Pages

Thursday, September 16, 2010

SOBRE O RIO FANZINE

OUVINDO O PGM DO MAUVAL NA TERÇA A NOITE É Q ME CAIU A FICHA DO FIM E DA IMPORTÂNCIA DO RIO FANZINE. E TBM DA DIFERENÇA Q HÁ ENTRE UMA COISA NA INTERNET E UMA FÍSICA. EMBORA CADA VEZ MAIS A GENTE CIRCULE PELA REDE, SAIR NO JORNAL É A PROVA VIVA DE Q ALGO EXISTE E ESTÁ ACONTECENDO. A GALERA DAS BANDAS E DAS FESTAS PARECE CONFIAR MAIS SE SAI ALGO IMPRESSO NUM JORNAL, QUE DÁ PRA GUARDAR E TAL. MAS NÓS SAIMOS DO AR ANTES QUE FOSSEMOS SAÍDOS DO CADERNO, Q VAI MUDAR E NAO COMPORTA NADA Q N SEJA LIGADO AO FIM DE SEMANA. DESSA FORMA, PODEREMOS DAR UM GÁS NO SITE DO RF NO GLOBONLINE, Q, ATÉ AGORA ERA APENAS UM BLOG POUCO ATUALIZADO. É A MESMA COISA, SÓ QUE DIFERENTE. VOU SENTIR FALTA DE BOLAR A DIAGRAMAÇÃO COM O LÉO E VER O VISUAL PRONTO DEPOIS. ONLINE É SÓ ENCAIXAR IMAGENS E PRONTO. ISSO FARÁ FALTA. MAS AGORA -- E COMO INTEGRANTE DO CULTURA ONLINE DO GLOBON, EU -- ESTAREMOS AINDA MAIS ATUALIZADOS, NÃO APENAS NA SEXTA-FEIRA. APAREÇAM.

16 comments:

Leo said...

Realmente uma pena. Deixamos de ter um Zine dentro de um jornal para termos mais uma página em "www".
Boa sensaçào de sobreviver aos formatos, mas sensação estranha de saber que aquele impresso que lia devagar para não acabar ( ! ), agora vai ser mais uma página fugaz na rede.
É isso aí.

Leo Daflon

Vulgo Dudu said...

Eu tenho a impressão que tudo o que é impresso é mais passível de ser difundido, disseminado. Ainda que a internet tenha um espaço ilimitado, o conteúdo fica restrito ao hábito da digitação do endereço na barra de endereços. Acho que isso, com cultura, é ainda mais forte. Eu escrevo resenhas cinematográficas no JB, que agora é só digital. Em poucas semanas, já percebo uma mudança radical na maneira como o conteúdo é partilhado, mensurado e classificado. O hábito de pôr a Revista Programa debaixo do braço, ou o hábito de começar a ler o Rio Show pelo Rio Fanzine, eram quase uma liturgia, hábitos levados à serio por muita gente. Mas parece ser esse o destino da notícia - ser digital, circular digitalmente, ocupar o menor espaço físico possível. Vida longa ao RF, ainda que seja gerado por sequências binárias.

Abs!

um blog de links said...

Vcs nunca serão apenas mais uma página!
Os bons permanecem e continuam para sempre!
e o Rio Fanzine é o melhor!

Rio Fanzine forever!

beijos e boa sorte

Cynthia

axiscassiel said...

Se muitos ainda estão presos na galáxia de Gutemberg o problema é deles. A web multiplica o alcance, te dá recursos de audio e video e vc pode usar o aparato do jornal pra isso. O Rio Fanzine agora é universal e acessível pelo arquivo do blog a qualquer hora, o que o impresso não permitia.

electroshake said...

RF Forevis!!!!! <3

Jenner said...

bola fora dos marketeiros do globo - um jornal só se sustenta com REPUTAÇÃO, algo que sem duvida o RF impresso transferia ao conteudo. Reputação conquistada bravamente que sobreviveu por 24 anos, de onda em onda - sem levar "caldo". aparecer impresso nas páginas do globo era mais que um reconhecimento, era uma subversão. nós, músicos e leitores assíduos, só temos a lamentar - tenho a impressão clara q foi só um "até logo", a cena musical e cultural do rio já anda uma desgraça há pelo menos 5-6 anos - perder o RF no Globo é a ultima paulada antes de morrer. uma pena. Tom (e Calbuque) sou muito grato por tudo.
Abs
Jenner

Jenner said...

bola fora dos marketeiros do globo - um jornal só se sustenta com REPUTAÇÃO, algo que sem duvida o RF impresso transferia ao conteudo. Reputação conquistada bravamente que sobreviveu por 24 anos, de onda em onda - sem levar "caldo". aparecer impresso nas páginas do globo era mais que um reconhecimento, era uma subversão. nós, músicos e leitores assíduos, só temos a lamentar - tenho a impressão clara q foi só um "até logo", a cena musical e cultural do rio já anda uma desgraça há pelo menos 5-6 anos - perder o RF no Globo é a ultima paulada antes de morrer. uma pena. Tom (e Calbuque) sou muito grato por tudo.
Abs
Jenner

PEDRO BAMBAATAA said...

já cansei de falar aqui. o rio fanzine é responsavel juntamente com o rocka 26 da minha passagem de "um metaleiro de visão estreita", para um apreciador não só do rock mas da música pop de uma forma geral.

Ontem mesmo fim a saber belo blog do maval que sua primeira matéria foi na "pipoca moderna" a qual tb lia e ainda tenho as edições.

Época, que para um suburbano como eu, vcs eram uma das poucas fontes com informação sobre rock e cultura.

Fiquei feliz em vc mencionar a Ana M. Bahiana, minha escriba favorita, que tb acompanhava na finada Som Três.

Sem dúvida, acho que não ter o meio impresso é não ter algo paupável, um veículo de informação que vc pode levar para qualquer lugar;

Em compensação com o underground caindo no mainstream cada vez mais rápido (principalmente devido a net) as pessoas procuraram outras fontes para sua atualização.

De qualquer forma deixar de ver o espaço quando se abria o caderno e mais recentemente a revista vai ficar dificil, para nós...
Mas enfim, bola para frente!

um abraço tom!!

Cris said...

Eu não sou de ir às festas, mas sempre acompanhei o Rio Fanzine pois os textos eram (são) ótimos e ficava por dentro do que rolava na noite, das novidades das bandas ... Afinal, me interesso pelas coisas do mundo (e mundanas). Vou acompanhar agora online!

Lord Vader said...

Comecei a ler o RF ainda moleque em 89 , e numa época pré MTV , cabo e internet , aguardava afoito sempre pela próxima edição , e nem sei dizer o tamanho da influência do caderno na formação do meu senso estético , não por imposição , mas pela força da informação. Hoje o mundo está mudado , tudo tem que ser sensorial/imediato e nada mais pode ser cerebral/semanal . Confesso também que (por outros motivos) deixei de ler jornal há um ano , mas era bom saber que o RF existia bravamente dentro de um veículo como o globo , quase como um intruso , um penetra. Bem , ainda tenho um monte de RF em folha dupla , grandões , guardados em algum lugar lá na casa da minha vó , tenho o livro (hey , que tal um livro vol 2 ??) , mas sobretudo devo parte da minha "formação" aos dois malucos fanzineiros que ajudaram a me desvirtuar , às rezenhas de discos e filmes que de outra forma jamais saberia que existiam (e às geniais ilustrações do Cruz tb). E como disse Anne Rice , meu mundo se parece cada vez mais com um panteão de estátuas quebradas , rss , mas é assim mesmo que as coisas são. Como disse o Dudu , vida longa ao novo formato zero/Um , e obrigado pelos peixes ...

Christiano said...

Acredito que as possibilidades proporcionada por uma página eletrônica pode deixar o Rio Fanzine ainda mais interessante - pois, nela, pode-se inserir links para áudio e vídeo, o que, a versão impressa não permite. Mas há um porém:

Como tornar o blog do Rio Fanzine diferente de tantos outros blogs que abordam cultura pop? Como evitar que o RF não seja apenas mais um na indistinção comum num ambiente de tanta informação como a internet?

O jornal impresso, querendo ou não, dá uma certa legitimidade no que diz respeito a veracidade da informação - porque aí também entra a credibilidade do veículo - que é importante.

Textos rápidos disponibilizados a todo momento no blog, muitas vezes, até pelas condições de "urgência" em que são feitos podem ser excessivamente rasos e de menos qualidade. Talvez parte do conteúdo devesse ser publicada semanalmente em edições, semelhantemente ao que era feito no jornal impresso - nas quais se incluiria artigos menos ligado diretamente com a agenda de shows, maiores e mais aprofundados.

Quando digo especificamente sobre qualidade, me refiro especificamente à larga experiência que vocês tem acumuladas em mais de duas décadas com o RF e trabalhando no jornalismo cultural em geral, além do amplo conhecimento sobre os muitos assuntos que abordam. Para que o blog não seja apenas mais um na "multidão" a qualidade é, sem dúvida, um elemento fortemente legitimador perante aos leitores. Assim tornando o blog uma referência para aqueles que procuram bons textos e credibilidade de informação; desse modo, sendo um diferencial em relação a tantos outros blogs que usam a própria internet - única e exclusivamente - como fonte e que com muita frequência tem como resultado, em sua maior parte, o recorrente uso de informações totalmente equivocadas.

Desejo bons ventos para a nova fase do Rio Fanzine.

Christiano Santos

Gustavo Gaspar said...

É uma pena!
Cresci lendo essa coluna, que era um oásis de informação, tanto na forma quanto no conteúdo. Até hoje tenho algumas colunas guardadas ainda no fim dos 80's, com ilustrações do Cruz, e fotos de bandas que eu nunca tinha ouvido falar e queria conhecer!
Sei que as coisas mudam, mas certamente vai fazer falta abrir o jornal na sexta e ir direto para a folha do RF...
Um abraço e muito obrigado por esses anos de informação e cultura alternativa.

Bem said...

Faz uma versao em PDF e deixa em algum lugar para a galera baixar. Eu fazia isso com meu zine...

Bem said...

Acho que pra molecada que nasceu no século XXI essa discussão não vai fazer o menor sentido. Para nós, dinossauros, bom mesmo e o que está impresso, pois é mais "seguro", já que existe no mundo material. E ao contrário do blog, um jornal dá um trabalho imenso para criar.

Viva os átomos! Viva os bits! Morte ao falso metal!

Felipe Proença said...

pô ziggy, que pena... já tinha achado uma merda vcs terem perdido aquele espaço maravilhoso no segundo caderno aos domingos, ficando só com aquela coluna no rio show. agora ateh a coluna do r.s. eles tiraram de vcs. que pena. fica registrado o meu repudio e protesto pelo o ocorrido. E é claro que o papel NUNCA sera´substituido pelo computador. espero, sinceramente, que um ia vcs voltem a ter o fanzine no papel novamente.

Gabi Aoyagi said...

Nada contra as modernidades do dia a dia. Mas ler no jornal é outra coisa! Muito mais confortável e mais agradável! Triste fim. :(

NA CIDADE

OCTOBERFESTIVAS:

FESTIVAL DO RIO  ÚLTIMA CHANCE   de 16 a 18 de outubro   Estação NET Botafogo 1 + Estação NET Rio 4 e 5    

ESTAÇÃO NET BOTAFOGO 1: 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  15:00     Ocidental Dir. Neïl Beloufa 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Matar Jesus Dir. Laura Mora 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  19:00     Memórias do subdesenvolvimento Dir. Tomás Gutiérrez Alea 16/10/2017         Estação NET Botafogo 1  21:00     As misândricas Dir. Bruce LaBruce

  17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  15:00     Ensiriados Dir. Philippe Van Leeuw 17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Antipornô             Sion Dir. Sono 17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  19:00     Patti Cake$ Dir. Geremy Jasper 17/10/2017         Estação NET Botafogo 1  21:00     Meu colégio inteiro afundando no mar Dir. Dash Shaw  

18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  15:00     Últimos homens em Aleppo Dir. Firas Fayyad 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Cadáveres bronzeados Dir. Hélène Cattet, Bruno Forzani 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  17:00     Sal Dir. Diego Freitas 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  19:00     Alanis Dir. Anahí Berneri 18/10/2017         Estação NET Botafogo 1  21:00     How to Talk to Girls at Parties Dir. John Cameron Mitchell  

ESTAÇÃO NET RIO: 16/10/2017         Estação NET Rio 5             14:15     Kim Dotcom: Agarrado na web Dir. Annie Goldson 16/10/2017         Estação NET Rio 5             16:15     God's Own Country Dir. Francis Lee 16/10/2017         Estação NET Rio 4             18:00     A liberdade do diabo Dir. Everardo González 16/10/2017         Estação NET Rio 5             18:45     Golden Exits Dir. Alex Ross Perry 16/10/2017         Estação NET Rio 4             19:45     As entrevistas de Putin Dir. Oliver Stone 16/10/2017         Estação NET Rio 5             21:00     A vendedora de fósforos Dir. Alejo Moguillansky  

17/10/2017         Estação NET Rio 5             14:15     Encriptado Dir. Nick de Pencier 17/10/2017         Estação NET Rio 5             16:15     Eduardo II Dir. Derek Jarman 17/10/2017         Estação NET Rio 4             17:30     Top of the Lake: China Girl Dir. Jane Campion, Ariel Kleiman 17/10/2017         Estação NET Rio 5             18:45     Titicut Follies Dir. Frederick Wiseman 17/10/2017         Estação NET Rio 5             21:00     Invisível Dir. Pablo Giorgelli

  18/10/2017         Estação NET Rio 5             14:15     Senhora Fang Dir. Wang Bing 18/10/2017         Estação NET Rio 5             16:00     Minha adorável lavanderia Dir. Stephen Frears 18/10/2017         Estação NET Rio 4             17:20     Tangerine Dream: a revolução do som Dir. Margarete Kreuzer 18/10/2017         Estação NET Rio 5             17:50     Cicciolina - Madrinha do escândalo  Dir. Alessandro Melazzini 18/10/2017         Estação NET Rio 5             19:00     O diabo e o Padre Amorth Dir. William Friedkin 18/10/2017         Estação NET Rio 4             19:10     Long Strange Trip: A viagem do Grateful Dead Dir. Amir Bar-Lev 18/10/2017         Estação NET Rio 5             20:30     Ex Libris: Biblioteca pública de Nova York Dir. Frederick Wiseman  

INGRESSOS: R$22,00 / meia: R$11,00 Meia entrada para quem comprou Passaporte

UCI INAUGURA A PRIMEIRA SALA DE CINEMA XPLUS LASER DO BRASIL, NO RIO DE JANEIRO: No ano em que comemora duas décadas no Brasil, a rede UCI reforça sua missão de oferecer ao público a melhor experiência em cinema e o que há de mais moderno no mundo, no mercado audiovisual. No Rio, inova mais uma vez com a primeira sala XPLUS Laser do país. A novidade será no maior complexo de cinemas brasileiro, o UCI New York City Center, que este ano também recebeu a primeira 4DX da cidade, com cadeiras que se movimentam e efeitos especiais. A aquisição do novo projetor a laser torna ainda mais imersiva a tecnologia da XPLUS, que tem projeção 3D de última geração, tela gigante com definição 4K e som Dolby Atmos™, com mais de 54 caixas acústicas e 128 streams de áudio que criam a ilusão de um campo infinito ao redor de cada espectador.

PROGRAMAÇÃO DO BLUE NOTE JAZZ CLUB RIO (ONDE ERA A MIRANDA, NO COMPLEXO LAGOON, NA LAGOA, LADO LEBLON):     Outubro   20/10 – Sexta-feira 21:00 Chick Corea & Steve Gadd Band 23:30 Chick Corea & Steve Gadd Band   Novembro 02/11 Quinta-feira 20:00 Spyro Gyra 22:30 Spyro Gyra   03/11 Sexta-feira 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   04/11 Sábado 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   15/11 Quarta-feira 20:00 Laura Perrudin   16/11 Quinta-feira 20:00 Didier Lockwood Trio 22:30 Didier Lockwood Trio

Tropicália ganha exposição tech com livre reinterpretação conceitual Nos 50 anos do movimento, na Galeria BNDES   Os artistas Barbara Castro e Luiz Ludwig, do estúdio Ambos&&, apresentam uma livre reinterpretação dos conceitos do movimento tropicalista à luz da arte e da tecnologia. Com a exposição Vamos Comer, estimulam o público a “devorar” experiências sensoriais e orgânicas, incluindo quatro instalações de arte computacional. Ela está aberta a visitações na Galeria BNDES, no Rio, entre os dias 18 de outubro e 1º de dezembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h

Zucchero (o 'roberto carlos da itália') vem fazer shows no Brasil em outubro: Rio de Janeiro, no dia 26 de outubro, no Teatro Bradesco Rio São Paulo, no dia 27 de outubro, no Teatro Bradesco Porto Alegre, no dia 28 de outubro, no Teatro do Bourbon Country  

AGENDA CUTURAL BARATOS DA RIBEIRO: Sábado, 21 de outubro, a partir das 17h: VESPEIRO com as bandas Estranhos Românticos e Imperfeitos Quinta-feira, 26 de outubro, a partir das 19h: LEVADAS DA BECA, com as DJs Ana Paula Moniz (Beca Brechó), Bia Andrade & Ana Galli + uma convidada surpresa! Sábado, 11 de novembro, a partir das 17h: VESPEIRO com a banda Os Alquimistas (MS) e Mauk + Pedro White & banda fazendo tributo duplo: ao Bruce Springsteen e ao Tom Petty! RUA PAULINO FERNANDES 15, BOTAFOGO/RJ

MOSTRA DE CINEMA ARGENTINO CONTEMPORÂNEO VOLTA À CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO EM SUA SEGUNDA EDIÇÃO   Histórias extraordinárias apresenta uma seleção com os melhores filmes recentes do país vizinho. Debates com cineastas e especialistas completam a programação Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2 Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro  (Metrô e VLT: Estação Carioca) Telefone: (21) 3980-3815 Data: de 07 a 19 de novembro de 2017 (terça-feira a domingo)

II FESTIVAL IMPERIAL DE CINEMA DE PETRÓPOLIS COMEÇA NESTA QUARTA, DIA 18: Festival é gratuito e conta com filmes inéditos na programação  A abertura será no Theatro D. Pedro com exibição do filme “João, O Maestro”, de Mauro Lima.

Angela Ro Ro leva o show "Amor & Humor" para a Zona Norte A cantora - que pela primeira vez pisa no palco do Centro Cultural João Nogueira -  faz  apresentação única no Méier, dia 29 de outubro, às 19h, no Imperator

estreia: 5º FEIRA/ 19 OUT - ABERTURA DA MOSTRA JÓIAS DO CINEMA DINAMARQUÊS: CINE JOIA DO RIO DE JANEIRO (copacabana) EXIBE SEIS LONGAS INÉDITOS DO PAÍS NÓRDICO; E O PRIMEIRO DOC LONGA-METRAGEM FILMADO NA GROENLÂNDIA.

Depois de regravar sucessos do Pop, Rock e Samba, a Orquestra Petrobras Sinfônica prepara uma homenagem ao reggae. O quarto EP da série “O Clássico é...” trará versões inéditas de “Andei só” (Natiruts), “Minha felicidade” (Roberta Campos), “Um anjo do céu” (Maskavo), “Aonde você mora” (Cidade Negra) e “Segue o baile” (Braza). A primeira apresentação do novo projeto será no Teatro Rival Petrobras, com entrada gratuita, às 20h do dia 18 de outubro (quarta-feira).

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers