Pular para o conteúdo principal

UMA NOITE HISTÓRICA. MESMO

A apresentação de Peter Hook e banda neste sábado, 18/jun, no Circo Voador, foi realmente histórica. Desde o começo, com uma projeção de cerca de 20mins, contando a história do Joy Division/New Order/Factory/Haçienda, até o fato de que, pela primeira vez, tivemos acesso a musicas do repertório do Joy Division que jamais haviamos ouvido por aqui antes, atraves de um integrante original da banda, que ja esteve no país algumas vzs e, com o New Order, no máximo tocava 'Love will tear us apart', como na mais recente vinda. Hook está viajando com a turne comemorativa dos 30 anos de lançamento do primeiro álbum do Joy Division, 'Unknown pleasures', que foi tocado na integra e na ordem; álbum do qual ele fez parte intensamente como integrante original da banda, compositor e, principalmente, como o criador das linhas de baixo soturnas que viraram marca registrada do JD e da dark wave. O fator histórico se deu até pela musica que precedeu a entrada de Hook e banda The Light (que conta com seu filho, Jack, no baixo) em cena: 'Trans Europe Express', do Kraftwerk, banda que influenciou o Joy.

O fator histórico continuou pq, antes de começar o álbum homenageado, Hook tocou tres early tracks do JD, incluindo 'Digital (day in/day out'), quase dando pra ver a sombra de Ian Curtis no palco. Depois, apareceu na tela o famoso desenho iconico da capa de 'Unknown pleasures' (que muita gente usa em camisetas hj em dia sem ter ideia do q se trata) e, a partir da faixa de abertura, 'Disorder', veio a sequencia que se ouvia sem parar no escuro do quarto (incluindo 'New dawn fades', q ja foi ate regravada pelo Nine Inch Nails). Quando chega o momento da dobradinha 'She´s lost control'/'Shadowplay' (esta, recentemente regravada pelo Killers), parte da plateia é tomada pela dança epiléptica do falecido Curtis, que influenciou a do também defunto Renato Russo, entao, a sequencia se encerra com 'I remember nothing', que deixa aquele rastro deprê, originalmente com o ruido de vidros se estilhaçando no final.

Pra noite nao acabar tao dark e pra baixo (no Circo, neguinho quer dar mosh até em show de blues), Hook volta para um adendo com mais uma rodada de singles do Joy, incluindo 'Atmosphere', 'Ceremony', 'Transmission', 'These days' e o hit postumo de Curtis, após 'Closer', a já clássica 'Love will tear us apart' (mil vzs regravada por aí), que encerrou a noite numa dança coletiva esfuziante, deixando de lado os eu clima melancólico, apesar de fazer muita gente ficar com lágrimas nos olhos. Apesar de fanfarrão, Hook nao é nenhum picareta, ele tem direitos nestas músicas e nós tivemos a oportunidade unica de ouvir as canções do Joy que jamais teremos a chance de ouvir de novo atraves de um membro original. Agora, só se ele voltar às boas com o restante do New Order e fizerem a tour comemorativa do sensacional 'Power, corruption & lies', que ja ja estará também completando 30 anos. Eu estarei lá, dançando loucamente ao som de 'Blue monday', sem a menor culpa =)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Winner winner, chicken dinner!

É o lema de quem ganha na mesa de blackjack (21) em Las Vegas. A frase, que diz a lenda, é de autoria de um oriental, que quebrou a banca num dos cassinos da cidade nos anos 50, é dita várias vezes no filme "21" (aqui, "Quebrando a banca"), que estréia semana q vem e vi hj cedo numa cabine. Ela significa algo como, quem ganha paga o jantar. O filme é interessante. Apesar de envolver galera e ter uma trilha sonora atual (com direito a faixa inédita do LCD, não tem aquela edição frenética MTV. Até porque, a história de um grupo de geniozinhos do MIT (Massachusetts Institute of Technology) que têm a capacidade de contar decks de cartas de baralho (sem precisar ser autistas, como o rain man) e vão faturar algum na maciota em Las Vegas, aconteceu mesmo na vida real. Isso é o ponto de maior interesse no filme, sacar os bastidores desse fato verídico. Os atores, a maioria novatos (tem o carinha de "Across the universe", mas tbm tem Kevin Spacey e a gatinha Kate …

KELVIN?

UNZAMIGOS MEU FORO RANGAR EM COPA DEPOIS DO SHOW DO JUSTICE E ACABARO ALI NA REGIAO DA PRADO JUNIOR TRAÇANDO UM GALETO COM AS PUTAS E TRAVECO. DADO MOMENTO, UM DELES VE UM ANUNCIO COLADO NUM ORELHÃO DO LADO DO BAR QUE DIZIA: "LOURINHA GOSTOSA. FAÇO KELVIN ATÉ O FINAL!", AI, GERAL BOLOU. O QUÊ OU QUEM DIABOS É KELVIN? NEGUIM JÁ DESCOLADO EM PUTARIA NÃO SABIA O QUE ERA AQUILO. KELVIN? WHATTAFUCK? A SOLUÇÃO? LIGAR PRA PUTA, É CLARO. AÍ, ELA EXPLICOU A PARADA: KELVIN É FAZER GARGANTA PROFUNDA ATÉ O FINAL SEM USAR CAMISINHA (20 CONTOS). MATADA METADE DA CHARADA. MAS POR QUE KELVIN? FIZ UMA BUSCA NO GOOGLE E SÓ APARECERAM DOIS LINKS SOBRE A PARADA!!! (O RESTO TODO ERA LIGADO A PESSOAS CHAMADAS KELVIN OU AO GRAU KELVIN). UM ERA UM FÓRUM NO QUAL A MESMA RESPOSTA E PERGUNTA QUE FAÇO AQUI ERA REQUERIDA, OUTRO ERA UM ANUNCIO DE JORNAL DE UMA VAGABA QUE FAZ KELVIN. ENTÃO, O MISTÉRIO CONTINUA: POR QUÊ KELVIN? ALGUÉM AÍ SABE?

OS SHOWS QUE VEM POR AI!

A agenda de shows internacionais no Brasil, neste primeiro semestre, está bem movimentada. Teremos desde grandes atrações inéditas (Phil Collins), até velhos conhecidos (Foo Fighters) e despedidas (Ozzy). Infelizmente, algumas das atrações, como Gorillaz e Depeche Mode, apenas em SP





DEPECHE MODE - SÃO FRANCISCO


PHIL COLLINS

PRIMEIRA VEZ NO BRASIL, SOLO - JÁ VEIO COM O GENESIS, NOS ANOS 70,
COM ABERTURA DO PRETENDERS

 22 FEVEREIRO: MARACANÃ/RJ
 24 FEVEREIRO: ALLIANZ PARQUE/SP
 27 FEVEREIRO: BEIRA RIO/POA




FOO FIGHTERS

COM ABERTURA DO QUEENS OF THE STONE AGE 

25 FEVEREIRO: MARACANÃ /RJ
27 FEVEREIRO : ALLIANZ PARQUE /SP
2 MARÇO: PEDREIRA PAULO LEMINSKI/CURITIBA
4 MARÇO: BEIRA RIO/POA


KATY PERRY