Pages

Saturday, July 14, 2007

WELCOME TO CONGO!

ENQUANTO ESPERAVA A GRAVAÇÃO DO PROGRAMA DO GNT NA SEXTA A TARDE, VI PELA TV NUMA SALINHA/CAMARIM A ABERTURA DOS JOGOS PAN-AMERICANOS. E O QUE FOI AQUILO? DIGO, ATE TAVA LEGAL E COISA E TAL. MAS PARECIA QUE EU TAVA NA AFRICA. DESDE A ABERTURA COM O MENINO DO TAMBOR ATE A APRESENTAÇÃO DE UM GRUPO AFRO QUE VEIO DEPOIS, NADA ALI DIZIA QUE SE TRATAVA DO BRASIL. NAO HAVIA UM SO PINGO DE VERDE E E AMARELO NAS VESTIMENTAS, NEM SEQUER UM VESTIGIO DE SAMBA OU BOSSA-NOVA NO SOM. PARECIA MAIS UMA CENA DO REI LEAO DA BROADWAY. PQ AQUELAS DANÇAS? PQ AQUELAS CORES? SE HA UM MOTIVO, ME EXPLIQUEM, PF. SENÃO TEREI QUE DAR RAZÃO AO AMERICANO ARROGANTE (OU DONO DE UMA VEIA DE HUMOR NEGRO?) QUE FOI BANIDO DA ASSESSORIA DE IMPRENSA DE SEU PAÍS PQ BOTOU UMA PLACA NA SALA AVISANDO "WELCOME TO CONGO" (ELE ALEGOU QUE FOI POR CAUSA DO CALOR QUE FAZIA NO RIO). PELO QUE VI ONTEM A TARDE, O CARA TAVA PROFETIZANDO O QUE VIRIA...

18 comments:

pacheco said...

Tom, eu adorei profundamente a abertura do pan. Seria legal vc até arranjar um videozinho da grobo mostrando, porque foi lindíssimo. Achei MUITO Brasileiro.
A parte "africana" é essencial, a cultura brasileira é 50% africana...

E eles exploraram todos os tipos de música, dança... fizeram a praia de copacabana no maracanã, os atletas entraram ao som de chorinho, tocou até cordel do fogo encantado ao vivo!

As coreografias estavam espetaculares, a música éra lindíssima, composições orquestrais que uniam villa-lobos, tom jobim e Carlos Gomes.

Enfim, foi ótimo. Teve até arnaldo antues =)

Outra coisa bem brasileira foi a falta de educação e respeito do povo.

Abraços!

Pedro said...

eu vi mto por alto a apresentacao.
me lembro que estava longe da tv e escutei uma musica do villa lobos.
Otima escolha.

so nao gostei das vaias, achei que aquilo nao tinha nada a ver.
---
qto a parte africana, entendo que isso faz parte da nossa cultura.Mas eu tb me lembro de ter reparado em algo que parecia uma tribo africana.Po, isso nao tem nada a ver com a gente.Nem na epoca dos quilombos, os negros usavam aquelas roupas e faziam aquelas dancas.Ate nas religioes afro- brasileiras, é frenquente o "mix" entre europa e africa.
E eu amo isso no brasil.
Mas eu concordo com o tom.Fico de saco cheio qd tem desfile de escola de samba e os caras so falam da africa.Po, nos nao somos africanos.

um cara gaucho com um visual farroupilha é mto mais brasileiro do que um cara batendo tambor e vestindo uma pele de leao.

---
mas tecnicamente, nao posso negar, foi uma festa feita com mta competencia.Parabens a equipe da abertura do Pan.

gustavo said...

Como vc Tom, não entendi certos simbolos usados na cerimonia de abertura.
Não entendi, por exemplo, o pq de os ritmistas estarem vestidos com aquelas roupas q lembram tribos africanas.
Outro ponto, foi a escolha dos artistas q cantaram na festa. Algumas pessoas podem reclamar do q vou dizer - e podem falar q o Pan do Rio é o Pan do Brasil - mas senti a falta de artistas q se identificassem mas com a cidade. Daniela Mercury é f....
sobre as vaias ao presidente na abertura do pan, acho q vivemos numa democracia, e por isso, todos tem o direito de expressar a sua insatisfação com os seus governantes.Mas mtos acham q aquele não era o momento, por ser a abertura de uma competição internacional, onde as atenções estão voltadas para o nosso país.
Mas infelizmente são poucas as oportunidades onde o povo de verdade pode se manifestar e assim ser notado pelo presidente, já q ele, dificilmente, chega tão perto de nós, povo de verdade.

tom said...

pacheco, consegui fazer vc falar (escrever) mais de duas linhas!!!
entendo seu ponto e nem vi a parada toda (ate gostaria de ver), mas, herança afro a parte (e nós temos muita) achei exagerado nao ter nada do brasil no primeiro numero e nem o solzinho que é simbolo do lance apareceu em nenhuma parte do desfile. os eua tbm tem boa herança afro e jamais abririam um evento oficial deles com tambores do burundi. se fosse assim, e como estamos no rio, tinha q ter funk. por isso os estereotipos com os brasileiros fora daqui continuam

Rocha07 said...

Não vou comentar sobre a cerimônia porque, apesar de não ser fã de carnaval, acho que qualquer coisa que eleve o espírito do brasileiro tá valendo.
Mas achei ridículo as vaias. É meio hipocrisia...o povo se emociona com a cerimônia e se enche de patriotismo, mas vaia o chefe de Estado, que nos representa pelo mundo a fora. Não sou fã do Lula, mas tem que rolar uma educação. Não era o lugar pra isso.
Também acho babaca vaiar as outras delegações, sejam elas quais forem. É falta de respeito. E porque aplaudir tanto Cuba?

Lord Vader said...

Descordo que a vaia ao Lula tenha sido " ridícula " . Nada mais normal do que a insatisfação popular com um cara que abriga em seu primeiro escalão mais de uma duzia de sujeitos envolvidos em corrupção desenfreada , sem contar a maré de sujeira que inunda Brasília nesse momento , ou melhor , veio a tona nesse momento pois sempre esteve por lá. Embora o cara tenha conseguido se esquivar de todos os rolos , ele é o chefe de estado , representa a Republica , e sim , mereceu a vaia , que espero tenha tocado fundo em sua empáfia e falta de semancol , porque a máscara dele caiu pro mundo todo ver (lá foram pensam que ele é idolatrado e unanimidade por aqui)
Não acho que patriotismo não tenha a ver com vaias (ou mesmo desobediência civil !)

tom said...

a vaia é valida, ate pq essa gente vive longe do povo, enfurnada em brasilia, se achando semi-deuses, ai, qndo toma contato direto com as pessoas, nao aceita a critica. o lula ta muito acomodado. se ele fosse quem pensa que é fazia uma faxina em seu ministerio sem pena e, ai sim, seria aplaudido pelos que votaram nele. o cara age e se porta igual aos que vieram antes, vai querer o que? e o rio sempre foi uma cidade de atitude e nao ia ficar calada numa hora dessas, so por causa do pan. depois que a parada acabar vai voltar a ser a mesma merda, é tudo fachada...

Otaner said...

Acho que o Lula merece vaias, mas ali não era o momento mesmo. Agora, bem pior que vaiar o Lula foi APLAUDIREM O CÉSAR MAIA!!! Das duas, uma: ou essas vaias/aplausos foram "organizadas", por assim dizer, ou então o povo carioca é uma besta quadrada sem salvação.

E vaiar a delegação argentina e americana? Também é por conta de insatisfação popular, etc, etc? Enfim...

E ainda não entendi com essa história do Congo se era pra gente se ofender ou se os ofendidos deveriam ser os Congoleses... :)

Rocha07 said...

Sei lá, só acho foda fazer isso no meio de um evento internacional. Neguinho é bom pra vaiar no Maracanã, mas fica só nisso né? Na hora de tomar uma atitude de verdade ninguém faz nada. Pra mim é palhaçada.

pacheco said...

Desde quando vaiar é atitude? É apenas falta de respeito, não muda nada. O cara já tá há muito tempo no governo e o pessoal só protesta na comodidade de um evento desses. É muito fácil vaiar.

Graças a Deus não tivemos o solzinho do pan na abertura! hahaha

Também não acho válido falar que os EUA não usaram tambores africanos na abertura; por que isso seria relevante? Desde quando estados unidos é modelo para alguma coisa? O povo até vaiou os esportistas americanos! (falta de respeito no.2)

E essa abertura teve TUDO de brasileiro, porque as batidas africanas se transformaram em samba aos poucos, com a entrada da bateria de várias escolas... tem coisa mais simbólica e historicamente correta que isso?

E sobre o funk, ao cantarem o hino do pan (que é do arnaldão) eles colocaram uma batida de funk lá no meio que ficou sensaional.

Abraço!

(29 linhas... hihihi)

Ps: Assisti o show da Marisa monte ontem, excelente, pra quem gosta dela e tem carteira de estudante eu recomendo altamente que vá fim de semana que vem!

(34 linhas...)

tom said...

posso dizer uma coisa: gostei muito dos comments deste post. sobre o lance das vaias, se aplaudiram o maia foi escroto. por outro lado, faz parte da tradição carioca vaia no maraca. como so vi parte da parada (nem um terço), so posso falar do que vi. continuo nao gostando do lance afro. toda vez q viajo tenho q explicar pros gringos q a gente nao mora na selva. e, sim, ainda bem que nao teve o solzinho (rs), mas ele nao era o simbolo? e, sim, os congoleses mereciam pedidos de desculpas

pacheco said...

e o blue man group? ;)

Alessandro said...

Como já diziam os "antigos":
"No Maraca até minuto de silêncio é vaiado..."

Gostei da abertura, apesar de seus exageros. Na verdade não sou fã de aberturas de Olímpiadas, Copa, etc Deve ser minha hojeriza por musicais ou algo que os lembre...

Eu só fiquei meio indignado por uma coisa que acho ser muito pessoal.

Por todo o esforço daquela geração e pelo vitória incontestável no Panamericano de 1987 em cima dos "todo-poderesos" americanos LÁ NA CASA DELES, acho que quem deveria acender a pira devia ser o Oscar ou alguém daquela brilhante equipe.

Não consigo lembrar de alguém que tenha dado uma importancia a uma medalha de ouro em panamericanos como aquela seleção de basquete de 1987.

Bom esta é minha opinião, e logicamente, não foi mico algum o Joaquim Cruz ter acendido a pira panamericana...

Acho que foi uma questão de gosto...

tom said...

agora, uma coisa sobre a reação do lula as vaias: que porra de presidente é esse que vai embora magoado por tal situação, deixa de abrir os jogos e ainda diz que nao sabe se vai voltar para o final do pan? tinha que passar por cima e continuar o que veio fazer, na moral. assim ele veste a carapuça, mostra que é fraco, vaidoso e coisa e tal. po, se fosse em tempo de guerra e um presidente rival mandasse ele ir catar coquinhos o cara ia sair fora tambem? achei muito ridicula essa atitude

Otaner said...

"Desde quando vaiar é atitude? É apenas falta de respeito, não muda nada. O cara já tá há muito tempo no governo e o pessoal só protesta na comodidade de um evento desses. É muito fácil vaiar."

Perfeito, Pacheco.

E Tom, infelizmente é verdade. O nosso querido prefeito foi aplaudido efusivamente, enquanto segundos atrás o Lula tinha sido vaiado. O que, somada a tradição do carioca de vaiar qualquer político, já meio que põe por terra as teses que têm rolado de que o povo vaiou pq está insatisfeito com o governo - até está, mas mesmo que o governo fosse uma maravilha a vaia teria rolado. Mas quem tenta fazer análises sociológicas sobre a vaia pro Lula simplesmente ignora os aplausos ao César. Aí não dá pra levar a sério. Acho que nem o Brizola seria aplaudido daquela forma. Espontaneamente, nem o César.

fabio fernandes said...

não sei se ainda é tarde para comentar, mas engraçado, eu curti a abertura do pan mas a minha namorada nem tanto, justamente por causa daquele clima africano ... ela não entendia o pqe daquilo clima "selvagem" e ficava discutindo comigo rsrsrs ... a unanimidade só foi na hora de concordar que não era o melhor momento para vaiar o presidente (que realmente amarelou e só faltou fazer "biquinho") e na participação da céu, de quem somos fãs.
e a propósito, pqe que todo evento representando o brasil, tem que ter a daniela mercury ???

e uma piadinha, já está rolando por aí a versão que os cariocas fizeram do hino do pan "viva essa energia": viva a cervejinha ! :)

Rocha07 said...

A única que realmente merece vaias, não importa aonde esteja, é a Martha Suplicy.

pacheco said...

hahaha, "viva a cervejinha"...

NA CIDADE

OCTOBERFESTIVAS:

FESTIVAL DO RIO  ÚLTIMA CHANCE   de 16 a 18 de outubro   Estação NET Botafogo 1 + Estação NET Rio 4 e 5    

ESTAÇÃO NET BOTAFOGO 1: 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  15:00     Ocidental Dir. Neïl Beloufa 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Matar Jesus Dir. Laura Mora 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  19:00     Memórias do subdesenvolvimento Dir. Tomás Gutiérrez Alea 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  21:00     As misândricas Dir. Bruce LaBruce

  17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  15:00     Ensiriados Dir. Philippe Van Leeuw 17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Antipornô             Sion Dir. Sono 17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  19:00     Patti Cake$ Dir. Geremy Jasper 17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  21:00     Meu colégio inteiro afundando no mar Dir. Dash Shaw  

18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  15:00     Últimos homens em Aleppo Dir. Firas Fayyad 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Cadáveres bronzeados Dir. Hélène Cattet, Bruno Forzani 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Sal Dir. Diego Freitas 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  19:00     Alanis Dir. Anahí Berneri 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  21:00     How to Talk to Girls at Parties Dir. John Cameron Mitchell  

ESTAÇÃO NET RIO: 16/10/2017         Estação NET Rio 5             14:15     Kim Dotcom: Agarrado na web Dir. Annie Goldson 16/10/2017         Estação NET Rio 5             16:15     God's Own Country Dir. Francis Lee 16/10/2017         Estação NET Rio 4             18:00     A liberdade do diabo Dir. Everardo González 16/10/2017         Estação NET Rio 5             18:45     Golden Exits Dir. Alex Ross Perry 16/10/2017         Estação NET Rio 4             19:45     As entrevistas de Putin Dir. Oliver Stone 16/10/2017         Estação NET Rio 5             21:00     A vendedora de fósforos Dir. Alejo Moguillansky  

17/10/2017         Estação NET Rio 5             14:15     Encriptado Dir. Nick de Pencier 17/10/2017         Estação NET Rio 5             16:15     Eduardo II Dir. Derek Jarman 17/10/2017         Estação NET Rio 4             17:30     Top of the Lake: China Girl Dir. Jane Campion, Ariel Kleiman 17/10/2017         Estação NET Rio 5             18:45     Titicut Follies Dir. Frederick Wiseman 17/10/2017         Estação NET Rio 5             21:00     Invisível Dir. Pablo Giorgelli

  18/10/2017         Estação NET Rio 5             14:15     Senhora Fang Dir. Wang Bing 18/10/2017         Estação NET Rio 5             16:00     Minha adorável lavanderia Dir. Stephen Frears 18/10/2017         Estação NET Rio 4             17:20     Tangerine Dream: a revolução do som Dir. Margarete Kreuzer 18/10/2017         Estação NET Rio 5             17:50     Cicciolina - Madrinha do escândalo  Dir. Alessandro Melazzini 18/10/2017         Estação NET Rio 5             19:00     O diabo e o Padre Amorth Dir. William Friedkin 18/10/2017         Estação NET Rio 4             19:10     Long Strange Trip: A viagem do Grateful Dead Dir. Amir Bar-Lev 18/10/2017         Estação NET Rio 5             20:30     Ex Libris: Biblioteca pública de Nova York Dir. Frederick Wiseman  

INGRESSOS: R$22,00 / meia: R$11,00 Meia entrada para quem comprou Passaporte

UCI INAUGURA A PRIMEIRA SALA DE CINEMA XPLUS LASER DO BRASIL, NO RIO DE JANEIRO: No ano em que comemora duas décadas no Brasil, a rede UCI reforça sua missão de oferecer ao público a melhor experiência em cinema e o que há de mais moderno no mundo, no mercado audiovisual. No Rio, inova mais uma vez com a primeira sala XPLUS Laser do país. A novidade será no maior complexo de cinemas brasileiro, o UCI New York City Center, que este ano também recebeu a primeira 4DX da cidade, com cadeiras que se movimentam e efeitos especiais. A aquisição do novo projetor a laser torna ainda mais imersiva a tecnologia da XPLUS, que tem projeção 3D de última geração, tela gigante com definição 4K e som Dolby Atmos™, com mais de 54 caixas acústicas e 128 streams de áudio que criam a ilusão de um campo infinito ao redor de cada espectador.

PROGRAMAÇÃO DO BLUE NOTE JAZZ CLUB RIO (ONDE ERA A MIRANDA, NO COMPLEXO LAGOON, NA LAGOA, LADO LEBLON):     Outubro   20/10 – Sexta-feira 21:00 Chick Corea & Steve Gadd Band 23:30 Chick Corea & Steve Gadd Band   Novembro 02/11 Quinta-feira 20:00 Spyro Gyra 22:30 Spyro Gyra   03/11 Sexta-feira 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   04/11 Sábado 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   15/11 Quarta-feira 20:00 Laura Perrudin   16/11 Quinta-feira 20:00 Didier Lockwood Trio 22:30 Didier Lockwood Trio

Tropicália ganha exposição tech com livre reinterpretação conceitual Nos 50 anos do movimento, na Galeria BNDES   Os artistas Barbara Castro e Luiz Ludwig, do estúdio Ambos&&, apresentam uma livre reinterpretação dos conceitos do movimento tropicalista à luz da arte e da tecnologia. Com a exposição Vamos Comer, estimulam o público a “devorar” experiências sensoriais e orgânicas, incluindo quatro instalações de arte computacional. Ela está aberta a visitações na Galeria BNDES, no Rio, entre os dias 18 de outubro e 1º de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h

Zucchero (o 'roberto carlos da itália') vem fazer shows no Brasil em outubro: Rio de Janeiro, no dia 26 de outubro, no Teatro Bradesco Rio São Paulo, no dia 27 de outubro, no Teatro Bradesco Porto Alegre, no dia 28 de outubro, no Teatro do Bourbon Country  

AGENDA CUTURAL BARATOS DA RIBEIRO: Sábado, 21 de outubro, a partir das 17h: VESPEIRO com as bandas Estranhos Românticos e Imperfeitos Quinta-feira, 26 de outubro, a partir das 19h: LEVADAS DA BECA, com as DJs Ana Paula Moniz (Beca Brechó), Bia Andrade & Ana Galli + uma convidada surpresa! Sábado, 11 de novembro, a partir das 17h: VESPEIRO com a banda Os Alquimistas (MS) e Mauk + Pedro White & banda fazendo tributo duplo: ao Bruce Springsteen e ao Tom Petty! RUA PAULINO FERNANDES 15, BOTAFOGO/RJ

MOSTRA DE CINEMA ARGENTINO CONTEMPORÂNEO VOLTA À CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO EM SUA SEGUNDA EDIÇÃO   Histórias extraordinárias apresenta uma seleção com os melhores filmes recentes do país vizinho. Debates com cineastas e especialistas completam a programação Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2 Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro  (Metrô e VLT: Estação Carioca) Telefone: (21) 3980-3815 Data: de 07 a 19 de novembro de 2017 (terça-feira a domingo)

PROJETO QUARTAS BRASILEIRAS RECEBE, PELA SEGUNDA VEZ,  MOACYR FRANCO, DIA 18, ÀS 16H, NO CENTRO CULTURAL JOÃO NOGUEIRA, O IMPERATOR

Angela Ro Ro leva o show "Amor & Humor" para a Zona Norte A cantora - que pela primeira vez pisa no palco do Centro Cultural João Nogueira -  faz  apresentação única no Méier, dia 29 de outubro, às 19h, no Imperator

estreia: 5º FEIRA/ 19 OUT - ABERTURA DA MOSTRA JÓIAS DO CINEMA DINAMARQUÊS: CINE JOIA DO RIO DE JANEIRO (copacabana) EXIBE SEIS LONGAS INÉDITOS DO PAÍS NÓRDICO; E O PRIMEIRO DOC LONGA-METRAGEM FILMADO NA GROENLÂNDIA.

Depois de regravar sucessos do Pop, Rock e Samba, a Orquestra Petrobras Sinfônica prepara uma homenagem ao reggae. O quarto EP da série “O Clássico é...” trará versões inéditas de “Andei só” (Natiruts), “Minha felicidade” (Roberta Campos), “Um anjo do céu” (Maskavo), “Aonde você mora” (Cidade Negra) e “Segue o baile” (Braza). A primeira apresentação do novo projeto será no Teatro Rival Petrobras, com entrada gratuita, às 20h do dia 18 de outubro (quarta-feira).

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers