Pages

Wednesday, March 26, 2008

Bife com tutu é pura alegria!


Eles também são de Athens, Georgia, como o R.E.M. e seu vocalista também é gay. Mas o B-52´s foi por outro caminho. Se radicou em Nova York e se tornou um dos ícones da new wave dos anos 80, criando parametros para o genero (roupas coloridas, musicas alegres) e nos dando um dos maiores guitarristas lo-fi do mundo, o falecido Ricky Wilson. Após dois discos que entram em qualquer lista de melhores do rock, o amarelo e o vermelho, a banda veio ao primeiro rockinrio, gravou um disco cabeça produzido por David Byrne (Mesopotamia), viveu a perda de Ricky, parou, deu a primeira volta por cima no começo dos 90´s com "Love shack" (seu primeiro sucesso mainstream), voltou ao Brasil, deu mais um tempo, e agora reaparece com outra volta por cima, "Funplex", um disco que é puro B-52´s, nao fosse a falta que a guitarra de Ricky faz.

Poizé. Aqui está mais um grupo essencial que reaparece com um bom disco (sem que isso denote qualquer nostalgia, já que eles nunca foram embora), assim como o R.E.M. Cindy, Kate, Fred e Keith continuam mandando bem, apesar do tempo. E continuam fazendo um pop surreal, meio espacial, kitsch, sexual, juvenil. Eles já contaram que no planeta Claire todo mundo tem cabelo rosa, ja nos levaram a 35 milhas a leste de Venus, fizeram uma festa farofa na praia ao som de "rock lobster" e nos apresentaram um poodle bizarro chamado quiche lorraine. Agora citam Fellini com julieta dos espíritos, falam do amor no ano 3000 e pedem pra festas continuar rolando. Caray, como o bife com tutu continua divertido e dançante. So, let´s party like it´s 1982!!!

*os remixes de Funplex são assinados por CSS, Peaches e Scissor Sisters. Tudo a ver!

= umas coisas que kate me disse e não couberam na entrevista que saiu neste domingo no grobo:

- para colaborar com o meio ambiente, qndo estao em turne nos eua usam um onibus movido a energia solar em vez de avião. tbm so usam agua mineral embaladas de forma alternativa, nada de garrafas plasticas. na atual turne beneficente true colors (criada por cyndi lauper, que rola entre maio e julho), estao com eles no lineup indigo girls, tegan & sara, joan armatrading, joan jett e regina spektor...

20 comments:

fabio fernandes said...

rock lobster é uma das músicas mais importantes da minha vida, desde qdo a ouvi, em uma festa, qdo era adolescente ...
e "time capsule" (a coletânea da banda) é um dos meus cds favoritos ... tá sempre tocando aqui em casa.
só lamento nunca tê-los visto ao vivo.

off topic (mas nem tanto, já que é da mesma época), dica de leitura:

estou lendo, no momento, "madame satã - o templo do underground dos anos 80", escrito por marcelo leite de moraes, sobre a lendária casa noturna paulista. e, assim como o "brock" do dapieve, explica o surgimento de várias bandas importantes ou não) daquele período.
e aí vai a pergunta: tom ou algum coveiro(a) frequentou o lugar ? poderiam falar algo ? pqe tudo o que eu sempre ouvi e li era tão mítico que parecia um sonho um lugar deste nível aqui no brasil, assim como foram o crepúsculo ou a dr. smith aqui no rio de janeiro.

brunobbl said...

FALA TOM

MAS LEGAL TENDER DO WHAMMY JÁ NÃO ERA UM SUCESSO MUNDIAL DELES ?

ABS

tom said...

bruno, love shack fez muuuito mais sucesso internacional do que legal tender (que rolou bem aqui por causa dos clubes new waves e programas de clipes). estourou nos eua no top 40, o que nunca tinha rolado com eles antes (eu tava la na epoca e senti o lance na real). fabio, sempre que ia a sp passava no satã. ja ate toquei uma noite la com o ze roberto quando a gente exibiu o show do butthole surfers (vide post sobre o assunto) e tbm colaborava com o zine da casa. o cubatao aqui era parecido, mas diferente, mais variado, zona sul. o satã era bem mais under (os donos eram ex-seminaristas!). certa noite eu tava la no bar que ficava ao lado, com o joao gordo, e uns malandros passaram atirando! era gente que odiava os punks!!! no cubatao, o maximo eram uns crentes que iam pra porta dizendo que aquilo era o lugar do demo (rsrs). vou procurar esse livro

fabio fernandes said...

vale à pena procurar o livro sim, ele é rico em detalhes, tem umas falhas, mas parece ter sido escrito com tanta paixão que compensa.
é aquela velha história de estar no lugar certo na hora certa: acho que só em uma cidade como são paulo, no começo da década de 80, zilhões de bandas surgindo, clima de efervescência cultural em todas as áreas (literatura, artes plásticas, teatro etc.), fim da ditadura, com as informações chegando mais rápido ... que poderia surgir um lugar como o madame satã.

tom said...

mas no rio tbm tivemos algo assim, fabio, o aparecimento do circo e da flu fm foi vital para a divulgação do novo rock brasil, incluindo bandas de sp, df e do sul. e o cubatao tbm teve sua importancia. dali sairam nomes q hj agitam nas artes em geral (no cinema, tv, musica, moda, artes plasticas, que la se encontravam pra trocar ideias). o que movia isso era a propria situação do pais. hj, que temos tudo livre, aparentemente, nao rola mais movimento algum, as pessoas, 75 milhoes delas, votam no bbb!!!

PEDRO BAMBAATAA said...

bife com tutu me lembra muito a finada "MAMÃO COM ACÚCAR" a galera
toda de bermuda colorida bem diferente do povo do cubatão...

considero essa galera, a galera "PÓS ROCK IN RIO 1", que
com o boom do rock era composto
em sua maioria por "PLAYBAS"... rs...

eu, tijucano, suburbano, bunzueiro, frequentava mesmo era o ROBIN HOOD PUB" no alto da boa vista, pois para mim era mais perto do que ir para copa ou lagoa...

só fui uma vez o CUBA, quando já era KITCHNET e no DOCTOR, tb no seu finalzinho...

abraços!!

tom said...

a ordem foi marromenos assim:
1980: trevas e ditadura
1981: movimento punk sp/rj
1982: fluminense fm
1983: bandas aparecem
1984: circo voador/blitz
1985: cubatão e rockinrio
1986: estouro do rock brasil
+ cochrane, ilha dos mortos (rio), napalm, satã, carbono 14 (sp)
1987/88: auge da new wave pop
(papawave, mamão com açúcar)

:: Fräulein :: said...

Grande banda!
Eu me amarro na "Rock Lobster"!

O Japan eu ouvi alguma coisa baixando uns 80 perdidos de usuários do soulseek. Nossa, já encontrei muita coletânea boa de new wave por lá, e umas de neue deustche welle por onde conheci uma banda foda chamada Abwärtz, q nem é new wave, mas sabe cumé essa coletêneas né? rsrsrs

Felipe Passarelli said...

achei médio esse album, ele se perde muito, adoro a música Funplex, especialmente a versão do CSS. adoro a banda, sempre ouço os dois primeiros.

Vazou o novo do Moby -Last Night, ta bem bom, relembra bastante o "Play", bastante eletronico tb. Moby de volta as origens-acid....

cada um vive a época que merece né? rs

conto a minha de 90 pra cá, como um liquidificador de musica eletronica com rock que antes jamais era imaginável.

Minha época foi do Planet Hemp, Raimundos, Skank, Pato Fu, Chico Science, o famoso 1993, onde explodiu todas essas bandas

todos me falam muito do satã, tipo mito mesmo de casos, drogas discaradas (me falavam que o pessoal cheirava na mesa mesmo e ninguem ia reclamar) fora os shows de lá. boa pedida esse livro, vou comprar. acho que vou fazer um livro sobre a bunker então rs

abs

iga_rio said...

Cara o Pedro Bambaataa lembrou bem... Robin Hood... época boa em que era "seguro" ir ao alto da boa vista a noite.
Fequentei a Robin Hood.. nessa época.

tom said...

boa ideia a do livro da bunker, felipe. alias, tinha q haver um livro que falasse geral dessas casas. mas, um detalhe: é legal lembrar de coisas boas, mas é ruim ficar preso a um passado. pra mim, o que importa é o q vou fazer amanha, o ontem ja passou. nao tem essa de so coisas "daquele tempo" eram boas. o legal é vc perceber o q ta acontecendo no seu momento antes q ele passe. p ex, hj acho bem bacana as festas ddk. elas serao bem lembradas no futuro, lugar de gente diferente, misturada, sem algum mafioso aproveitador por tras da ideia, como rola na maioria dos clubes da cidade. o dama e o fosfo sao os cubatao e smith de hoje. e, pra mim, o novo disco do be your own pet é tao importante quanto a volta dos b-52´s. meu tempo é agora.

tom said...

ainda sobre os b-52s: meu primeiro trabalho remunerado na area de musica foi como frila num caderno especial do rockinrio editado pelo grobo. isso me deu a chance de ir ao rio palace entrevistar os b52 no quarto deles, num tempo em que nao tinha agente pentelho do lado nem gente de gravadora atrapalhando. fui direto no ape deles na moral, la dentro era uma zona total, a banda era realmente uma festa ambulante. menos por uma pessoa, o guitarrista ricky wilson, quieto e timido toda vida. ricky viria a morrer em outubro de 85, oito meses depois, de cancer, aos 32 anos. mas, pelo que vi ali, parecia que a banda nao sabia, era um segredo so do ricky. foi realmente uma perda irreparavel, sem cliche, pq ele tocava guitarra num estilo meio surfe espacial, com as cordas trocadas, inimitavel ate hoje

fabio fernandes said...

acho que, como guitarrista, ricky wilson foi subestimado, o modo do cara tocar era diferenciado mas qdo se fala em b-52´s as pessoas comentam mais pelo visual e pelo clima de festa mesmo.

agora, qto ao livro sobre as casas noturnas lendárias aqui do rj dá caldo ...

tom said...

entrevistei hj cedo a kate pierson. deve sair no grobo de domingo...

Felipe Passarelli said...

A Kate ta com quase 60 anos né?

Caraio o tempo é cruel, mas podem perceber que ela parece enxuta, mas as mãos não enganam, aliás de ninguém que faz plástica, as mãos e o pescoço são o que dão mais pinta da velhice.

Ouvindo de novo o album to curtindo mais, a voz da Kate continua a mesma e eles chamaram o produtor Steve Osborne, que tem experiencia em dar novos sons a bandas paradas (new order, suede).

A Kate também tem duas participações especiais inesquecíveis, uma com o Iggy Pop "candy" e outra com os conterraneos de Athens, Georgia R.E.M. - "Shine Happy People".

Gostei de uma definição da banda: "A surf-rock soundtrack to an early 60s spy film about a gay underground dance culture from the future"

Sobre terça lá no odisséia foi muito bacana, não conhecia o local, tem um som 1000x melhor que da fudeção.

Smack foi uma surpresa, uma dessas bandas da safra dos 80's paulistana com o edgar scandurra e integrantes da mercenárias. Teve tb participação do Dado Vila Lobos. Um som bem sofisticado, além de muita coisa da época, gutarras a lá QOTSA, som muito bom, tomara que o ira acabe e o edgar volte pra essa banda.

Shellac foi absurdo, é íncrivel como o steve albini se entrega no palco, se estabacou varias vezes no chão, levou shock do microfone a cada berro era uma surpresa, as músicas não tem nenhum tipo de regra, são esparsas, ele recita, canta, grita, caraio loucura mexilhão sonoro, e a cada final de musica o baixista pedia pra fazerem perguntas hehehe foi 10... A atitude dele no palco me lembrou muito o Kurt Cobain...

To com vídeos no youtube depois apareçam lá.

http://youtube.com/user/cybertechno

obs: alguém sabe por favor qual programa e como eu edito os videos em pedaços, pq teve músicas que passaram de 15 minutos...

brunobbl said...

FALA TOM

QUAL DESSES ÁLBUNS DO TALKING HEADS VC ACONSELHA A DOWNLOADEAR : REMAIN IN LIGHT, FEAR OF MUSIC OU OS DOIS ?

ABS

RENATO BIAO said...

'private idaho' foi uma das músicas da minha infância...graças aos meus pais , q tinham esses discos - alguns eu roubei pra mim depois.

voltando um tanto no tempo ,quando o clipe de 'legal tender' foi lançado aqui ele paasava direto num programa da extinta rede manchete chamado fm tv,e um dos apresentadores era o joão kléber!!!priscas eras!!! eu tinha 9 anos na época , mas me lembro bem desse detalhe - queria ver aquelas mocinhas coloridas todo dia.

desse disco novo não gostei tanto assim. achei irregular, o single prometia mais...mas fico feliz q eles estejam na ativa lançando coisas de alguma relevância, e me trazendo excelentes memórias.

nelson said...

Caraco...Frequentei vários desses lugares...Fui algumas vezes na Cubatão...e depois muito na Dr.Smith...

Na Tijuca tinha a Mamute, onde cheguei a ver alguns shows legais...

Fui algumas vezes na Robin Hood, e muitas vezes no Mistura Fina no Itanhangá onde dava pra ouvir uns sons que rolavam na FluFM, no domingo, acho...

Tinha o Botanic...o Café Pacífico, um dos primeiros bares mexicanos do Rio. Nesses lugares rolavam sons legais...

Lembrei de um quiosque japonês!!?? no Leblon, lá no alto...onde sempre fazia minhas pré-nights, e um dos poucos lugares onde se podia tomar uma Heineken. Comida japonesa na época era um lance surreal...Esse era mais um lugar onde se ouvia boa música...

Não posso esquecer nas segundas, onde o Calbuque transformava o RioJazzClub do falecido Meridien, em RioReggaeClub...

Desculpem a seção nostalgia caretaça...não consegui resistir...rs

Alessandro said...

Ricky Wilson era gênio! O lance das cordas de guitarra "toda errada" era genial!

Sobre os "Bifes com tutu", realmente os dois primeiros álbuns são os melhores. O restante é passável.

Baixei agora o disco novo, e como já são quase 4 da matina só vou ouvir amanhã durante o dia! Depois farei minhas considerações!

Agora estou viciado em uma outra banda dos 80s: The Replacements!!!!

Ouvir novamente a discografia dos caras é muito bom!

Desde o primeirão bem hc/punk("Sorry Ma...") até os discos do Paul Westenberg já nos anos 2000!

Fica a dica!

tom said...

bruno, pega os dois dos t-heads, pq, na minha opiniao, sao os dois melhores da banda (foram relançados recentemente em versoes especiais extended). fear of music pra mim é um dos melhores discos ja feitos, em letras, em produção (brian eno), mistura de rock, africa e eletronica, foda. comentei aqui ha uns dois anos, que fui limpar meus vinis, dai peguei o fear of music e ouvi o dia todo, pq nao dava pra acreditar que o disco ja tem quase 30 anos de lançado. é super atual!

NA CIDADE

JULIANAS:

casas & shows: Circo Voador 18 – Metá Metá / Rakta 19 – Roberta Sá  20 – Testament (EUA) 25 – Johnny Hooker 26 – O Baú do Raul – 25 Anos: Marcelo Nova / Mauricio Baia / B.Negão / Chico Chico / Karina Buhr / Rick Ferreira / Vivi Seixas

Fundição Progresso 18 e 19 – Novos Baianos 25 - Mitchell Brunnings (HOL) / Orquestra Brasileira de Música Jamaicana 26 – Festival RapRJ 7: Cone Crew Diretoria / Luccas Carlos / Froid / 1Kilo / ADL – Participação: Ducon / Modestiaparte – Participação: Liink & Buddy Poke

Teatro Rival 18 – Festa La Cumbia 19 - Afrojazz - Participação: Larissa Luz & Jesuton 23 - Michael Sweet (Stryper) & John Schlitt (Petra) 24 - Júlia Bosco & Emerson Leal & Gustavo Macacko – Participação: Mart´nália & Simone Mazzer 25 – Alma Thomas 26 – Jay Vaquer 50 meia Setor A, 40 meia Setor B, 30 meia Lounge 30 – Cabaré Diferentão

Teatro Riachuelo 29 – Paulo Ricardo Teatro Odisseia 18 – Ordinária - Baile do Lindote: Molejo 24 - The World is a Beautiful Place & I am No Longer Afraid to Die / gorduratrans / E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante  26 - Esteban Tavares / Sheffield 

Vivo Rio 18 - Postmodern Jukebox (EUA)  19 – Barão Vermelho 20 – Roy Hargrove & Roberta Gambarini 25 - Jacob Collier (ING) 

Baratos da Ribeiro (Botafogo) 19 – Vespeiro: Marcelo Perdido / Real Sociedade / O Branco e o Índio 26 - Vespeiro: Tacy de Campos / Jonnata Doll & Os Garotos Solventes

Estúdio Hanói (Botafogo) 18 - Nativity in Black Fest: Justabeli (SP) / Dark Tower / Profane Art  19 - Festival Nativity in Black: Justabeli (SP) / Dark Tower / Profane Art  27 - Back To Hanoi Metal Fest: Forkill / Unmasked Brains / Evil Inside / Savant  30 - Rectal Smegma (HOL) / Uzômi / Baga  Audio Rebel 16 – Quintavant: Thiago França: Sambanzo 17 – Quintavant: Thiago França: Space Charanga Quarteto 18 - Jair Naves & Britt Harris / Kasparhauser 19 – Quintavant: Ava Rocha 20 - Homenagem a John Coltrane (Widor Santiago, Sergio Barrozo, Adaury Mothé, Didac Thiago, Roberto Rutigliano) 23 – Quintavant: Hans Koch (SUI) - Participação: Bella, Thomas Rohrer, Cadu Tenório, Antonio Panda Gianfratti 24 – Quintavant: Hans Koch (SUI) - Participação: Thomas Rohrer, Antonio Panda Gianfratti 30 – Quintavant: AJJA (Pedro Calmon & Alex Frias)

Espaço Sérgio Porto 18 - Marcio Lugó / Capela  24 - Mulheres de Buço 25 - Whipallas 31 - CEP 20.000

Sala Baden Powell 16 - Donatinho: Homenagem a João Donato - Participação: Ithamara Koorax, Wanda Sá, Cris Delanno, Amanda Bravo, Ricardo Silveira 19 - Quarteto do Rio 23 - Lúcia Menezes 26 - Marcel Powell - Homenagem a Baden Powell - Participação: Thais Motta, Ithamara Koorax, Gabriel Aquino, Amanda Bravo, Dilma Oliveira 27 - Dorina Canta Aldir Blanc 30 - Eliana Pittman

Theatro Net Rio 16 – Laila Garin & A Roda 22 – Paulo Miklos 12/09 Simone Mazzer

Beco das Garrafas Casa de Cultura Laura Alvim 09 e 10 – Festival Levada: Luísa Maita 15 – Katerina Polemi 16 e 17 – Festival Levada: Apanhador Só 23 e 24 – Festival Levada: Bruna Mendez 30 e 31 – Festival Levada: Tamy

Teatro Ipanema 15 - A.Nota: Sambas do Absurdo (Juçara Marçal & Rodrigo Campos & Gui Amabis) 16 - Aíla (PA) – Participação: Posada 17 - Ana Frango Elétrico / Thiago Nassif 18 - Amora Pêra 22 - A.Nota: Marcelo Vig & Marcos Suzano

Teatro Café Pequeno 17 - Lu Dantas & Natália Boere 24 - Marcos Oliveira 31 - Filtra

Metropolitan 24 – Hanson (EUA) 26 - Lindsey Stirling (EUA) Teatro Bradesco 18 – Leo Jaime 24 – Almir Sater

Teatro Municipal de Niterói 18 e 19 – Roberta Campos 22 – Clube do Choro Homenageia Noel Rosa 24 – Quarteto do Rio

Planet Music (Cascadura) 18 - Torture Squad / Hatefulmurder / Reckoning Hour / Warcursed  19 - Black Days (SP) / Sheffield / Amsterdan / LaVille  26 - Festival Invasão Underground 2: Inversa (SP) / Maieuttica / Adrift / Tormentta / The Last Whale 

Imperator 16 - Quartas Brasileiras: Tia Surica - Tributo a Clara Nunes - Participação: Nilze Carvalho, Ana Quintas, Mariene de Castro 22 – Jazz Pras Sete: Folakemi Duo 23 – Maurício Mattar – Participação: Alexandre Pires 24 - Homenagem a Dalva de Oliveira: Amelinha, Zezé Motta, Dóris Monteiro, Leny Andrade, Rita Beneditto, Áurea Martins, Agnaldo Timóteo, Simone Mazzer, Zé Renato, Eliana Pittman, Rosa Maria Colyn, Luciene Franco, Ellen de Lima, Ataulfo Alves Jr, Gottsha 30 – Agnaldo Timóteo 31 – Samba do Imperator: Grupo Arruda, Marquinhos de Oswaldo Cruz, Arlindinho

Centro de Referência da Música Carioca Artur da Távola (Tijuca) 16 – Coletivo Samba na Rua 17 – Quinta Instrumental: Jimmy Santa Cruz 18 – Victor Mus 19 – Danilo Caymmi 23 – Fábrica Nômade Sonora 24 – Quinta Instrumental: Carlos Café 25 – Laura Zennet 26 – Quarteto do Rio 30 – Projeto Vitrola

FM Hall 23 – Manu Gavassi (grátis) 29 – Illy (grátis)

La Esquina (Lapa) 17 - Red Mess / Blind Horse / Stoned Jesus 24 – Mobile Drink

Smokey Rio (Lapa) 19 – Festa Rio Vinil Clube 26 – Bel Almeida Ganjah (Lapa) 18 – Duda Brack & Thiago Ramil 23 – Festa HempFyah: Rafyah Dread & Hempfield DubLab / Lion Dornellas / André Pfefer / Tagu Selectah Vibration 25 - Azul Casu & 3 du Mar

Casa de Baco (Lapa) 17 – Gafieira Pé de Louro 19 – Relógio de Dalí 24 – Joyce Cândido

CCBB 18 - Festival CCBB - Quanto Mais Tropicália, Melhor: Pato Fu / Céu – Praça do Centro Cultural dos Correios (22h – R$ 20) 19 - Festival CCBB - Quanto Mais Tropicália, Melhor: Pedro Luís & A Parede / Tom Zé – Praça do Centro Cultural dos Correios (22h – R$ 10)

Quintas no BNDES 17 - Byafra: 35 Anos de Sucesso 24 - Luiza Borges 31 - Tarita de Souza

Circuito SESC 16 – Copacabana: Philippe Baden Powell & Quarteto Ludere: Baden Powell 80 Anos 18 – Niterói: Clara Gurjão 26 – Engenho de Dentro: Clara Gurjão Circuito SESI 26 – Duque de Caxias: Tiê 25 – Jacarepaguá: Tiê _____________________________________________________________

mixx: 18 - Carmen Blues – Bar Kunin / Vila Isabel 18 – Sara & Nina – Olho da Rua / Vila Isabel 18 - Ronaldo Diamante – TribOz / Glória 18 - Wake the Dead Festival: Surra (SP) / Rats / Der Baum (SP) / Nove Zero Nove – Clube Mageense / Magé 18 – RaggaBrass – Boulevard Olímpico / Praça Mauá 18 - O Rappa - Tour de Despedida – Quadra da Grande Rio / Duque de Caxias 19 - Insurgente Rock Festival: Maieuttica / Ágona / Born2Bleed / Melyra / Forkill / Negah – Caixa de Surpresa / Bangu 19 - Breaking Bad - A Festa: Cervical / Controle / Mau Presságio – Buffallos Bar / Méier 19 - Festa RapSoul 5 Anos: Rael – Armazém / Praça Mauá 19 - Akira Presidente – Espaço BF / Mesquita

20 - Caxias Hell Festival: Velho / Justabeli (SP) / Dark Tower / Gutted Souls / Unnature / Vicious – Lira de Ouro / Duque de Caxias 25 - Bloco Fanfarra D´Águas – Praça das Nações / Bonsucesso 25 - Rogério Caetano - Participação: Hamilton de Holanda – Eco Som / Botafogo 25 - Arraiá do Bloco Vem Cá, Minha Flor – Feira de São Cristóvão

LEO JAIME LEO "GUANABARA" JAIME Com mais de 30 anos de carreira, Leo Jaime experimenta momentos de grande intensidade em sua vida profissional. Além da obra consagrada, como cantor e compositor, o artista está sempre atuando em novos projetos. Humor, interpretações arrebatadoras, inteligência e versatilidade são as marcas deste artista que apresenta ao publico carioca, no dia 18 de agosto, no Teatro Bradesco Rio, o espetáculo “Leo “Guanabara” Jaime”. No show ele relembra seus grandes sucessos musicais e as histórias por trás das canções e dos bastidores do Rock Brasil

PROGRAMAÇÃO BLUE NOTE JAZZ CLUB RIO (ONDE ERA A MIRANDA, NO COMPLEXO LAGOON, NA LAGOA, LADO LEBLON):   07/09 - Quinta-feira 20:00 Maceo Parker 22:30 Maceo Parker   08/09 – Sexta-feira 21:00 Maceo Parker 23:30 Maceo Parker   09/09 – Sábado 21:00 Sergio Mendes 23:30 Sergio Mendes   10/09 – Domingo 20:00 Sergio Mendes 22:30 Sergio Mendes   13/09 - Quarta-feira 20:00 Jaques Morelenbaum convida   16/09 – Sábado 21:00 Baby do Brasil 23:30 Baby do Brasil   17/09 – Domingo 20:00 Baby do Brasil 22:30 Baby do Brasil   20/09 - Quarta-feira   20:00 Jaques Morelenbaum convida   27/09 - Quarta-feira 20:00 Anne Paceo 28/09 Quinta-feira   20:00 Orquestra Atlântica 22:30 Orquestra Atlântica    Outubro   04/10 - Quarta-feira 20:00 Ala.Ni 05/10 – Quinta-feira 20:00 Chris Botti 22:30 Chris Botti  06/10 – Sexta-feira 21:00 Chris Botti 23:30 Chris Botti    07/10 – Sábado 21:00 Chris Botti 23:30 Chris Botti    08/10 – Domingo  20:00 Chris Botti 22:30 Chris Botti  11/10 - Quarta-feira 20:00 Teresa Salgueiro 22:30 Teresa Salgueiro    12/10 – Quinta-feira 20:00 Teresa Salgueiro 22:30 Teresa Salgueiro    20/10 – Sexta-feira 21:00 Chick Corea & Steve Gadd Band 23:30 Chick Corea & Steve Gadd Band   Novembro 02/11 Quinta-feira 20:00 Spyro Gyra 22:30 Spyro Gyra   03/11 Sexta-feira 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   04/11 Sábado 21:00 Spyro Gyra 23:30 Spyro Gyra   15/11 Quarta-feira 20:00 Laura Perrudin   16/11 Quinta-feira 20:00 Didier Lockwood Trio 22:30 Didier Lockwood Trio

ULTRA BRASIL ANUNCIA A PHASE 1 DE SEU LINEUP PARA A EDIÇÃO 2017: ADAM BEYER, ALESSO, ARMIN VAN BUUREN, DAVID GUETTA, JAMIE JONES, JOSEPH CAPRIATI, SASHA & JOHN DIGWEED e THE MARTINEZ BROTHERS SERÃO HEADLINERS FESTIVAL ACONTECE NOS DIAS 12, 13 E 14 DE OUTUBRO NO SAMBÓDROMO DO RIO

_______________________________________________________ CURSOS DE AGOSTO no Estação NET Botafogo    - História do Cinema Independente Brasileiro, com Cavi Borges    - Ancine e o fomento ao audiovisual brasileiro, com Julio Augusto Zucca    - Cinema Afrodisíaco? O sexo na tela, com Dodô Azevedo

Circuito Estação NET de Cinema e Cinemateca do MAM apresentam: Exposição CINEMA EM CASA: Equipamentos do acervo da Cinemateca do MAM. A partir de 23 de fevereiro, no Estação NET Botafogo de 23 de fevereiro a 23 de agosto 2017 Horário de visitação: 14h às 22h Entrada franca

DISTOPIAS BRASILEIRAS NO CINEMA A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 15 a 27 de agosto de 2017, a mostra cinematográfica Brasil Distópico, que traça um panorama da produção nacional sobre as distopias. Para a programação, os curadores Luís Fernando Moura e Rodrigo Almeida selecionaram 37 curtas e longas-metragens que imaginam diferentes futuros sombrios para o país, entre clássicos da ficção-científica brasileira e obras menos conhecidas.  Na programação, filmes como O quinto poder (1962), de Alberto Pieralisi, e Brasil ano 2000 (1969), de Walter Lima Júnior. Outras incorporam as convenções da ficção científica, encenando a ameaça nuclear e o colapso do planeta, como Parada 88: o limite de alerta (1978), de José de Anchieta; e Oceano Atlantis (1993), de Francisco de Paula. Há, ainda, aqueles que instalam o cinema de gênero em imaginários locais do Brasil, como é o caso de Abrigo nuclear (1981), de Roberto Pires; e Areias Escaldantes (1985). ESTE ULTIMO, TRAZ NO ELENCO, VARIOS NOMES E BANDAS DO ROCK BRASIL DOS ANOS 80, COMO LOBÃO, TITÃS, E TEMA-TITULO DE LULU SANTOS.

DEIXA NA RÉGUA: O filme estreia no dia 10 de Agosto no INSTITUTO MOREIRA SALLES com sessões às 16h e 20h e no CINE SANTA com sessão às 17h10. Deixa Na Régua. Direção: Emílio Domingos. Produção: Osmose Filmes. Documentário. Brasil. 73 minutos.

COM SESSÕES LOTADAS EM ALGUMAS CIDADES, UCI ABRE MAIS SALAS PARA “DAVID GILMOUR: LIVE IN POMPEII” E AGORA APRESENTA A EXIBIÇÃO EM XPLUS  Ingressos já estão à venda e o público poderá conferir o show também com o poderoso som Dolby Atmos em 360º



BLITZ AO VIVO: No embalo do lançamento do álbum 'Aventuras 2', Evandro Mesquita e sua Blitz finalizam seu quarto DVD, gravado no Circo Voador em abril, para lançamento em outubro. A banda está a todo vapor, com presença confirmada no próximo Rock In Rio e tem turnê pelos Estados Unidos confirmada em fevereiro de 2018

FESTIVAL DE CINEMA DA NOVA ZELANDIA

(colaborou @DonnieDarko73);

Blog Archive

Buscar

About Me

tom leão
Vanuatu
amigo dos amigos, amante de música, cinema, boa comida, de pedaladas e caminhadas
View my complete profile
Powered by Blogger.

Popular Posts

Translate

Followers