Pular para o conteúdo principal

CADAVERES DO GRUNGE

Com as mortes de Kurt Cobain e Layne Staley no calendário do mês, lembrei dos breves contatos que tive com ambos. Primeiro com Cobain: estava num plantão, junto com eva joory, e nossa missão era emboscar alguem do nirvana nos corredores do hotel intercontinental, em sao conrado (onde kurt e courtney ja tinham armado barracos homericos no finde). Eu e eva circulamos pelo hall, fomos ate ao bar (infiltrados, claro) e, numa dessas, passa Cobain, alucinado, gritando, nao dizendo coisa com coisa. Usava aquela roupa meio pijama com que aparece em algumas fotos. Curioso como me lembrou renato russo, alguns anos antes, em igual estado, pelos corredores de um hotel em brasilia. Eram almas gemeas, no sentido de serem idolos pop que se auto-imolaram publicamente, em nome da fama. Nesta noite, nao teve jogo com Cobain. Na tarde seguinte, ele foi gentil com a galera do pgm College Radio. E só (bom, amigo meu, roberto berliner, pegou o braço da guitarra que ele quebrou no show). Eu e Eva acabamos no quarto do baixista krist novoselic, falando de politica local e mundial, com a imensidao da rocinha emoldurando a janela do quarto, servindo como contra-ponto.



Em outro hotel, o ex-rio palace, no posto seis (copa), buscava falar com alguem de outro hollywood rock. dando incertas pelo lobby (no qual, certa vez, shaun ryder me ofereceu tabletes de ecstasy), de repente, surge Layne, com um skate de street nas mãos e doido para saber onde podia usa-lo. me aproximei e dei a dica do bowl (mal feito) do arpoador, ali do lado. Em ultimo caso, dava para brincar um pouco no redondo da praça, com aquele visual ao fundo. Ele topou, e levei-o até lá. Mas, para nao perder a confiança do cara, nao atuei como jornalista, e sim como skatista. Layne era bem discreto, falava baixo e pouco, e nao aparentava estar constantemente chapado, como kurt. nesta tarde, definitivamente, nao estava. Entao, falamos apenas de skate, contei pra ele um pouco da cena local (ainda nao tinhamos bob arrebentando na gringa) e ele disse que sempre andava de skate quando queria dar um tempo. Nao parecia aquele cara sombrio e angustiado das letras do aic. O que me passou, é que ele era um cara muito fragilizado, que exorcizava seus demos via música. adorei o show da banda, e ouvi muitas vzs, após sua morte, Layne e a questão final da letra de 'would?'


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS SHOWS QUE VEM POR AI!

A agenda de shows internacionais no Brasil, neste primeiro semestre, está bem movimentada. Teremos desde grandes atrações inéditas (Phil Collins), até velhos conhecidos (Foo Fighters) e despedidas (Ozzy). Infelizmente, algumas das atrações, como Gorillaz e Depeche Mode, apenas em SP





DEPECHE MODE - SÃO FRANCISCO


PHIL COLLINS

PRIMEIRA VEZ NO BRASIL, SOLO - JÁ VEIO COM O GENESIS, NOS ANOS 70,
COM ABERTURA DO PRETENDERS

 22 FEVEREIRO: MARACANÃ/RJ
 24 FEVEREIRO: ALLIANZ PARQUE/SP
 27 FEVEREIRO: BEIRA RIO/POA




FOO FIGHTERS

COM ABERTURA DO QUEENS OF THE STONE AGE 

25 FEVEREIRO: MARACANÃ /RJ
27 FEVEREIRO : ALLIANZ PARQUE /SP
2 MARÇO: PEDREIRA PAULO LEMINSKI/CURITIBA
4 MARÇO: BEIRA RIO/POA


KATY PERRY

REI PANTERA

Vão dizer pra você que 'Pantera Negra', é o primeiro filme de super herói Marvel negro. Não é (Blade, veio bem antes). Ou, que é o primeiro filme com cast quase totalmente negro. Outra inverdade, basta uma rápida pesquisa. O fato é que, independentemente desses detalhes, 'Black Panther' é um filmaço, dos melhores do MCU (o Marvel Cinematic Universe). Não diria o melhor, pq 'Capitão América: guerra civil' (onde o Pantera Negra foi formalmente introduzido), detém esse titulo, desde os primeiros do Homem de Ferro e Vingadores. E, está acima do ultimo Marvel, o 'Thor: Ragnarok'. Muita gente gostou deste, pelo seu tom brincalhão. Achei um tanto demais da conta.


Por outro lado, os mais jovens irão achar 'Pantera negra' um bocado sério. É um filme que (quase) não deixa espaço pra piadinha barata. A história de T´Challa (Chadwick Boseman, que se revelou na cinebio de James Brown), o herdeiro do trono de Wakanda (um fictício e super avançado país africano…

ENVENENADO PELO ESTILO

Paul Thomas Anderson é um prodígio. Aos 26, realizou 'Boogie nights', seu longa de estreia, que aumentava um curta que ele tinha feito dez anos antes, sobre um fictício ator pornô chamado Dirk Diggler. Seu trabalho seguinte, foi o ambicioso 'Magnolia', espécie de homenagem a Robert Altman: um filme longo e cheio de personagens, cujas historias se entrecruzam aleatoriamente. Daí em diante, cada novo filme seu era esperado com altas expectativas, pelos fãs e pela crítica. Ele fez até um com Adam Sandler (!?), 'embriagado de amor'. Mas, sua obra-prima, veio em 2007: 'There will be blood' (sangue negro), um daqueles raros filmes que, quando acaba, dá vontade de aplaudir de pé na sala, e gritar 'bravo!' Um dos grandes trunfos do filme, é Daniel Day-Lewis, que, não a toa, ganhou Oscar de melhor ator no ano seguinte. É um dos cinco melhores filmes deste novo século.


Agora, no momento em que Day-Lewis anuncia sua aposentadoria do cinema, se juntou no…