM 'MENOR', ENTAO, TODO SITE COM ALGO ESPECIFICO CIRCULAVA DIRETAMENTE ENTRE OS INTERESSADOS (LEMBREM-SE: NAO HAVIA NENHUMA REDE SOCIAL ENTÃO, NEM ICQ). POR ISSO, MAIS DA METADE DOS FREQUENTADOIRES DO SITE ERAM ESTRANGEIROS, PRINCIPALMENTE EUROPEUS. POR ISSO, TBM, AO LONGO DA EXISTENCIA DA EHEAD NA BUNKER, RECEBI DJS QUE VIERAM DA DINAMARCA, ALEMANHA, INGLATERRA, E TBM DO CANADÁ E NOVA YORK, SÓ POR CONTA DESSE INTERCAMBIO VIA SITE. ELES ME CONTACTAVAM, DIZIAM QUE ESTAVAM VINDO PRO RIO E QUERIAM TOCAR EM ALGUM LUGAR. AI, EU PEDIA UM CACHE LA NA BUNKER E ELES VINHAM. UM DESTES, FOI A DUPLA ISRAELENSE ANALOG PUSSY, QUE FEZ SUA PRIMEIRA GIG EVER NO BRASIL NA EHEAD (DEPOIS, VOLTARAM EM VARIOS FESTIVAIS DE PSY TRANCE). EU PAGAVA CERCA DE $300 DOLARES SEMESTRALMENTE PARA MANTER O SITE (DOMÍNIO + MANUTENÇÃO), JÁ QUE NAO HAVIA NADA PARECIDO COM BLOGS AINDA, E FORMATAR UM SITE REQUERIA CONHECIMENTOS DE HTML, QUE EU NAO TINHA. MAS, VALIA À PENA, PELO RETORNO QUE DAVA.




  E ASSIM, A E-HEAD (NOME QUE TIREI DE UMA MÚSICA DO WHITE ZOMBIE) SEGUIU CÉLERE, LOTANDO A PISTA 2 DA BUNKER POR ANOS SEGUIDOS (SÓ DECAIU NO ULTIMO ANO DA CASA), APESAR DE TER UMA FESTA DE ROCK ROLANDO NA PISTA AO LADO, A ALIEN NATION, ERA UMA DOBRADINHA SENSACIONAL. PQ, OS GRINGOS IAM MAIS NA PISTA 2 (JÁ RECEBI ATE A BROOKE BURKE, DO CANAL E!), JÁ QUE, NAQUELE MOMENTO, A MUSICA DE PISTA INTERNACIONAL ERA A ELETRONICA. E, TODOS, TINHAM A OPÇÃO DE VARIAR. ATE PQ, O PRODIGY QUE NASCIA NA PISTA 2, DOIS ANOS DEPOIS, ESTAVA NA PISTA 1, JUNTO COM OS CHEMICAL BROTHERS. ALEM DISSO, TBM SERVIU PARA LANÇAR NOVOS DJS DA CENA LOCAL. COMO A HJ INTERNACIONAL KAMMY, A RAVEGIRL (HJ, ESTILISTA) E ALEXEY, ALÉM DE ABRIR UM ESPAÇO MENSAL PARA DJS DO COLETIVO B.U.M, DA BAIXADA FLUMINENSE (COMO HALEY SEIDEL, JJ JONAS, DD CHIP E O FALECIDO PÉRICLES). TODOS LANÇADOS NA E-HEAD. E RECEBEMOS TBM O ALEMÃO PACOU, DA TRESOR; RAY VELAZQUEZ (BROOKLYN, NYC), E TANTOS OUTROS, QUE A MEMÓRIA AGORA NAO CONSEGUE LEMBRAR.

  MEU CODINOME COMO DJ, NESTA FASE ELETRONICA, FOI/É ZIGGY, INSPIRADO NO ALIENIGENA CRIADO POR DAVID BOWIE. PQ, NAS PRIMEIRAS NOITES, EU TOCAVA UM TIPO DE SOM EXTREMAMENTE CLIMÁTICO E ESPACIAL, QUE ERA A RAIZ DO QUE DEPOIS VIROU TRANCE. MAS ERA BEM DIFERENTE. ERAM MUSICAS VINDAS DE UM CD DUPLO, 'THE POSITIVA AMBIENT COLLECTION', PRIMEIROS TRABALHOS DO MOBY, THE ORB, ORBITAL, FUTURE SOUND OF LONDON, E UMA LINHA EUROPEIA, SOBRETUDO DE SONS DA GRAVADORA BELGA BONZAI, DO YVES DERUYTER. NUMA DE SUAS VINDAS AO RIO, CONHECI YVES E ELE PASSOU A ME MANDAR, SEMANALMENTE, DISCOS-TESTE DE SUA GRAVADORA, A MAIORIA WHITE LABELS (ALGUNS CHEGAVAM EMPENADOS). ENTAO, TODA NOITE DE SEXTA, PELO MENOS CINCO MUSICAS NOVAS JAMAIS OUVIDAS EM PARTE ALGUMA DO BR, TOCAVAM NA PISTA DA E-HEAD. E, DE ACORDO COM A RESPOSTA NA PISTA, EU MANDAVA, POR FAX, UM RELATORIO PARA A BONZAI.

  NOS 8 ANOS EM QUE DUROU A NOITE NA BUNKER, A E-HEAD NUNCA SE PRENDEU A UM SÓ TIPO DE ELECTRONICA. COMEÇOU NESSA ONDA AMBIENT, QUE DEPOIS VIROU O TRANCE, AI, VEIO O PSY, O PROGRESSIVE, O HARD HOUSE, O BIG BEAT, MAS O TECHNO ORIGINAL, NUNCA DEIXOU DE SER TOCADO (LAURENT GARNIER, P EX), NEM OS CROSSOVERS DE ROCK E TECHNO. NO FINAL DA BUNKER, O PUBLICO MUDOU E QUERIA UMA MUSICA MAIS POP/LIXO, COMO SE HABITUOU A ROLAR HJ NAS CASAS NOTURNAS CARIOCAS. NAO TOCO ISSO. AINDA RESISTI ALGUMAS NOITES COM JAY B E ROGER LYRA DE CO-PILOTOS. MAS O PUBLICO MUDOU (NINGUEM QUERIA MAIS VER DJS VIRANDO AO VIVO, MAS SONS RUINS GRAVADOS EM CDS TOSCOS DE MP3). ALIEN NATION ACABOU. A BUNKER MURCHOU. E EU PASSEI A FAZER GIGS EVENTUAIS, EM LUGARES COMO A PISTA 2 DA CASA DA MATRIZ, NUMA PARCERIA COM A FESTA PARADISO, DE TITO E EDINHO (ONDE PREDOMINAVAM OS SONS DFA, DISCO-PUNK); OU NA FOSFOBOX, EM DATAS ALEATORIAS. MAS FAZ DOIS ANOS QUE NAO TOCO COM FREQUENCIA, QUE NAO FAÇO DISCOS DE VINIL GIRAREM NUMA PICKUP MKII.

   ENTAO, ESTA NOITE BUNKER, NA CASA DA MATRIZ, NESTE SÁBADO, PRIMEIRO DE MARÇO, VAI SER UM REENCONTRO COM O PUBLICO E COM ALGUNS DOS HITS DO PASSADO. MAS NAO SERÁ UMA NOITE TOTALMENTE REVIVAL. LEVAREI SONS ATUAIS PARA A PISTA, TBM, COMO SE A ELECTRIC HEAD NUNCA TIVESSE DEIXADO DE ROLAR...

*COMO DJ ZIGGY, TIVE TRES MUSICAS LANÇADAS EM COLETANEAS DIVERSAS (UMA DA BITSMAG, OUTRA DO BUM E UMA TERCEIRA, DO ROCKINRIO), TOQUEI EM TODAS AS BUNKER RAVES E FUI CO-CRIADOR E CURADOR DA TENDA ELETRO, DO ROCKINRIO.

7 comments:

Fräulein said...

Lembro pouco da e- head pq frequentei mais a pista 1 da bunker. Aprovei tei melhor a época q vc tocava na fosfo, morava do lado... mas sábado to lá pra curtir os tech french de nome difícil, um q parece alemão rs... e os clássicos. Já tem tempo q to querendo uma noite de eletrônico pesado :)

Fräulein said...
This comment has been removed by the author.
Emerson Locke said...

Frequentei bastante a Bunker, ambas as pistas. Te sigo a algum tempo no twitter e não sabia que vc era DJ/criador da Eletric Head. Bem, na verdade quando eu ia pra pista 2 geralmente já estava bem doido... Lembro bem da Kammy (por quem era apaixonado apesar de nunca ter falado com ela) e de outros poucos DJ's. Parei de ir no final da década de 90 qdo fui morar em em SP e, quando voltei, o cenário noturno aqui do Rio tinha caído muito (ou fui eu que me senti deslocado, até hj não sei). Hj frequento pouco o cenário noturno, apesar de sentir muita falta, Parabéns por ter feito parte da era de ouro do techno aqui no Rio.

Emerson Locke said...

Frequentei bastante a Bunker, ambas as pistas. Te sigo a algum tempo no twitter e não sabia que vc era DJ/criador da Eletric Head. Bem, na verdade quando eu ia pra pista 2 geralmente já estava bem doido... Lembro bem da Kammy (por quem era apaixonado apesar de nunca ter falado com ela) e de outros poucos DJ's. Parei de ir no final da década de 90 qdo fui morar em em SP e, quando voltei, o cenário noturno aqui do Rio tinha caído muito (ou fui eu que me senti deslocado, até hj não sei). Hj frequento pouco o cenário noturno, apesar de sentir muita falta, Parabéns por ter feito parte da era de ouro do techno aqui no Rio.

Felipe Proença said...

Fui eu que ajudei a lançar o Alexey na electric head te dando um cassete (kkk lembra do século xx?) com um set gravado por ele. Fico feliz em saber que a rave girl, que fazia roupas bem legais, é estilista. Era uma puta dj, tinha um set poderoso (influenciada pelo Maurício lopes) só
Tocava porrada. Pura lenha. E era uma gracinha, parecia um moranguinho.

Felipe Proença said...

Fui eu que ajudei a lançar o Alexey na electric head te dando um cassete (kkk lembra do século xx?) com um set gravado por ele. Fico feliz em saber que a rave girl, que fazia roupas bem legais, é estilista. Era uma puta dj, tinha um set poderoso (influenciada pelo Maurício lopes) só
Tocava porrada. Pura lenha. E era uma gracinha, parecia um moranguinho.

Blogger said...

Sprinter - Function One (160BPM)

NA CIDADE

NOVEMBERINAS:

Teatro Odisseia 26 - Vanguart / Ariella

Teatro Rival 22 – Rival Rebolado 23 – Nelson Sargento 25 – Festa Batmakumba: Abayomy 30 - Festival Norueguês: Sondre Lerche / Greni

Teatro Riachuelo 22 – Golden Boys

Coordenadas Bar (Botafogo) 05, 12, 19 e 26 – Pedro Baby & Convidados 21 - Sérgio Rocha Blues Band: Homenagem a Celso Blues Boy Estúdio Fórum (Botafogo) 24 - Sexta Infame: PxExNxE (COL) / Blaspherion / Lástima / Baga

Solar de Botafogo 24 - Kosmus / Aura / Psilocibina 29 – Gabriel Calisman

Theatro Net Rio 27 -  Alessandra Verney  29 – Silva Canta Marisa Monte 

Blue Note 22 - Lina Nyberg (SUE) – Participação: Ilessi (22h30) 23 – Quarteto do Rio & Roberto Menescal – Participação: Joyce & Wanda Sá & Pedro Miranda (20h) 23 – Insula (22h30) 24 e 25 - Kenny Garret Quartet  29 e 30 - Ed Motta: Baile do Flashback

Sala Baden Powell 22 – Doralyce & Maracutaia 25 - Augusto Martins & Paulo Malaguti 26 - João Carlos Assis Brasil & Carlos Navas

Teatro da UFF (Niterói) 24 a 26 – MPB – a Era dos Festivais: Soraya Ravenle & Edu Krieger & Marcelo Caldi & Fabiano Salek & PC Castilho

Planet Music (Cascadura) 25 - For Annie / Ollie / Colorado / Visceral Fear

Imperator 23 – Humberto Gessinger: “A Revolta dos Dândis – 30 Anos” 24 – Cidade Negra Canta Gilberto Gil 25 – Terraço do Imperator: Forró Lánalaje: Trio Ventura / DJ Edna Carvalho 25 – Paulinho Moska 26 - Fafá de Belém (com Manoel & Felipe Cordeiro): Guitarradas do Pará 28 – Coral Imperator

Centro de Referência da Música (Tijuca) 23 – Felipe Adetokunbo 24 – Nina Rosa & Thiago Kobe 25 – Rodrigo Maranhão & Pretinho da Serrinha 29 – Joyce Cândido Canta Elis Regina  30 – Michel Taski

Aparelho (Centro) 18 - Second Come 24 - Felipe Zenicola / Marcos Campello / Lucas Pires  Motim (Centro) 24 - Gragoatá / Vitor Milagres / Daniel Villares

Quintas no BNDES 19h - grátis 23 - CDR Style 30 - Sergio Santos

Teatro Glauce Rocha (Centro) 23 - Alice Passos & Maurício Carrilho  30 - Olivia & Francis Hime Museu de Arte do Rio 24 - Sarau do Alemão / Rincon Sapiência

BRASIL EM TRANSE: Com curadoria de Ismail Xavier e coordenação da Sociedade Amigos da Cinemateca, em parceria com a Cinemateca Brasileira e o Cinusp, esta Mostra reúne mesas de debate e exibição de filmes que acontece de 16 de novembro a 1º de dezembro, em São Paulo. CINEMATECA BRASILEIRA

Circuito SESC 24 - Niterói: De Leve (19h - R$ 20) 25 - Madureira: De Leve (17h - R$ 20) 25 - Ramos: Cassiano & Trio Beija Flor (17h - grátis) 25 - São Gonçalo: Bebeto (17h - R$ 20) 26 - Madureira: Dorina (17h - grátis) 26 - São Gonçalo: De Leve (19h - R$ 20) 29 - Tijuca: Marcelo D2 & SambaDrive (19h30 - R$ 20) 30 - Tijuca: De Leve (20h - R$ 20) ______________________________

MIXX: 25 – Qinho - Ahlma.CC / Leblon 25 - AcaraJazZ: Bondesom / Juliana Linhares / Doralyce – Rio City Lab / Santo Cristo 26 - Alaska (SP) / Hover / Whipallas – La Esquina / Lapa 26 - Cervical / Mari & The GoodFellas / Facing Fear – Calabouço / Vila Isabel 29 - Baculeju da Sandra de Sá – Teatro Glaucio Gill / Copacabana

as dinamarquesas do grupo WE LIKE WE, são o destaque internacional na abertura da 5º edição do Festival Música Estranha em São Paulo.

Abertura da exposição de fotografias de Raymond Depardon, “Un moment si doux”, no dia 1º de novembro. Depois de passar por Paris e Buenos Aires, o CCBB Rio recebe as 170 fotografias de diferentes cores e formatos tiradas na Europa, África e América Latina, incluindo o Brasil. Ate 22 de janeiro. qua-seg 9am-21pm. Grátis.

Alexandra Jackson no Blue Note dia 28/11 (terca).   Alexandra é uma cantora americana que esta lançando EP, “Legacy & Alchemy”, dedicado à canção brasileira com standards da MPB .  O show tem participação de Pretinho da Serrinha.

#BLAZEYOURSELF @ Rooftop 5 Data: 25 de novembro, sábado – a partir das 17 horas até meia noite Local: Rooftop 5 – Rua Coropé, 88 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05426-100 Atrações: Selvagem, Jaloo e Tropkillaz Entrada gratuita mediante cadastro e confirmação no site, limitada a 500 pessoas

Tropicália ganha exposição tech com livre reinterpretação conceitual Nos 50 anos do movimento, na Galeria BNDES   Os artistas Barbara Castro e Luiz Ludwig, do estúdio Ambos&&, apresentam uma livre reinterpretação dos conceitos do movimento tropicalista à luz da arte e da tecnologia. Com a exposição Vamos Comer, estimulam o público a “devorar” experiências sensoriais e orgânicas, incluindo quatro instalações de arte computacional. Ela está aberta a visitações na Galeria BNDES, no Rio, entre os dias 18 de outubro e 1º de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h

“Piano, Voz e Jobim” Augusto Martins e Paulo Malaguti Pauleira   _ Homenagem aos 90 do maestro brasileiro _ Sala Baden Powell, sábado 25.nov (sáb), às 21h

FICI 2017 O Festival Internacional de Cinema Infantil, que acontece no Rio de 24 a 3 de dezembro, exibirá, na edição deste ano, 120 filmes de 25 países, entre animações, curtas, médias e longas-metragens. confira a programação.

O espetáculo “Kid Morengueira – Olha o breque!” homenageia Moreira da Silva (1902 – 2000), o cantor que popularizou o samba de breque, tornando-se um ícone da música brasileira. O samba permitiu a ele criticar, sempre com muito bom humor, os poderosos com seus desmandos, os malandros que conheceu na noite, e os compositores que ajudou a tornar conhecidos. A peça estreia para uma curta temporada no Teatro I do Sesc Tijuca - de 03 de novembro a 03 de dezembro, de sexta a domingo, sempre às 20:00.

Após o sucesso da temporada nos meses de abril e maio desse ano, que passou por sete cidades brasileiras e esgotou em todas as praças, o espetáculo “STOMDUP” de Tom Cavalcante volta para novas apresentações no Rio de Janeiro (dia 01 de novembro, no Teatro Bradesco Rio); Natal (dia 30 de novembro, no Teatro Riachuelo); Fortaleza (dia 01 de dezembro, no Teatro RioMar Fortaleza).

SOLID ROCK: a participação da banda Lynyrd Skynyrd no Solid Rock (Curitiba, Pedreira Paulo Leminski, dia 12/12; São Paulo, Allianz Parque, dia 13/13; e Rio de Janeiro, Jeunesse Arena, dia 15/12) acaba de ser CANCELADA por motivos pessoais da banda. No lugar, Cheap Trick será a banda que fará parte do lineup, junto do Deep Purple e Tesla. Mais informações sobre devolução de ingressos serão divulgadas em breve.

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers