Pages

Saturday, May 31, 2008

a primeira vez

Tava vendo uma reprise do show do Jools Holland no Film&Arts, quando ele perguntou pra KT Tunstall qual foi a primeira coisa que ela ouviu que a fez tomar gosto pela música (ela tinha dito antes ao Jools que nunca teve influencia caseira na carreira, ja que ninguém em sua casa ouvia música de especie alguma, diferentemente de Amy Winehouse, p ex, que foi influenciada pelos discos de jazz e soul do pai). Então, ela pensou e tascou: uma fita da Ella Fitzgerald, quando tinha uns 8 ou 9 anos. Ela disse que até hj imita a cantora, embora a sua voz não seja parecida.

Enquanto ela respondia, pensei: qual foi a música que me despertou e me levou a esse caminho? Não consegui lembrar, já que, desde cedo, acho que até ainda no útero, Beatles sempre foi a trilha sonora de minha mãe. Meu pai ouvia mpb, mas não com tanto afinco quanto mama devorava os fab four, bem como tbm Elvis e Jovem Guarda. Mas eu acho que o(s) primeiro(s) disco(s) que me deram um sacode foram: o primeiro do Clash, Led Zeppelin II, It´s alive dos Ramones, quando eu devia ter uns 12 ou 13 anos (até então, TV e cinema me ocupavam mais, embora sempre tivesse um radinho por perto onde ouvia de tudo, mas sem a noção de álbum, banda, som que mudaria a minha vida). E, antes deles, uns compactos de Elton John (by mama), com "Benny & the jets" e aquele junto com o The Who, "Pinball wizard". Adorava girar esses disquinhos...

E vcs aí, lembram qual foi o som que os despertou pra essa vida der amantes do rock pop? Hj em dia é mais dificil, já que se baixa milhares de arquivos ao mesmo tempo e mal se tem tempo de aprecia-los devidamente. Eu, p ex, levei varios meses ouvindo e tirando as letras urgentes do Clash, achando fabuloso o som que saia do vinil do Led Zeppelin (que maravilha era ouvir a "moby dick" no talo!) e tocando até arrebentar a fita com os Ramones nas pistas de skate. E, depois disso, as comportas se abriram (Devo, Kraftwerk, b52s, DK e todo o punk rock).

43 comments:

Atlantic said...

Cara, quando eu tinha 7 anos me deparei com o Appetite for Destruction do Guns n' Roses. Aquela capa com o desenho de um monstro atacando uma garota me causou impacto. Fiquei muito chocado com a cena hoje em dia criança assiste Tropa de Elite e dorme numa boa, né?).

Lembro da minha mãe indo comprar o LP comigo em Copacabana e quase desistindo por causa da capa. Eu achava aqueles caras os marginais da música. Eles xingavam, bebiam, arrumavam briga. E eu de algum modo gostava daquela rebeldia. Nem passava pela minha cabeça que aqueles "rebeldes" usavam shampoo caro e condicionador no cabelinho liso. Foi meu primeiro contato com rock... por isso, ainda tenho esse disco no ipod.

iga_rio said...

Fala Tom,

Pergunta dificil.. não que eu não me lembre, mas nós acabamos sempre confundindo com disco preferidos.
Bom eu tenho um irmão mais velho e lá nos anos 80 por volta de 83/84 ele escutava bastante Van Halen, Kiss e Ac/Dc... é claro que eu ficava fuxicando esses LPs dele, e o que eu me lembro bem foi em 83 quando o Kiss veio tocar no maracanã e ele foi no show com os amigos e naquele dia fiquei em casa escutando Kiss direto pois eu não tinha idade para ir no show. A partir disso veio meu interesse maior por música em especifico o Rock... curtia desde The Police e The Smiths até Iron Maiden e Motorhead. porem só comecei a ir em shows e participar mais a partir de 1990 e considero 3 albuns que realmente posso dizer que foram responsaveis por isso: Arise do Sepultura(influencia de amigos do colegio), Loco Live do Ramones(comprei depois de ver uma fita vhs com um show deles em NY 89) e Nevermind do Nirvana(esse por vários motivos, entre eles pq é foda... uma curiosidade é que tenho a versão importada dos EUA que pedi para minha irmã quando foi para lá em dezembro de 91 pedi esse e pedi para ela trazer alguma outra novidade de rock... e o vendedor indicou para ela o Rital de La Habitual do Jannes Adcition)

Bom desculpe pelo texto longo. rsrsrs mas é que me entusiasmei com o assunto.

Abraços,

tom said...

poize, iga. o disco que te da o estalo e te desperta nao é, necessariamente, o disco de sua vida. tanto q n sou die hard fan de elton john, p ex, embora tenha ouvido benny & the jets zilhoes de vzs. e tbm ouvi o disco II do zep ate furar, mas nao me tornei headbanger, nem quis formar uma banda por isso. talvez pq jamais fosse tocar como eles (rs). ai, o punk me salvou, pq era o som pobre, musicalmente, do jovem rebelde, mas real, sem firulas. ja os beatles eram trilha de fundo para minhas brincadeiras de carrinho e bonecos. mas foi quando vi o primeiro album do clash, aquela capa, os ramones, bem como o primeiro album do devo (um camarada esquisito, parecia uma mascara de carnaval) e os freaks do kraftwerk em man/machine, que, juntos, provocaramuma fusao bizarra na minha mente, junto com as guitarras surf dos b52s. acessei esses albuns quase ao mesmo tempo, no primeiro ano do resto de minha vida, e nunca os esqueci. e, sim, atlantic, uma capa funciona. essa do guns comprei o importado no sebo, pq ela foi proibida (arte do mestre da pop art lisergica robert williams, que, por causa dela, saiu do ostracismo e virou cult entre os milionarios do hard rock) e aqui logo trocaram por uma diferente. posers ou nao, o primeiro disco do guns é realmente muito bom. ah, iga, esse show do kiss foi tao polemico no rio que ate um professor meu fez campanha contra na escola. e eu, claro, fui contra ele, e quase me dei mal por isso (nem era fa do kiss, mas chamei ele de ridiculo por nao ver q aquilo tudo era so fantasia, showbizz)

tom said...

off: enqnto fazia uns lances no pc, tava rolando no fundo um especial do jimi hendrix em woodstock. acabei parando o q fazia e prestando mais atenção no divino negao. caramba, o cara era realmente sobrenatural na guitarra. sao 50 minutos pra la de hipnotizantes. sei que nao to falando nada der novo. mas, as vzs, vc se esquece disso e, qndo para e presta atenção, so confirma o obvio: o cara foi o maior guitar rock ever!

Tiago Velasco said...

É, o disco que me despertou para o rock foi, definitivamente, o "Appetite for destruction", do Guns.
É engraçado como ele está ganhando por enquanto, Tom. Isso deve revelar, de alguma forma, a idade dos leitores deste blog.
Mas a minha relação com o Guns tb foi sob bastante influência do Rock in Rio II.

Alessandro said...

Nunca vou esquecer:
"I Love it Loud" do Kiss mudou minha vida pra sempre!

Hoje nem ouço KISS, mas aquele momento para mim foi um verdadeiro marco!

"I love it loud,
I wanna hear it loud,
right between the eyes
Loud, I wanna hear it loud,
I dont want to compromise"

Depois Iron, AC/DC, The WHO(a minha predileta!), as bandas da Bay Area, HC Californiano, Punk 77, etc...

Hoje vivo uma verdadeira crise com a musica contemporanea... Acho quase tudo sem sal, sem graça...

Pouquissima coisa me emociona...

tom said...

nem tanto, tiago. o arco de idade dos coveiros é bem amplo, temos desde o bambaataa, que pelo que diz aqui, ta na casa dos 40, uma galerinha como pacheco, popota e pedro, que ainda nao chegaram aos 20, e um grande contingente, como vc, felipe e outros, que ta na casa dos 20/30 e tantos, e, independente da idade, tem gente nova ouvindo coisas das antigas e vice-versa, o que prova que musica e bom papo nao tem idade :-))

RENATO BIAO said...

araujo@Graças aos meus pais, sempre rolou som de prima aqui em casa...

Desde o primeiro q pedi , o "Help!" dos Beatles (minha mãe é fanática) - achava q eles eram meio personagens superherói por causa do "Yellow Submarine", (quanta inocência minha, e os fab four eram meio a música de fundo da casa, junto com queen e elton john), até os discos q meu trazia dos states e uk nas viagens q fazia a trabalho; mas o verdadeiro 'estalo'foi o kiss quando eles vieram por aqui ,lembro q a camelotagem da época vendia camisa , lancheira , essas coisas, e eu era doido pra ter uma...

nem são a minha banda favorita de todos os tempos, mas como bem disse o amigo coveiro alessandro, emociona de lembrar isso até hoje...despertou a minha curiosidade pra muitas coisas na música.

tom said...

e ja q vcs citaram, meu primeiro grande show de rock foi o kiss no maraca. nem era fazao, mas quem nunca ouviu rockn roll all nite numa festa, mesmo sendo punk? ate pq, teve queen em sampa antes e nao tinha a menor chance de ir (dimenor e sem grana), entao foi uma forra (logo depois, tivemos van halen no maracazinho). alias, pouco antes de tudo o q falei aqui (ou mais ou menos na epoca), uma amiga wannabe de namorada me mostrou o news of the world do queen (o queen tinha muitos fas entre as garotas), q achei muito legal na epoca, sobretudo pelas letras e pelaquela capa estilo sci-fi, com um robo

iga_rio said...

Como disse antes tive que ficar em casa vendo meu irmão ir para o show com os amigos... lembro que na época vendeu umas camisas do Kiss na Mesbla em que tinha o nome da banda "blilhando" e virou uma febre aqui no rio...
Já o primeiro grande show em que fui aqui no Brasil foi mesmo o Rock in Rio II em 91.
Eu era adolescente nessa época e os anos de 90/91 foram fodas. Inicio da Mtv Brasil, Rock In Rio II, Fluminense FM, explosão do Grunge, Rio Fanzine aos domingos no Segundo Carderno :) bons tempos.. to ficando velho...rsrs
Depois que passei dos 30 fiquei meio saudoso. rsrs

Abraços,

Pedro said...

Minha irma mais velha sempre foi fan de musica, mas ela so escutava porcaria rss
Eu lembro que, aos 9 anos, por volta de 1991, liguei a televisao no canal 9 e vi o clipe de smells do nirvana.
Pensei comigo mesmo.."que musica bacana".
Pronto, como uma doenca, o virus foi instalado rss
Lembro que na epoca o guns era mega popular e meus amiguinhos da escola tinha ate um album de figurinhas com fotos das bandas de "hair metal".
Eu cheguei no refeitorio da escolinha em q estudava ( O golfinho haha) e falei q curtia nirvana.Eles quase me bateram...
---
Po Tom, eu nao cheguei aos 20 ?
Eu e Sandman somos a mesma pessoa.
So neste blog, eu ja comento a uns 6 anos
uhhuaha
(Tenho 26 anos)
-------
A magia se perdeu hj.Todos os adolescentes tem um mp3 player e , obviamente, eles precisam carregar algumas cancoes.
Nao tem mais aquela coisa, de comprar disco so pela capa(Jehtro Tull), ou passar numa lojinha e ser
encantado por uma musica.
Anos de ouro rss
-------
To ficando velho..

pedro said...

sou um pedro diferente desse ai de cima. alias, nem sou pedro p vc, p vc eu sou o zé. o primeiro disco q me marcou foi o disco "o samba poconé" do skank. eu não era muito ligado em rock quando era criança, demorou um pouco até eu escutar o "ziggy stardust" e o "london calling" para eu me apaixonar por música pop.

desde então foi uma paixão arrebatadora, que me levou a muita coisa legal e interessante.

pedro said...

o primeiro disco foi "o samba poconé", do skank. mas os discos que me fizeram pirar foram os discos dos beatles, do dylan.

eu me lembro que minha mãe tinha um monte de discos e cds, mas a unica coisa realmente decente que ela ouvia era pet shop boys...

RENATO BIAO said...

tbm sinto saudades dessa época do vinil, de curtir as capas... se vc pega uma capa de um disco das antigas do santana, de um grateful dead, ou mesmo de um led zep, por exemplo. ficava horas às vezes reparando nos detalhes, ouvindo o som...aquilo era arte mesmo.uma parte importante q se perdeu na ânsia da industria de vender menos por mais.

sem falar no som. é até covardia lembrar desse fato.

Alexandre said...

Essa é fácil. Passei a molequice ao som dos comunicadores da Rádio Globo, Roberto Carlos e Julio Iglesias. Tenho até inveja de quem tem pais que gostavam de Beatles ... Mas tudo mudou na minha vida quando ouvi Johnny Hit and Run Pauline do X. Foi no programa Mack Twist, Fluminense FM, numa manhã qualquer de 80 e pouco. Pronto, caiu o mundo, quase choro de emoção!

pacheco said...

não sei.. .cresci com beatles e mpb, mas acho que comecei a gostar mesmo de rock com Legião(meu pai tinha todos os discos) e deep purple. Só me apaixonei mesmo por uma banda quando eu ouvi titãs; virei fã, tenho todos os discos, ainda gosto, etc.

Com uns 13 anos eu redescobri os beatles e me apaixonei também =)

Lord Vader said...

Gostei mto desse topico , e parei pra ler com atenção cada comment porque é algo realmente relevante pra um coveiro. Como cresci numa casa musical (tinha violão , piano ,e meu pai tinha sido musico de estudio quando mais jovem , compositor amador e tal) ja tava imerso em musica desde cedo , mas foi com o estouro de vc não soube me amar que realmente fiquei fascinado pelas possibilidades do pop/rock e tudo que o cerca. Achava o evandro mesquita a essência do cool e as meninas da Blitz as minhas futuras esposas. A partir daí meus presentes de aniversário , natal , etc eram sempre discos , era até socio do clube dos discos na SEARS ,e o ponto alto de minha vida era ficar olhando , capa por capa , e escutando em fones , os discos que me despertavam a tenção , mas era impossivel ter tudo o que queria porque disco era caro. Mas foi o compacto maleável dos Smiths que saiu acho que na Bizz 01 , em 86/87 realmente me tocou profundamente (aos 12 anos!) , e me colocou no trilho do que viria a ser minha praia por mts anos. Só depois disso em retrospecto descobri a new wave , punk , beatles , etc , e fui aprendendo a dar nome aos bois. Mas vontade de tocar guitarra e montar banda só tive já aos 18 anos , no estouro do grunge , já tocava violão meia boca , mas descobri que com a guitarra podia fazer um esporro do caralho !! Acho que por causa do rock minha vida congelou nos 20 e poucos anos , e por mais que o tempo passe as pessoas sempre me dizem que tenho 25 anos , por causa das roupas e tal , mas acho que a cabeça da gente se mantem fresh porque o rock é um estilo de vida , independente do que se faça (eu sou Obstetra !! rsss) []s

tom said...

bacana esse seu "depoimento", vader. eu nem citei o rock brasil no meu post pq ele chegou depois no meu coração, embora eu tbm tenha curtido a blitz, gang 90, lobao e lulu santos (mocidade independente) de montao antes do estouro da new wave brazuca e do punk local (ate a hora aga eles eram as unicas opcoes que tinhamos de shows e discos naquela altura). eu tbm acho q congelei nos 25. é bom vc encontrar um amigo da epoca e ouvir a frase: vc nao mudou nada. e tudo isso sem uso de botox (rs). realmente, a musica é uma fonte da mocidad

iga_rio said...

Off-topic: nesse link vc descobre qual música tocou mais nas radios dos EUA no dia que vc nasceu, é só clicar no mês e em seguida no dia:

http://www.joshhosler.biz/NumberOneInHistory/SelectMonth.htm

tom said...

poize, sandman, o pedro menos 20 a qual me referi foi o pedro zé, pq, pra mim, vc é sempre sandman.

off off: alguem ai ta acompahando o lost baixado? vi hj cedo o final de temporada (episodio duplo) e, ao mesmo tempo em que uma porrada de respostaas foram finalmente reveladas (e morre mais gente), mais portas (e portais) se abrem pra ferrar com a gente. agora, só em janeiro!!!

Jaime said...

eu gostava muito de ouvir "as aventuras do manhoso". caraca, escutei esse disco quando moleque. abs

tom said...

manhoso é aquele de onde a vaca vai? ele tinha milhares de musicas com duplo sentido e continua na ativa

Jaime said...

miltom, não sei se o referido fonograma faz parte do repertório de manhoso. no entanto, tal canção não é de minha predileção dentre os temas do renomado artista. abs
PS: samba poconé? vagabundo só pode 'tar de sacanagem!

Tiago Velasco said...

Eu citei o Guns pq foi quando eu realmente fiquei amarradão em música, mas, antes, eu já ouvia de tudo em casa. Pai que curte rock (foi no show do elvis, stones anos 70 e Bowie idem...)e mãe que gosta de MPB.
Lembro que meu primeiro show foi da Blitz, no Canecão, provavelmente eu tinha uns 4 ou 5 anos. Depois, fui ver titãs, poison e aerosmith no HR. Mas o grande lace foi, sem dúvida, os Stones no Maraca. A vida mudou por completo.

iga_rio said...

Tom, to aconpanhado lost sim... baixei e vi ontem esse último episodio ontem. para mim esse final da quarta temporada foi o melhor da série.

tom said...

outro off: este ano ta fazendo 30 anos que keith moon, o baterista original do the who, morreu. o conheci praticamente no ano de sua morte, qndo vi o filme da opera rock tommy (ele fazia o taradao uncle ernie). lembrei pq acabei de ver um show do who na ilha de wight, no qual eles tocam trechos de tommy, ainda com moon nas baquetas, e, no final, aparece um lembrete da data com a cara alucinada do lunatico...

pacheco said...

samba poconé é muito bom.. não entendi o comentário do jaime!

PEDRO BAMBAATAA said...

bem cheguei agora da barra, choveu muito lá... e vi o tópico...

realmente acho que sou o mais velho faço 45 anos agora em junho...

minha relação com a musica começou pelo rock, pois com 9 anos fui morar em brasilia, onde fiquei por 5 anos... quando sai de lá a onda do rock brasil não tinha surgido, mas soube depois que o renato morava na quadra em frente minha...

lá tive muito contato a musica pop estrangeira, pois os filhos de deputados e func publicos só ouviam rock e fumavam maconha e
minha empregada comprava os compactos do Elton John, e foi
aí e ouvi a primeira musica que me fascinou "skylab pigeon" e STEVE WONDER com "superticion"...

mas meu primeiro disco de rock mesmo fui "ovelha negra" da RITA LEE, em 1976...

quando voltei so rio, em meio a onda disco, fui enfeitiçado por
"we are the champions" do QUEEN, e comprei com minha mesada "NEWS OF THE WORLD", que a contrario da midia, considero o melhor disco do QUEEN...

na escola so amigos "progressa" só gostavam de pink floyd e yes, e fui tomado pela furia do AC/DC, quado escutei o seu LP ao vivo "if want blood, you got it", fica no quarto, todos os sabados a noite, ouvindo "for those about rock"...

por fim, tinha um amigo no colegio marista são josé, o "CLAUDIO RUSH", o cara era fanático, pois pintava a palavra rush em tudo que era roupa dele, que me falava muito do RUSH, e aí na semana que JOHN LENON, morreu e houve uma grande comoção, eu estava comprando "moving pictures" do RUSH, que tinha "tom sawyer" dai em diante virei fan da banda e comprei quase dos lps da banda...

e em 1982, com a criação da FLU, pude ter acesso a cenário pos punk, e quando ouvi "i don't woe anything", pensei: "que linha de guitarra tão simples e tão linda"... dai em diante sepultei o som pesado e abri minha cabeça para as coisas novas... agora MPB nunca escutei...

desculpe o textão... abraços!!

PEDRO BAMBAATAA said...

erratas: no meu comentário anterior, digitei errado o título da música "i don't owe you anything" e a banda era o The Smiths

ha tom, sobre este dvd do who que vc viu eu já tinha comentado aqui...
é impressionante, como o "madman", apelido do keith moon, usava a bateria...
indico tb da séria "classic albuns", o dvd sobre o clássico, disco, who "who next", que eu classifico como o canto do cisne do "movimento hippie'. Neste dvd
vc entende o como keith moon usava as baquetas e pq o cara era a alma da banda...

abraços!!

pedro said...

o melhor dvd sobre o the who é com certeza o "the kids are alright". eu sou um fãzaço do the who, são minha banda preferida, e eu posso dizer que a retrospectiva da carreira deles é muito bem feita nesse filme. sem falar que tem performances ao vivo excelentes e uma entrevista c o madman em pessoa sendo chicoteado numa loja de s&m.

Fernanda said...

RICARDO

O meu despertar foi muito claro: The Real Thing, do Faith No More.

depois de ouvir o vinil, ver o show do rock in rio (abriram pro guns e destruiram axl e cia) e ver os clipes na mtv, joguei vários vinis no lixo mesmo (tava tão puto com meu mau gosto que nem pensei em vender, porque o lugar de roxete, aha, erasure e outras merdas que eu achava razoáveis era no latão).

aí comecei e ler sobre música e correr atrás de coisas parecidas e o primeiro cd q comprei foi o mothers milk, do red hot. piração total e me converti imediatamente em um obsecado por música.

hj em dia meu gosto é bem mais aberto, mas raramente sinto emoção parecida com o que sentia com as descobertas no início dos 90 (urban dance squad, jane´s adicition, nirvana, white zombie, helmet, smashing pumpkins e também o hardcore mais antigo, bad brains, black flag, dead kennedies, ratos, minor threat, suicidal).

acho meio dificil da geração mp3 se enmocionar muito com música hoje. é tudo de muito fácil acesso e numa velocidade absurda. a galera tá meio blasé e fria. tanto faz se o disco novo de tal banda é uma merda, porque amanhã tem outro pra baixar de uma banda nova.

aquela corrida pra importadora preferida com a grana contada no bolso pra comprar o disco novo da banda querida é inesquecível.

tom said...

off: bo diddley, o pioneiro guitarrista negro americano que influenciou no jeito de tocar ate do jesus & mary chain, morreu hoje, aos 79 anos, de ataque cardiaco, em casa, na florida. tive a chance de ve-lo ao vivo tocando sua guitarra quadrada num free jazz fest, ha varios anos. agora, so nos resta o chuck berry, q ta vindo ai de novo este mes

Atlantic said...

"Did you ever go to sleep with Bo Derek and wake up with Bo Diddley?"
(Buggley Eyes, do NOFX)

Francisco said...

Standing on a Beach - The Cure

Alessandro said...

E agora esta paradas das cinzas roubadas do Kurt Cobain?

A Courtney guardava um punhado das cinzas do KC dentro de uma bolsa rosa em forma de urso!!!

"Belo" fim do deste imbecil que podia ter se tornado um gênio!

Por isso sou fã declarado de Pete Townshend do The Who! O cara tinha tudo para meter uma bala na cabeça, mas preferiu lutar do que a covardia do suicídio!!!

iga_rio said...

Off: Tom vai ter Muse final de julho no viva Rio ?? é certo ? boatos rolam.

Abraços,

Felipe Passarelli said...

Antes tarde do que nunca:

Também comecei com o pré-grunge, Guns 'N Roses, que na época do Rock in Rio II era a super novidade da época. Skid Row, REM e Extreme Tb.

Depois pela MTV a safra de Seattle, os big four Nirvana, Pearl Jam, Soundgarden e Alice in Chains.

Gostava tb de coisas pop e eletrônica, Information society certamente foi minha grande influência pra musica eletrônica hoje em dia, e musicas soltas do depeche mode.

Dance music tipo Snap, haddaway, Trinere, Stevie B tb marcaram minha adolescência, adorava funk melody, miami bass, ia sempre no baile funk do tijuca tenis club.

Aí passei pro metal, Iron Maiden, Angra, Halloween, Sepultura, Metallica, RATM.

Nacional Raimundos, Planet Hemp, Skank, Pato Fu.

Dai morreu a radio cidade ou ja não era tão rock, veio a internet e na sequencia o Napster.

A partir daí já comecei a aceitar e conhecer coisas muito inacessíveis como Animal Collective, pra mim uma das melhores bandas do mundo.

Pink Floyd e Beatles comecei a ouvir depois dos 20, ouvindo e comparando sempre a cria e a criatura...

OFF:

Parece que Muse vai tocar dia 30 aqui, 31 em São Paulo e dia 2 em Brasília

Bem said...

Feira Internacional do Fanzine

Realizada, habitualmente, na Casa Municipal da Juventude – Ponto de Encontro, Cacilhas, Almada, Portugal, tem como objectivos: o apoio, a dinamização e divulgação dos fanzinistas do Concelho, a dinamização de um espaço de encontros e permutas em torno dos fanzines e dar visibilidade a estas publicações.

Este ano, irá acontecer a IX Edição da Feira Internacional do Fanzine, de 7 a 15 de Novembro de 2008, na Casa Municipal da Juventude - Ponto de Encontro.

e-mail: fanzine2008@gmail.com

myspace: http://www.myspace.com/fanzine2008

fonte: Nina Flores - http://www.ninaflores.net/fanzine.htm

Bem said...

Acho que comigo foi quando começaram a surgir bandas de rock nos anos 80. Por incrível que pareça eu só fui ouvir rock por causa da Transamérica FM.

Depois, através de amigos descobri a Fluminense FM e fiquei "de cara" com um mundo de sons diferentes como REM, Siouuxsie e em uma belo dia, ao voltar da escola, ouvi meia hora direto de Ramones no rádio!

Bem said...

Acho que o que despertou meu gosto mesmo foi o primeiro do Violeta de Outono. Era psicodélico baixos teores, mas achava a letra tão abstrata e viajante que marcou época em mim e meus amigos...

Selma said...

Hmmmm, começaram a falar de idade....Melhor abafar o caso rsrsrs mas lembro q, depois da Rádio Mundial, aquele Big Boy todo e talz, ganhei um LP dos Archies e "Sugar Sugar"virou um hit pra mim! Depois foi a Eldo Pop e muito rock progressivo: Rick Wakeman, o Dark Side do Pink Floyd....e daí pros Van Halen, Uriah Heep e Deep Purple da minha irmã mais velha foi um pulo! Depois, veio o rádio, os anos 80s, ....bem, é isso. Altoids? Siiiim! Sonia Boiron me 'aplicou'...nas latinhas eh eh eh Abs, ó, grande Leão, venerável blogger\O/

tom said...

fala, selma! como vai tua mana? bom, o jools holland rola de duas formas na tv paga: os programs mais antigos passam toda sexta, as 23h, no canal film & arts (tinha na directv, mas qndo virou sky, acabou, agora só rola na tva). ou, eventualmente, quando tem leva de programas novos, no hbo plus. esse vc pega na sky, net e tva, basta ficar de olho na programação.

leila said...

eu era bem criança, uns 4 anos, andava por uma rua calminha de Vila Isabel, passei por uma casa de frente pra rua e da janela saiu um grito Wop-bop-a-loom-a-blop-bam-boom. Cara, foi um frio no estomago, a perna bambeou e eu nem sabia que era aquilo meu primeiro amor, little richard

NA CIDADE

JULIANAS:

casas & shows: Circo Voador 18 – Metá Metá / Rakta 19 – Roberta Sá  20 – Testament (EUA) 25 – Johnny Hooker 26 – O Baú do Raul – 25 Anos: Marcelo Nova / Mauricio Baia / B.Negão / Chico Chico / Karina Buhr / Rick Ferreira / Vivi Seixas

Fundição Progresso 18 e 19 – Novos Baianos 25 - Mitchell Brunnings (HOL) / Orquestra Brasileira de Música Jamaicana 26 – Festival RapRJ 7: Cone Crew Diretoria / Luccas Carlos / Froid / 1Kilo / ADL – Participação: Ducon / Modestiaparte – Participação: Liink & Buddy Poke

Teatro Rival 18 – Festa La Cumbia 19 - Afrojazz - Participação: Larissa Luz & Jesuton 23 - Michael Sweet (Stryper) & John Schlitt (Petra) 24 - Júlia Bosco & Emerson Leal & Gustavo Macacko – Participação: Mart´nália & Simone Mazzer 25 – Alma Thomas 26 – Jay Vaquer 50 meia Setor A, 40 meia Setor B, 30 meia Lounge 30 – Cabaré Diferentão

Teatro Riachuelo 29 – Paulo Ricardo Teatro Odisseia 18 – Ordinária - Baile do Lindote: Molejo 24 - The World is a Beautiful Place & I am No Longer Afraid to Die / gorduratrans / E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante  26 - Esteban Tavares / Sheffield 

Vivo Rio 18 - Postmodern Jukebox (EUA)  19 – Barão Vermelho 20 – Roy Hargrove & Roberta Gambarini 25 - Jacob Collier (ING) 

Baratos da Ribeiro (Botafogo) 19 – Vespeiro: Marcelo Perdido / Real Sociedade / O Branco e o Índio 26 - Vespeiro: Tacy de Campos / Jonnata Doll & Os Garotos Solventes

Estúdio Hanói (Botafogo) 18 - Nativity in Black Fest: Justabeli (SP) / Dark Tower / Profane Art  19 - Festival Nativity in Black: Justabeli (SP) / Dark Tower / Profane Art  27 - Back To Hanoi Metal Fest: Forkill / Unmasked Brains / Evil Inside / Savant  30 - Rectal Smegma (HOL) / Uzômi / Baga  Audio Rebel 16 – Quintavant: Thiago França: Sambanzo 17 – Quintavant: Thiago França: Space Charanga Quarteto 18 - Jair Naves & Britt Harris / Kasparhauser 19 – Quintavant: Ava Rocha 20 - Homenagem a John Coltrane (Widor Santiago, Sergio Barrozo, Adaury Mothé, Didac Thiago, Roberto Rutigliano) 23 – Quintavant: Hans Koch (SUI) - Participação: Bella, Thomas Rohrer, Cadu Tenório, Antonio Panda Gianfratti 24 – Quintavant: Hans Koch (SUI) - Participação: Thomas Rohrer, Antonio Panda Gianfratti 30 – Quintavant: AJJA (Pedro Calmon & Alex Frias)

Espaço Sérgio Porto 18 - Marcio Lugó / Capela  24 - Mulheres de Buço 25 - Whipallas 31 - CEP 20.000

Sala Baden Powell 16 - Donatinho: Homenagem a João Donato - Participação: Ithamara Koorax, Wanda Sá, Cris Delanno, Amanda Bravo, Ricardo Silveira 19 - Quarteto do Rio 23 - Lúcia Menezes 26 - Marcel Powell - Homenagem a Baden Powell - Participação: Thais Motta, Ithamara Koorax, Gabriel Aquino, Amanda Bravo, Dilma Oliveira 27 - Dorina Canta Aldir Blanc 30 - Eliana Pittman

Theatro Net Rio 16 – Laila Garin & A Roda 22 – Paulo Miklos 12/09 Simone Mazzer

Beco das Garrafas Casa de Cultura Laura Alvim 09 e 10 – Festival Levada: Luísa Maita 15 – Katerina Polemi 16 e 17 – Festival Levada: Apanhador Só 23 e 24 – Festival Levada: Bruna Mendez 30 e 31 – Festival Levada: Tamy

Teatro Ipanema 15 - A.Nota: Sambas do Absurdo (Juçara Marçal & Rodrigo Campos & Gui Amabis) 16 - Aíla (PA) – Participação: Posada 17 - Ana Frango Elétrico / Thiago Nassif 18 - Amora Pêra 22 - A.Nota: Marcelo Vig & Marcos Suzano

Teatro Café Pequeno 17 - Lu Dantas & Natália Boere 24 - Marcos Oliveira 31 - Filtra

Metropolitan 24 – Hanson (EUA) 26 - Lindsey Stirling (EUA) Teatro Bradesco 18 – Leo Jaime 24 – Almir Sater

Teatro Municipal de Niterói 18 e 19 – Roberta Campos 22 – Clube do Choro Homenageia Noel Rosa 24 – Quarteto do Rio

Planet Music (Cascadura) 18 - Torture Squad / Hatefulmurder / Reckoning Hour / Warcursed  19 - Black Days (SP) / Sheffield / Amsterdan / LaVille  26 - Festival Invasão Underground 2: Inversa (SP) / Maieuttica / Adrift / Tormentta / The Last Whale 

Imperator 16 - Quartas Brasileiras: Tia Surica - Tributo a Clara Nunes - Participação: Nilze Carvalho, Ana Quintas, Mariene de Castro 22 – Jazz Pras Sete: Folakemi Duo 23 – Maurício Mattar – Participação: Alexandre Pires 24 - Homenagem a Dalva de Oliveira: Amelinha, Zezé Motta, Dóris Monteiro, Leny Andrade, Rita Beneditto, Áurea Martins, Agnaldo Timóteo, Simone Mazzer, Zé Renato, Eliana Pittman, Rosa Maria Colyn, Luciene Franco, Ellen de Lima, Ataulfo Alves Jr, Gottsha 30 – Agnaldo Timóteo 31 – Samba do Imperator: Grupo Arruda, Marquinhos de Oswaldo Cruz, Arlindinho

Centro de Referência da Música Carioca Artur da Távola (Tijuca) 16 – Coletivo Samba na Rua 17 – Quinta Instrumental: Jimmy Santa Cruz 18 – Victor Mus 19 – Danilo Caymmi 23 – Fábrica Nômade Sonora 24 – Quinta Instrumental: Carlos Café 25 – Laura Zennet 26 – Quarteto do Rio 30 – Projeto Vitrola

FM Hall 23 – Manu Gavassi (grátis) 29 – Illy (grátis)

La Esquina (Lapa) 17 - Red Mess / Blind Horse / Stoned Jesus 24 – Mobile Drink

Smokey Rio (Lapa) 19 – Festa Rio Vinil Clube 26 – Bel Almeida Ganjah (Lapa) 18 – Duda Brack & Thiago Ramil 23 – Festa HempFyah: Rafyah Dread & Hempfield DubLab / Lion Dornellas / André Pfefer / Tagu Selectah Vibration 25 - Azul Casu & 3 du Mar

Casa de Baco (Lapa) 17 – Gafieira Pé de Louro 19 – Relógio de Dalí 24 – Joyce Cândido

CCBB 18 - Festival CCBB - Quanto Mais Tropicália, Melhor: Pato Fu / Céu – Praça do Centro Cultural dos Correios (22h – R$ 20) 19 - Festival CCBB - Quanto Mais Tropicália, Melhor: Pedro Luís & A Parede / Tom Zé – Praça do Centro Cultural dos Correios (22h – R$ 10)

Quintas no BNDES 17 - Byafra: 35 Anos de Sucesso 24 - Luiza Borges 31 - Tarita de Souza

Circuito SESC 16 – Copacabana: Philippe Baden Powell & Quarteto Ludere: Baden Powell 80 Anos 18 – Niterói: Clara Gurjão 26 – Engenho de Dentro: Clara Gurjão Circuito SESI 26 – Duque de Caxias: Tiê 25 – Jacarepaguá: Tiê _____________________________________________________________

mixx: 18 - Carmen Blues – Bar Kunin / Vila Isabel 18 – Sara & Nina – Olho da Rua / Vila Isabel 18 - Ronaldo Diamante – TribOz / Glória 18 - Wake the Dead Festival: Surra (SP) / Rats / Der Baum (SP) / Nove Zero Nove – Clube Mageense / Magé 18 – RaggaBrass – Boulevard Olímpico / Praça Mauá 18 - O Rappa - Tour de Despedida – Quadra da Grande Rio / Duque de Caxias 19 - Insurgente Rock Festival: Maieuttica / Ágona / Born2Bleed / Melyra / Forkill / Negah – Caixa de Surpresa / Bangu 19 - Breaking Bad - A Festa: Cervical / Controle / Mau Presságio – Buffallos Bar / Méier 19 - Festa RapSoul 5 Anos: Rael – Armazém / Praça Mauá 19 - Akira Presidente – Espaço BF / Mesquita

20 - Caxias Hell Festival: Velho / Justabeli (SP) / Dark Tower / Gutted Souls / Unnature / Vicious – Lira de Ouro / Duque de Caxias 25 - Bloco Fanfarra D´Águas – Praça das Nações / Bonsucesso 25 - Rogério Caetano - Participação: Hamilton de Holanda – Eco Som / Botafogo 25 - Arraiá do Bloco Vem Cá, Minha Flor – Feira de São Cristóvão

LEO JAIME LEO "GUANABARA" JAIME Com mais de 30 anos de carreira, Leo Jaime experimenta momentos de grande intensidade em sua vida profissional. Além da obra consagrada, como cantor e compositor, o artista está sempre atuando em novos projetos. Humor, interpretações arrebatadoras, inteligência e versatilidade são as marcas deste artista que apresenta ao publico carioca, no dia 18 de agosto, no Teatro Bradesco Rio, o espetáculo “Leo “Guanabara” Jaime”. No show ele relembra seus grandes sucessos musicais e as histórias por trás das canções e dos bastidores do Rock Brasil

PROGRAMAÇÃO BLUE NOTE JAZZ CLUB RIO (ONDE ERA A MIRANDA, NO COMPLEXO LAGOON, NA LAGOA, LADO LEBLON):   07/09 - Quinta-feira 20:00 Maceo Parker 22:30 Maceo Parker   08/09 – Sexta-feira 21:00 Maceo Parker 23:30 Maceo Parker   09/09 – Sábado 21:00 Sergio Mendes 23:30 Sergio Mendes   10/09 – Domingo 20:00 Sergio Mendes 22:30 Sergio Mendes   13/09 - Quarta-feira 20:00 Jaques Morelenbaum convida   16/09 – Sábado 21:00 Baby do Brasil 23:30 Baby do Brasil   17/09 – Domingo 20:00 Baby do Brasil 22:30 Baby do Brasil   20/09 - Quarta-feira   20:00 Jaques Morelenbaum convida   27/09 - Quarta-feira 20:00 Anne Paceo 28/09 Quinta-feira   20:00 Orquestra Atlântica 22:30 Orquestra Atlântica    Outubro   04/10 - Quarta-feira 20:00 Ala.Ni 05/10 – Quinta-feira 20:00 Chris Botti 22:30 Chris Botti  06/10 – Sexta-feira 21:00 Chris Botti 23:30 Chris Botti    07/10 – Sábado 21:00 Chris Botti 23:30 Chris Botti    08/10 – Domingo  20:00 Chris Botti 22:30 Chris Botti  11/10 - Quarta-feira 20:00 Teresa Salgueiro 22:30 Teresa Salgueiro    12/10 – Quinta-feira 20:00 Teresa Salgueiro 22:30 Teresa Salgueiro    20/10 – Sexta-feira 21:00 Chick Corea & Steve Gadd Band 23:30 Chick Corea & Steve Gadd Band   Novembro 02/11 Quinta-feira 20:00 Spyro Gyra 22:30 Spyro Gyra   03/11 Sexta-feira 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   04/11 Sábado 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   15/11 Quarta-feira 20:00 Laura Perrudin   16/11 Quinta-feira 20:00 Didier Lockwood Trio 22:30 Didier Lockwood Trio

ULTRA BRASIL ANUNCIA A PHASE 1 DE SEU LINEUP PARA A EDIÇÃO 2017: ADAM BEYER, ALESSO, ARMIN VAN BUUREN, DAVID GUETTA, JAMIE JONES, JOSEPH CAPRIATI, SASHA & JOHN DIGWEED e THE MARTINEZ BROTHERS SERÃO HEADLINERS FESTIVAL ACONTECE NOS DIAS 12, 13 E 14 DE OUTUBRO NO SAMBÓDROMO DO RIO

_______________________________________________________ CURSOS DE AGOSTO no Estação NET Botafogo    - História do Cinema Independente Brasileiro, com Cavi Borges    - Ancine e o fomento ao audiovisual brasileiro, com Julio Augusto Zucca    - Cinema Afrodisíaco? O sexo na tela, com Dodô Azevedo

Circuito Estação NET de Cinema e Cinemateca do MAM apresentam: Exposição CINEMA EM CASA: Equipamentos do acervo da Cinemateca do MAM. A partir de 23 de fevereiro, no Estação NET Botafogo de 23 de fevereiro a 23 de agosto 2017 Horário de visitação: 14h às 22h Entrada franca

DISTOPIAS BRASILEIRAS NO CINEMA A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 15 a 27 de agosto de 2017, a mostra cinematográfica Brasil Distópico, que traça um panorama da produção nacional sobre as distopias. Para a programação, os curadores Luís Fernando Moura e Rodrigo Almeida selecionaram 37 curtas e longas-metragens que imaginam diferentes futuros sombrios para o país, entre clássicos da ficção-científica brasileira e obras menos conhecidas.  Na programação, filmes como O quinto poder (1962), de Alberto Pieralisi, e Brasil ano 2000 (1969), de Walter Lima Júnior. Outras incorporam as convenções da ficção científica, encenando a ameaça nuclear e o colapso do planeta, como Parada 88: o limite de alerta (1978), de José de Anchieta; e Oceano Atlantis (1993), de Francisco de Paula. Há, ainda, aqueles que instalam o cinema de gênero em imaginários locais do Brasil, como é o caso de Abrigo nuclear (1981), de Roberto Pires; e Areias Escaldantes (1985). ESTE ULTIMO, TRAZ NO ELENCO, VARIOS NOMES E BANDAS DO ROCK BRASIL DOS ANOS 80, COMO LOBÃO, TITÃS, E TEMA-TITULO DE LULU SANTOS.

DEIXA NA RÉGUA: O filme estreia no dia 10 de Agosto no INSTITUTO MOREIRA SALLES com sessões às 16h e 20h e no CINE SANTA com sessão às 17h10. Deixa Na Régua. Direção: Emílio Domingos. Produção: Osmose Filmes. Documentário. Brasil. 73 minutos.

COM SESSÕES LOTADAS EM ALGUMAS CIDADES, UCI ABRE MAIS SALAS PARA “DAVID GILMOUR: LIVE IN POMPEII” E AGORA APRESENTA A EXIBIÇÃO EM XPLUS  Ingressos já estão à venda e o público poderá conferir o show também com o poderoso som Dolby Atmos em 360º



BLITZ AO VIVO: No embalo do lançamento do álbum 'Aventuras 2', Evandro Mesquita e sua Blitz finalizam seu quarto DVD, gravado no Circo Voador em abril, para lançamento em outubro. A banda está a todo vapor, com presença confirmada no próximo Rock In Rio e tem turnê pelos Estados Unidos confirmada em fevereiro de 2018

FESTIVAL DE CINEMA DA NOVA ZELANDIA

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers